Goiás

Motorista do 99Pop está desaparecido há 3 dias depois de sair para trabalhar, em Brasília

Esposa registrou o sumiço na delegacia e tenta obter informações sobre o paradeiro do marido.

Por Ton Paulo
22/01/2019, 12h15

Mais uma caso de desaparecimento de motorista de aplicativo foi registrado, dessa vez em Brasília (DF). O motorista do App 99Pop, Felipe Pereira Lima de Melo, de 35 anos, saiu para ‘rodar’ no app no último sábado (19/1), e não voltou mais. Como era seu costume, o brasiliense enviava sua localização à esposa sempre quando estava dirigindo, para não preocupá-la. Entretanto, depois de mandar sua posição pela última vez, na noite de sábado, Felipe parou de responder e, desde então, segue desaparecido. Esposa registrou o sumiço na delegacia e tenta obter informações sobre o paradeiro de Felipe.

De acordo com a esposa de Felipe, Rinayara Freire, era costume do marido mandar sua localização a cada vez que ele pegava uma viagem, quando estava trabalhando. Às 23h de sábado, Felipe, que dirigia um Ford Ka Prata, mandou a localização para Rinayara informando que estava no Setor Bancário Sul, Asa Sul de Brasília. Depois disso, o motorista simplesmente desapareceu.

“Ele nunca fez isso [desaparecer]. Depois que ele mandou essa localização, não consegui mais falar com ele”, conta sua esposa.

A mulher ainda conta que procurou o 99Pop para tentar conseguir mais informações sobre o paradeiro do marido, uma vez que a empresa possui sistema de monitoramento através do App. Entretanto, não conseguiu nada. “Ele falaram que não podiam passar informações porque isso seria quebra de sigilo”, relata.

Ela, então, resolveu ir ao 3º DP, em Brasília, registrar o desaparecimento do marido, sendo encaminhada para o 5º DP. A reportagem do Dia Online entrou em contato com a delegacia, mas até o momento não obteve retorno.

App 99Pop se manifestou sobre o caso

Felipe, o motorista do App 99Pop, tem um filho de cinco anos. A esposa disponibilizou um número de contato (61 9297-2199), como meio de tentar obter informações sobre o paradeiro do marido.

A reportagem do Dia Online entrou em contato com a empresa de transporte por aplicativo, 99Pop, para obter um posicionamento sobre o caso. Por meio de nota, a empresa afirmou que está apurando o ocorrido, e que, em respeito ao Marco Civil da Internet, pode dar informações detalhadas às autoridades.

Veja a nota na íntegra:

“A 99 informa que está apurando o ocorrido. A empresa se solidariza com a família e se encontra aberto a colaborar com a polícia. Em respeito ao Marco Civil da Internet, a empresa pode disponibilizar informações detalhadas sobre o incidente às autoridades, de acordo com os procedimentos previstos. A companhia reitera que está aberta para agilizar ao máximo esse processo, caso necessário.” 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Cristiano Ronaldo faz acordo e paga multa de R$ 81,2 milhões por fraude fiscal

Jogador se declarou culpado.
22/01/2019, 13h00

Cristiano Ronaldo compareceu a um tribunal de Madri, nesta terça-feira, se declarou culpado de fraude fiscal, foi condenado a 23 meses de prisão – que não irá cumprir – e aceitou pagar uma multa de US$ 21,6 milhões (cerca de R$ 81,2 milhões).

Em 2017, um promotor acusou o atacante português de quatro acusações de fraude fiscal de 2011 a 2014 no valor de US$ 16,7 milhões (R$ 62,7 milhões). O jogador foi acusado de usar empresas de fachada fora da Espanha para esconder renda obtida com os direitos de imagem.

Acompanhado de advogados, seguranças e da companheira Georgina Rodríguez, o atacante da Juventus esteve todo o tempo sorridente e distribuiu autógrafos para os fãs durante o julgamento. “Tudo certo”, limitou-se a dizer o astro diante de centenas de jornalistas.

O tribunal rejeitou o pedido de Cristiano Ronaldo para entrar no prédio diretamente pelo estacionamento por razões de segurança e, desta forma, evitar o assédio da imprensa.

Segundo o advogado José António Choclán, a pena de dois anos de prisão será revertida em multa no valor de R$ 1,6 milhão.

Funcionários do tribunal disseram que Ronaldo não fez nenhum comentário enquanto esteve no tribunal para assinar o acordo, o que durou apenas cerca de cinco minutos.

Separadamente, Cristiano Ronaldo está enfrentando uma alegação de estupro nos Estados Unidos. Kathryn Mayorga entrou com uma ação civil em Nevada, em setembro, alegando que o jogador a estuprou em um quarto de hotel em Las Vegas, em 2009. A polícia local reabriu investigação. O jogador admite ter tido relação sexual com o consentimento da mulher.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Cirurgião plástico Wesley Murakami é solto, mas registro médico está suspenso

Cirurgião foi solto na última quinta-feira (17/1) após vencer o prazo de prisão temporária.
22/01/2019, 14h22

O cirurgião plástico Wesley Murakami, preso no dia 21 de dezembro de 2018 durante a Operação Disformia da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) acusado de deformar o rosto de pacientes através do processo de bioplastia – tratamento estético que consiste na aplicação da substância PMMA para o preenchimento cutâneo -,  foi solto na última quinta-feira (17/1) devido ao vencimento do prazo de sua prisão temporária.

O cirurgião foi preso temporariamente para preservar as vítimas que o acusaram de deformar seus rostos. Em matéria publicada pelo G1, a PCDF não informou se existe algum tipo de ameaça às vítimas do médico.

Wesley Murakami é investigado em Goiás e Brasília

O médico é investigado por convencer os pacientes a passar pelo procedimento de bioplastia com a promessa de um resultado perfeito. No entanto, alguns pacientes que passaram pelo processo estético ficaram com os rostos deformados.

A publicação divulga que registro profissional de Murakami está suspenso desde o dia 14 de dezembro de 2018, de acordo com o Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF). Com o CRM suspenso, o cirurgião plástico não pode exercer a profissão em território nacional por tempo indeterminado.

Em nota, a Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) afirmou que as investigações sobre o caso estão em andamento no 4º Distrito Policial (4ºDP). De acordo com a divulgação, 14 vítimas do cirurgião plástico o denunciaram por terem ficado com os rostos deformados, no entanto, apenas 13 vítimas foram ouvidas na delegacia e uma não retornou para prestar depoimento.

Confira a nota

“A Polícia Civil informa que os inquéritos sobre o médico Wesley Murakami continuam em andamento no 4º DP de Goiânia. Ao todo, das 14 vítimas que denunciaram procedimentos do profissional, 13 foram ouvidas (uma não retornou à delegacia). A Polícia Civil ainda aguarda laudos do IML sobre a gravidade das lesões. As demais diligências e eventuais medidas cautelares permanecem em sigilo.”

Via: G1 
Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Promotores interrogam João de Deus e preparam terceira denúncia

Médium já é réu em duas ações por violência sexual mediante fraude e estupro de vulnerável.
22/01/2019, 14h40

Os promotores Gabriella Queiroz e Paulo Penna Prado, do Ministério Público de Goiás, foram até o Complexo Penitenciário Aparecida de Goiânia na manhã desta terça-feira, 22, para interrogar João de Deus. O depoimento deve servir para embasar uma nova denúncia contra o médium.

A promotoria não quis detalhar por quais crimes João de Deus será acusado agora. Atualmente, ele já é réu em duas ações por violência sexual mediante fraude e estupro de vulnerável.

Preso desde 16 de dezembro, o médium também foi indiciado no dia 10 de janeiro pela Polícia Civil por posse ilegal de armas. Na ocasião, ele também foi indiciado por violação sexual mediante fraude por um crime que teria sido cometido há três anos contra uma vítima de São Paulo.

A força-tarefa do Ministério Público goiano já recebeu mais de 600 contatos sobre o médium, dos quais foram identificadas cerca de 300 vítimas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Menores são apreendidos suspeitos de matar sargento da FAB, em Anápolis

Um dos apreendidos faz parte de uma família conhecida pelo sargento assassinado.
22/01/2019, 15h31

O Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Anápolis apreendeu na última sexta-feira (18/1) dois menores de 17 e 13 anos, suspeitos de matar o sargento da Força Aérea Brasileira (FAB), Valdivino Garcez, de 55, no último dia 12 de janeiro, e abandonar o carro com o corpo da vítima na BR-153, em Anápolis.

A apreensão dos dois menores foi confirmada pelo delegado titular do GIH de Anápolis, Vander Coelho. O delegado afirmou que Valdivino Garcez foi morto durante a prática de um latrocínio – roubo seguido de morte, na madrugada de sábado (12/1).

Menores aproveitaram que a vítima era conhecida da família de um deles para cometer o crime

Conforme o delegado, os menores utilizaram o fato do sargento ser amigo da família de um deles e pediram uma carona para Valdivino. O sargento ofereceu o auxilio, mas no caminho os dois anunciaram o assalto.

O delegado afirmou também que após ouvir que era um assalto, o sargento tentou reagir, mas o menor de 17 anos o esfaqueou várias vezes e o outro suspeito de 13 pegou o celular da vítima e R$ 110 reais que estavam com Valdivino na ocasião.

O corpo do sargento da FAB foi encontrado na manhã do crime, dentro do carro em que ele deu carona para os suspeitos. O GIH deu início as investigações, pois segundo testemunhas antes de morrer, Valdivino teria discutido com os supostos autores do homicídio.

O GIH, ao fazer os levantamentos, conseguiu identificar os dois menores que pegaram carona com o sargento. Com os menores infratores identificados, o delegado Vander Coelho representou junto ao Juizado da Infância e Juventude pela internação dos dois, e foi prontamente atendido.

Segundo o delegado, os menores confessaram o crime que terminou com a morte do sargento Valdivino. Os dois agora estão à disposição do Poder judiciário que vai definir sobre a manutenção da internação dos menores infratores.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.