Goiás

Três pessoas morrem atropeladas na BR-060, em Rio Verde, ao tentar socorrer vítimas de acidente

Segundo a PRF, as três pessoas que estavam no Fiat Uno que capotou, e que seriam socorridas, tiveram apenas ferimentos leves.
20/02/2019, 07h29

Três pessoas morreram atropeladas na tarde desta terça-feira (19/2) na BR-060, em Rio Verde, na região Sudoeste de Goiás. Um homem de 34 anos e duas mulheres de 33 e 26 anos de idade, que seguiam no mesmo carro no sentido Rio Verde/Goiânia, haviam descido para socorrer outras três pessoas, vítimas de um capotamento, quando foram atingidos por um caminhão. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), os acidentes ocorreram na altura do quilômetro 377 da rodovia.

Tudo começou quando um Fiat Uno que transportava três pessoas capotou na rodovia. Um outro veículo, um VW Gol que seguia no sentido Rio Verde/Goiânia, parou no acostamento e três ocupantes desceram do carro para ajudar, mas ao atravessarem a rodovia foram atropelados por um caminhão. No momento do acidente a pista estava molhada e o motorista do veículo de carga não conseguiu parar o veículo. Depois de atropelar as três vítimas, o caminhão capotou no canteiro central da BR-060.

Vítimas de primeiro acidente na BR-060, em Rio verde, tiveram ferimentos leves

O homem, que conduzia o VW Gol, morreu no local. As duas mulheres chegaram a ser socorridas pelo Corpo de Bombeiros e encaminhadas para uma Unidade de Saúde local, mas também não resistiram aos ferimentos. Uma quarta pessoa, que também ocupava veículo, ficou ilesa.

Ainda segundo a PRF, as três pessoas que estavam no Fiat Uno que capotou e os dois ocupantes do caminhão envolvido, sendo o motorista e um passageiro, tiveram apenas ferimentos leves.

Acidentes nas rodovias goianas

De acordo com balanço operacional da corporação, nas últimas 24 horas ocorreram cinco acidentes nas rodovias goianas; dez pessoas ficaram feridas e três morreram. Além disso, foram aplicadas 516 notificações de multas por diversas infrações de trânsito e 347 veículos foram flagrados em excesso de velocidade.

Já no dia 18 deste mês, o mesmo levantamento da PRF apontou que foram aplicadas 1.159 notificações de multas por infrações; 94 motoristas foram autuados por não usarem o cinto de segurança; e 60 foram flagrados utilizando celular na direção. Ocorreram quatro acidentes com quatro pessoas feridas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Flamengo cita boate Kiss e diz que ofereceu indenização acima dos padrões

Incêndio no CT do Flamengo deixou dez atletas da categoria de base mortos.
20/02/2019, 07h43

Após a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, o Ministério Público Estadual e o Ministério Público do Trabalho informarem que não chegaram a um acordo com o Flamengo sobre o valor das indenizações a serem pagas às dez vítimas fatais do incêndio no Ninho do Urubu, o clube se pronunciou sobre o fim das negociações, rebatendo esses órgãos.

O Flamengo afirmou ter oferecido um valor de indenização acima dos padrões a vítimas em situações semelhantes e citou o incêndio na boate Kiss, ocorrido em 2013, em Santa Maria, no interior do Rio Grande do Sul, para tentar referendar a sua argumentação.

Por meio de nota oficial, o Flamengo informa que “teve o cuidado de oferecer valores maiores dos que estão sendo estipulados em casos similares, como, por exemplo, o incêndio da boate Kiss, ocorrido em 2013”. O clube ressalta que “até hoje, vale lembrar, famílias não receberam a indenização”.

Outro trecho do documento diz que “a atuação do Flamengo, no Brasil, é praticamente inédita, até onde se tem notícia”. Por fim, o clube afirmou que instaurar um procedimento de mediação. “Diante disso, o Flamengo reitera o propósito de se antecipar e informa que vai instaurar procedimento de mediação no Núcleo de Mediação do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, coordenado pelo Desembargador Cesar Cury, e para o qual convidará as famílias – e deixando claro que as autoridades também serão convidadas”, finaliza a nota.

Um incêndio deixou dez mortos, no CT do Flamengo, em Vargem Grande, zona oeste do Rio, em 8 de fevereiro. As vítimas foram atletas das categorias de base do clube, que dormiam no local. O incêndio também deixou três feridos, sendo que um segue internado em um hospital. Diante do impasse, as famílias das vítimas vão receber orientações dos órgãos públicos para buscar reparação pelas perdas do incêndio no Ninho do Urubu.

Imagens: o imparcial 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Família oferece R$ 2 mil para quem encontrar bancário desaparecido em Pirenópolis

Evaldo Borges Leal, de 57 anos, está sumido desde o dia 6 de fevereiro, quando saiu para caminhar e não voltou mais.
20/02/2019, 08h29

A família do bancário aposentado, Evaldo Borges Leal, de 57 anos, oferece, a partir de agora, R$ 2 mil de recompensa para quem encontrá-lo. O homem, que é morador do Distrito Federal, está desaparecido desde a manhã do dia 6 de fevereiro, em Pirenópolis, cidade turística de Goiás; ele saiu da casa de uma tia, onde descansaria por uns dias, e não voltou mais.

Nesta quarta-feira (20/2), completam-se 15 dias de buscas. Segundo o Corpo de Bombeiros da cidade, Evaldo já foi procurado na região de mata e no rio, agora as buscas se concentram em povoados próximos a Pirenópolis. A corporação dispõe para as buscas 11 militares e dois cães farejadores.

Ao Dia Online, Francineide Leal, irmã de Evaldo, contou que a recompensa já é uma medida de desespero da família. “A gente achou que se falasse da recompensa as pessoas iriam prestar mais atenção em quem vai passar perto delas né, ai se encontrarem com ele vão chamar as autoridades ou ligar para nós. A recompensa já é desespero mesmo, ele está há dias sem nada, sem documento, sem comida”, desabafa.

Buscas por bancário desaparecido em Pirenópolis

Ainda de acordo com Francineide, nesta terça-feira (19/2), duas ligações apontaram locais onde o bancário foi visto por moradores. “Duas pessoas me ligaram. Me informaram que ele foi visto por dois homens dentro do Rio das Almas, próximo ao Camping Raízes, eles falaram com ele e ele disse que tava perdido”, explica. Na ligação, os homens informaram também que insistiram para que ele saísse da água, estava chovendo.

“A outra pessoa que me ligou agorinha mesmo foi a dona Lurdes lá do Jardim Taquaral, vizinha da minha tia onde ele tava quando sumiu. Ela falou com a menina do Fórum que o viu numa fazenda também lá perto desse Camping Raízes. Então três pessoas viram ele por lá né. Os bombeiros estão lá, meus irmãos e muita gente que quer ajudar a encontrá-lo”, conta Francineide.

Desaparecimento de bancário em Pirenópolis

Evaldo Borges Leal, de 57 anos, está desaparecido desde a última quarta-feira (6/2) depois de viajar do Distrito Federal, onde mora, para Pirenópolis, região turística de Goiás. Ele saiu da casa de veraneio da família por volta das 8h30 para fazer uma caminhada e desde então não foi mais visto. O bancário aposentado, quando saiu da residência, usava uma camisa gola polo verde, bermuda jeans e chinelo.

Quem tiver informações sobre o paradeiro de Evaldo pode entrar em contato com a família pelos seguintes números: (61) 9 9536-1881; (61) 9 8219-6354; (61) 9 8181-4032; (62) 9 9355-0840; (61) 9 8219-6354; ou (61) 9 8485-1864.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Governo Caiado se manifesta sobre ação do MP que pede bloqueio de contas do Estado

Por meio de nota, a PGE alegou "escassez de recursos" e disse que a discussão da questão é limitada ao campo da economia, e não do direito.

Por Ton Paulo
20/02/2019, 08h31

O Governo Caiado, através da Procuradoria-Geral do Estado de Goiás (PGE), se manifestou na noite de ontem (19/2) sobre a recente ação movida pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) que pede o bloqueio de R$ 763 milhões das contas do Estado para pagamento dos salários atrasados dos servidores. Por meio de nota, a PGE alegou “escassez de recursos” e disse que a discussão da questão é limitada ao campo da economia, e não do direito.

A nota foi divulgada pela assessoria do Governo na última terça-feira, depois que o MP-GO, na pessoa da promotora Carmen Lúcia Santana de Freitas, divulgou que estava pedindo o bloqueio do valor de R$ 763 milhões de reais das contas do Estado para pagar os servidores ativos e inativos, que ainda esperam receber o pagamento do salário de dezembro.

Nela, a PGE argumenta que há uma “escassez de recursos” no Estado, e que “o pagamento de salários é a maior prioridade do momento” para o Governo.

Leia abaixo a nota na íntegra:

“Nota à imprensa

A Procuradoria-Geral do Estado de Goiás (PGE) aguarda ser notificada sobre a ação civil pública para se manifestar no processo. Entretanto, a Procuradora-Geral, Juliana Diniz Prudente, enfatiza que o pagamento de salários é a maior prioridade do momento e que o Governo tem se desdobrado para conseguir quitar a folha. A realidade, pontua a procuradora, é que há escassez de recursos, estando a discussão mais no campo da economia pois o direito ao pagamento dos salários é indiscutível.”

Entenda a ação movida pelo MP contra o Governo Caiado referente às contas do Estado

A ação movida pelo MP-GO, na pessoa da promotora Carmen Lúcia Santana de Freitas, pede o bloqueio de R$ 763 milhões de reais das contas do Estado de Goiás para o pagamento de salário de servidores, referente a dezembro do ano passado, em atraso. Na ação, a promotora chega a citar relatos recebidos de servidores desesperados pelo não pagamento dos salários.

Na ação, consta que o bloqueio do valor em questão é o suficiente para pagar os servidores ativos e inativos, que ainda esperam receber o pagamento do salário de dezembro. A promotora, na ação, ressalta a necessidade de imediato “pagamento da dívida com pessoal referente a folha de pagamento do mês de dezembro de 2018 e do 13º salário dos aniversariantes do mês de dezembro de 2018”. A promotora solicita ainda a manutenção do pagamento em dias do salário dos servidores estaduais.

A promotora critica também a insistência do Governo em parcelar os salários. “Ocorre que, a despeito da necessidade de o Estado de Goiás, pessoa jurídica de direito público interno, honrar com seus compromissos financeiros, o Governo do Estado insiste em parcelar a dívida com pagamento de pessoal em cinco vezes, em que pese a não concordância dos servidores públicos”, argumenta.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem é morto a pauladas durante briga de família, em Castelândia; pai é suspeito 

Idoso, pai da vítima e principal suspeito, teria tentado proteger a filha e o genro de agressões; crime ocorreu na noite desta terça-feira (19/2).
20/02/2019, 09h46

Um homem, que não teve idade e nome revelados, foi morto a pauladas na noite desta terça-feira (19/2), em Castelândia, município da região Sul de Goiás. O crime ocorreu durante uma briga em família, onde a vítima teria ameaçado a irmã e o cunhado, e para protegê-los, um idoso de 78 anos, pai do homem, teria o acertado com um golpe.

De acordo com informações da Polícia Militar, o homem que morreu é usuário de drogas e vizinhos relataram que por diversas vezes ele teria agredido o pai. Nesta terça-feira, quando chegou em casa, ele estava aparentemente transtornado. Portanto, o motivo da discussão não foi revelado.

Pai é suspeito de matar filho para defender filha e genro, em Castelândia

Ao notar que o filho, munido com um pedaço de pau, além de xingar e ameaçar, partiu com violência para cima da irmã e do cunhado, o idoso interviu na briga, levou uma paulada no braço. Em seguida, também com um pedaço e madeira o idoso acertou o homem com um golpe, possivelmente em legítima defesa.

O homem caiu, mas ao se levantar começou a agredir o pai, que revidou com outros golpes. Após o ocorrido, o pai da vítima fugiu do local. Segundo a PM, já foram feitas buscas na região, mas o idoso ainda não foi localizado.

A morte do homem é investigada pela Polícia Civil de Goiás (PCGO).

Castelândia

Na última segunda-feira (18/2), o prefeito de Castelândia, Marco Antônio Carlos (PSD), foi preso temporariamente durante a Operação Nova Geração do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), que apura o pagamento de propina a empresários no município.

Além do gestor municipal, o vereador e ex-presidente da Câmara, Izaac Lopes de Oliveira(PPS), o secretário de Transportes da cidade, Gustavo Campos dos Santos, o servidor público Pedro Antônio de Oliveira e os empresários Iris Domingos da Costa e Gilberto Almeida Leles também foram presos na operação.

Conforme o MPGO, durante a ação que terminou com a prisão dos suspeitos, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na prefeitura e na Câmara Municipal, além de nos endereços dos empresários presos.

Imagens: Flickr 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.