Goiás

Marido ciumento mata, arranca cabeça de homem e debocha ao ser preso, em Anápolis

O crime aconteceu após horas de bebedeira em uma casa. Veja o vídeo.
11/02/2019, 12h26

O ciúme do marido ciumento que terminou no 4° caso decapitação em Goiás este ano. Desta vez, Flávio da Silva Petrino foi assassinado por Edson Benedito da Silva, após horas de bebedeira em Anápolis, na noite de sábado (9/2).

Além de esfaquear a vítima, conforme ele contou para a Polícia Militar e depois à Civil, Edson ainda arrancou a cabeça do home com quem bebia e escutava música por suspeitar que ele estivesse dando em cima da sua esposa. Depois do crime, Edson fugiu e foi encontrado ainda com a roupa ensanguentada.

A vítima, conforme Edson contou para os policiais, teria dado em cima da esposa de Edson.

Edson parece não se incomodar com a prisão. Enquanto policiais militares o fotografaram, ele sorria, como se nada tivesse feito de grave.

Os policiais ainda prenderam um segundo homem que teria ajudado Edson. Ítalo Rangel Ferreira da Silva, teria ajudado no crime, mas a decapitação ficaria com o marido ciumento.

O caso será investigado pelo Grupo de Homicídios de Anápolis (GIH), sob a responsabilidade da delegada Emili Bailoni. A delegada não quis dar entrevista.

Assista ao vídeo do marido ciumento que matou homem em Anápolis

Em plantão no dia do crime, o delegado Cleiton Lobo informou para a TV Anhanguera que Ítalo confessou o crime, mas não revelou o motivo. “Conversando com ele, ele não declarou a motivação para o crime. Não falou nada a respeito. Então não sabemos exatamente que motivo levou essas pessoas a cometerem isso”, contou.

Horas depois da prisão de Ítalo, então, Edson contou a história dos ciúmes. “O cara estava dando liberdade para a minha mulher. Fui eu [quem cortou a cabeça]. Minha mulher não tem nada com isso. Esperei até ela sair. Ela nem viu. Quando ela saiu, eu fiz”, confessou.

O caso em Anápolis é o 4° caso em que vítimas têm cabeças arrancadas pelos assassinos em Goiás apenas em 2019. “É a forma de demostrar poder”, diz o major Leonardo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Membros de facção criminosa mais perigosa do sul de Goiás são presos, em Buriti Alegre

Os presos são investigados por tráfico de drogas e vários homicídios por conta da disputa com facções rivais.

Por Ton Paulo
11/02/2019, 12h35

A Polícia Civil (PC) deflagrou nesta segunda-feira (11/2), no município de Buriti Alegre, uma operação que prendeu mais de 10 membros de uma facção criminosa considerada uma das mais importantes do estado, e a mais perigosa da região sul de Goiás. A Operação Antracnose está cumprindo 48 ordens judiciais, entre mandados de prisão preventiva e apreensão domiciliar. Os presos são investigados por tráfico de drogas e vários homicídios por conta da disputa com facções rivais.

Conforme informações da PC, a ação da operação foi voltada para Buriti Alegre, no sul do estado, e conclui as investigações que começaram em 2018 com o objetivo de desarticular a que seria a principal e mais perigosa organização criminosa em atuação na região e que vinha travando uma sanguinária disputa com outros criminosos pelo controle do crime. O nome da operação, Antracnose, refere-se à doença que ataca as palmeiras de buriti, levando à morte da planta.

A PC conta que a organização criminosa travava disputas com outros suspeitos de facções rivais pelo controle de pontos de venda de drogas. Eles são, segundo a polícia, responsáveis por diversos homicídios.

Mais de 50 policiais civis atuaram na operação. Foram presos, até agora, os investigados Rael Luca Honorato Alves, Paulo Augusto Telles Gomes, Thales, Telles Gomes, Paulo Henrique Custódio, Marcos Antônio Ribeiro, Maria Beatriz Ribeiro, Bianca Aparecida Ribeiro, Raquel Maria Martins, Ana Paula Vieira do Nascimento, José Aparecido Mendes e Geovana Carolina Silva, esta última localizada em Goiatuba. Todos eles seriam membros da organização criminosa. Há outros envolvidos que ainda serão presos.

Os Investigados capturados nesta manhã foram apresentados na sede da 6ª Delegacia Regional de Polícia e deverão ser encaminhados à unidade prisional de Buriti Alegre, onde ficarão à disposição da Justiça.

Os investigados Fagner Garcia da Silva, Carlos Fernandes, Alef Domingos da Costa e Maike Rodrigues da Silva não foram encontrados durante as buscas e já são considerados foragidos. A investigação deve ser concluída nos próximos dias.

Chefe de organização criminosa de Buriti Alegre dava ordens a comparsas de dentro da prisão

De acordo com as investigações conduzidas pela PC, os líderes da organização, Robert Alves dos Santos e Divino Eterno Venâncio Alves, mesmo presos conseguiam, de dentro do sistema prisional, dar ordens e instruções que eram cumpridas pelos demais membros que estavam soltos.

Ainda segundo a PC, foram identificados pelo menos dez pontos de comércio ilícito de drogas que eram patrocinados pelo grupo criminoso, sendo alguns deles já alvo de ações policiais anteriores.

A organização criminosa também é responsável pela prática de homicídios, todos ocorridos no segundo semestre do ano passado, por conta da disputa com facções rivais.A investigação teve o apoio do Ministério Público e Poder Judiciário de Buriti Alegre bem como da Polícia Militar local.

Os Investigados capturados nesta manhã foram apresentados na sede da 6ª Delegacia Regional de Polícia e deverão ser encaminhados à unidade prisional de Buriti Alegre, onde ficarão à disposição da Justiça.

Os investigados Fagner Garcia da Silva, Carlos Fernandes, Alef Domingos da Costa e Maike Rodrigues da Silva não foram encontrados durante as buscas e já são considerados foragidos. A investigação deve ser concluída nos próximos dias.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Helicóptero cai na rodovia Anhanguera colide com caminhão e deixa dois mortos, em São Paulo

A aeronave caiu em cima de um caminhão que trafegava pela rodovia, no sentido interior, próximo à praça do pedágio.
11/02/2019, 13h25

Um helicóptero caiu no quilômetro 7 da rodovia Anhanguera, em um trecho próximo a chegada a São Paulo, no início da tarde desta segunda-feira, 11. O piloto e outra pessoa que estava na aeronave morreram.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a aeronave caiu em cima de um caminhão que trafegava pela rodovia, no sentido interior, próximo à praça do pedágio. Não há, ainda, informação sobre o estado de saúde do motorista – ou se havia passageiros no caminhão acidentado.

O corpos de duas vítimas já localizados, segundo os bombeiros, estavam na aeronave, que explodiu após o choque. Os bombeiros informaram que 11 viaturas foram deslocadas para o local no atendimento à ocorrência.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero em São Paulo

A aeronave caiu em um dos acessos da Rodovia Anhanguera em São Paulo e colidiu com um caminhão.
11/02/2019, 14h06

Um helicóptero caiu no início da tarde de hoje (11) em um dos acessos da Rodovia Anhanguera, que liga a capital paulista, ao interior. Segundo o Corpo de Bombeiros, os dois ocupantes da aeronave morreram carbonizados. Um deles era o jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos.

O motorista de um caminhão que foi atingido no acidente foi resgatado pelo serviço da concessionária que administra a via. O fogo no local já foi extinto.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Morto em queda de helicóptero, Ricardo Boechat era admirado e polêmico e já foi processado por goiano

O jornalista, nascido na Argentina, morreu nesta segunda-feira vítima de um acidente de helicóptero na cidade de São Paulo.

Por Ton Paulo
11/02/2019, 14h51

A comunidade jornalística e a sociedade brasileira no geral receberam atônitas, no início da tarde desta segunda-feira (11/2), a notícia da morte trágica de Ricardo Boechat, de 66 anos. Jornalista e apresentador do Jornal da Band, Boechat estava em um helicóptero que caiu sobre um caminhão no km 22 da rodovia Anhanguera, no sentido Jundiaí, próximo ao pedágio Jabaquara, na Grande São Paulo, por volta do meio-dia de hoje.

O local do acidente fica logo abaixo do km 7 do viaduto do Rodoanel. Segundo o Corpo de Bombeiros, há outra vítima que morreu na hora, que ainda não foi identificada. Os corpos dos dois foram encontrados carbonizados.

Boechat era conhecido por suas posições firmes e sensatas em relação aos mais diversificadas campos da sociedade. O jornalista, com quase 50 anos de carreira na comunicação, também era famoso por suas polêmicas. No início do ano passado, o juiz Luís Henrique Lins Galvão de Lima da Cidade de Goiás condenou o jornalista e a Rádio e Televisão Bandeirantes do Rio de Janeiro a pagar indenização por dano moral ao oficial de Justiça Denner da Cunha Pereira, lotado no Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), em razão de ter feito “considerações ofensivas e vexatórias a todos os oficiais de Justiça do Brasil”.

A condenação se deu pois em outubro de 2016, em seu programa veiculado na rede Band News de rádio, Ricardo Boechat, ao discorrer sobre o caso específico de um ouvinte que teve o cumprimento de uma ordem judicial prejudicada pelo comportamento de um oficial de justiça designado para tal, Boechat teceu duras críticas à categoria de oficiais de justiça, que foram consideradas “irônicas e ofensivas” pelo juiz.

Na época, Boechat teve que pagar o valor foi simbólico, R$1.500,00 por danos morais.

Ganhador de prêmios e homenagens no meio jornalístico, Ricardo Boechat tinha quase 50 anos de carreira

Filho de diplomata brasileiro, Ricardo Eugênio Boechat nasceu em Buenos Aires, Argentina, no dia 13 de julho de 1952. Esteve esteve presente nos principais jornais do país, como O Globo, O Dia, O Estado de S. Paulo e Jornal do Brasil. Ele também foi diretor de jornalismo na Band, trabalhou como âncora em diversos jornais do Grupo Bandeirantes de Comunicação.

Ganhador de três prêmios Esso, Boechat teve uma coluna semanal na revista ISTOÉ. Boechat é o recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se, e o único a ganhar em três categorias diferentes (Âncora de Rádio, Colunista de Notícia e Âncora de TV). Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado.

Ricardo Boeacht morreu hoje, 11 de fevereiro de 2019, vítima de um acidente de helicóptero na cidade de São Paulo

Via: UOL 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.