Goiás

Secretário de Goiás fala em "pente fino" no Passe Livre Estudantil; cadastro começa amanhã

Segundo Ernesto Roller, o objetivo é "levantar o perfil dos estudantes atendidos e coibir o mau uso do benefício".

Por Ton Paulo
17/01/2019, 08h34

A Secretaria de Governo (Segov) anunciou na noite de ontem (16/1) que fará um “pente fino” nos cadastros do Passe Livre Estudantil (PLE), previstos para começarem nesta sexta-feira (18/1). De acordo com o Segov, haverá “verificação minuciosa dos cadastros efetuados no Programa Passe Livre Estudantil (PLE), com o objetivo de levantar o perfil dos estudantes atendidos, além de coibir o mau uso do benefício”. Cadastramento e recadastramento no programa vai até o dia 29/3.

Em entrevista coletiva, o secretário de governo, Ernesto Roller, explicou que todos os alunos serão cadastrados conforme o prazo previsto, mas estarão sujeitos à fiscalização. “Nós vamos cadastrar todas as pessoas, mas depois será feita a checagem de todas as inscrições, a fim de que seja beneficiado aquele que efetivamente precise”.

PLE proporciona a isenção de até 48 passagens integrais de transporte coletivo por mês aos estudantes, conforme o calendário da unidade de ensino e a necessidade do aluno.  Entretanto, há uma série de requisitos que devem ser preenchidos pelos estudantes. São eles:

– manter assiduidade nas atividades escolares respectivas;

– ser beneficiário direto ou indireto de programa social governamental de erradicação de pobreza ou bolsa universitária;

– não ter reprovação por nota ou freqüência em mais de uma disciplina por semestre ou ano letivo;

– ser economicamente carente.

O processo de cadastramento e recadastramento é feito inteiramente pelo site, e começa no dia 18 de janeiro. Os estudantes terão até o dia 29 de março para fazer o processo. A Segov informou ainda que a Superintendência da Juventude “realiza um levantamento minucioso dos repasses do PLE”.

Documentos necessários para fazer o Passe Livre Estudantil

Pelo site www.segov.go.gov.br. No endereço eletrônico, é preciso preencher um formulário e anexar cópias da carteira de identidade, CPF, comprovante de matrícula (com data dos últimos 30 dias, assinatura e carimbo da instituição de ensino), comprovante de endereço, além de foto 3×4. O novo beneficiário ainda deve escolher em qual unidade do Vapt Vupt pretende buscar o cartão, sendo que a entrega é feita em até 15 dias úteis. No caso de renovação, basta atualizar os dados pessoais e o número de matrícula.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Lei Orçamentária de 2019 prevê concursos em todo o país com mais de 20 mil vagas para educação

Projeto, que prevê realização de concursos públicos, foi sancionado nesta quarta-feira (16/1) pelo presidente Jair Bolsonaro.
17/01/2019, 08h40

A Lei Orçamentária Anual de 2019, que prevê a realização de concursos públicos em todo o país, foi sancionada nesta quarta-feira (16/1) pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Com isso, devem ser oferecidas cerca de 48.224 vagas de emprego nos poderes Legislativo, Judiciário e Executivo. O projeto já havia sido aprovado pelo Congresso Nacional em dezembro de 2018 e aguardava aprovação do Executivo.

Segundo o documento, do total de vagas, 22.559 são para provimento de professores e técnicos administrativos em educação, de institutos e universidades de todo o país. O Orçamento 2019 dispõe de R$ 3,38 trilhões para investimentos, sendo R$ 351,35 bilhões destinados para gasto com pessoal, como os recursos para pensionistas e inativos.

Órgãos contemplados com as mais de 48 mil vagas pela Lei Orçamentária de 2019

A maior quantidade de cargos é destinada ao Poder Executivo, onde serão disponibilizadas 42.818 vagas. Já o Poder Judiciário será disponibilizará 2.973 cargos. Veja abaixo os órgãos federais que serão comtemplados com as 48.224 vagas em 2019.

  • Supremo Tribunal Federal (STF): 38 vagas
  • Superior Tribunal de Justiça (STJ): 50 vagas
  • Tribunal Regional Federal (TRF): 625 novos cargos e 300 para provimento
  • Superior Tribunal Militar (STM): 30 vagas
  • Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Tribunal Regional Eleitoral (TRE): 370 novos cargos e e 840 para provimento
  • Tribunal Superior do Trabalho (TST) e Tribunal Regional do Trabalho (TRT): 52 novos cargos e 632 para provimento
  • Conselho Nacional da Justiça (CNJ): 6 vagas
  • Câmara dos Deputados: 127 novos cargos e 197 para provimento
  • Senado Federal: 40 provimentos
  • Tribunal de Contas da União (TCU): 20 vagas
  • Ministério Público da União (MPU): 10 vagas
  • Conselho Nacional do MPU: 2 vagas
  • Defensoria Pública da União (DPU): 2.032 vagas

Ainda de acordo com o projeto sancionado, 11.493 vagas devem contemplar cargos e funções que estão vagos sem especificações de órgãos. Deve ser realizado também seleções para o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Departamento Penitenciário (Depen), além de um processo seletivo da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Das vagas anunciadas, 22.559 são para provimento de professores e técnicos administrativos em educação, de institutos e universidades de todo o país.

Imagens: FHGV 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Pai ciumento tortura e mata namorado da filha de 14 anos, em Goiânia

Para a Polícia, Kleber Juliano Pires de Oliveira contou que a vítima planejava fugir com a filha.
17/01/2019, 09h40

Kleber Juliano Pires de Oliveira matou um jovem de 19 anos porque ele namorava com a filha dele, de 14 anos, na noite desta quarta-feira (16/1), na Rua Vanessa Ribeiro Santos, no setor Parque Tremendão, em Goiânia.

O suspeito foi preso em flagrante em sua casa por policiais militares quando ele e outro homem se preparavam para ocultar o cadáver do rapaz.

Morador da região em que ocorreu o crime, o sargento Kleiton Machado Sousa solicitou apoio por meio do Copom ao ouvir algo que parecia a trama de um assassinato. Em seguida, o PM ouviu disparos. Os policiais – incluindo o sargento – entraram em uma casa, mas não viram nada de anormal.

Era do outro lado do muro, contudo, na casa do suspeito, que o corpo do jovem foi avistado pelos policiais. Com os dois homens, os policiais encontraram um revólver e uma faca.

Com Kléber, os policiais prenderam o amigo dele,  Lindomar Francisco de Moraes, que ajudou na execução e se preparava para a ocultação de cadáver.

No Registro de Atendimento Integrado (RAI), os policiais relatam quue, “ao interrogar Kleber ouvimos que estava agindo por vingança já que este “Douglas” estaria tendo um caso amoroso com sua filha menor, de 14 anos, e que a havia seduzido a deixar a casa dos pais”.

Suspeito confessa que atraiu vítima para praça, em Goiânia

Kleber combinou com a vítima um encontro na praça Edmundo Rocha e, em seguida, o convenceu a vir para a sua casa onde o matou com um tiro na nunca.

Segundo a Polícia, é provável que a vítima tenha sido torturada antes de morrer, o que pode ter ocasionado os gritos que chamaram a atenção dos vizinhos.

Kleber e Lindomar foram apresentados na Central de Flagrantes para serem autuados. A Polícia Técnica foi acionada e esteve no local colhendo todos os elementos da cena do crime e após a perícia o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

O jovem ainda não foi identificado pelo IML.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

PF investiga grupo suspeito de fraude na compra e venda de veículos em Goiás e DF

São cumpridos 31 mandados de busca e apreensão, além de medidas cautelares de sequestros de veículos e bloqueio administrativo junto ao Detran.
17/01/2019, 09h56

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quinta-feira (17/1), a Operação Cosplay, que investiga um grupo suspeito de fraude e lavagem de dinheiro na compra e venda de veículos. São cumpridos 31 mandados de busca e apreensão em Valparaíso de Goiás, Águas Lindas de Goiás, Brasília, Ceilândia, Brazlândia, Paranoá, Guará, Recanto das Emas, Sobradinho, Taguatinga, Riacho Fundo I, Samambaia, Vicente Pires e Taquari.

O grupo, que é suspeito de usar nomes de terceiros, os chamados ‘laranjas’, deve responder por lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio e falsidade ideológica. Nesses casos, se condenados, os envolvidos podem pegar até 10 anos de prisão. De acordo com a corporação, um dos investigados já havia sido preso em 2017 por receber uma carga com 72 televisões roubadas.

Também nesta quinta-feira, são cumpridas duas medidas cautelares de sequestros de veículos e bloqueio administrativo junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran), onde foram identificados registros de carros e motos em nome de ‘laranjas’. A Polícia Federal também obteve a quebra dos sigilos bancários e fiscais dos integrantes da grupo fraudulento. Aproximadamente 120 policiais federais atuam na operação.

Fraude na compra e venda de veículos

As investigações apontaram que o grupo criminoso agia da seguinte forma: os laranjas cediam seus nomes e faziam movimentações bancárias, e em seguida recebiam pelo serviço. A apuração levantou ainda que o integrante do grupo, que havia sido preso em outubro de 2017, também administrava empresas de fachada para justificar a movimentação financeira do grupo.

Operação Cosplay

A investigação foi batizada como Operação Cosplay em referência ao termo em inglês que designa a representação de personagens. A escolha foi feita pela alusão ao uso de ‘laranjas’ no esquema de fraude. O objetivo, segundo a Polícia Federal, é combater crimes de falsidade ideológica e de lavagem de dinheiro na compra e venda de veículos em cidades de Goiás e do Distrito Federal.

Via: CBN Goiânia G1 O Popular 
Imagens: Gazeta do Povo 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Buscas por armas na internet disparam em Goiás na primeira quinzena de janeiro

O município campeão de buscas pelo termo "arma" foi Luziânia, no Entorno de Brasília.

Por Ton Paulo
17/01/2019, 10h06

Os cidadãos goianos parecem ter despertado um certo interesse por armas de fogo neste ano. Pelo menos é o que mostram os dados de buscas no Google, onde é possível notar um aumento de quase 80% nas buscas por armas, especificamente pelo termo “comprar arma”, num período que compreende do final de dezembro de 2018 até o início da segunda quinzena de janeiro de 2019. O município campeão de buscas pelo termo “arma” foi Luziânia, no Entorno de Brasília.

Os dados são do Google Trends, que mede a quantidade de pesquisas por determinados termos de acordo com regiões específicas. Do dia 22 de dezembro do ano passado até o dia 12 de janeiro deste ano, houve um aumento de 79% nas buscas pela internet, no Estado de Goiás, pelo termo “comprar arma”.

A psicóloga clínica Heláine Valéria Neves, umas dos especialistas credenciados em Goiás junto à Polícia Federal (PF) para realizar avaliações psicológicas em candidatos que manifestam interesse em ter uma arma de fogo, disse que o aumento da procura do artefato em questão pode estar relacionado ao novo presidente do país, Jair Bolsonaro. “Esse aumento pode ter a ver com o novo governo, com toda aquela proposta de facilitar não o porte, mas a posse de arma”, explica.

De acordo com a psicóloga, a partir de agora o cidadão que quiser ter a posse da arma de fogo encontrará mais facilidades. “Será mais acessível, mais fácil, com menos requisitos para ter essa posse [da arma de fogo]”.

Ela ainda chama a atenção para a diferença essencial entre a posse e o porte da arma de fogo. “É importante deixar claro essa diferença. Vejo muita gente falando que o presidente vai liberar o porte de arma, o que não é verdade”, comenta. A posse dá direito ao indivíduo manter em casa ou em seu local de trabalho a arma de fogo, desde que seja o responsável legal pelo estabelecimento. Não é permitido sair com a arma. Já o porte, de acordo com a Lei nº 10.826, é permitido sair com a arma, mas aos agentes de segurança pública, integrantes das Forças Armadas, policiais, agentes de inteligência e agentes de segurança privada. Civis não podem ter porte de arma, exceto se, comprovadamente, tiver a vida ameaçada.

Avaliação psicológica é fator de diminuição, e não de extinção de riscos

Com o novo decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), terão mais facilidade em ter uma arma os agentes públicos (ativos ou inativos) da área da segurança; militares (ativos ou inativos); residentes de zonas rurais; residentes em área urbana de estados com índices anuais de mais de dez homicídios por cem mil habitantes, segundo dados de 2016 apresentados no Atlas da Violência 2018; donos ou responsáveis legais de estabelecimentos comerciais ou industriais e colecionadores, atiradores e caçadores, devidamente registrados no Comando do Exército.

Todos estes perfis deverão, obrigatoriamente, passar pela avaliação psicológica que determinará a aptidão ou inaptidão para se ter uma arma. Entretanto, a avaliação, de acordo com a Dra. Heláine, é apenas um fator de diminuição de riscos. “Assim como toda avaliação, a que nós fazemos para quem quer ter uma arma diminui os riscos. O ser humano está em constante transformação, de repente eu avalio um candidato hoje e os teste mostram que ele é apto, mas depois de um mês acontece algo na vida daquela pessoa que muda aquele quadro”, explica.

Cidade goiana com altos índices de violência liderou buscas por armas na internet

De acordo com o Google Trends, o município de Goiás campeão na procura por armas na internet foi Luziânia, no Entorno de Brasília. Segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado em junho de 2017, Luziânia está entre as 30 cidades mais violentes do Brasil.

Intitulado Atlas da Violência 2017, o estudo foi feito em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, e traz dados de 2015. O levantamento considera cidades com mais de 100 mil habitantes.

Na 20ª posição no ranking nacional, Novo Gama, no Entorno do Distrito Federal, lidera a lista dos municípios mais violentos de Goiás, a soma da taxa de homicídios e o número de Mortes Violentas com Causa Indeterminada (MVCI) aponta 75 mortes a cada 100 mil habitantes. Em segundo, na 21ª posição, está Luziânia.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.