Economia

Caiado assina carta de intenção para instalação de usina de energia solar em Goiás

Investimento será de aproximadamente R$ 6 bilhões.
24/01/2019, 11h34

Em reunião com empresários coreanos, o governador Ronaldo Caiado (DEM) assina, nesta sexta-feira (25/1), uma carta de intenção para instalação de usina fotovoltaica de energia solar em Goiás. O investimento de US$ 1,5 bilhão, equivalente a cerca de R$ 6 bilhões, deve ser instalado em São João d´Aliança, no Nordeste do Estado.

Goiás, especificamente, o Norte goiano, foi escolhido devido a posição geográfica privilegiada, uma vez que o estado apresenta um dos maiores índices de irradiação solar, matéria-prima fundamental para a produção desse tipo de energia. A usina deverá produzir 600 MW de energia, se tornando então a maior gênero no Brasil e da América Latina.

“Quanto mais próximo da Linha do Equador, melhor. Goiás tem uma condição natural que é protagonista para a geração deste tipo de energia”, explica o secretário de Desenvolvimento Econômico, Adriano da Rocha Lima, que também participará da reunião.

Segundo o acordo, fica acertado que a contrapartida do Estado não será a concessão de incentivos fiscais, e sim a cessão, em regime de comodato, do terreno onde será construída a usina. “É uma região que enfrenta dificuldades na atração de investimentos e, com a instalação dessa usina, podemos gerar empregos e, consequentemente, desenvolvimento econômico e social para todo o Norte e Nordeste”, explica o secretário.

Caiado havia sinalizado possível instalação de usina de energia solar em Goiás

Durante entrevista à Rádio Interativa FM, no programa Falando Sério, Caiado adiantou que a Coreia do Sul teria interesse de investir em um município de Goiás. Além disso, o governador eleito também falou sobre a situação financeira do Estado e afirmou que a “a mudança vai ser radical em Goiás”.

Ronaldo Caiado (DEM) informou ainda que recebeu ligações de empresários comunicando interesse de investir em Goiás. “Estamos expandindo a nossa ação”. Eles solicitaram 1,5 mil hectares de terras. “É o maior investimento que teremos no estado. É o dobro da estrutura instalada no Piauí, devido à qualidade e à localização da região”, destacou durante a entrevista.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem que deu veneno para cachorros e tentou matar gato é preso, em Niquelândia

O suspeito teria jogado pedaços de frango com veneno para os cachorros do vizinho comerem. Um deles morreu.

Por Ton Paulo
24/01/2019, 12h16

Um homem foi preso na última quarta-feira (23/1) depois de uma denúncia feita por seu vizinho, que relatou à polícia que o suspeito havia dado veneno aos seus cães de estimação. Uma equipe da Polícia Civil compareceu ao local e constatou a morte de um dos cães e o péssimo estado de outro, que vomitava muito. Nas investigações, a polícia verificou que o homem também havia tentado matar um gato, de outro vizinho, além de confirmar uma má fama do homem, que já era um conhecido das autoridades policiais da região.

De acordo com a polícia, Istênio Ribeiro Machado, de 50 anos, foi preso acusado do crime de maus-tratos contra animais domésticos, com aumento de pena em razão da morte de um dos cães. No local, a equipe policial constatou que Istênio havia atirado pedaços de frango com veneno na área externa da residência do vizinho para que os cães comessem.

Ao encontrar os pedaços de frango e vendo que seus cães passavam mal, o dono dos bichinhos ligou para a polícia, contando de suas suspeitas sobre Stênio.

Ainda durante as diligências, os policiais civis descobriram que, na na segunda-feira (21/1), Istênio havia praticado maus-tratos contra o gato de estimação de um outro vizinho dele, tentando matá-lo ao atingir o bichano com um instrumento pontiagudo que causou ferimentos no animal.

Homem que deu veneno para cachorros em Niquelândia é um velho conhecido da polícia

Foi imposta ao homem, pelo delegado de polícia, fiança de 20 salários mínimos (correspondente à quantia de R$ 19.960,00) e uma vez que o suspeito não contava com o valor, foi conduzido para a unidade prisional da cidade, onde ainda está preso.

A polícia destacou que o investigado é figura corriqueira nos meios policiais de Niquelândia, e possui diversos registros criminais, razão pela qual “é bem conhecido por toda a vizinhança onde ele reside”, uma vez que constantemente é motivo de transtornos na região.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mulher de um dos líderes do Comando Vermelho em Goiás é presa em flagrante, em Goiânia

Em junho de 2018, traficante foi alvo de uma tentativa de resgate que foi frustrada pela PMDF.
24/01/2019, 14h39

Uma operação em conjunto da Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) com a Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH), que procurava por um foragido da Justiça, acabou encontrando na última quarta-feira (23/1) um laboratório para o refino de cocaína e produção de crack, no setor Fonte Nova, em Goiânia. Além do laboratório, a ação conjunta terminou com a prisão da esposa do traficante Renato Pereira Nascimento, mais conhecido como Renato Macaco, que é um dos líderes do Comando Vermelho (CV) em Goiás.

Durante a ação, os policiais da Denarc e DIH encontraram na casa cerca de R$ 100 mil reais em dinheiro, além de drogas, munições para fuzil e uma máquina contadora de cédulas. As informações sobre o caso foram confirmadas pela Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO).

Mulher de um dos líderes do Comando Vermelho no Estado foi presa durante a abordagem

A equipe policial encontrou vários documentos em nome de Gabriela da Ressureição Santos na residência. A suspeita também estava no local e foi presa em flagrante. Graziela é esposa do traficante Renato Macaco. Com a mulher do traficante, os policiais encontraram cadernos com anotações da contabilidade do tráfico.

Mulher de Renato Macaco é presa em flagrante pela polícia, em Goiânia
Foto: Divulgação

Segundo as informações repassadas pela polícia, Renato Macaco faz parte de uma grande organização criminosa e cumprE pena em Rondônia pelos crime de tráfico de drogas, homicídios e posse ilegal de armas de fogo. Conforme a polícia, Graziela estava sendo investigada pela Denarc, que ontem efetuou sua prisão em flagrante, suspeita de comandar o laboratório e por tráfico de drogas.

Plano para libertar Renato Macaco foi frustrado pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF)

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) prendeu cinco pessoas e apreendeu um veículo com fuzis, pistolas, carregadores, além de munições e explosivos em junho do ano passado. De acordo com a PCGO, o grupo estava planejando resgatar integrantes da organização criminosa, que estavam cumprindo pena no presídio de Formosa, no Entorno do Distrito Federal (DF).

Entre os membros da associação criminosa que seriam liberados estava Renato Macaco, um dos líderes do CV em Goiás. Em posse das informações, o traficante chegou a ser transferido para o Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia e depois foi levado para o presídio federal de Rondônia.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Servidora do TCE-GO recebia R$ 8 mil para consertar máquinas de escrever que não existem mais

Os servidores exonerados pertenciam ao quadro suplementar, que é alvo de questionamento do Ministério Público de Contas.

Por Ton Paulo
24/01/2019, 15h51

Uma denúncia veiculada nesta quinta-feira (24/1) sobre a exoneração de dois servidores do Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE-GO) causou choque. Dois servidores do Tribunal de Contas do Estado (TCE-GO), foram exonerados na última quarta-feira (23/1), depois de denúncias de nepotismo, altos salários que chegam em mais de R$ 40 mil. Uma dos servidores exonerados recebia salário mensal de R$ 8,1 mil para consertar máquinas de escrever que nem existem mais no órgão. As informações são de O Popular.

Segundo o jornal, os servidores exonerados pertenciam ao quadro suplementar, que é alvo de questionamento do Ministério Público de Contas. Um dos exonerados, que estava no cargo de assessor contábil, mas atuava como analista de controle externo, função no qual é concursado, recebia R$ 41,6 mil.

A outra servidora ganhava R$ 8,1 mil para trabalhar como mecanógrafa, responsável por consertar máquinas de escrever. Entretanto, essas máquinas já não são utilizadas no TCE-GO há anos.

Ao jornal, o TCE-GO informou em nota que a exoneração dos servidores foi aprovada em plenário e que o órgão “segue trabalhando, promovendo os ajustes necessários”.

TCE-GO teria contratado um menino de 12 anos que atualmente estaria ganhando R$ 31,4 mil

O MP está ainda apurando as denúncias de irregularidades e quer a demissão dos funcionários contratados de forma irregular.

Segundo o Ministério Público de Contas, adolescentes entre 12 e 17 anos, foram contratados sem prévio concurso público “com o agravante de serem à época da contratação nos moldes CLT, menores de idade”. Ao longo do tempo eles ocuparam cargos efetivos de nível superior sem concurso público.

No caso do jovem de 12 anos, contratado em março de 1988, trabalha atualmente como analista de controle externo e recebe R$ 31,4 mil.

Ainda de acordo com o órgão, só em 2018 houve um desperdício de mais de R$ 25 milhões de reais. Para trabalhar seis horas por dia, motorista e fotocopiador ganham R$ 22 mil mensais.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Presidente da Câmara municipal de Niquelândia é investigado pelo MP

Vereadora denunciou que o presidente da casa estaria transferindo dinheiro da Câmara para conta pessoal dele.
24/01/2019, 16h19

O atual presidente da Câmara Municipal de Niquelândia, Leonardo Ferreira mais conhecido por Leo Ferreira (PSB) é alvo de uma investigação do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO). As investigações do MP contra o presidente da casa começaram em setembro do ano passado, quando uma vereadora denunciou que ele estaria fazendo transferências das contas da Câmara para conta pessoal dele.

Diante das denúncias da vereadora, o MP passou a investigar o caso, e pediu junto ao juiz da comarca o mandado de busca e apreensão para checar a veracidade dos fatos. Segundo a assessoria do MP em Niquelândia, as transferências para a conta do presidente da Câmara foram sempre valores altos, entre R$ 40 e R$ 50 mil reais.

A assessoria afirmou que após o pedido para os mandados de busca e apreensão serem deferidos, eles estão sendo cumpridos na tarde desta quinta-feira (24/1) na Câmara Municipal de Niquelândia.

Leo Ferreira confirmou que fez as transferência, pois se tratava de verba indenizatória

Portal Dia Onlinentrou em contato com o presidente da Câmara de Niquelândia em busca de um posicionamento sobre as denúncias da vereadora, e sobre o cumprimento dos mandados de busca e apreensão.

“Eu fiz as transferências, mas em Niquelândia nós temos uma lei municipal que autoriza o presidente da Câmara a receber a mais”, afirmou Leo à reportagem. Conforme Léo Ferreira, o dinheiro que ele depositou na conta dele é referente a verbas indenizatórias de direito trabalhista de 2017, pois não estava recebendo o valor a mais, que tinha direito.

O presidente da Casa afirmou ainda que tudo foi comprovado e lançado como verba extra orçamentária da casa, mas que a colega ao ver pensou que se tratava de algo ilícito. “Nós protocolamos a resposta junto ao Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) no dia 19 de dezembro de 2018, que era o último dia para responder. Mas acredito que pelo recesso, o Ministério entendeu que passamos da data”, explica o vereador.

Conforme Léo Ferreira, toda documentação foi entregue aos promotores do MPGO, durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, nesta quarta-feira.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.