Brasil

Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero em São Paulo

A aeronave caiu em um dos acessos da Rodovia Anhanguera em São Paulo e colidiu com um caminhão.
11/02/2019, 14h06

Um helicóptero caiu no início da tarde de hoje (11) em um dos acessos da Rodovia Anhanguera, que liga a capital paulista, ao interior. Segundo o Corpo de Bombeiros, os dois ocupantes da aeronave morreram carbonizados. Um deles era o jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos.

O motorista de um caminhão que foi atingido no acidente foi resgatado pelo serviço da concessionária que administra a via. O fogo no local já foi extinto.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Morto em queda de helicóptero, Ricardo Boechat era admirado e polêmico e já foi processado por goiano

O jornalista, nascido na Argentina, morreu nesta segunda-feira vítima de um acidente de helicóptero na cidade de São Paulo.

Por Ton Paulo
11/02/2019, 14h51

A comunidade jornalística e a sociedade brasileira no geral receberam atônitas, no início da tarde desta segunda-feira (11/2), a notícia da morte trágica de Ricardo Boechat, de 66 anos. Jornalista e apresentador do Jornal da Band, Boechat estava em um helicóptero que caiu sobre um caminhão no km 22 da rodovia Anhanguera, no sentido Jundiaí, próximo ao pedágio Jabaquara, na Grande São Paulo, por volta do meio-dia de hoje.

O local do acidente fica logo abaixo do km 7 do viaduto do Rodoanel. Segundo o Corpo de Bombeiros, há outra vítima que morreu na hora, que ainda não foi identificada. Os corpos dos dois foram encontrados carbonizados.

Boechat era conhecido por suas posições firmes e sensatas em relação aos mais diversificadas campos da sociedade. O jornalista, com quase 50 anos de carreira na comunicação, também era famoso por suas polêmicas. No início do ano passado, o juiz Luís Henrique Lins Galvão de Lima da Cidade de Goiás condenou o jornalista e a Rádio e Televisão Bandeirantes do Rio de Janeiro a pagar indenização por dano moral ao oficial de Justiça Denner da Cunha Pereira, lotado no Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), em razão de ter feito “considerações ofensivas e vexatórias a todos os oficiais de Justiça do Brasil”.

A condenação se deu pois em outubro de 2016, em seu programa veiculado na rede Band News de rádio, Ricardo Boechat, ao discorrer sobre o caso específico de um ouvinte que teve o cumprimento de uma ordem judicial prejudicada pelo comportamento de um oficial de justiça designado para tal, Boechat teceu duras críticas à categoria de oficiais de justiça, que foram consideradas “irônicas e ofensivas” pelo juiz.

Na época, Boechat teve que pagar o valor foi simbólico, R$1.500,00 por danos morais.

Ganhador de prêmios e homenagens no meio jornalístico, Ricardo Boechat tinha quase 50 anos de carreira

Filho de diplomata brasileiro, Ricardo Eugênio Boechat nasceu em Buenos Aires, Argentina, no dia 13 de julho de 1952. Esteve esteve presente nos principais jornais do país, como O Globo, O Dia, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil. Ele também foi diretor de jornalismo na Band, trabalhou como âncora em diversos jornais do Grupo Bandeirantes de Comunicação.

Ganhador de três prêmios Esso, Boechat teve uma coluna semanal na revista ISTOÉ. Boechat é o recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se, e o único a ganhar em três categorias diferentes (Âncora de Rádio, Colunista de Notícia e Âncora de TV). Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado.

Ricardo Boeacht morreu hoje, 11 de fevereiro de 2019, vítima de um acidente de helicóptero na cidade de São Paulo

Via: UOL 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

7 lojas para encontrar artigos de pesca em Goiânia

Tá nervoso? Vai pescar!
11/02/2019, 14h57

A pesca é uma prática bastante acessível e que agrada muita gente por aí. Há quem diga que é uma atividade relaxante e que deixa qualquer estressado mais zen, o que de fato não é mentira. Devido a necessidade de concentração, a prática acaba fazendo com que a pessoa se esqueça das tensões cotidianas, sem contar que o ambiente também acaba colaborando, proporcionando uma sensação de bem estar. Se você é adepto da atividade e está em busca de uma boa loja de artigos para pesca em Goiânia, podemos ajudar.

Nós aqui do Portal Dia Online preparamos uma listinha com as melhores lojas da cidade para você conhecer. Todas possuem boa variedade de produtos, sem contar que ainda possuem opções para camping e lazer, pensando naqueles que além da pesca, curtem acampar e se aventurar por aí. Dá uma olhada!

Encontre a melhor loja com artigos para pesca em Goiânia:

1 – Loja Pantanal Adventure

pesca em Goiânia
Foto: Reprodução

Se você está em busca de uma loja com boa variedade de artigos para pesca em Goiânia, a Pantanal Adventure é, sem dúvida, uma das melhores opções. Com uma unidade no Setor Coimbra e outra em Campinas, é possível sempre encontrar bom atendimento e produtos de qualidade. Para quem tem o espírito aventureiro, a loja representa o lugar certo para comprar todos os equipamentos que precisa! Para conferir, clique aqui.

Telefones para contato: 

  • (62) 3233-9644
  • (62) 3233-7030

Endereços:

  • Av. Anhanguera, 8065 – St. Campinas, Goiânia – GO, 74510-030
  • Quadra 47 Lote 13e, Av. Castelo Branco, 1632 – St. Coimbra, Goiânia – GO, 74530-010

2 – Casa Caiçara

pesca em Goiânia
Foto: Reprodução

Uma das maiores e mais completas lojas de pesca em Goiânia, trabalha com variedade de artigos e sempre se preocupa com a qualidade de seus produtos e serviços. Por ali também é possível encontrar profissionais preparados para te ajudar a encontrar exatamente o que está procurando. Vale a pena conferir!

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefones para contato: 

  • (62) 3233-8584
  • (62) 3224-0771

Endereços:

  • Av. Castelo Branco, 2380 – St. Campinas, Goiânia – GO, 74513-050
  • R. 9, 219 – St. Central, Goiânia – GO, 74013-040

3 – Casas Castro

pesca em Goiânia
Foto: Reprodução

Outra excelente opção na capital fica por conta da Casa Castro. Uma excelente loja, oferece produtos de alta qualidade e também conta com uma equipe de profissionais prontos para melhor atender. Além de artigos para pesca, ainda é possível encontrar no local artigos para camping, brinquedos e até mesmo utensílios domésticos.

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h às 19h / sábado, das 8h às 15h

Telefone para contato: (62) 3110-6868

Endereço: Av. Anhanguera, 11928 – Capuava, Goiânia – GO, 74450-010

4 – Casa das Iscas Macedo

pesca em Goiânia
Foto: Reprodução

A Iscas Macedo é um excelente ponto de encontro para quem pretende marcar uma boa pesca em Goiânia! Na loja é possível encontrar produtos em geral, desde iscas vivas e de boa qualidade, até bebidas para todos os gostos. Além disso, ainda há facilidade para comprar no atacada e varejo, sem contar que também fazem envios para todo o Brasil.

Horário de atendimento: todos os dias, atendimento 24 horas

Telefone para contato: (62) 3295-2613

Endereço: Av. Anhanguera, 11440 – Capuava, Goiânia – GO, 74450-010

5 – Centro Pesca

pesca em Goiânia
Foto: Reprodução

No Centro Pesca você pode encontrar produtos diversos, com excelente atendimento e qualidade. Além disso, ainda é possível encontrar outros artigos esportivos e para a prática de atividades ao ar livre. Vale muito a pena conhecer, sem falar que o custo-benefício da loja é um dos melhores da região.

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefone para contato: (62) 3223-6003

Endereço: Rua 7, 244 – St. Central, Goiânia – GO, 74023-020

6 – Viver Pesca

pesca em Goiânia
Foto: Reprodução

Para quem procura por uma boa loja de pesca em Goiânia, que ofereça variedade de produtos e ainda represente um excelente custo-benefício, a Viver Pesca é uma das melhores escolhas. Por ali você encontra profissionais que sempre garantem um bom atendimento e são preparados para explicarem sobre os produtos e te ajudar a fazer a escolha certa. Além disso, você ainda encontra artigos para camping e lazer.

Horário de atendimento: segunda a sábado, das 8h às 18h

Telefone para contato: (62) 3286-1680

Endereço: Av. T-9, 3080 – Jardim America, Goiânia – GO, 74250-030

7 – Jacaré Caça, Pesca e Camping

pesca em Goiânia
Imagem ilustrativa: Reprodução/ Novo Negócio

Na loja você encontra diversidade de produtos, seja para pesca ou camping. Um dos pontos fortes da casa também fica em seu custo-benefício, já que é possível encontrar qualidade e preços justos. Destino certo para os pescadores de Goiânia!

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 7h30 às 18h / sábado, das 7h30 às 13h

Telefone para contato: (62) 3922-2211

Endereço: Avenida anhanguera, 15382 QD16 LT04 – St. Santos Dumont, Goiânia – GO, 74463-350

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Idoso é suspeito de matar enteado, em Jataí

Idoso não foi encontrado até o momento pela polícia.
11/02/2019, 15h22

Um idoso é procurado pela polícia suspeito de matar a facadas o enteado na tarde do último domingo (10/2) em Jataí, a 328 quilômetros de Goiânia. O caso foi confirmado pela polícia ao Portal Dia Online, e afirmou que os dois teriam discutidos momentos antes do homicídio.

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) afirmou que foi informado pelo Comando de Operações da Polícia Militar (Copom) para verificar uma agressão por arma branca na cidade. Conforme as informações do Relatório de Atendimento Integrado (RAI), Maurício Gomes dos Santos, de 34 anos, discutiu com o padrasto identificado apenas pelo nome de Simão, de 75.

De acordo com as informações da polícia, a mãe do rapaz afirmou que o filho e o marido começaram a discutir, em seguida Simão foi até a cozinha pegou uma faca e perfurou os braços de Maurício.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) foi chamado para prestar os primeiros atendimentos ao rapaz. Maurício foi encaminhado para o hospital das clínicas pela corporação, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

Idoso não foi encontrado e polícia tenta efetuar a prisão do suspeito em flagrante

A Polícia encontrou apenas a mãe do rapaz na residência, mas não encontrou o idoso no local. Os policiais voltaram a casa onde o crime ocorreu para efetuar a prisão do suspeito, no entanto mais uma vez ele não foi encontrado.

A polícia tenta efetuar a prisão do idoso em flagrante. Para equipe policial possa fazer o flagrante, o suspeito tem que ser preso no prazo de 24 horas após o crime. O caso é investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Jataí e busca entender o que levou os dois a discutirem e ao idoso esfaquear o enteado no último domingo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Investigações concluem que menino com ferimentos na cabeça, em Formosa, não foi maltratado pelos pais

Conforme apontaram as investigações do caso, que foi oficialmente encerrado, a criança teve um acidente e não sofreu maus-tratos por parte do pai e da madrasta, principais suspeitos na época.

Por Ton Paulo
11/02/2019, 16h03

A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Formosa anunciou que concluiu, nesta segunda-feira (11/2), as investigações do caso da criança com ferimentos na cabeça, que aparentava ter sido queimada com ferro de passar roupas, em Formosa, interior do estado. Conforme apontaram as investigações do caso, que foi oficialmente encerrado, a criança teve um acidente e não sofreu maus-tratos por parte do pai e da madrasta, principais suspeitos na época. A polícia contou ainda que o pai chegou a ser detido quando levava o filho para uma consulta no hospital.

O caso foi registrado no dia 11 de janeiro deste ano. Trinta dias após o início das investigações, a equipe da Polícia Civil (PC), através da DPCA, apurou que no dia 9/12, domingo, por volta de 17h, a criança de 4 anos sofreu uma queda em sua residência, na zona rural do município de Niquelândia, local onde mora com o pai e a madrasta. Imediatamente, a criança apresentou um inchaço na cabeça e a madrasta colocou gelo no local.

Ainda segundo a polícia, no dia seguinte à queda, a criança permanecia com inchaço na cabeça e ainda apresentou inchaço no rosto. Rapidamente, os responsáveis foram em busca de atendimento médico em Niquelândia e Formosa, onde possuem familiares.

Submetida a avaliação médica e a exames de imagem, a criança não apresentou lesões internas e, em relação aos ferimentos na pele, recebeu prescrições de medicamentos, que foram prontamente adquiridos e administrados pela madrasta que, mais tarde, associou a eles tratamentos caseiros para a cicatrização do ferimento.

A polícia conta que, por causa do tratamento, as feridas da cabeça da criança começavam a cicatrizar, mas “a casquinha era arrancada” por ela, como ela mesma relatou, o que colaborou para o agravamento das lesões.

O pai, então, preocupado com o estado da criança e tendo de submeter seu automóvel a manutenção, conseguiu dispensa do seu trabalho no dia 11/01 para ir a Formosa. Na ocasião, a criança seria novamente submetida a avaliação médica, pois apresentava diarreia e agravamento das lesões na pele.

A caminho de Formosa, eles pararam em uma oficina, quando foram abordados e conduzidos à delegacia. Lá, os policiais avistaram a criança abatida, em razão da diarreia e dos ferimentos. A partir de então, o caso ficou sob a responsabilidade da DPCA.

As investigações sobre o caso da criança com ferimentos na cabeça, em Formosa

Ao longo dos 30 dias de investigação policial, foram colhidos 13 depoimentos, analisados diversos documentos, prontuários médicos e fotografias, com a participação ativa do Instituto Médico Legal e da equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social.

Por fim, as investigações apontaram que não houve maus-tratos, nem tortura e nem mesmo crime de lesão corporal. Pelo contrário, a criança, após ter sofrido um acidente doméstico, recebeu os cuidados devidos de seus familiares e, infelizmente, teve um agravamento dos ferimentos em sua cabeça, os quais infeccionaram.

Também ficou afastada a denúncia de que a criança comia apenas biscoitos, já que convivia com o pai e a madrasta na zona rural e, lá, lhe eram servidas todas as refeições, sendo café da manhã, almoço, lanche e jantar.

Atualmente, a criança permanece em bom estado, recebeu atendimento médico devido e já se encontra sob os cuidados de familiares, em cumprimento a decisão do Juizado da Infância e Juventude de Formosa, que também atua no caso.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.