Goiás

Suspeito de deixar ex-companheiro da mãe tetraplégico é preso em Senador Canedo

Crime ocorreu em julho de 2017, no Jardim Guanabara, em Goiânia.
04/02/2019, 12h18

Um homem foi preso na madrugada desta segunda-feira (4/2), em Senador Canedo, suspeito de tentar matar o ex-companheiro da mãe, por não aceitar o relacionamento. O crime ocorreu em 2017, no Jardim Guanabara, em Goiânia. A vítima, Anderson Mariano Silva, que foi atingido com ao menos cinco tiros, ficou tetraplégico.

Eduardo Ramos Alves, mesmo sendo reconhecido pela vítima e testemunhas, nega a acusação. Ele está preso temporariamente na Delegacia Estadual de Capturas de Goiânia (Decap), à disposição do Poder Judiciário. De acordo com a delegada Alessandra Alvarenga, responsável pelo caso, o inquérito deve ser apresentado ao juiz e a prisão preventiva dele será pedida o mais rápido possível, uma vez que a irmã de Anderson alega que está sendo ameaçada por ele.

O mandado de prisão de Eduardo foi cumprido por policiais da 10ª Delegacia Distrital de Polícia de Goiânia.

Tentativa de homicídio deixa homem tetraplégico

Segundo informações da Polícia Civil de Goiás (PCGO), a tentativa de homicídio ocorreu por volta das 5h do dia 20 de julho de 2017, quando Anderson seguia para o trabalho, na Central Estadual de Abastecimento de Goiânia (Ceasa), no Jardim Guanabara, em Goiânia.

Anderson foi atingido por ao menos cinco tiros, sendo dois deles disparados quando ele já estava deitado no chão. Ele ficou tetraplégico.

O principal suspeito do crime é Eduardo, filho da mulher com quem Anderson tinha um relacionamento amoroso. Ao Dia Online, a delegada responsável informou que a PCGO acredita que a motivação do crime tenha sido pelo fato de Eduardo não aceitar o relacionamento da mãe com Anderson.

Na época do crime, a mãe do principal suspeito e ex-namorada da vítima disse que não sabe porque isso teria ocorrido. Desde a data do crime, Eduardo Ramos estava foragido. Ele se mudou de Goiânia para Senador Canedo, onde foi preso. Ele é investigado por homicídio tentado.

Imagens: Mais Vip 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Secretário de governo anuncia fim do programa de investimentos Goiás na Frente

O anúncio foi feito na manhã de hoje por Ernesto Roller, em coletiva de imprensa no Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

Por Ton Paulo
04/02/2019, 13h10

O secretário de Governo da gestão Caiado, Ernesto Roller, anunciou na manhã desta segunda-feira (4/2) que o programa de investimentos regionais Goiás na Frente, em vigor desde março de 2018, deve acabar. Roller informou que a secretaria de Economia foi consultada para traçar um quadro geral do Goiás na Frente, e a conclusão obtida foi a de que “não há recursos para manter o programa”.

O anúncio foi feito na manhã de hoje em coletiva de imprensa no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, na Praça Cívica, em Goiânia.

Roller chegou a afirmar que o programa “começou errado, e portanto não deve ter continuidade”. O secretário ainda informou que os convênios para os quais não houve nenhum repasse vão ser automaticamente cancelados. Goiânia entra na questão, uma vez que a capital tem o maior convênio do programa: R$ 35 milhões de reais para construção do corredor Leste Oeste, obra voltada para a revitalização da Praça do Trabalhador e extensão da Avenida Leste oeste até o município de Senador Canedo.

O programa Goiás na Frente

Considerado o maior programa de investimentos regionais em curso no Brasil, segundo o site da Secretaria de Governo (Segov), o Goiás na Frente contempla diversas áreas da administração estadual. Lançado em março de 2018, o programa tinha a intenção inicial de injetar mais de R$ 9 bilhões na saúde, educação, segurança pública, ciência e tecnologia, saneamento, habitação, meio ambiente e infraestrutura em Goiás.

Ainda de acordo com a Segov, os recursos do Goiás na Frente viriam do ajuste fiscal implementado pelo governo estadual nas gestões anteriores, que envolveram a privatização da Celg Distribuição;  receitas do Orçamento Geral do Estado;  convênios com a União e aportes da iniciativa privada. O objetivo do programa era fortalecer os municípios goianos e proporcionar desenvolvimento em todas as regiões de Goiás.

Entretanto, de acordo com dados divulgados pelo O Popular, apenas quatro dos 222 municípios goianos com convênios firmados receberam parcelas integrais relacionadas a todos os contratos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Jovem tenta fugir mas é morta ao ser perseguida dentro da UEG, em Caldas Novas

Suspeito estava em uma moto e efetuou cerca de 10 disparos contra Ana Carolina.
04/02/2019, 14h22

A jovem Ana Carolina Emidio, de 20 anos, foi morta a tiros na manhã desta segunda-feira (4/2) após ser perseguida dentro da unidade da Universidade Estadual de Goiás (UEG), em Caldas Novas, a 152 quilômetros de Goiânia.

Portal Dia Online entrou em contato com o delegado Tibério Martins Cardoso, que esteve no local do crime e confirmou a história. “O caso aconteceu hoje de manhã, ela estava em uma casa com um rapaz, e saiu da companhia dele, próximo a universidade um suspeito se aproximou de moto e começou a atirar contra ela”, conta o delegado.

Ana Carolina tentou fugir mas foi perseguida dentro da UEG de Caldas Novas

Conforme o delegado, a jovem tentou fugir do suspeito, pulou a cerca da universidade e correu cerca de 40 metros dentro da unidade. O atirador a perseguiu pela universidade e continuou atirando. Em seguida, ela caiu próximo a portaria da UEG e o indivíduo efetuou outros disparos e fugiu do local em seguida.

Tibério Martins afirmou que contou pelo menos 10 disparos de arma de fogo, no entanto, o delegado espera o resultado do laudo do Instituto Médico Legal (IML), que vai identificar quantas vezes Ana Carolina foi baleada pelo suspeito.

O delegado acredita que a moça foi morta pelo motociclista, pois os dois poderiam ter alguma desavença. O caso é investigado pela Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Caldas Novas.

Em sua página no Facebook a UEG informou que apesar do incidente que terminou com a morte da jovem, Ana Carolina não possuía vínculo com a Universidade, que tomou todas as providências necessárias para socorrer a vítima que veio a óbito. Na nota, a instituição afirma estar completamente consternada com o ocorrido, e que se sensibiliza com os familiares que perderam um ente querido desta maneira.

Jovem tenta fugir mas é morta ao ser perseguida dentro da UEG, em Caldas Novas
Foto: Reprodução

Confira a nota

“A Universidade Estadual de Goiás – Câmpus Caldas Novas vem a público esclarecer o lamentável incidente ocorrido na manhã desta segunda-feira, 04 de fevereiro, por volta das 6:30 da manhã envolvendo o perímetro de nosso Câmpus. Uma jovem de 20 anos, posteriormente identificada como Ana Carolina Emídio, na tentativa de fugir de agressores em uma motocicleta, adentrou o jardim de nosso prédio, sendo alvejada por arma de fogo em seguida. Informamos que, ainda que nossa Instituição de Ensino tenha sido palco para este lastimável acontecimento, a vítima não tinha nenhum vínculo com a Universidade e que que a vigilante do Câmpus tomou todos as medidas possíveis na tentativa de socorrer a vítima, acionando o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar.

Estamos profundamente consternados com o acontecido, uma vez que a jovem não resistiu aos ferimentos e veio a óbito a caminho da UPA de Caldas Novas. A PM ainda não sabe a motivação do crime e segue com o andamento da investigação. Agradecemos a vigilante por sua presteza ao lidar a ocorrência, ao Corpo de Bombeiros e também aos policiais militares pelo pronto-atendimento e aguardamos mais informações a respeito do ocorrido. A família UEG se sensibiliza neste momento tão triste e dessa forma expressa os nossos sentimentos aos familiares da vítima.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Casa atingida por raio é destruída, em Joviânia

"A descarga elétrica não atingiu a antena de WiFi, pois tinha o aterramento, veio da rua, do poste", conta Aliny.
04/02/2019, 15h46

A casa de uma família na cidade de Joviânia, a 170 quilômetros de Goiânia no sul do Estado, ficou completamente destruída na madrugada desta segunda-feira (4/2), após ser atingida por um raio durante a chuva desta madrugada.

A dona da casa, Aliny Resende, afirmou ao Portal Dia Online que por volta das 3h acordou para fazer a mamadeira para o bebê de apenas 7 meses. Após dar de mamar para o filho, Aliny colocou a criança em um chiqueirinho do lado da cama do casal.

Segundo ela, após o bebê dormir ela e o marido adormeceram e acordaram o barulho do raio que atingiu a antena da casa e buscou um lugar para sair. Enquanto não conseguiu sair da residência, o raio destruiu o telhado e os móveis do casal.

“Nós acordamos com as telhas caindo, inclusive caiu em cima do bebê, e já corremos para pegar as chaves do carro e ir para o hospital”, conta Aliny.

Família que teve casa atingida por raio sofreu queimaduras e outras lesões

Segundo Aliny tanto, ela quanto o marido e o filho, sofreram pequenas queimaduras e lesões leve durante o acidente. Conforme a proprietária da residência, o raio queimou todos os móveis, quebrou paredes e portas, enquanto percorreu a casa.

Vizinhos da família gravaram um vídeo mostrando a destruição que o raio causou na casa de Aliny, veja o vídeo abaixo:

Aliny afirmou que os danos na casa foram totais devido ao raio que percorreu o imóvel após atingir o imóvel. “A descarga elétrica não atingiu a antena de WiFi, pois tinha o aterramento, veio da rua, do poste”, conta a proprietária.

Vizinhos da família informaram ao Portal Dia Online que estão se mobilizando para ajudar Aliny e o marido a reconstruir a casa e recuperar os móveis danificados devido ao fenômeno natural que atingiu a residência.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Bombeiros de Goiás que ajudaram nas buscas em Brumadinho retornam e recebem homenagem

A solenidade para os bombeiros de Goiás será realizada nesta terça-feira (5/2), às 8h, no pátio do 1º Batalhão Bombeiro Militar, em Goiânia.

Por Ton Paulo
04/02/2019, 16h08

Os seis bombeiros do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO), juntamente com os seis cães de resgate que trabalharam nas buscas das vítimas no desastre em Brumadinho, em Minas Gerais, já estão de volta ao estado e serão homenageados pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado. A solenidade para os bombeiros de Goiás será realizada nesta terça-feira (5/2), às 8h, no pátio do 1º Batalhão Bombeiro Militar, em Goiânia.

Além da homenagem, o evento marca também a entrega de cinco novas Unidades de Resgate (URs), além de viaturas e equipamentos para a Corporação. A entrega dos veículos tem como objetivo reforçar o atendimento de resgate pré-hospitalar do CBMGO.

Por determinação do governador Caiado, bombeiros foram enviados na manhã de sábado (26/1) a equipe goiana em apoio às operações de resgate em Brumadinho. Trabalharam no local mais de 250 bombeiros e 22 cães farejadores. Dados divulgados pela Defesa Civil de Minas Gerais confirmam que a tragédia deixou 121 mortes confirmadas e 205 desaparecidos. A barragem de rejeitos se rompeu no dia 25 de janeiro e a lama destruiu o refeitório e o prédio da mineradora, além de pousadas, casas e vegetação.

Os seis bombeiros militares de Goiás que formaram a equipe são especialistas no atendimento de ocorrências com vítimas desorientadas ou desaparecidas em matas, escombros, deslizamentos ou na água. Os cães de salvamento são capazes de fazer buscas de pessoas vivas ou mortas em áreas rurais, áreas deslizadas e estruturas colapsadas.

Usando o faro, os cães podem fazer varreduras em áreas rurais de 30 mil m² em cerca de 20 minutos, o que consumiria aproximadamente 30 bombeiros executando uma busca em linha. Após a cerimônia de recepção, haverá uma coletiva de imprensa com os militares que vão contar como foi o trabalho nesses dias em Brumadinho.

A tragédia de Brumadinho, onde bombeiros de Goiás ajudaram nas buscas, provocou mais danos que a de Mariana

A tragédia provocada pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho ainda mobiliza uma intensa operação de buscas pelos desaparecidos. O balanço oficial mais recente aponta que foram encontrados 134 corpos, mas 199 pessoas continuam desaparecidas. A barragem 1 de rejeitos de minério de ferro da Mina do Feijão rompeu no início do dia 25 de janeiro, uma sexta-feira, deixando um rastro de destruição no município.

Além das mortes causadas, o tsunami de lama soterrou casas, pousadas e sítios, atingiu o rio Paraopeba (um dos afluentes do rio São Francisco), e provocou danos ambientais tão graves quanto os gerados pelo desastre de Mariana (2015).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.