Economia

Caixa e BB começam a pagar abono do PIS/Pasep para nascidos até fevereiro

O valor a receber varia de R$ 84 a R$ 998, de acordo com o número de meses trabalhados no ano-base (2017).
15/01/2019, 18h25

A Caixa Econômica Federal paga, nesta terça-feira, 15, o abono salarial do PIS 2018/2019 (ano-base 2017) aos trabalhadores da iniciativa privada que nasceram em janeiro e fevereiro e são correntistas do banco. Na próxima quinta-feira, 17, o pagamento será liberado para os que nasceram nos dois primeiros meses do ano e não são clientes da instituição financeira. O valor a receber varia de R$ 84 a R$ 998, de acordo com o número de meses trabalhados no ano-base (2017).

Segundo a Caixa, estarão disponíveis R$ 2,57 bilhões para um total de 3,52 milhões de trabalhadores. Os recursos de todos beneficiários ficam disponíveis para saque até 28 de junho de 2019.

O próximo calendário de saques na instituição é para os nascidos nos meses de março e abril, que ocorrerá no dia 19 de fevereiro. Para os nascidos em maio e junho, a liberação ocorre no dia 12 de março.

Já o Banco do Brasil, instituição responsável pela liberação do abono do Pasep aos servidores públicos, paga o benefício também no dia 17, para os participantes que possuam número final de inscrição 5.

Segundo a instituição, o benefício está disponível para aproximadamente 2 milhões de trabalhadores cadastrados no Pasep, em um valor total de R$ 1,763 bilhão. Do montante, cerca de 206 mil participantes receberão o volume de cerca de R$ 176 milhões no pagamento da próxima quinta-feira.

Segundo o BB, os pagamentos realizados a partir de 2 de janeiro de 2019 contemplam o novo valor do salário mínimo aprovado em 1º de janeiro de 2019, de R$ 998.

O pagamento dos participantes com número de inscrição final 6 e 7 se dará no dia 21 de fevereiro. Já para os que possuem número final 8 e 9, acontecerá no dia 14 de março.

Quem tem direito

Para ter direito ao abono salarial do PIS/Pasep é necessário ter trabalhado formalmente por pelo menos um mês em 2017 com remuneração média de até dois salários mínimos. Além disso, o trabalhador precisa estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter tido seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

A quantia que cada trabalhador tem para receber é proporcional ao número de meses trabalhados formalmente no ano-base e varia de R$ 84 a R$ 998. Quem trabalhou durante todo o ano recebe o valor cheio. Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo.

Os empregados da iniciativa privada, vinculados ao PIS, sacam o dinheiro na Caixa. Os funcionários públicos devem procurar o Banco do Brasil.

Como saber?

Para saber se tem algo a receber de PIS, o trabalhador pode consultar o aplicativo Caixa Trabalhador, acessar o site www.caixa.gov.br/PIS ou ligar para 0800-726-0207, informando o número do PIS.

Para maiores informações sobre o Abono Salarial do Pasep, o leitor deve fazer uma consulta ao site do Ministério do Trabalho: trabalho.gov.br/abono-salarial ou no seguinte telefone: 158.

Para saber se o participante é vinculado ao PASEP, ele deve solicitar essa informação através da Central de Atendimento do Banco do Brasil, nos seguintes telefone: 4004-0001 ou 0800 729 0001.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Cristiane Schmidt afirma que salários de dezembro vão ser pagos

"Nós vamos pagar o salário de dezembro de 2018, sim", afirma secretária.
15/01/2019, 19h06

Alguns servidores públicos do Estado de Goiás estão sem receber os salários do mês de dezembro, folha que sequer foi empenhada pelo governo anterior. O medo desses funcionários que até o momento não tem informações de quando vão receber, é serem vítimas de um calote, com o governo não efetuado o pagamento dos salários. A resposta a essa possibilidade foi negada na tarde desta terça-feira (15/1) pela titular da Secretaria da Fazenda (Sefaz) Cristiane Schmidt, que declarou que vai pagar os vencimentos atrasados do mês de dezembro.

Em entrevista à Rádio Difusora de Goiânia, Cristiane afirmou que a possibilidade do não pagamento para os servidores do executivo não existe, pois os demais poderes já tiveram o pagamento colocado em dias, uma vez que já estavam empenhados. Conforme a nota a secretária, liberou para o pagamento dos funcionários públicos destes setores o equivalente a R$ 255 milhões de reais, que é equivalente a 21% da folha salarial de Goiás do mês de dezembro.

“Essa história de calote é mentira. O Estado estuda as melhores maneiras de efetuar o pagamento da folha de dezembro que não foi empenhada pelo governo anterior, como deveria ter sido feito”, comenta Cristiane.

Cristiane Schmidt garantiu o pagamento dos salários de dezembro

Além de negar que o governo não vai pagar os salários do mês de dezembro, a secretária afirmou que o governo faz um planejamento para quitar a folha de dezembro e é contundente ao afirmar “Nós vamos pagar o salário de dezembro de 2018, sim”. No entanto, nenhuma uma data para quitar os vencimentos foi determinada pela secretária.

Cristiane Schmidt lembrou que a solução para o pagamento dos salários atrasados do mês de dezembro, vai vir após a reunião com a missão do Ministério da Economia, que chegou na última segunda-feira (14/1) e fica em Goiás até a próxima quarta-feira (16/1).

Os representantes do Ministério da Economia, estão levantado dados do orçamento de 2018 e 2019, para elaborar um parecer sobre as contas do Estado, para quitar uma dívida de mais de R$ 3 bilhões de reais.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Casal de catadores morre soterrado por barranco em aterro

As vítimas, um homem de 59 anos e uma mulher de 50, ficaram com os corpos totalmente cobertos pela terra, que estava um pouco úmida pelas chuvas.
15/01/2019, 19h24

Um casal de catadores de recicláveis morreu soterrado ao ser atingido pela queda de um barranco, na tarde de segunda-feira, 14, no aterro sanitário municipal de Indiana, no oeste do Estado de São Paulo. As vítimas, um homem de 59 anos e uma mulher de 50, ficaram com os corpos totalmente cobertos pela terra, que estava um pouco úmida pelas chuvas.

O irmão de uma das vítimas que também recolhia recicláveis no local pediu ajuda ao Corpo de Bombeiros. Os corpos foram resgatados da vala no início da noite, já sem vida. A prefeitura informou que a área é fechada com cerca, mas foi invadida pelos catadores.

O resgate foi feito com a ajuda de máquinas para a remoção da grande quantidade de terra que deslizou. A área foi interditada após a retirada dos corpos e passava por avaliação na tarde desta terça-feira, 15. As vítimas foram levadas para necropsia no Instituto Médico Legal (IML) de Presidente Prudente.

Em nota, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) lamentou o acidente e informou que o aterro sanitário recebeu licença de operação em 2015, válida até 2020. “Neste caso, cabe à prefeitura cumprir as exigências contidas no documento, entre as quais a restrição de acesso ao local.” No fim da tarde desta terça, uma equipe da Cetesb ainda fazia avaliações na vala em que aconteceu o acidente.

A prefeitura informou que toda a área é cercada e tem portão fechado com cadeado, mas os catadores transpõem a cerca e invadem o local. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar as causas das mortes.

Segundo a polícia, embora o caso seja tratado como mortes acidentais, será investigado se houve omissão ou negligência nos cuidados com o aterro.

Testemunhas foram ouvidas nesta terça-feira. Um representante da prefeitura também deverá depor.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Corpo em estado de decomposição é encontrado na BR-153, em Anápolis

Webert estava desaparecido desde o último sábado (12/1).
15/01/2019, 20h32

O corpo de um homem de 33 anos, em estado avançado de decomposição, foi encontrado na tarde desta terça-feira (15/1) na Br-153, na saída norte de Anápolis, a 55 quilômetros de Goiânia, no trecho que liga a cidade a Jaraguá.

O delegado titular do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Anápolis, Vander Coelho conversou com o Portal Dia Online e contou outros detalhes sobre o encontro do cadáver. “O rapaz estava desaparecido desde o último sábado (12/1) e que a família estava procurando por ele, pois ele saiu para dar uma volta pelo setor e não deu mais notícias”, conta o delegado.

Vander Coelho afirmou que o rapaz foi identificado como Webert Costa Pereira, de 33 anos, e que a família afirmou que ele tinha recebido um dinheiro e saiu para dar uma volta pelo bairro Jaiara, em Anápolis.

Corpo encontrado em decomposição dificulta identificar as causas da morte

Segundo o titular do GIH, o corpo de Webert foi encontrado no canteiro central da rodovia e em estado de decomposição avançado. “Não foi possível fazer uma análise mais detalhada ou determinar as causas da morte do rapaz”, afirmou o delegado.

Vander Coelho afirmou também que espera o resultado do exame cadavérico do Instituto Médico Legal (IML) de Anápolis, que vai determinar as causas da morte de Webert, para a partir daí definir uma linha de investigação sobre o caso.

Portal Dia Online entrou em contato com o IML de Anápolis e foi informado que o corpo ainda se encontra no instituto, mas que o resultado do exame sobre as causas da morte do rapaz só dever sair na quarta-feira (16/1).

Corpo encontrado na BR-153, em Anápolis

O corpo de Webert não é o primeiro encontrado na rodovia na cidade em 2019, no último sábado (12/1) um outro cadáver foi encontrado dentro de um carro na BR-153, também em Anápolis. A vítima encontrada dentro do veículo, foi identificada como Valdivino Garcez, de 55 anos, que apresentava cortes no pescoço, no momento que foi encontrado pela polícia.

Na ocasião, Vander Coelho esteve na cena do crime e contou à reportagem que nada da vítima havia sido levado. Conforme as informações do delegado, moradores da região afirmaram que ouviram uma discussão durante a madrugada entre a vítima e o suposto autor do homicídio. O caso é investigado pelo GIH de Anápolis, que até o momento não tem informações sobre a autoria e motivação do crime.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Ônibus clandestino quebra, motorista foge e passageiros ficam abandonados na estrada, em Goiatuba

Segundo a PRF, até a manhã desta quarta-feira (16/1), os passageiros ainda estariam na estrada tentando conseguir um meio de retomar a viagem.

Por Ton Paulo
16/01/2019, 08h22

Um grupo de 49 passageiros que seguia do Maranhão para São Paulo não contava que teria tantos problemas ao contratar os serviços de um ônibus clandestino para fazer o trajeto. O grupo ficou completamente abandonado no meio da estrada, em Goiatuba, interior de Goiás, na noite da última segunda-feira (14/1) quando o ônibus que os levava, em situação irregular, quebrou. Como era um transporte clandestino, não tiveram a reposição do veículo, a dona foi presa e o motorista fugiu. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), até a manhã desta quarta-feira (16/1), os passageiros ainda estariam na estrada tentando conseguir um meio de retomar a viagem.

De acordo com informações da PRF, o coletivo irregular quebrou na BR 153, próximo a Goiatuba, deixou os passageiros sem assistência na rodovia. O veículo que é irregular, saiu de São Luís do Maranhão com destino a São Paulo – SP, e transportava 49 pessoas: 10 crianças, 10 mulheres e 29 homens.

Segundo levantamento da PRF, da capital maranhense até o município de Goiatuba, onde o coletivo foi encontrado, parado em um posto de combustível, em pane, o veículo parou diversas vezes com problemas mecânicos, até que na noite de segunda-feira o carro parou em definitivo e a viagem foi de vez interrompida.

Segundo informações dos ocupantes do coletivo, a responsável pela viagem cobrou de 300 até 450 reais dos passageiros e até o local onde o carro foi encontrado a viagem durou cinco dias.

Ônibus clandestino quebra, motorista foge e passageiros ficam abandonados na estrada, em Goiatuba
Passageiros do ônibus clandestino ficaram abandonados no meio da estrada (Foto: PRF)

Sem condições de embarcarem em outro veículo por falta de dinheiro e sem recursos até para alimentação do grupo, o pouco que tinham foi usado pelos passageiros para ajudar a responsável pelo veículo, durante a viagem, para consertar o carro e prosseguir ao destino final.

A PRF acionou a Agência Nacional de Transportes Terrestres e a responsável pelo veículo, uma senhora de 41 anos de idade, foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil em Morrinhos.

Passageiros do ônibus clandestino que quebrou em Goiatuba ainda estariam na estrada

Segundo informações do Inspetor Newton Morais, da PRF, como o ônibus estava em situação irregular, não havia nenhuma empresa para fazer a reposição do veículo. A única saída para os passageiros, sem dinheiro e sem ônibus, foi esperar a chegada da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Entretanto, até o momento do final do atendimento da ocorrência pela PRF, na noite de ontem (15/1), a equipe do órgão ainda não havia chegado.

“Eles ainda estão lá [na estrada] esperando, pois, até quando estávamos lá, depois de acionar a ANTT, a equipe ainda não tinha chegado”, revelou o inspetor.

Em informação exclusiva repassada ao Dia Online, o inspetor revelou que o motorista também era um passageiro. De acordo com ele, o homem que dirigia o ônibus não foi contratado, mas pagou passagem para seguir junto com os outros, mas também conduzir o veículo.

A reportagem do Dia Online entrou em contato com a ANTT para obter uma atualização da situação dos passageiros que foram largados na estrada, mas até o fechamento desta matéria, não obteve retorno.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.