Esportes

Dois dos sobreviventes do Flamengo apresentam quadro estável e um permanece grave

Dez jogadores das categorias de base do Clube, entre 14 e 17 anos, morreram no incêndio.
09/02/2019, 14h46

O Flamengo soltou uma nota oficial na tarde deste sábado informando que os atletas Cauan Emanuel e Francisco Dyogo, sobreviventes da tragédia de sexta-feira, seguem em situação estável no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca. Segundo o clube, os meninos passaram a noite sem complicações e se alimentam normalmente por via oral.

Os dois atletas permanecem na Unidade de Tratamento Intensivo, recebendo antibióticos venosos e suporte por máscara de oxigênio. O chefe do Departamento Médico do Flamengo, Márcio Tannure, e o clínico cardiologista do Hospital Vitória, responsável pela internação dos atletas, Fernando Bassan, acompanham a evolução do quadro, segundo o clube.

Já o quadro do atleta Jhonata Ventura inspira maiores cuidados. Ele segue internado no hospital municipal Pedro II em estado grave. O clube informou que o jovem passou as últimas 24 horas sem intercorrências e alterações laboratoriais significativas.

“Jhonata está estável hemodinamicamente e sedado, com melhora dos parâmetros respiratórios, e permanece no CTI. Os médicos do Flamengo, Luiz Baldi e Gustavo Dutra, acompanham a situação de Jhonata, que está sob os cuidados da equipe especializada do Centro de Tratamentos de Queimados”, informou.

Cauan, Francisco Dyogo e Jhonata são os três sobreviventes da tragédia no CT do Flamengo. Nas primeiras horas da última sexta-feira, um incêndio tomou conta do alojamento das categorias de base do Flamengo no Ninho do Urubu e matou dez jogadores entre 14 e 17 anos.

Imagens: Paraiba online 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Trabalhos de buscas por vítimas em Brumadinho entram 16º dia

Até o momento, 157 mortes foram confirmadas e 182 pessoas seguem desaparecidas.
09/02/2019, 14h55

Os trabalhos de buscas por vítimas do rompimento da barragem 1 da mina Córrego do Feijão em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), entraram no 16º dia nesta sábado, 9. Até o momento, 157 mortes foram confirmadas e 182 pessoas seguem desaparecidas, segundo a Defesa Civil de Minas Gerais.

Os focos de buscas por vítimas estão na usina de Instalação de Tratamento de Minério (ITM) na parte administrativa – refeitório, casa e estacionamento -, na área da ferrovia e em locais de acúmulo de rejeitos.

A operação deste sábado conta com 37 equipes em campo, com 390 pessoas empenhadas nos trabalhos, 39 máquinas pesadas, 12 aeronaves e 17 cães.

A barragem da mineradora Vale se rompeu no dia 25 de janeiro. Os rejeitos atingiram a área administrativa da empresa, uma pousada e comunidades que moravam perto da mina.

As causas da tragédia ainda não foram esclarecidas. A principal linha de investigação sobre as causas do colapso é o acúmulo anormal de água e a falha no sistema de drenagem da barragem.

Imagens: Exame.com 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mais de 25 mil domicílios goianos não têm água encanada, aponta mapa da pobreza

Quase 10 mil não têm atendimento sanitário e em mais de 14 mil residências há pelo menos um morador analfabeto.
09/02/2019, 16h15

De acordo com mapa da pobreza, mais de 25 mil domicílios goianos não possuem água encanada; mais de 9 mil não tem atendimento adequado de esgoto sanitário e em mais de 14 mil residências há pelo menos um morador analfabeto. O levantamento foi encomendado pelo governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), ao Instituto Mauro Borges.

O estudo foi feito a partir de dados do cadastro único do governo federal para beneficiários de programas sociais como o Bolsa-Família. O resultado da pesquisa, divulgado pelo site BR18, será usado para uma série de iniciativas do governo estadual, voltadas para as políticas sociais, para enfrentar os problemas apontados.

Mapa da pobreza de Goiás

A radiografia do mapa da pobreza de Goiás foi realizada pelo Instituto Mauro Borges, entidade estadual de pesquisas que atua de forma semelhante ao Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Foram analisados os 775.448 domicílios goianos cadastrados em programas sociais de Goiás.

Com o levantamento, foi possível identificar que, até o momento, desse total, 25.854 domicílios não têm água encanada, 9.557 não têm atendimento adequado de esgoto sanitário e em 114.193 domicílios têm ao menos um morador analfabeto.

As pesquisas mostram a localização geográfica de cada município, o que possibilita o desenvolvimento de ações específicas e localizadas. Ainda segundo o site, mesmo com a crise financeira no Estado, as ações não serão prejudicadas, uma vez que serão usados recursos  já existentes no Orçamento ou em programas sociais estaduais e federais, mas de forma mais eficiente.

Calamidade financeira em Goiás

Os governantes de sete estados, no início de seus mandatos, decretaram “calamidade financeira”, entre eles Goiás. Ronaldo Caiado (DEM), governador do estado, decretou situação de emergência por pelo menos seis meses. A medida foi encaminhada à Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), onde precisa passar pela aprovação dos deputados.

Durante o estado de calamidade financeira, o governo goiano vai poder renegociar contratos com fornecedores e suspender serviços não essenciais. Segundo o decreto, o prazo de seis meses pode ser prorrogado em caso de necessidade. Assim que, e se, o decreto for aprovado, a Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento de Goiás passa a ter mais liberdade para remanejar recursos e adotar as medidas que considerar necessárias para reequilibrar as contas estaduais.

Via: BR18 
Imagens: A Crítica 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Transporte público por aplicativo começa funcionar em Goiânia; saiba como usar

Preço inicial da corrida será R$ 2,50 e pode chegar a R$ 10; o valor pode ser pago com cartão de crédito ou dinheiro.
09/02/2019, 17h59

O CITYBUS 2.0, modelo de transporte público por aplicativo, começa a funcionar na próxima segunda-feira (11/2), em Goiânia. A partir deste domingo (10/2) a ferramenta já pode ser baixada em aparelhos móveis dos sistemas Android e IOS. O preço inicial da corrida será R$ 2,50 e pode chegar a R$ 10; o valor pode ser pago com cartão de crédito ou dinheiro.

Inicialmente, o novo módulo de transporte, que conta uma frota de 14 veículos, atenderá onze bairros da capital, sendo eles: Setor Central, Setor Sul, Jardim Goiás, Universitário, Leste Vila Nova, Setor Bueno, Setor Oeste, Nova Suíça, Bela Vista, Serrinha e Setor Aeroporto. De acordo com os desenvolvedores (HP Transportes), a frota de miniônibus pode aumentar conforme a demanda.

Nesta primeira fase de testes, devem ser realizadas até 3,5 mil viagens, das 6h às 23h.

Como usar o transporte público por aplicativo em Goiânia

Para o utilizar o serviço, o usuário deve primeiro baixar o aplicativo do CITYBUS 2.0 na lojas virtuais e em seguida fazer um cadastro. Assim que solicitar uma viagem, o app acionará o miniônibus mais próximo e indicará ao passageiro o ponto mais próximo para embarque.

Veja abaixo o passo a passo para solicitar uma corrida:

  • Download do app;
  • passageiro se cadastra no aplicativo;
  • solicitação de viagem, com informações do destino e do número de passageiros;
  • usuário precisa se deslocar até o ponto indicado pelo aplicativo;
  • embarque no ônibus;
  • pagamento poderá ser feito por meio de cartão de crédito ou dinheiro.

CITYBUS 2.0

O CITYBUS 2.0 é um serviço de transporte público por aplicativo de celular que permite o passageiro acione uma van com capacidade para 14 pessoas. O objetivo é facilitar o transporte entre pequenas distâncias. Por meio ado aplicativo, o usuário também pode monitorar a localização do veículo, acessar a identificação do motorista, a placa do ônibus e no final do trajeto avaliar a viagem.

Imagens: Gazeta do Povo 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Policial Militar mata suspeito de roubar sua esposa, em Jaraguá

PM conta que Luciano se aproximou da janela dianteira direita do veículo e sacou a arma, momento que o policial revidou e atirou contra o rapaz.
10/02/2019, 13h55

Um jovem de 20 anos foi morto a tiros neste domingo (10/2) por um Policial Militar (PM), suspeito de tentar roubar a esposa do PM, em Jaraguá a 125 quilômetro de Goiânia.

A informação foi confirmada ao Portal Dia Online pela Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO). Conforme as informações repassadas, o rapaz foi identificado como Luciano Francisco de Melo, de 20 anos, e era suspeito de cometer vários roubos na cidade nos últimos dias.

O Boletim de Ocorrência (BO) apresentando pela polícia, mostra que os policiais foram chamados pelo Comando de Operações da Polícia Militar (Copom) pelo comandante da 3ª Companhia Independente da Polícia Militar (3ª CIPM), o Major Leandro Ferreira Carvalho, após sua esposa Margareth Ramos lhe informar que foi vítima de uma tentativa de assalto e repassar as características do suspeito.

Conforme a polícia, uma equipe começou as buscas pela região para encontrar o rapaz que tentou roubar a esposa do PM.

Suspeito tentou assaltar a mulher do PM e em seguida o policial

A polícia afirmou que os policiais foram a casa de Leandro Ferreira, e o mesmo informou a equipe policial, que no momento que saia de casa. Segundo o relato do Major, Luciano se aproximou do seu veículo em uma moto, pela janela dianteira direita e sacou uma arma.

O Major ao ver o rapaz sacar o revólver, reagiu e atirou contra o suspeito. Após ser alvejado, Luciano ficou alguns instantes na moto que conduzia e caiu logo a frente baleado.

De acordo com a polícia, o suspeito caiu no chão com vida, o PM tentou chamar o resgate e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu), mas não conseguiu contato com eles.

A PM informou que mesmo sem conseguir o contato com o resgate, Luciano foi encaminhado ao Hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Segundo a polícia, a arma e moto conduzida pelo rapaz foram entregues na delegacia. O Major por sua vez se apresentou na delegacia e informou sobre o caso ao seu comandante imediato e a corregedoria da PM.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.