Goiás

Wellington Camargo, irmão de Zezé e Luciano, deixa prisão em Aparecida de Goiânia

Cantor estava preso desde a noite de terça-feira (29/1), por não pagar pensão alimentícia.
01/02/2019, 07h37

Wellington Camargo, irmão da dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano, deixou a prisão na noite desta quinta-feira (31/1). O cantor gospel estava preso no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, desde a noite de terça-feira (29/1), quando foi detido no Jardim América, por não pagar pensão alimentícia à filha de 15 anos.

O valor da dívida não foi revelado e de acordo com o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), casos desta natureza seguem sob sigilo. Em nota, a Polícia Civil de Goiás (PCGO) explicou que o mandado de prisão do cantor não tinha cunho criminal e era oriundo da vara de família.

Em entrevista, ainda na porta do Núcleo de Custódia, Wellington Camargo disse que o atraso no pagamento da pensão ocorreu devido aos preparativos para cirurgia muito severa, no qual ele precisa passar. O cantor pediu desculpas à filha pelo atraso e pela prisão. “Papai não sabia que seria dessa forma. Te amo”, declarou.

Atualmente, Wellington viaja o país divulgado seus trabalhos. Ele, que já teve três milhões de cópias vendidas em seus cinco CDs, faz ao menos 20 shows por mês.

Caso Wellignton Carmargo

Há 17 anos, Wellington Camargo, ficou 94 dias sob o poder de quatro sequestradores; o caso mobilizou o Brasil. O cantor, cadeirante, que iniciou carreira gospel após o sequestro, teve a orelha esquerda cortada pelos criminosos no cativeiro localizado a 27 quilômetros de Goiânia.

Os sequestradores pediram um resgate no valor de US$ 5 milhões, mas aceitaram US$ 300 mil. O total foi pago no dia 20 de março de 1999. Wellington foi deixado pelos sequestrados em um buraco, a 150 metros de uma estrada vicinal,  entre Goiânia e Guapó.

No dia 11 de setembro de 2018, um dos sequetradores de Wellington Carmargo, Ozélio de Oliveira, fugiu da Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP I), na Região Metropolitana de Curitiba; outros 28 presos também fugiram. Eles tiveram ajuda de homens fortemente armados que invadiram o local. Os criminosos queimaram caminhões e carros próximo ao presídio para evitar que policiais se aproximassem.

Imagens: Jornal das Missões 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Preso morre ao tentar tirar arma de agente penitenciário, em Santo Antônio do Descoberto

Otávio Artur estava preso desde março de 2018, por roubo. Outros quatro presos ficaram feridos.
01/02/2019, 08h28

Um detento da unidade prisional de Santo Antônio do Descoberto, interior de Goiás, morreu depois de tentar tirar a arma de um agente penitenciário; outros quatro presos também ficaram feridos. O caso, que ocorreu na tarde desta quinta-feira (31/1), é tratado como uma tentativa de rebelião e legítima defesa do vigilante.

Tudo começou durante uma a visita a internos na Unidade Prisional de Santo Antônio do Descoberto. De acordo com a Polícia Civil de Goiás (PCGO), de um grupo de cinco presos, Otávio Artur Marreiro de Brito foi o primeiro a tentar tirar a arma do agente penitenciário, que disparou pela primeira vez atingindo o rapaz.

Em seguida, os outros quatro presos também avançaram rumo ao vigilante na tentativa de pegar o objeto. Os homens também ficaram feridos pelos disparos; eles foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levados ao hospital da cidade. Os quatro estão estáveis e fora de risco.

Agente penitenciário presta esclarecimentos

Depois do ocorrido, o agente penitenciário, que não teve o nome revelado, prestou esclarecimentos na 1ª Delegacia de Polícia de Águas Lindas. O caso é tratado pela PCGO como uma tentativa de rebelião.

O agente contou que se sentiu encurralado pelos presos e reagiu. “Foi logo depois da visita. Alguns internos pareciam ter usado uma droga, estavam com a boca roxa, e avançaram contra o agente. Ele deu o primeiro disparo contra um interno, que morreu, e depois atirou novamente, ferindo os quatro detentos. Entendemos que foi legítima defesa”, explicou o delegado Felipe Socha, responsável pelo caso, ao Correio Braziliense.

A Diretoria Geral de Administração Penitenciária de Goiás (DGAP) instaurou um processo administrativo disciplinar para apurar o caso.

Preso que tentou tirar arma de agente penitenciário estava detido por roubo

Otávio Artur Marreiro de Brito foi preso em março de 2018, depois de assaltar uma sorveteria em Santo Antônio do Descoberto.  De acordo com as investigações, o crime ocorreu na tarde de 5 de fevereiro; ele levou cerca de R$ 570.  Otávio já possuía condenação por crime de roubo a estabelecimento comercial, e tinha outros dois inquéritos em tramitação, pelo mesmo crime, na Delegacia da cidade.

Imagens: Polícia Civil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homens chegam atirando em bar, matam dois e deixam um ferido, no Parque Amazônia

Segundo apurado pela polícia, quatro homens teriam chegado no estabelecimento no final da noite atirando indiscriminadamente.

Por Ton Paulo
01/02/2019, 08h30

Uma verdadeira cena de filme de terror foi registrada na noite da última quinta-feira (31/1), num bar do Setor Parque Amazônia, em Goiânia. Segundo apurado pela Polícia Civil, quatro homens teriam chegado no estabelecimento no final da noite atirando indiscriminadamente, para todos os lados. Duas pessoas morreram e uma ficou ferida. A polícia está investigando.

O caso ocorreu por volta das 23h de ontem, no Bar da Diretoria, localizado na Avenida Senador José Rodrigues de Morais Neto, Parque Amazônia. Segundo informações da Polícia Civil, quatro homens ainda não identificados chegaram ao bar pela calçada, a pé, e começaram a atirar contra os presentes no local.

As balas acabaram atingindo três pessoas. Jadson Braga da Silva, de 38 anos, e Bruno Araújo dos Santos de 30, não resistiram aos ferimentos e morreram no local. Já outro, somente identificado como Nilson, ficou ferido na mão e foi levado para o Cais Nova Era.

Ainda não se sabe quais as motivações do crime. Testemunhas contaram à polícia que pouco antes dos homens chegarem atirando, um carro suspeito foi visto parado na esquina, arrancando logo depois.

Conforme apurado pela reportagem do Dia Online, a região seria famosa por servir de ponto de venda de drogas, mas, segundo a polícia, ainda não é possível concluir se a motivação do crime está relacionada a isso.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios (DIH).

Além do caso no Parque Amazônia, homem foi morto em bar no Bairro Goiá

Na madrugada do dia 29 de outubro do ano passado, um homem foi morto durante uma briga de bar, no bairro Goiá, em Goiânia. De acordo com a Polícia Civil (PC), após uma discussão o suspeito saiu do local e depois voltou armado. A vítima foi baleada, não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo informações da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) na época, o caso ocorreu num bar na Avenida Augusto Severo, no Bairro Goiá. A vítima, identificada como Cícero Pinto Barros, de 30 anos, teria discutido com o autor do crime por motivos que ainda estão sendo investigados.

O homem, que ainda não foi identificado pela polícia, saiu do recinto e voltou armado, momento em que efetuou os disparos contra Cícero.

Quando a equipe policial chegou ao local, já não havia mais nada, e o criminoso havia fugido

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Deputados de Goiás tomam posse nesta sexta-feira; relembre os eleitos

Hoje inicia-se a 56ª legislatura da Câmara dos Deputados e a 19ª da Assembléia Legislativa de Goiás.
01/02/2019, 09h31

Os 17 deputados federais e os 41 novos deputados estaduais, eleitos em Goiás, tomam posse nesta sexta-feira (1º/2). A solenidade para os parlamentares que iniciam a 56ª legislatura da Câmara dos Deputados ocorre às 10h, no Plenário Ulysses Guimarães, da Câmara Federal, em Brasília.

Já os políticos que irão compor a 19ª legislatura na Assembléia Legislativa de Goiás (Alego), recebem posse dos cargos às 14h, no Plenário Getulino Artiaga, do Palácio Alfredo Nasser, em Goiânia. Veja abaixo a lista completa de deputados eleitos em Goiás.

Deputados federais eleitos em Goiás

1) Delegado Waldir (PSL): 274.406 votos

2) Flávia Morais (PDT): 169,774 votos

3) Dr. Zacarias Calil (DEM): 151.508 votos

4) Francisco Jr. (PSD): 111.788 votos

5) João Campos (PRB): 106.014 votos

6) Glaustin da Fokus (PSC): 100.437 votos

7) Zé Mário (DEM): 96.188 votos

8) Magda Mofatto (PR): 88.894 votos

9) Professor Alcides (PP): 88.545 votos

10) Rubens Otoni (PT): 83.063 votos

11) Lucas Vergílio (SD): 78.431 votos

12) Adriano do Baldy (PP): 77.729 votos

13) Elias Vaz (PSB): 74.877 votos

14) Célio Silveira (PSDB): 70.663 votos

15) Alcides Rodrigues (PRP): 64.941 votos

16) José Nelto (Podemos): 61.809 votos

17) Major Vitor Hugo (PSL): 31.190 votos

Deputados estaduais eleitos em Goiás

1) Alysson Lima (PRB): 30.868 votos

2) Amauri Ribeiro (PRP): 24.922 votos

3) Amilton Filho (SD): 16.486 votos

4) Antônio Gomide (PT): 36.998 votos

5) Cairo Salim (PROS): 18.579 votos

6) Chico KGL (DEM): 37.048 votos

7) Coronel Adailton (PP): 11.616 votos.

8) Delegado Humberto Teófilo (PSL): 26.252 votos

9) Delegado Eduardo Prado (PV): 20.845 votos

10) Júlio de Pina (PRTB): 13.148 votos

11) Paulo Trabalho (PSL): 16.957 votos

12) Rafael Gouveia (DC): 23.466 votos

13) Rubens Marques (PROS): 27.763 votos

14) Thiago Albernaz (SD): 14.561 votos

15) Tião Caroço (PSDB): 31.407 votos

16) Vinicius Cirqueira (PROS): 17.698 votos

17) Wagner Neto (Patriotas): 14.256 votos

18) Wilde Cambão (PSD): 29.853 votos

19) Zé Carapô (DC): 19.583 votos

Deputados veteranos 

20) Álvaro Guimarães (DEM): 23.788 votos

21) Bruno Peixoto (MDB): 34.655 votos

22) Charles Bento (PRTB): 18.626 votos

23) Cláudio Meirelles (PTC): 36.502 votos

24) Delegada Adriana Accorsi (PT): 39.283 votos

25) Diego Sorgatto (PSDB): 41.362 votos

26) Dr. Antonio (DEM): 36.683 votos

27) Gustavo Sebba (PSDB): 29.286 votos

28) Helio de Sousa (PSDB): 38.788 votos

29) Henrique Arantes (PTB): 20.556 votos

30) Henrique César (PSC): 46.545 votos

31) Humberto Aidar (MDB): 31.873 votos

32) Iso Moreira (DEM): 24.963 votos

33) Jeferson Rodrigues (PRB): 45.605 votos

34) Karlos Cabral (PDT): 15.941 votos

35) Lêda Borges (PSDB): 35.040 votos

36) Lissauer Vieira (PSB): 37.550 votos

37) Lucas Calil (PSD): 23.994 votos

38) Major Araújo (PRP): 38.278 votos

39) Paulo Cezar Martins (MDB): 40.970 votos

40) Talles Barreto (PSDSB): 36.456 votos

41) Virmondes Cruvinel (PPS): 30.576 votos

Imagens: O Sul 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Com pagamento em atraso há meses, bolsistas da Fapeg denunciam descaso e abandono

Eles relatam que mesmo ativos, estão sem receber desde outubro do ano passado, e contam ainda que nem mesmo um novo presidente foi nomeado pelo Estado desde a exoneração do último.

Por Ton Paulo
01/02/2019, 10h28

A crise financeira em Goiás, que já se arrastava há algum tempo e eclodiu recentemente de maneira quase catastrófica, tem afetado várias áreas da sociedade e a pesquisa é uma das grandes afetadas. Alunos bolsistas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás, a Fapeg, são alguns dos que estão com as suas pesquisas e até a própria sobrevivência comprometidas devido à falta de repasse dos valores das bolsas. Eles relatam que mesmo ativos, estão sem receber desde outubro do ano passado, e contam ainda que a fundação se encontra em tal descaso que nem mesmo um novo presidente foi nomeado pelo Estado desde a exoneração do último.

Alyson Fernandes, de 23 anos, é um dos pesquisadores que perece com o abandono do Governo de Goiás da Fapeg. O pesquisador, da área de Ciências e Matemática, relata que o último mês que a bolsa foi paga foi outubro do ano passado, e o pagamento só foi liberado em dezembro. O prazo para o pagamento, que seria no dia 25 de cada mês, quase nunca é respeitado. “Sempre foi assim, a gente sempre recebe um mês depois do prazo, ou até mais”, conta.

O pesquisador é graduado em Matemática pela Universidade Federal de Goiás (UFG), e faz o mestrado com a bolsa da Fapeg. A Fundação, de competência estadual, atua no financiamento de projetos de pesquisa científica, tecnológica e de inovação no incentivo à capacitação de recursos humanos para a ciência e tecnologia, por meio de bolsas em diversos níveis de formação. Como demanda dedicação integral do pesquisador, este fica impossibilitado de trabalhar, tendo que contar apenas com o valor da bolsa, de R$ 1.350 para o mestrado e R$ 2 mil para o doutorado.

Alyson conta que ainda tem sorte, pois mora com os pais e pode contar com a ajuda deles. Mas muitos dos pesquisadores da Fapeg contam apenas com o valor recebido pela bolsa, e como não estão recebendo, enfrentam sérias dificuldades. “Tem gente com dificuldade séria, até para comer, porque não está recebendo a bolsa”, revela.

Presidente da Fapeg foi exonerada, sem haver reposição

Outro fator que é também alvo de preocupação dos pesquisadores da Fapeg é o descaso que enfrenta a fundação. Isso porque a última presidente, Maria Zaira Turchi, foi exonerada pelo governo anterior em dezembro do ano passado, e nenhum outro foi colocado no lugar. A Fapeg, atualmente, encontra-se sem coordenador, diretor e presidente, o que faz com que os pesquisadores não tenham a quem recorrer.

“Eles [da Fapeg] também estão perdidos, porque estão sem presidente e sem coordenador. Quando procuramos a fundação, nos dizem para procurarmos nossas instituições e ninguém dá um posicionamento definitivo”, desabafa Alyson.

Secretaria do Desenvolvimento se manifesta

Procurada pela reportagem do Dia Online, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED) disse, por meio de sua assessoria, que o pagamento das bolsas referente a novembro de 2018 já foi liberado, e deve acontecer nos próximos dias.

A SED ainda afirma que a indicação da nova diretoria da Fapeg deve ocorrer apenas após a finalização da reforma administrativa do novo governo de Goiás.

Confira abaixo a nota na íntegra:

“A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED) informa que foram liberados R$ 1,166 milhão para o pagamento de 751 bolsas de pós-graduação, mestrado e doutorado da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), referentes ao mês de novembro de 2018.

As medidas administrativas e financeiras já estão sendo tomadas para que o pagamento seja efetuado nos próximos dias.

A SED informa ainda que, após a exoneração feita pela gestão anterior, os novos nomes para a diretoria e presidência da Fapeg ainda não foram indicados. Isso deve ocorrer após a finalização da reforma administrativa.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.