Goiás

Presos gravam vídeo de detento antes de tentar executá-lo, em cadeia de Rio Verde

No vídeo, os detentos fazem o acusado confessar o crime, obrigando-o a dizer que iria morrer "por ter matado um pai de família".

Por Ton Paulo
04/02/2019, 10h46

Agentes prisionais da Casa de Prisão Provisória (CPP) de Rio Verde, que estavam de plantão no último domingo (3/2), conseguiram intervir a tempo de evitar a execução de um dos detentos por parte de outros presos dentro da cela. O homem foi preso na última quinta-feira (31/1) acusado de participar do assassinato de um taxista em Quirinópolis, a 290 quilômetros de Goiânia, cujo corpo foi encontrado pela polícia. Os presos chegaram a gravar um vídeo fazendo o acusado confessar o crime e obrigando-o a dizer que iria morrer “por ter matado um pai de família”. Vídeo de detento circulou nas redes sociais.

Bruno Jozirlei Rodrigues da Silva, acusado do latrocínio do taxista Francirrênio Cabral Martins, aparece no vídeo já com uma corda em volta do pescoço, o que sugere que ele seria morto por enforcamento. Os outros detentos mandam que o homem informe para o preso que filma tudo o porquê da execução. “Dá a ideia ‘certim’, ladrão! Pro povo saber que ‘nois’ não matou pelo errado!” diz o detento que filma a ação.

No vídeo, os presos ainda mandam que o homem conte em detalhes o crime. “Quanto ‘ce’ ia ganhar pra matar um pai de família que tem duas crianças pequenas pra cuidar?”, chega a questionar um dos presos.

Veja o vídeo de detento detalhando o crime abaixo:

Entretanto, a execução do preso não chegou a ser concretizada. Após o serviço de inteligência prisional descobrir a ação, os agentes do plantão agiram rápido e frustraram o assassinato.

Por meio de nota, a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) se pronunciou, e informou que a CPP de Rio Verde abrirá sindicância para apurar a origem do celular.

Veja a íntegra da nota:

“NOTA – DGAPA

A direção da Casa de Prisão Provisória (CPP) de Rio Verde, pertencente a 6ª Regional Sudoeste da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), informa que agentes de segurança prisional receberam a informação que Bruno Jozirlei Rodrigues da Silva, preso por latrocínio, seria assassinado na unidade neste domingo (03/02). De porte da notícia, eles isolaram o preso e encaminharam os suspeitos para a Polícia Civil. Com eles, foi apreendido um celular. A CPP de Rio Verde informa que será aberta sindicância para apurar a origem do aparelho.”

Homem estava preso na CPP de Rio Verde por crime de latrocínio contra taxista de Quirinópolis

O corpo do taxista Francirrênio Cabral Martins, de 37 anos, que estava desaparecido em Quirinópolis foi encontrado em Rio Verde na última quinta-feira (31/1), pela Polícia Militar. De acordo com a corporação, a vítima foi achada após um trio preso no Mato Grosso confessar que o matou e roubou o carro dele em seguida. A Polícia Civil investiga o caso.

De acordo com informações da Polícia Civil, o taxista estava desaparecido desde quarta-feira (30/1), quando disse que ia de Quirinópolis até Rio Verde para deixar três passageiros. No entanto, não deu mais notícias e os parentes registraram o desaparecimento dele na noite do mesmo dia.

De acordo com a Polícia Militar, policiais do Mato Grosso prenderam um trio que estava com o carro da vítima, também na quinta-feira. Bruno Jozirlei, que quase foi executado na cela, era um dos integrantes.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Prefeitura de Cidade Ocidental estaria pagando conta de água de moradora há 2 anos

Conforme noticiado ao MP, uma moradora de Cidade Ocidental tem tido suas faturas de consumo de água pagas pelo município há cerca de dois anos.

Por Ton Paulo
04/02/2019, 11h48

Uma promotora do Ministério Público de Goiás (MP-GO) instaurou um inquérito civil público para apurar uma suposta irregularidade nos pagamentos feitos por parte da Prefeitura de Cidade Ocidental, no entorno de Brasília. Conforme chegou ao conhecimento do MP-GO, a Prefeitura estaria já há dois anos efetuando o pagamento da conta particular de água de uma moradora do município, o que configuraria ato ilegal.

O inquérito foi instaurado pela promotora de Justiça Marizza Maggioli, do Ministério Público, para verificar irregularidade no pagamento de contas de água pela Prefeitura de Cidade Ocidental a particular. Conforme noticiado ao MP, uma moradora tem tido suas faturas de consumo de água pagas pelo município há cerca de dois anos, não sendo ela pessoa necessariamente carente.

A promotora verificou que o pagamento das contas dessa consumidora, que supostamente reside em Cidade Ocidental, decorreu de um contrato, encerrado ainda no ano de 2017, sem que os gestores, à época, tomassem as devidas precauções para suspender o pagamentos das despesas resultantes dele.

Como primeiras medidas do inquérito civil e público instaurado, a promotora Marizza Maggioli fez uma solicitação à Secretaria de Finanças do município de Cidade Ocidental de todos os comprovantes de débito automático da conta do município para quitação dessa conta de água, comunicando ao órgão sobre a necessidade de interromper o pagamento.

A promotora observa ainda que o MP-GO, uma vez comprovada a ilegalidade, buscará a responsabilização dos envolvidos por ato de improbidade, sem prejuízo da responsabilização criminal, uma vez que o uso de recursos públicos para a quitação de contas particulares de indivíduos se configura como ilegal.

Prefeitura de Cidade Ocidental ainda não se manifestou sobre o caso

A reportagem do Dia Online entrou em contato com a Prefeitura de Cidade Ocidental, cuja assessoria de comunicação prometeu um retorno, não enviado até o fechamento desta matéria.

Via: MP-GO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Suspeito de deixar ex-companheiro da mãe tetraplégico é preso em Senador Canedo

Crime ocorreu em julho de 2017, no Jardim Guanabara, em Goiânia.
04/02/2019, 12h18

Um homem foi preso na madrugada desta segunda-feira (4/2), em Senador Canedo, suspeito de tentar matar o ex-companheiro da mãe, por não aceitar o relacionamento. O crime ocorreu em 2017, no Jardim Guanabara, em Goiânia. A vítima, Anderson Mariano Silva, que foi atingido com ao menos cinco tiros, ficou tetraplégico.

Eduardo Ramos Alves, mesmo sendo reconhecido pela vítima e testemunhas, nega a acusação. Ele está preso temporariamente na Delegacia Estadual de Capturas de Goiânia (Decap), à disposição do Poder Judiciário. De acordo com a delegada Alessandra Alvarenga, responsável pelo caso, o inquérito deve ser apresentado ao juiz e a prisão preventiva dele será pedida o mais rápido possível, uma vez que a irmã de Anderson alega que está sendo ameaçada por ele.

O mandado de prisão de Eduardo foi cumprido por policiais da 10ª Delegacia Distrital de Polícia de Goiânia.

Tentativa de homicídio deixa homem tetraplégico

Segundo informações da Polícia Civil de Goiás (PCGO), a tentativa de homicídio ocorreu por volta das 5h do dia 20 de julho de 2017, quando Anderson seguia para o trabalho, na Central Estadual de Abastecimento de Goiânia (Ceasa), no Jardim Guanabara, em Goiânia.

Anderson foi atingido por ao menos cinco tiros, sendo dois deles disparados quando ele já estava deitado no chão. Ele ficou tetraplégico.

O principal suspeito do crime é Eduardo, filho da mulher com quem Anderson tinha um relacionamento amoroso. Ao Dia Online, a delegada responsável informou que a PCGO acredita que a motivação do crime tenha sido pelo fato de Eduardo não aceitar o relacionamento da mãe com Anderson.

Na época do crime, a mãe do principal suspeito e ex-namorada da vítima disse que não sabe porque isso teria ocorrido. Desde a data do crime, Eduardo Ramos estava foragido. Ele se mudou de Goiânia para Senador Canedo, onde foi preso. Ele é investigado por homicídio tentado.

Imagens: Mais Vip 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Secretário de governo anuncia fim do programa de investimentos Goiás na Frente

O anúncio foi feito na manhã de hoje por Ernesto Roller, em coletiva de imprensa no Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

Por Ton Paulo
04/02/2019, 13h10

O secretário de Governo da gestão Caiado, Ernesto Roller, anunciou na manhã desta segunda-feira (4/2) que o programa de investimentos regionais Goiás na Frente, em vigor desde março de 2018, deve acabar. Roller informou que a secretaria de Economia foi consultada para traçar um quadro geral do Goiás na Frente, e a conclusão obtida foi a de que “não há recursos para manter o programa”.

O anúncio foi feito na manhã de hoje em coletiva de imprensa no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, na Praça Cívica, em Goiânia.

Roller chegou a afirmar que o programa “começou errado, e portanto não deve ter continuidade”. O secretário ainda informou que os convênios para os quais não houve nenhum repasse vão ser automaticamente cancelados. Goiânia entra na questão, uma vez que a capital tem o maior convênio do programa: R$ 35 milhões de reais para construção do corredor Leste Oeste, obra voltada para a revitalização da Praça do Trabalhador e extensão da Avenida Leste oeste até o município de Senador Canedo.

O programa Goiás na Frente

Considerado o maior programa de investimentos regionais em curso no Brasil, segundo o site da Secretaria de Governo (Segov), o Goiás na Frente contempla diversas áreas da administração estadual. Lançado em março de 2018, o programa tinha a intenção inicial de injetar mais de R$ 9 bilhões na saúde, educação, segurança pública, ciência e tecnologia, saneamento, habitação, meio ambiente e infraestrutura em Goiás.

Ainda de acordo com a Segov, os recursos do Goiás na Frente viriam do ajuste fiscal implementado pelo governo estadual nas gestões anteriores, que envolveram a privatização da Celg Distribuição;  receitas do Orçamento Geral do Estado;  convênios com a União e aportes da iniciativa privada. O objetivo do programa era fortalecer os municípios goianos e proporcionar desenvolvimento em todas as regiões de Goiás.

Entretanto, de acordo com dados divulgados pelo O Popular, apenas quatro dos 222 municípios goianos com convênios firmados receberam parcelas integrais relacionadas a todos os contratos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Jovem tenta fugir mas é morta ao ser perseguida dentro da UEG, em Caldas Novas

Suspeito estava em uma moto e efetuou cerca de 10 disparos contra Ana Carolina.
04/02/2019, 14h22

A jovem Ana Carolina Emidio, de 20 anos, foi morta a tiros na manhã desta segunda-feira (4/2) após ser perseguida dentro da unidade da Universidade Estadual de Goiás (UEG), em Caldas Novas, a 152 quilômetros de Goiânia.

Portal Dia Online entrou em contato com o delegado Tibério Martins Cardoso, que esteve no local do crime e confirmou a história. “O caso aconteceu hoje de manhã, ela estava em uma casa com um rapaz, e saiu da companhia dele, próximo a universidade um suspeito se aproximou de moto e começou a atirar contra ela”, conta o delegado.

Ana Carolina tentou fugir mas foi perseguida dentro da UEG de Caldas Novas

Conforme o delegado, a jovem tentou fugir do suspeito, pulou a cerca da universidade e correu cerca de 40 metros dentro da unidade. O atirador a perseguiu pela universidade e continuou atirando. Em seguida, ela caiu próximo a portaria da UEG e o indivíduo efetuou outros disparos e fugiu do local em seguida.

Tibério Martins afirmou que contou pelo menos 10 disparos de arma de fogo, no entanto, o delegado espera o resultado do laudo do Instituto Médico Legal (IML), que vai identificar quantas vezes Ana Carolina foi baleada pelo suspeito.

O delegado acredita que a moça foi morta pelo motociclista, pois os dois poderiam ter alguma desavença. O caso é investigado pela Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Caldas Novas.

Em sua página no Facebook a UEG informou que apesar do incidente que terminou com a morte da jovem, Ana Carolina não possuía vínculo com a Universidade, que tomou todas as providências necessárias para socorrer a vítima que veio a óbito. Na nota, a instituição afirma estar completamente consternada com o ocorrido, e que se sensibiliza com os familiares que perderam um ente querido desta maneira.

Jovem tenta fugir mas é morta ao ser perseguida dentro da UEG, em Caldas Novas
Foto: Reprodução

Confira a nota

“A Universidade Estadual de Goiás – Câmpus Caldas Novas vem a público esclarecer o lamentável incidente ocorrido na manhã desta segunda-feira, 04 de fevereiro, por volta das 6:30 da manhã envolvendo o perímetro de nosso Câmpus. Uma jovem de 20 anos, posteriormente identificada como Ana Carolina Emídio, na tentativa de fugir de agressores em uma motocicleta, adentrou o jardim de nosso prédio, sendo alvejada por arma de fogo em seguida. Informamos que, ainda que nossa Instituição de Ensino tenha sido palco para este lastimável acontecimento, a vítima não tinha nenhum vínculo com a Universidade e que que a vigilante do Câmpus tomou todos as medidas possíveis na tentativa de socorrer a vítima, acionando o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar.

Estamos profundamente consternados com o acontecido, uma vez que a jovem não resistiu aos ferimentos e veio a óbito a caminho da UPA de Caldas Novas. A PM ainda não sabe a motivação do crime e segue com o andamento da investigação. Agradecemos a vigilante por sua presteza ao lidar a ocorrência, ao Corpo de Bombeiros e também aos policiais militares pelo pronto-atendimento e aguardamos mais informações a respeito do ocorrido. A família UEG se sensibiliza neste momento tão triste e dessa forma expressa os nossos sentimentos aos familiares da vítima.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.