Goiás

Corpo de motorista passa por autópsia na manhã desta segunda no IML de Aparecida

Vanusa da Cunha foi encontrada morta no Jardim Copacabana; corpo estava em estado inicial de decomposição.
21/01/2019, 07h44

A autópsia no corpo da motorista de aplicativo, encontrado no Jardim Copacabana, em Aparecida de Goiânia, será feita na manhã desta segunda-feira (21/1). Informações preliminares apontam que Vanusa da Cunha Ferreira, de 36 anos, foi encontrada semi nua e com marcas de queimaduras nas costas, mas apenas o exame cadavérico pode apontar as causas da morte.

Ao Dia Online, uma fonte do Instituto Médico Legal (IML) de Aparecida de Goiânia disse que o corpo já estava em estado inicial de decomposição, mas juntamente com a família de Vanusa foi decidido que os procedimentos começariam às 8h de hoje.

Corpo de motorista de aplicativo é encontrado em Aparecida de Goiânia

O corpo de Vanusa da Cunha foi encontrado na tarde deste domingo (20/1), no Jardim Copacabana, em Aparecida de Goiânia. Mais cedo, o carro da motorista de aplicativo também havia sido encontrado próximo ao Polo Industrial, trancado e com a chave no parabrisas.

Vanusa, que era enfermeira do Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) e nas horas vagas atuava como motorista de transporte por aplicativo, estava desaparecida desde a madrugada de sábado (19/1). Na noite de sexta-feira (18/1), dia em que falou pela última vez com a mãe, ela havia sido acionada por dois passageiros, um empresário e um cantor sertanejo, que já tinha costume de atender.

Ainda na madrugada de sábado, Vanusa aparece em um vídeo, divulgado pelo empresário do cantor. Nas imagens, a motorista é chamada pelo nome de “Vanessa” enquanto está sentada em uma mesa de bar com a dupla e outro rapaz. Reveja:

Amigos registram desaparecimento de motorista

Na tarde de sábado (19/1), amigos e familiares de Vanusa registraram a ocorrência do desaparecimento na Central de Flagrantes, em Goiânia.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que a investigação do caso, feita pela Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), corre sob sigilo. “A Polícia Civil trabalha incessantemente a fim de solucionar o crime, informando que a Deic não se manifestará à imprensa com o caso em andamento, sob pena de prejuízo da investigação”, reafirma o texto.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Polícia persegue cavalo solto em BR por mais de duas horas, próximo de Jataí

O cavalo, que trotava e corria livremente em meio aos carros, foi capturado depois de um esforço conjunto da PRF e uma equipe de zoonoses.

Por Ton Paulo
21/01/2019, 08h01

Um cavalo deu um verdadeiro “olé” nos motoristas que passavam pela BR-060, entre Rio Verde e Jataí, e na Polícia Rodoviária Federal (PRF), na tarde do último domingo (20/1). O equino, que estava solto na BR, trotava e corria tranquilamente entre os carros, atrapalhando o trânsito e provocando risco de acidentes. A PRF precisou de cerca de duas horas para capturar o bicho.

O cavalo, conforme a PRF, que transitava entre os KMs 381 a 384, na BR-060, entre Rio Verde e Jataí, corria de um lado para o outro, chamando a atenção de quem passava pelo local e provocando lentidão no trânsito, uma vez que os motoristas redobravam a atenção para não haver o risco de atropelamento do bicho.

Ainda segundo a PFF, depois de aproximadamente duas horas, com a ajuda de uma equipe de zoonoses da Prefeitura de Rio Verde, composta por uma veterinária e um motorista, o animal foi apreendido e conduzido à um local seguro.

Veja o momento em que o cavalo é perseguido pelos policiais:

Além do cavalo solto em BR, em Jataí, 50 denúncias de animais soltos na pista foram registradas na última semana

Agentes da corporação têm visitado as propriedades rurais que margeiam as BRs e orientado os proprietários sobre a manutenção das cercas e as responsabilidades de cada um com relação aos perigos dos animais soltos nas rodovias.

Para se ter uma ideia, de acordo com levantamentos da PRF, só na última semana, cerca de cinquenta denúncias foram registradas pela Central de Operações do órgão para informar sobre animais de grande porte soltos na via.

A PRF orienta os usuários da rodovia para quando avistarem animais soltos na via para reduzir a velocidade do veículo, não acionar a buzina e imediatamente comunicar o fato à PRF através do número de emergência 191.

Quando o proprietário do animal é identificado, em desfavor do mesmo pode ser lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Governo de Goiás desmente mensagens sobre greve dos servidores da segurança

Servidores estaduais estão com salários de dezembro atrasados; pagamento deve ser feito de forma parcelada.
21/01/2019, 09h05

O Governo de Goiás desmentiu mensagens que circulam nas redes sociais sobre uma “greve branca” dos servidores da segurança pública estadual. De acordo com o texto viral, policiais e demais agentes públicos entrariam em greve devido a falta do pagamento dos salários de dezembro.

“A notícia que tem circulado no WhatsApp e demais redes sociais afirmando que as forças de segurança do Estado estariam iniciando “greve branca” – em função do até então não recebimento do salário de dezembro – e que “todos os servidores caminham para uma paralisação geral dos serviços públicos” não passa de uma fake news – ou notícia falsa“, diz o texto publicado por meio do GoiásEsclarece!.

Ainda de acordo com o Governo de Goiás, o presidente da União Goiana dos Policiais Civis (Ugopoci), José Virgílio, e integrante das coordenações do Fórum de Segurança Pública do Estado de Goiás e do Fórum em Defesa dos Servidores e Serviços Públicos do Estado de Goiás afirmou, categoricamente, que a informação sobre a greve não procede.

Por fim, a nota de esclarecimento informa que Secretaria de Segurança Pública de Goiás e os comandos das policias Militar e Civil garantiram que as forças atuam normalmente.

Governo de Goiás apresenta proposta de pagamento dos salários em atraso

De acordo com proposta apresentada pelo governo de Goiás, os servidores receberão o salário de janeiro dentro do mês trabalhado, a partir do dia 21, e parcelamento do mês de dezembro de forma escalonada, pela seguinte ordem salarial:

  • Até R$ 3.500 recebem em março;
  • R$ 3.500 até R$ 4.800 em abril;
  • R$ 4.800 até R$ 6.100 em maio;
  • R$ 6.100 até R$ 8.800 em junho;
  • R$ 8.800 até R$ 17.400 em julho;
  • Acima de R$ 17.400 em agosto.Possível greve dos servidores da segurança de Goiás

“Estamos envidando todos os esforços da administração para, dentro da legalidade e das condições financeiras existentes, corrigir essa situação que, infelizmente, caracterizou a irresponsabilidade e a falta de compromisso do governo anterior com o servidor público de Goiás”, reafirma o governador eleito, Ronaldo Caiado (DEM).

Possível greve dos servidores de Goiás

No último dia 7, a Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado de Goiás (ACS) publicou um comunicado avisando que os militares poderiam se mobilizar e fazer uma paralisação caso não recebessem o salário referente ao mês de dezembro até o dia 10/1. Segundo o presidente da Associação, “policiais e bombeiros não vão pagar o preço de situação financeira herdada por quem assumiu o cargo”.

No texto divulgado pela ACS, o Sargento Gilberto Cândido de Lima, que preside a entidade de policiais e bombeiros militares de Goiás, salienta que a associação é “frontalmente contra a intenção do governador Ronaldo Caiado que propôs parcelar, em até oito vezes, o salário do mês de dezembro das duas corporações”.  O sargento ainda lembrou que “uma das principais promessas de campanha do recém-empossado Governador era a manutenção do pagamento da folha em dia”, e o mesmo já sinaliza que isso pode não ocorrer.

Via: Portal Goiás 
Imagens: Congresso em Foco 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Motoristas de Uber de Goiânia fazem paralisação em protesto pela morte de Vanusa

A paralisação, que acontece desde as 7h, foi convocada através de redes sociais como Facebook e WhatsApp, e o ponto de concentração escolhido foi o estacionamento do Estádio Serra Dourada.

Por Ton Paulo
21/01/2019, 09h30

Uma paralisação de motoristas do App de transporte Uber está ocorrendo desde o início da manhã desta segunda-feira (21/1), em Goiânia, em protesto pelo assassinato de uma motorista cujo corpo foi encontrado no início da noite do último domingo (20/1). O corpo de Vanusa da Cunha Ferreira, de 36 anos, foi encontrado próximo ao local em que o carro que ela usava para trabalhar foi abandonado, na Rua Um, no Polo Industrial, em Aparecida de Goiânia. O corpo foi encontrado seminu, e com sinais de agressão.

A paralisação, que acontece desde as 7h, foi convocada através de redes sociais como Facebook e WhatsApp, e o ponto de concentração escolhido foi o estacionamento do Estádio Serra Dourada, no Jardim Goiás. Num grupo do Facebook, motoristas pedem justiça pela morte da Vanusa, além de mais segurança aos motoristas por parte da empresa.

Entretanto, segundo um motorista do App à reportagem do Dia Online, a morte da Vanusa não era a pauta original do protesto. A paralisação, que já vinha sendo planejada, seria em virtude da legislação municipal referente aos Apps de transporte, que estaria gerando insatisfação entre os motoristas. A morte de Vanusa, porém, teria sido o estopim que mudou o foco do protesto.

O motorista conta ainda que o objetivo do protesto é paralisar, e não necessariamente comparecer ao ponto de encontro do protesto. “O importante é ficar off, de casa ou lá no estádio. Eu, por exemplo, estou sem rodar hoje”, conta o motorista do App.

Contudo, ainda segundo o motorista, nem todos devem aderir à paralisação. A reportagem está apurando para constatar a adesão de outros Apps de transporte ao protesto.

Morte de Vanusa gerou indignação entre motoristas de Uber

O corpo da motorista de transporte particular por aplicativo Vanusa da Cunha Ferreira foi encontrado perto de um motel no setor Jardim Copacabana, Polo Industrial, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, neste domingo.

Ela estava sem dar notícias desde a madrugada do dia anterior, depois de ter pego uma corrida. Horas antes, o carro dela foi achado em uma rua vicinal da cidade e passou por perícia.

O caso ganhou repercussão e gerou indignação da população em geral, em especial dos motoristas de Uber.

A reportagem do Dia Online entrou em contato com a assessoria da empresa Uber, para falar sobre o caso. A empresa adiantou que não há registros de corridas pelo App realizadas por Vanusa no dia do crime, e lamentou a morte da motorista, e disse que, apesar do fato de que Vanusa não estava a serviço no App quando o crime aconteceu, está “à disposição dos órgãos de segurança para colaborar com as investigações”.

Confira a nota na íntegra:

“Nota

A Uber lamenta profundamente que cidadãos sejam vítimas da violência urbana que permeia nossa sociedade. Compartilhamos nossos sentimentos de mais profundo pesar com a família neste momento de dor. Vanusa atuava como motorista parceira, mas pelas informações obtidas não estava usando a plataforma no momento do crime, portanto o crime não tem qualquer relação com sua atividade pelo aplicativo. De qualquer forma, a Uber permanece à disposição dos órgãos de segurança para colaborar com as investigações, na forma da lei, e esperamos que as autoridades tragam os responsáveis à justiça o mais rápido possível.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Tabletes de maconha são arremessados de camionete em acidente na BR-060, em Goiânia

Polícia apreendeu mais de 1 tonelada da droga.
21/01/2019, 10h49

A Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) apreendeu na madrugada de domingo (20/1), cerca de 1 tonelada e meia de maconha, na BR-060, em Goiânia. A droga estava em uma camionete que provocou um acidente durante a perseguição policial. Com a batida, os tabletes foram arremessados para fora do veículo.

A apreensão foi feita depois de a polícia receber uma denúncia anônima, informando que uma camionete que seguia no sentido Goiânia estava transportando drogas. Os agentes identificaram o veículo, e o motorista, ao perceber a aproximação da polícia, tentou fugir.

Tabletes de maconha são arremessados de veículo na BR-060

Durante a perseguição, o condutor da camionete tentou jogar o carro em cima da viatura, momento em que os policiais civis revidaram com um tiro, que acertou um dos pneus do veículo. O motorista perdeu o controle da direção e bateu a camionete na mureta de contenção, às margens da rodovia. Com o impacto, tabletes de maconha foram arremessados e ficaram espalhados na pista.

Depois do acidente, o motorista da camionete fugiu por uma mata próxima. A Polícia Civil de Goiás investiga o caso e procura pelo homem.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.