Goiás

Técnicos da Tailândia visitam Palmeiras de Goiás e avaliam acordo comercial com o Estado

Os técnicos da Tailândia visitaram o Frigorífico Minerva e a Fazenda Sacramento.

Por Ton Paulo
26/01/2019, 17h59

O estado de Goiás pode fechar um grande acordo comercial com a Tailândia, país asiático cujo governo enviou uma comissão de técnicos ao Brasil, especificamente para Goiás, para avaliar o potencial do agronegócio e do mercado de carne bovina. A comissão de técnicos tailandeses esteve em Palmeiras de Goiás, a 90 quilômetros de Goiânia, na última sexta-feira (25/1) e avalia um acordo para começar a importar carne bovina de Goiás.

A visita ao Brasil da missão técnica, vinda da Tailândia, está inspecionando sistemas de produção pecuária e plantas frigoríficas em alguns estados. Em Goiás, a missão veterinária esteve no Frigorífico Minerva e na Fazenda Sacramento, ambos em Palmeiras de Goiás. A equipe tailandesa é integrada pelos técnicos Tupanut Songkasupa, Chutipon Sirimongkolrat, Manoch Boonrawd, Waramol Chaipanich e Sriwan Siangjun.

Na visita ao estado de Goiás, grande exportador de carne bovina, os trabalhos do Serviço Veterinário Oficial foram apresentados pela Superintendência Federal da Agricultura em Goiás e pela Agência Goiana de Defesa Agropecuária – Agrodefesa, com acompanhamento de toda a missão da auditora fiscal do Ministério da Agricultura, Luiza Bossi Leite, e dos técnicos Nilton Antônio de Morais e Luiz Antônio Cardoso Danin.

A missão da Tailândia recebeu, em Palmeiras de Goiás, informações do Serviço Veterinário do Brasil e sobre o Estado de Goiás tais como situação geográfica, logística, dados macroeconômicos e o potencial do agronegócio, com foco na pecuária de corte, durante apresentação feita pelos técnicos da Agrodefesa.

Após a série de visitas a Goiás e outros estados, os tailandeses deverão elaborar relatório final a ser avaliado pelo governo daquele País. A expectativa é que a Tailândia passe a comprar carne bovina brasileira, ampliando o leque de países importadores, o que contribuirá para expandir os negócios neste segmento.

Eles também conheceram a planta industrial do Frigorífico Minerva, apresentada pelo gerente administrativo da unidade, Márcio Mendes, incluindo todo o processo de produção, desde a chegada dos animais e abate até o acondicionamento e expedição dos produtos.

Visita de técnicos da Tailândia a Palmeiras de Goiás confirma potencial goiano no mercado de carne bovina

Um possível fechamento de acordo de exportação de carne bovina goiana para a Tailândia representa um grande passo para o estado, que já figura entre os gigantes da carne.

Pela ordem os principais produtos exportados pelo Brasil são soja, minério de ferro e carnes, sendo estas concentradas em poucos estados produtores. A Carta de Conjuntura (IPEA) do 1º trimestre de 2017, informa que Goiás é o 3º maior exportador de carne bovina (após São Paulo e Mato Grosso) com US$ 682 milhões; o 4º de carne suína com US$ 93,1 milhões (perde para os três estados do sul) e o 6º no segmento de frangos com US$ 299,5 milhões.

Via: O Hoje 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Educação

Alunos da rede municipal de Aparecida de Goiânia passam a ter aulas de robótica

Projeto tem como objetivo, além de tornar a cidade inteligente, facilitar a vida dos moradores por meio da tecnologia.
27/01/2019, 14h04

Crianças e adolescentes, estudantes das escolas municipais de Aparecida de Goiânia, poderão contar com aulas de robótica em sala. O projeto pioneiro teve início na Escola Municipal Francisco Rafael Campos no Conjunto Planície, para alunos de 12 a 15 anos, e agora será implementado em outras 20 unidades e posteriormente em todas as outras escolas municipais. Essa e outras ações estão previstas no programa Cidade Inteligente que é desenvolvido pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação.

“A partir do resultado com a primeira turma, tomei uma decisão. Estarei levando robótica para todas as escolas fundamentais do município de Aparecida de Goiânia”, comemora o prefeito Gustavo Mendanha. O principal objetivo, de acordo com ele, é tornar a cidade inteligente, facilitando a vida das pessoas por meio da tecnologia.

Aulas de robótica em Aparecida de Goiânia

robótica consiste no estudo, planejamento e elaboração de projetos relacionados a robôs de todos os tipos. Mesmo parecendo uma atividade muito elaborada e restrita para especialistas, ela também pode ser aplicada nas escolas, para crianças e adolescentes, em sua versão educacional. O uso dessa tecnologia contribui para o desenvolvimento educacional, desperta a criatividade, incentiva o trabalho em equipe, e ainda facilita o aprendizado de disciplinas com matemática, física, química e inglês.

Em 2019, o projeto de aulas de robótica será expandido, inicialmente, para outras 20 unidades de ensino de Aparecida de Goiânia. As aulas são dinâmicas e participativas, o que torna o conteúdo mais atrativo; elas são divididas em quatro grades, sendo elas: conteúdos de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira e Literatura; Matemática; Ciências da Natureza (Química, Física e Biologia); e Ciências Humanas (Geografia, História, Filosofia, Sociologia e Conhecimentos Gerais).

Os alunos participantes do projeto de robótica participam, além das atividades em sala de aula, torneios de robótica. A primeira competição, First Lego League, no qual a equipe da Escola Municipal Francisco Rafael Campos participou, ocorreu em novembro do ano passando. Ao todo, 44 escolas da região Centro-Oeste apresentaram seus projetos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Operações de busca em Brumadinho seguem suspensas por risco de novo rompimento

São 24 mil pessoas em situação de risco, mas só cerca de 3 mil devem ser evacuadas.
27/01/2019, 14h38

As operações de busca em Brumadinho continuam suspensas.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo dos Bombeiros, isso ocorre porque, no momento, a prioridade é garantir a segurança de todas as pessoas que estão em situação de risco pela ameaça de rompimento de uma nova barragem. As operações de busca também seriam de risco neste momento.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo dos Bombeiros, a barragem 6 estava com um volume entre 3 e 4 milhões de metros cúbicos de água (m3). Desde sábado, 26, vem sendo feito bombeamento da água para diminuir a pressão. Neste momento o volume está em cerca de 840 mil m3. Não há previsão de retomada das buscas. São 24 mil pessoas em situação de risco, mas só cerca de 3 mil devem ser evacuadas.

Até o momento, 37 mortes causadas pela rompimento da barragem foram confirmadas. Seis corpos já foram liberados pelo Instituto Médico Legal (IML).

Bombeiros de Goiás ajudam em buscas em Brumadinho

Em solidariedade ao governador de Minas Gerais Romeu Zema (Novo), o governador Ronaldo Caiado (DEM) enviou na manhã de sábado (26/1) equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO), para dar apoio nas operações de resgate em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais (MG).

Segundo as informações repassadas pela assessoria de Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás (SSP-GO), o contingente enviado a Brumadinho é composto por seis binômios, com bombeiros e cães de busca, em duas viaturas especializadas para atender esse tipo de ocorrência.

A equipe que vai ser comandada pelo Tenente Tiago Wening que é especialista em operação de busca e resgate com cães, seguiu viagem para Minas no final da manhã deste sábado, após o Zema solicitar apoio,  para fazer resgatar as vítimas do rompimento da barragem da vale em Brumadinho, na última sexta-feira (25/1).

Imagens: El Pais 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Ônibus que caiu em viaduto de Goiânia fazia transporte de forma clandestina 

Acidente ocorreu na madrugada deste domingo (27/1); duas pessoas morreram e 41 ficaram feridas.
27/01/2019, 15h40

O ônibus que caiu no viaduto da BR-153 em Goiânia, na madrugada deste domingo (27/1), fazia transporte de passageiros de forma clandestina. A informação foi confirmada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Goiás. O veículo, que havia saído do Maranhão com destino a São Paulo, se envolveu em um acidente próximo ao Ginásio Goiânia Arena, no Jardim Goiás; duas pessoas morreram e ao menos 41 ficaram feridas.

Tudo teria ocorrido após o motorista perder o controle, sair da pista e cair no viaduto com altura de cerca de dez metros e em seguida ainda bater em um poste de energia. Informações preliminares apontam que um outro veículo havia entrado na frente e o condutor do ônibus tentou desviar. O ônibus tem placas de Simplício Mendes (PI), havia saído de São Mateus do Maranhão (MA) e seguia para São Paulo (SP).

Acidente com ônibus em viaduto de Goiânia deixa mortos e feridos

De acordo com dados da PRF, no veículo estavam 49 pessoas, sendo 43 passageiros adultos, três crianças, dois motoristas e o guia do coletivo. Desse total, ao menos 41 pessoas ficaram feridas e duas morreram no local. Alguns dos sobreviventes foram encaminhados para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo)Hospital de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) e Centros de Atendimento Integral à Saúde (Cais) mais próximos.

Os que apresentavam escoriações foram levados para o Goiânia Arena, onde também foram atendidos; eles estão sob os cuidados da Defesa Civil de Goiânia. Viaturas de socorro da Concessionária, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar e da PRF, com cerca de 80 servidores, atuaram na ocorrência.

Os corpos das vítimas fatais foram recolhidos pelo Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia, para procedimentos de identificação. A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada em Investigações de Acidentes de Trânsito (Dict), investiga o caso.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Defesa Civil informa que operação de buscas em Brumadinho é retomada

Pessoas evacuadas no início do dia já estão liberadas para retornar para suas casas.
27/01/2019, 16h09

As operações de buscas por vítimas da lama da barragem da Vale que se rompeu em Brumadinho (MG) foram retomadas nesta tarde, conforme informou há instantes o tenente-coronel Flávio Godinho, da Defesa Civil de Minas Gerais. Os trabalhos de busca estavam suspensos desde a madrugada deste domingo devido aos riscos de rompimento da barragem de número 6, localizada na mesma região.

Segundo explicou o tenente-coronel, a retomada das buscas foi possível após a drenagem de parte da água da barragem de número seis e a diminuição de risco de acidentes. “A barragem (seis) não oferece risco para as pessoas que moram na região, nem para os bombeiros que fazem as buscas”, explicou há pouco Godinho.

Segundo ele, as pessoas evacuadas no início do dia já estão liberadas para retornar para suas casas, e as barragens continuarão sendo monitoradas.

Brumadinho aplicará multa de R$ 100 milhões à Vale

O prefeito de Brumadinho (MG), Avimar de Melo Barcelos (PV), informou neste domingo, 27, que vai multar a Vale em R$ 100 milhões. Ele comunicou a decisão ao presidente da Vale, Fabio Schvartsman, com quem esteve na tarde deste domingo. Segundo o prefeito, Schvartsman garantiu ao prefeito que a empresa daria toda a atenção às vítimas e à cidade. “Mas vai ajudar como?”, indagou.

O prefeito também disse que vai exigir da Vale que pague a todos os seus funcionários, mesmo que não estavam trabalhando no momento, além de todo o apoio aos familiares das vítimas. “Esperávamos que a Vale tivesse aprendido uma lição com o que aconteceu em Mariana e deixaram acontecer isso com o nosso município”, disse Barcelos. Segundo ele, a prefeitura não tem nenhuma responsabilidade com o rompimento da barragem. “Foi responsabilidade da Vale. Uma empresa tão grande como a Vale, que vai deixar o restaurante abaixo da barragem? O plano de contenção é responsabilidade da Vale e do Estado”, afirmou.

Imagens: Folha de São Paulo 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.