Goiás

Criança com sinais de agressão é encontrada pela PM, em Formosa

Menino de 4 anos contou a polícia que os pais o agrediram e só dava biscoito para ele comer.
12/01/2019, 09h46

Uma criança foi encontrada na noite de ontem (11/1), com vários sinais de agressão, em Formosa, cidade do Entorno do Distrito Federal, localizada a 280 quilômetros de Goiânia.  Os pais são suspeitos de maltratar o filho de 4 anos e foram levados para a delegacia.

Por meio de denúncias, a Polícia Militar recebeu informações que uma estava enrolada em cobertores e com diversos hematomas, dentro do porta-malas de um carro e na companhia de dois adultos. Ao chegar no local, o menino estava no bando de trás do veículo, com várias feridas no rosto e queimadura no couro cabeludo.

Os pais contaram aos policiais que os machucados foram provocados por quedas da cama, onde o menino dormia. Conforme o casal, o ferimento na cabeça da criança apareceu tinha aparecido há 20 dias, quando a criança caiu da cama em cima de brinquedos de bloco de montagem. Já as feridas no rosto teria aparecido há 4 dias, depois de outra queda.

Criança com sinais de agressão desmente versão contada pelos pais

O menino desmentiu as versões que os pais havia informado a PM.  Ele contou às equipes que o pai queimou na cabeça com o ferro de passar e que o casal só dava biscoitos para ele comer.

Diante da situação, os pais da criança foram levados para  para a delegacia de Formosa e podem responder por maus-tratos. A criança foi entregue ao conselho tutelar da região. A reportagem entrou em contato com o delegado responsável pelo caso, mas não teve sucesso.

Criança é agredida pelo pai em Anápolis

Durante uma discussão entre o homem e a ex-mulher, mãe da criança, que ocorreu no dia 03/12, o pai jogo o menino contra o chão diversas vezes, em uma via pública no Setor Central, em Anápolis. Informações preliminares apontam que os casal discutia por conta de ciúmes. Aparentemente, a mulher também foi agredida e sofreu ferimentos leves.

O menino de 4 anos, foi socorrido com suspeita de traumatismo craniano e afundamento de crânio, e levado para o Hospital de Urgências de Anápolis (Huana), mas em seguida transferida para o Hugol, onde ficou internado desde o dia (3/1).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.