Goiás

Pai ciumento tortura e mata namorado da filha de 14 anos, em Goiânia

Para a Polícia, Kleber Juliano Pires de Oliveira contou que a vítima planejava fugir com a filha.
17/01/2019, 09h40

Kleber Juliano Pires de Oliveira matou um jovem de 19 anos porque ele namorava com a filha dele, de 14 anos, na noite desta quarta-feira (16/1), na Rua Vanessa Ribeiro Santos, no setor Parque Tremendão, em Goiânia.

O suspeito foi preso em flagrante em sua casa por policiais militares quando ele e outro homem se preparavam para ocultar o cadáver do rapaz.

Morador da região em que ocorreu o crime, o sargento Kleiton Machado Sousa solicitou apoio por meio do Copom ao ouvir algo que parecia a trama de um assassinato. Em seguida, o PM ouviu disparos. Os policiais – incluindo o sargento – entraram em uma casa, mas não viram nada de anormal.

Era do outro lado do muro, contudo, na casa do suspeito, que o corpo do jovem foi avistado pelos policiais. Com os dois homens, os policiais encontraram um revólver e uma faca.

Com Kléber, os policiais prenderam o amigo dele,  Lindomar Francisco de Moraes, que ajudou na execução e se preparava para a ocultação de cadáver.

No Registro de Atendimento Integrado (RAI), os policiais relatam quue, “ao interrogar Kleber ouvimos que estava agindo por vingança já que este “Douglas” estaria tendo um caso amoroso com sua filha menor, de 14 anos, e que a havia seduzido a deixar a casa dos pais”.

Suspeito confessa que atraiu vítima para praça, em Goiânia

Kleber combinou com a vítima um encontro na praça Edmundo Rocha e, em seguida, o convenceu a vir para a sua casa onde o matou com um tiro na nunca.

Segundo a Polícia, é provável que a vítima tenha sido torturada antes de morrer, o que pode ter ocasionado os gritos que chamaram a atenção dos vizinhos.

Kleber e Lindomar foram apresentados na Central de Flagrantes para serem autuados. A Polícia Técnica foi acionada e esteve no local colhendo todos os elementos da cena do crime e após a perícia o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

O jovem ainda não foi identificado pelo IML.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

PF investiga grupo suspeito de fraude na compra e venda de veículos em Goiás e DF

São cumpridos 31 mandados de busca e apreensão, além de medidas cautelares de sequestros de veículos e bloqueio administrativo junto ao Detran.
17/01/2019, 09h56

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quinta-feira (17/1), a Operação Cosplay, que investiga um grupo suspeito de fraude e lavagem de dinheiro na compra e venda de veículos. São cumpridos 31 mandados de busca e apreensão em Valparaíso de Goiás, Águas Lindas de Goiás, Brasília, Ceilândia, Brazlândia, Paranoá, Guará, Recanto das Emas, Sobradinho, Taguatinga, Riacho Fundo I, Samambaia, Vicente Pires e Taquari.

O grupo, que é suspeito de usar nomes de terceiros, os chamados ‘laranjas’, deve responder por lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio e falsidade ideológica. Nesses casos, se condenados, os envolvidos podem pegar até 10 anos de prisão. De acordo com a corporação, um dos investigados já havia sido preso em 2017 por receber uma carga com 72 televisões roubadas.

Também nesta quinta-feira, são cumpridas duas medidas cautelares de sequestros de veículos e bloqueio administrativo junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran), onde foram identificados registros de carros e motos em nome de ‘laranjas’. A Polícia Federal também obteve a quebra dos sigilos bancários e fiscais dos integrantes da grupo fraudulento. Aproximadamente 120 policiais federais atuam na operação.

Fraude na compra e venda de veículos

As investigações apontaram que o grupo criminoso agia da seguinte forma: os laranjas cediam seus nomes e faziam movimentações bancárias, e em seguida recebiam pelo serviço. A apuração levantou ainda que o integrante do grupo, que havia sido preso em outubro de 2017, também administrava empresas de fachada para justificar a movimentação financeira do grupo.

Operação Cosplay

A investigação foi batizada como Operação Cosplay em referência ao termo em inglês que designa a representação de personagens. A escolha foi feita pela alusão ao uso de ‘laranjas’ no esquema de fraude. O objetivo, segundo a Polícia Federal, é combater crimes de falsidade ideológica e de lavagem de dinheiro na compra e venda de veículos em cidades de Goiás e do Distrito Federal.

Via: CBN Goiânia G1 O Popular 
Imagens: Gazeta do Povo 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Buscas por armas na internet disparam em Goiás na primeira quinzena de janeiro

O município campeão de buscas pelo termo "arma" foi Luziânia, no Entorno de Brasília.

Por Ton Paulo
17/01/2019, 10h06

Os cidadãos goianos parecem ter despertado um certo interesse por armas de fogo neste ano. Pelo menos é o que mostram os dados de buscas no Google, onde é possível notar um aumento de quase 80% nas buscas por armas, especificamente pelo termo “comprar arma”, num período que compreende do final de dezembro de 2018 até o início da segunda quinzena de janeiro de 2019. O município campeão de buscas pelo termo “arma” foi Luziânia, no Entorno de Brasília.

Os dados são do Google Trends, que mede a quantidade de pesquisas por determinados termos de acordo com regiões específicas. Do dia 22 de dezembro do ano passado até o dia 12 de janeiro deste ano, houve um aumento de 79% nas buscas pela internet, no Estado de Goiás, pelo termo “comprar arma”.

A psicóloga clínica Heláine Valéria Neves, umas dos especialistas credenciados em Goiás junto à Polícia Federal (PF) para realizar avaliações psicológicas em candidatos que manifestam interesse em ter uma arma de fogo, disse que o aumento da procura do artefato em questão pode estar relacionado ao novo presidente do país, Jair Bolsonaro. “Esse aumento pode ter a ver com o novo governo, com toda aquela proposta de facilitar não o porte, mas a posse de arma”, explica.

De acordo com a psicóloga, a partir de agora o cidadão que quiser ter a posse da arma de fogo encontrará mais facilidades. “Será mais acessível, mais fácil, com menos requisitos para ter essa posse [da arma de fogo]”.

Ela ainda chama a atenção para a diferença essencial entre a posse e o porte da arma de fogo. “É importante deixar claro essa diferença. Vejo muita gente falando que o presidente vai liberar o porte de arma, o que não é verdade”, comenta. A posse dá direito ao indivíduo manter em casa ou em seu local de trabalho a arma de fogo, desde que seja o responsável legal pelo estabelecimento. Não é permitido sair com a arma. Já o porte, de acordo com a Lei nº 10.826, é permitido sair com a arma, mas aos agentes de segurança pública, integrantes das Forças Armadas, policiais, agentes de inteligência e agentes de segurança privada. Civis não podem ter porte de arma, exceto se, comprovadamente, tiver a vida ameaçada.

Avaliação psicológica é fator de diminuição, e não de extinção de riscos

Com o novo decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), terão mais facilidade em ter uma arma os agentes públicos (ativos ou inativos) da área da segurança; militares (ativos ou inativos); residentes de zonas rurais; residentes em área urbana de estados com índices anuais de mais de dez homicídios por cem mil habitantes, segundo dados de 2016 apresentados no Atlas da Violência 2018; donos ou responsáveis legais de estabelecimentos comerciais ou industriais e colecionadores, atiradores e caçadores, devidamente registrados no Comando do Exército.

Todos estes perfis deverão, obrigatoriamente, passar pela avaliação psicológica que determinará a aptidão ou inaptidão para se ter uma arma. Entretanto, a avaliação, de acordo com a Dra. Heláine, é apenas um fator de diminuição de riscos. “Assim como toda avaliação, a que nós fazemos para quem quer ter uma arma diminui os riscos. O ser humano está em constante transformação, de repente eu avalio um candidato hoje e os teste mostram que ele é apto, mas depois de um mês acontece algo na vida daquela pessoa que muda aquele quadro”, explica.

Cidade goiana com altos índices de violência liderou buscas por armas na internet

De acordo com o Google Trends, o município de Goiás campeão na procura por armas na internet foi Luziânia, no Entorno de Brasília. Segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado em junho de 2017, Luziânia está entre as 30 cidades mais violentes do Brasil.

Intitulado Atlas da Violência 2017, o estudo foi feito em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, e traz dados de 2015. O levantamento considera cidades com mais de 100 mil habitantes.

Na 20ª posição no ranking nacional, Novo Gama, no Entorno do Distrito Federal, lidera a lista dos municípios mais violentos de Goiás, a soma da taxa de homicídios e o número de Mortes Violentas com Causa Indeterminada (MVCI) aponta 75 mortes a cada 100 mil habitantes. Em segundo, na 21ª posição, está Luziânia.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Pis/Pasep começa a ser pago hoje

A partir de hoje (17), trabalhadores da iniciativa privada podem procurar a Caixa Econômica Federal.
17/01/2019, 11h30

Cerca de 3,4 milhões de trabalhadores começaram a receber o pagamento do sétimo lote do abono salarial dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) 2018-2019, ano-base 2017. Podem receber o benefício os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em janeiro e fevereiro e os servidores públicos com final de inscrição 5. A estimativa da Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia, é que mais de R$ 2,8 bilhões sejam pagos.

A partir de hoje (17), trabalhadores da iniciativa privada podem procurar a Caixa Econômica Federal. A consulta pode ser feita pessoalmente, pela internet ou pelo telefone 0800-726 02 07. Para servidores públicos, a referência é o Banco do Brasil, que também fornece informações pessoalmente, pela internet ou pelo telefone 0800-729 00 01.

Os correntistas da Caixa Econômica Federal, instituição bancária responsável pelo pagamento do PIS (iniciativa privada), tiveram os valores depositados em suas contas nessa terça-feira (15).

Tem direito ao abono salarial ano-base 2017 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2017, teve remuneração mensal média de até 2 salários mínimos e seus dados foram informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

O valor do benefício é proporcional ao tempo trabalhado formalmente em 2017. Assim, quem esteve empregado o ano todo recebe o valor cheio, equivalente a um salário mínimo (R$ 998). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é de R$ 84 – ou 1/12 do salário mínimo –, e assim sucessivamente.

Para os trabalhadores nascidos entre julho e dezembro, o Abono Salarial ano-base 2017 começou a ser pago em 2018. Os nascidos de janeiro a junho realizam o saque em 2019. O prazo final de recebimento para todos os trabalhadores favorecidos pelo programa é 28 de junho de 2019.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Educação

Com mudança da Seduce, alunos do IEG são remanejados para unidade no Leste Universitário

Transferência pode gerar economia de cerca de R$ 7,5 milhões ao Estado.
17/01/2019, 11h32

Todos os alunos do Instituto de Educação de Goiás (IEG) serão remanejados para uma unidade escolar no Setor Leste Universitário, em Goiânia. A decisão foi comunicada após reunião entre a secretária de Educação Fátima Gavioli, uma comissão de alunos, pais de alunos e professores, realizada nesta quarta-feira (16/1).

A mudança, que deve ser feita em 60 dias, ocorre depois que a Fátima anunciou que a Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) será transferida de um prédio alugado, no valor de R$ 500 mil, para o prédio onde atualmente funciona o IEG. De acordo com ela, com a transferência, o Estado economizará cerca de R$ 7,5 milhões.

“Não há menor condição de pagar R$ 500 mil mensais, podendo chegar a R$ 700 mil com serviços de limpeza, enquanto temos um prédio com 200 e poucos alunos”, avaliou a secretária. “Com esse dinheiro podemos construir uma sede por ano.” Gavioli esclareceu ainda que a verba que antes era destinada ao aluguel será revestida à educação.

Remanejamento dos alunos do IEG

Já na próxima segunda-feira (21/1), início do ano letivo da rede estadual de ensino, os 202 alunos matriculados nas cinco turmas do IEG (8º e 9º anos do Ensino Fundamental e de 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio em tempo integral) estarão devidamente matriculados no Colégio Pré-Universitário, no Setor Leste Universitário, em Goiânia.

Se algum aluno tiver interesse em estudar em outra unidade próxima, a Seduce oferece opções como o Colégio Estadual Olga Mansur (Rua 243, Vila Montecelli), o Colégio Estadual Dom Abel SU (Rua 260, Setor Leste Universitário), de tempo integral; e o Colégio de Aplicação do IEG, que funciona em área anexa ao prédio do IEG.

Neste caso, a Secretaria informa que o aluno deve procurar pessoalmente a Coordenação Regional de Educação, Cultura e Esporte (Crece) de Goiânia, localizada na Rua R-17, nº 53, Setor Oeste, e informar a escola de sua preferência.

Economia na Educação

Em entrevista coletiva, a secretária explicou que a mudança não causará prejuízos aos alunos e nem aos professores da unidade, que também serão realocados para unidades próximas ao IEG. Para ela, a mudança é necessária, inclusive para se voltar a falar sobre as reivindicações dos servidores, como o auxílio alimentação.

“Onde vou cortar, vai doer. Preciso administrar fazendo economia para que possa apresentar ao governo de Goiás pedido de retomar a discussão sobre auxílio alimentação”, ressaltou. “Toda vez que eu pedir alguma coisa para a educação, o governo vai me perguntar de onde vou tirar o dinheiro. E eu tenho de dizer.”

Via: SEDUCE 
Imagens: SE Notícias 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.