Brasil

Havia empregados na área administrativa atingida pelos rejeitos, afirmou a Vale

A mineradora, porém, ainda não informou quantas pessoas estavam no local e o estado de saúde delas.
25/01/2019, 16h29

A Vale informou nesta sexta-feira, 25, que na hora do rompimento da barragem de Brumadinho, da Mina do Córrego do Feijão, em Minas Gerais, empregados da empresa estavam na área administrativa que foi atingida pelos rejeitos. A mineradora, porém, ainda não informou quantas pessoas estavam no local e o estado de saúde delas. Em nota, a Vale confirmou também que parte da comunidade de Vila Ferteco foi atingida pelos resíduos.

“A prioridade máxima da empresa, neste momento, é apoiar nos resgates para ajudar a preservar e proteger a vida de empregados, próprios e terceiros, e das comunidades locais”, declarou em nota. O resgate e o atendimento aos feridos estão sendo realizados no local pelo Corpo de Bombeiros e pela Defesa Civil. Ainda não há confirmação sobre a causa do acidente, completou.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Educação

Orquestra goiana Cajuzinhos do Cerrado é convidada para tocar na Bahia

Projeto nasceu em setembro de 2017 e fez diversas apresentações no Estado.
25/01/2019, 16h43

A Escola Municipal de Tempo Integral Santa Terezinha, que fica na zona rural de Goiânia, desenvolve desde setembro de 2017, um projeto em que aproximadamente 30 alunos da instituição aprendem a tocar violino. O projeto leva o nome de Cajuzinhos do Cerrado, e as crianças fizeram algumas apresentações na capital. O desenvolvimento da proposta e a desenvoltura dos pequenos violinistas, renderam um convite à Escola para se apresentar no 8º Festival Música em Troncoso, na Bahia.

Entre as apresentações que o grupo fez estão a I Mostra da Rede de Núcleos Musicais, o Festival de Arte Educação da Secretaria de Educação e Esporte (SME) de Goiânia. Além destas, o grupo também se apresentou na sede de Orquestra Sinfônica da capital, no VIII Encontro Nacional de Ensino Coletivo de Instrumento Musical e em outras escolas da rede municipal de educação.

Em matéria publicada no site da Prefeitura de Goiânia, o professor de música Igor Viana Monteiro, que idealizou o projeto afirmou que ensinar às crianças a tocar violino traz vários benefícios para elas.

“Os meninos tem hábitos diferentes dentro da escola, melhorando em outras disciplinas do currículo por exemplo. E que o papel da música dentro da escola é de agente transformador, ampliando o leque de conhecimento cultural pelos alunos, além de permitir um melhor desenvolvimento de socialização, cognitivos e psicológicos”, explica o educador.

Cajuzinhos do Cerrado são convidados para tocar em festival na Bahia

A proposta de ensinar os estudante a tocar violino tinha como objetivo motivar os alunos coletivamente. E uma das maneiras encontradas pelo professor, não foi apenas ensinar a tocar, mas contar a história do instrumento, do que ele é feito, quais os cuidados a serem tomados, além da consciência corporal, sonoridade, afinação, memória auditiva e interpretar a música tocada com instrumento.

Conforme a publicação, os estudantes da escola tem aulas com os instrumentos duas vezes por semana, e os ensinamentos são voltados para os meninos com idades entre 8 e 11 anos ou que tenha alguma dificuldade de aprendizagem.

E como diz o ditado popular, quem planta colhe! Implantado na Escola Municipal de Santa Terezinha, em setembro de 2017 e com menos de dois anos de existência e algumas apresentações, a orquestra Cajuzinhos do Cerrado foi convidada no final de 2018 para participar entre os dias 23 e 30 de março do Festival Música em Troncoso, na Bahia.

As crianças vão se apresentar nos dias 25 e 26 antes do início dos concertos e do show da cantora Elba Ramalho. Nos outros dias, os alunos vão participar de toda programação do evento que conta com aulas gratuita e contato com artistas nacionais e internacionais da música clássica, popular, jazz e wold music.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Dança em Goiânia: 9 lugares para não ficar parado

Em busca de uma boa pista de dança em Goiânia para se jogar? A capital conta com lugares para todos os gostos, perfeitos para quem pretende dançar a noite toda!
25/01/2019, 17h37

Sair para dançar de vez em quando é um dos melhores hábitos que se pode desenvolver. Além de ser uma boa oportunidade para reunir os amigos e sair da rotina, a dança ainda ajuda a combater o estresse, controla a ansiedade e de quebra, ainda ajuda a perder algumas calorias. É claro que esse deveria ser um hábito frequente para se obter resultados mais eficazes, no entanto, mesmo que seja praticado apenas poucas vezes na semana ou no mês, ainda é capaz de trazer benefícios. E se você está a procura de uma boa pista de dança em Goiânia, podemos ajudar!

A capital conta com diversas casas noturnas excelentes! Sempre tem uma baladinha para cada estilo, seja sertanejo, funk, eletrônico ou rock, certamente você encontrará aquela que mais se encaixa aos seus gostos e o melhor, não é preciso esperar o fim de semana para sair, já que muitas também funcionam durante os outros 5 dias (ou pelo menos em parte deles). Confira!

Melhores pistas de dança em Goiânia para aproveitar:

1 – Roxy

Dança em Goiânia: x lugares para não ficar parado
Foto: Reprodução/ Facebook Roxy

Se você está procurando por um lugarzinho onde a dança em Goiânia rola solta, a Roxy é uma das melhores opções! Representando uma das boates mais ecléticas da capital, recebe públicos diversos e conta com programações musicais bem variadas.

Por ali é possível encontrar muito hip hop, techno, pop, e o carro-chefe da casa, o funk. Ah, vale lembrar que também conta com um dos karaokês mais procurados da cidade! É perfeito para dar aquela fugidinha da rotina, seja no meio ou no fim de semana.

Funcionamento: quarta a domingo, das 23h às 5h

Telefone: (62) 98138-0008

Endereço: R. 87, 536 – St. Sul, Goiânia – GO, 74093-300

2 – Santafé Hall

Dança em Goiânia: x lugares para não ficar parado
Foto: Reprodução

Uma das maiores casas no gênero de entretenimento noturno de todo o Centro-Oeste, é bastante popular na capital. Se você gosta de dançar agarradinho ao som de um bom sertanejo, a boate é sem dúvida uma das melhores opções oferecidas pela cidade.

Presente no mercado desde 2008, sempre leva para seu palco duplas sertanejas e artistas também de outros estilos. É um excelente lugar em Goiânia!

Funcionamento: quinta a sábado, das 22h30 às 5h

Telefone: (62) 3945-7980

Endereço: Av. 136, 222 – St. Marista, Goiânia – GO, 74180-040

3 – Sedna Lounge

Dança em Goiânia: x lugares para não ficar parado
Foto: Reprodução

Um dos melhores lugares para a dança em Goiânia, o Sedna Lounge é uma das mais famosas e queridas baladas em Goiânia. É uma das poucas que abre espaço exclusivamente para a cena da música eletrônica, levando ao palco os melhores DJs da região e de todo o Brasil. Vale a pena levar os amigos e curtir uma noite no ambiente!

Funcionamento: sexta e sábado, das 23h15 às 4h

Telefone: (62) 3241-9622

Endereço: R. 138 – St. Marista, Goiânia – GO, 74170-090

4 – Coronel 1889

Dança em Goiânia: x lugares para não ficar parado
Foto: Reprodução

Na casa é possível encontrar muito forró, e se é dança em Goiânia que você quer, o lugar oferece um ambiente perfeito para quem adora dançar, com um espaço bacana e música ao vivo. Por ali ainda é possível encontrar boas comidas e bebidas, com um cardápio variado e que agrada a todos os gostos.

Funcionamento: segunda a quinta, das 11h às 14h30 / sexta, das 11h às 14h30 e das 21h às 3h / sábado, das 21h às 3h / domingo, das 19h às 00h

Telefone: (62) 3594-8648

Endereço: Rua 89, 110, Quadra F28 – Setor Sul – St. Sul, Goiânia – GO, 74093-140

5 – Avalon Club

Dança em Goiânia: x lugares para não ficar parado
Foto: Reprodução

Voltada para o público LGBT, a Avalon Club é uma das melhores casas em Goiânia, inspirada nas boates de maior sucesso do Brasil e da Europa. O ambiente oferece experiências únicas, sempre com bom gosto e requinte. Para quem pretende ter uma noite com muita alegria e dança em Goiânia, é sem dúvida uma das melhores opções.

Com ampla pista de dança e um clima bem animado, a casa sempre recebe excelentes DJs e festas temáticas, Vale a pena conhecer! Para conferir a agenda, acesse o site do local clicando aqui!

Funcionamento: sexta e sábado, das 23h às 6h

Telefone: (62) 3956-0610

Endereço: R. 137, 241/247 – St. Marista, Goiânia – GO, 74170-120

6 – Rodeo Rock Bar

Dança em Goiânia: x lugares para não ficar parado
Foto: Reprodução

O Rodeo Rock Bar proporciona experiências únicas para seus visitantes. Uma baladinha agitada na capital, é excelente para quem quer dançar a noite toda e ainda aproveitar boas comidinhas e bebidas deliciosas. O som na casa é variado, tocando desde o sertanejo até o bom e velho rock’n’ roll, sendo possível encontrar um palco onde as bandas e artistas se apresentam e uma pista de dança.

Funcionamento: sexta e sábado, das 21h às 5h

Telefone: (62) 3954-0466

Endereço: R. 146, 488 – St. Marista, Goiânia – GO, 74170-090

7 – Metrópolis

Dança em Goiânia: x lugares para não ficar parado
Foto: Reprodução

O Metrópolis também é uma casa noturna bastante lembrada em Goiânia. Não faz muito tempo que passou por uma reforma, fazendo com que seus ambientes ficassem mais espaçosos e perfeitos para dançar. Embora não conte com uma das maiores pistas de dança em Goiânia, ainda oferece conforto e comporta grandes grupos.

Funcionamento: quinta a domingo, das 22h às 5h

Endereço: R. 83, 322 – St. Sul, Goiânia – GO, 74083-195

8 – Athena Pub

Dança em Goiânia: x lugares para não ficar parado
Foto: Reprodução

Em busca de uma boa pista de dança em Goiânia? Então o Athena Pub também é uma boa pedida! Baladinha electro-mix pop, oferece uma boa área ao ar livre e espaços lounge com bar de coquetéis caprichados! Sempre recebe DJs que se apresentam ao vivo e embalam o público com energia contagiante!

Funcionamento: terça e de quinta a domingo, das 22h às 6h

Telefone: (62) 3223-8366

Endereço: Av. Tocantins, 41 – St. Central, Goiânia – GO, 74015-010

9 – Diablo Pub

Dança em Goiânia: 8 lugares para não ficar parado
Foto: Reprodução

A Diablo costuma fazer uma boa mistura entre a cena alternativa e underground da cidade. Presente em Goiânia desde 2012, é garantia de muita diversão e bons momentos para seu público, que pode contar com uma pista de dança ampla e confortável para acomodar todo mundo.

Faz algum tempo que passou por uma boa reforma, sofrendo uma reestruturação em seu ambiente. A partir daí, o rock deixou de ser o principal tema da casa (embora ainda tenha seu espaço), que agora também abre suas portas para estilos diversos como o funk.

Funcionamento: quinta a sábado, das 22h às 5h

Telefone: (62) 99977-7678

Endereço: R. 91, 632 – St. Sul, Goiânia – GO, 74083-150

Imagens: Pexels Santafé Hall 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Idoso é preso suspeito de agredir e causar a morte da esposa, em Goiânia

João Batista e Santina eram casado há 15 anos.
25/01/2019, 18h04

O idoso João Batista Graciano, de 72 anos, foi preso nesta sexta-feira (25/1) suspeito de agredir e causar a morte da esposa, Santina D`Abadia, de 83, em Goiânia. O caso foi apresentado nesta sexta, na Delegacia do Idoso (DEAI) pela Polícia Civil do Estado de Goiás.

Segundo a versão apresentado pelo idoso na delegacia, ele afirmo que deu apenas um tapa na vítima. Apesar da afirmação, a polícia não acredita na história contada por João Batista e vai indiciá-lo pro feminicídio.

Conforme a publicação do portal de notícias G1 João Batista e Santina eram casado há 15 anos, e em seu depoimento o idoso afirma que só agrediu a mulher, pois ela o teria empurrado primeiro. A matéria traz ainda que João negou que correu atrás de Santina com um tijolo na mão e afirmou “Não fui eu que deixei o rosto dela machucado”.

Idosa agredida pelo marido morre em hospital

O idoso foi apresentando nesta sexta-feira,  na Delegacia do Idoso, em Goiânia. As investigações começaram após ele agredir Santinha no último dia 15 de janeiro, na casa do casal, situada no Parque Santa Cruz, em Goiânia.

Segundo a polícia, João Batista agrediu a esposa, pois ela teria deixado cair comida no chão da casa. A titular da (DEAI), Ana Lívia Batista, em entrevista coletiva afirmou que o idoso ficou muito irritado e aproveitou o momento que a mulher se abaixou para tentar limpar o chão, para chutar ou empurrar a vítima e dar um soco nela.

“Vizinhos contaram que ele saiu na rua para pedir socorro, e que ele teria corrido atrás dela com um tijolo na mão”, conta a delegada.

Os vizinhos do casal chamaram a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) e levaram Santina a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). Entretanto, em seu depoimento sobre o caso, a esposa negou que o marido foi o autor das agressões.

Como a idosa negou que João Batista seria o autor das agressões, a polícia instaurou o inquérito policial e levou Santina ao Instituto Médio Legal (IML) e os exames comprovaram as lesões.

Bruna Damasceno que é delegada da Deam também participou da coletiva, e afirmou que a idosa foi levada para um hospital de Aparecida de Goiânia, uma semana após as agressões

Delegada da Deam, Bruna Damasceno contou que uma semana depois da agressão, a idosa foi levada para um hospital de Aparecida de Goiânia. Mas veio a óbito no dia seguinte.

Conforme a delegada, embora a idosa estivesse aguardando por uma cirurgia para tirar um edema do cérebro dela. A polícia acredita que a morte de Santina foi causada pelas agressões que sofreu.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Bombeiros estimam cerca de 200 desaparecidos após barragem se romper

A estrutura, que pertence à Vale, liberou no meio ambiente um volume de mais de 13 milhões de rejeitos de mineração.
25/01/2019, 18h27

O Corpo de Bombeiros informou nesta tarde (25) que aproximadamente 200 pessoas estão desaparecidas após o rompimento da Barragem da Mina Feijão, em Brumadinho (MG). A estrutura, que pertence à Vale, liberou no meio ambiente um volume de mais de 13 milhões de rejeitos de mineração.

O Hospital João XXIII, instituição pública vinculada ao estado de Minas Gerais e sediada em Belo Horizonte, acionou um plano de atendimento para múltiplas vítimas de catástrofes. Até o momento, a instituição confirmou a chegada de duas pacientes, de helicóptero.

Em nota, o Corpo de Bombeiros informou que o Sistema de Comando de Operações (SCO) está estruturado no Centro Social do Córrego do Feijão, em Brumadinho. “Vários órgãos, principalmente de segurança pública, estão no local e em reunião neste momento definindo as estratégias de atendimento”, diz a nota.

Ao lado do Centro Social do Córrego do Feijão, há um campo de futebol que está sendo usado como área de avaliação e triagem das vítimas para atendimento médico, além de estacionamento de viaturas. Também foi estruturado um posto para arrecadação de alimento na Faculdade Asa de Brumadinho.

O Corpo de Bombeiros informou que está atuando com 51 militares, e que contam ainda com seis aeronaves.

O Corpo de Bombeiro alerta os órgãos de imprensa, que estão utilizando drones, pois estariam atrapalhando o sobrevoo das aeronaves da corporação. “As aeronaves estão resgatando inúmeras pessoas ilhadas em diversos pontos a todo momento”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.