Goiás

Caminhão invade central de gás de cozinha em prédio de Rio Quente

Local precisou ser evacuado por conta do vazamento, mas apesar do susto, ninguém se feriu.
22/02/2019, 09h27

O motorista de um caminhão perdeu o controle da direção e invadiu a central de GLP – Gás Liquefeito de Petróleo, o gás de cozinha, de um prédio em Rio Quente, região turística de Goiás. O incidente ocorreu na tarde desta quinta-feira (21/2). O local precisou ser evacuado por conta do vazamento, mas apesar do susto, ninguém ficou ferido.

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Caldas Novas, que atuaram na ocorrência, o veículo estava trafegando por uma via próxima quando perdeu o controle em uma subida e desceu de ré, batendo contra o alambrado e contra a central de GLP, composta por 15 cilindros de P-190, indicado para uso residencial, predial e comercial.

O bloco do prédio, localizado no Bairro Esplanada do Rio Quente, foi imediatamente evacuado, por conta do vazamento de gás, as ruas foram bloqueadas e desligada a energia elétrica para evitar acidentes. A equipe dos bombeiros contaram com a ajuda dos técnicos da central de gás, para realiza todo trabalho preventivo e isolamento até que o vazamento fosse contido. Ninguém ficou ferido.

Como evitar acidentes com gás de cozinha

O gás de cozinha é um dos produtos essenciais nos domicílios, mas também um dos que mais causam acidentes domésticos, principalmente pelo falta de cuidado no uso. Especialistas listam algumas dicas importantes de como usar o GLP de forma correta e evitar acidentes. Confira abaixo:

  • Fique atento aos prazos de validade;
  • Ter cuidado com a posição da mangueira;
  • Não fazer emenda na mangueira de gás;
  • Manter o botijão em local arejado;
  • Não deitar o botijão;
  • Manter o gás longe de produtos inflamáveis;
  • Ajustar o regulador de pressão sem ajuda de ferramentas;
  • Sempre fazer o teste de vazamento;
  • Se houver vazamento, areje o local;
  • Compre o produto somente de revendedores devidamente cadastrados na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mesmo com proibição da Justiça, Assembleia paga auxílio-mudança a deputados de Goiás

O presidente da Casa, Lissauer Vieira, disse que "se a liminar tivesse chegado antes de pagar [o auxílio-mudança], a determinação teria sido cumprida".

Por Ton Paulo
22/02/2019, 10h05

Mesmo depois de uma liminar concedida na tarde da última quinta-feira (21/2) pelo juiz Reinaldo Alves Ferreira, da 1ª Vara da Fazenda Pública Estadual de Goiânia, impedir o pagamento do auxílio-mudança para os deputados de Goiás e que já moram na capital, a Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) efetuou o pagamento do benefício aos 41 deputados estaduais que iniciaram a legislatura este ano. O presidente da Casa, Lissauer Vieira, disse que “se a liminar tivesse chegado antes de pagar, a determinação teria sido cumprida”.

A decisão do magistrado, que foi tomada após uma ação popular movida por um dos coordenadores do Movimento Brasil Livre (MBL) em Goiás, Pedro Feldon, proíbe a Alego de pagar um salário equivalente a R$ 25.322,20, que se refere ao auxílio-mudança, para os deputados que encerraram o mandato em janeiro e aos que acabaram de entrar. Além disso, dos 41 deputados da Alego, 21 foram reeleitos e receberam duas vezes, pois o valor foi viabilizado para despesas com mudança e transporte de bens.

A ação movida por Pedro Feldon foi baseada no pedido de ação popular feito em Minas Gerais, onde o pagamento também foi impedido por meio de liminar aos deputados federais e senadores. O coordenador do MBL afirmou que o pagamento dessa verba para mudança aos deputados reeleitos caracteriza desperdício de dinheiro público e fere o princípio da moralidade.

Presidente da Alego disse que foi notificado da liminar que proibiu pagamento de auxílio-mudança para deputados de Goiás, e por isso não cumpriu a determinação

Na decisão proferida, o juiz Reinaldo Alves defendeu “que não faz sentido o pagamento de auxílio-mudança para quem não vai mudar, ou para deputado que já tem residência em Goiânia”, como é o caso de deputados reeleitos. Além disto o juiz alega  que o pagamento na forma como foi anunciada causa prejuízo ao erário público.

Ao jornal O Popular, o presidente da Alego, Lissauer Vieira (PSB) afirmou que não foi notificado da decisão que impede o pagamento do auxílio-mudança aos deputados reeleitos, e que o pagamento já foi efetuado na tarde desta quinta-feira (21/2). O valor pago gira em torno de 1 milhão e meio de reais.

Conforme a publicação, Lissauer informou que se a liminar tivesse chegado antes iria cumprir com a determinação, mas agora vai consultar a equipe jurídica para saber quais providências tomar.

Via: O Popular 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Vídeo mostra momento em que jovem morre ao bater carro em ponto de ônibus, em Goiânia

Edmar Lopes da Silva Júnior, de 25 anos, estava sozinho no veículo e morreu na hora. Acidente ocorreu na madrugada da última quarta-feira (20/2).
22/02/2019, 10h49

Imagens gravadas por uma câmera de monitoramento da polícia mostram o exato momento em que um jovem morre ao perder o controle da direção, capotar e bater o carro em um ponto de ônibus, no Jardim América, em Goiânia. O acidente ocorreu na madrugada da última quarta-feira (20/2). Edmar Lopes da Silva Júnior, de 25 anos, estava sozinho no veículo e morreu ainda no local.

No vídeo é possível ver quando o carro conduzido por Edmar perde o controle da direção, invade a pista contrária e capota em direção ao ponto de ônibus. No momento da batida, o veículo, que aparenta estar em alta velocidade, seguia sozinho na via. Antes de capotar, o carro chega a “rampar”, ou seja, perde o contato com o asfalto, em um desnível existente no cruzamento da avenida C-104, local do acidente, com a avenida T-9.

Veja o vídeo:

Jovem morre ao bater carro em ponto de ônibus, no Jardim América, em Goiânia

Edmar Lopes da Silva Júnior, de 25 anos, seguia no veículo pela  Avenida C-104, no Jardim América, bairro da região Sul de Goiânia, quando morreu. O acidente ocorreu por volta das 2h12 da última quarta-feira (20/2), segundo registro da câmeras de segurança.

Por motivo ainda a ser investigado, ele perdeu o controle da direção, invadiu a pista contrária, capotou e em seguida bateu contra um ponto de ônibus. O jovem ficou preso às ferragens e morreu ainda no local. Com a batida, o carro, modelo Fiat Punto, ficou completamente destruído, uma vez que o teto, uma roda e uma porta do veículo foram arrancados.

Ainda não se sabe por qual motivo Edmar perdeu a direção do carro. As causas do acidente são investigadas pela Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito (DICT), que já encaminhou as imagens, obtidas pelo monitoramento da polícia e com um comerciante da região, para a perícia.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Prefeito de SBC fala em acionar Justiça no caso do fechamento da fábrica da Ford

"A ideia de vender a fábrica para outra empresa do setor é uma das ideias, mas não quer dizer que será a única", disse.
22/02/2019, 11h09

O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, está disposto a acionar a Justiça no caso do fechamento da fábrica da Ford na cidade do ABC paulista, caso a estratégia do governo do Estado em encontrar um comprador para o parque fabril até o fim deste ano não se concretize.

“A ideia de vender a fábrica para outra empresa do setor é uma das ideias, mas não quer dizer que será a única”, disse. “Se isso não se viabilizar, vou buscar todos os mecanismos de proteção para garantir os empregos, inclusive com apoio da Justiça se for necessário”, declarou Morando em entrevista nesta manhã à Rádio Eldorado.

Para Morando, “não se pode adotar uma medida desta magnitude sem nenhum tipo de preocupação social”. “É preciso que haja um plano de desmobilização”, disse o prefeito de São Bernardo. Ele afirmou ter entrado com duas representações, uma no Ministério Público do Trabalho e outra na Procuradoria do Município, para avaliar alternativas.

Além da possibilidade de acionar a Justiça, Morando explicou que há um esforço conjunto para evitar o fechamento da fábrica. “Tenho falado diariamente com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o Wagnão Wagner Santana, cada um buscando mecanismos e compartilhando informações”, disse. O prefeito informou ainda que terá uma reunião com o Consulado dos EUA em São Paulo e pretende “construir uma agenda em Brasília” com o ministro da economia, Paulo Guedes, e com o presidente Jair Bolsonaro.

O encerramento de postos de trabalho é a principal dificuldade a ser imposta por um eventual fechamento da fábrica, mais do que a perda de arrecadação, apontou o prefeito. “Um estudo do Dieese aponta o impacto indireto em 24 mil postos de trabalho. É trágico, pois tem toda uma cadeia produtiva na sequência de uma montadora como esta”, contextualizou.

“A perda de receita destes trabalhadores tem um impacto extremamente agressivo na economia da cidade”, declarou Morando. Ele citou como exemplo a possibilidade de queda da demanda por consumo e impactos imediatos nos sistemas públicos de saúde e ensino.

Morando afirmou que 3 mil trabalhadores da Ford correm risco de perder o emprego. Nesta quinta-feira, 21, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, entretanto, o número citado era de 2 mil.

“Sequer sei se os prejuízos que eles Ford alegam são verdadeiros, não me cabe avaliar. Não se pode transferir esta responsabilidade exclusivamente para os trabalhadores e para São Bernardo”, concluiu Morando.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Ex-padrasto diz 'não se lembrar' porque matou adolescente, em Aparecida de Goiânia

Mariana Santos Farias, de 15 anos, foi morta a facadas, nesta quinta-feira (21/2), dentro de casa, no Setor Madre Germana II.
22/02/2019, 12h10

Natal Ribeiro de Souza, de 29 anos, acusado de matar a filha da ex-mulher, em Aparecida de Goiânia, diz que não se lembra do motivo que o fez cometer o crime. Em testemunho, ele fez declarações confusas sobre o ocorrido; investigadores acreditam se tratar de uma estratégia de defesa, uma vez que ele não tem advogado.

Mariana Santos Farias, de 15 anos, foi assassinada por volta das 5h30 desta quinta-feira (21/2), dentro de casa, no Setor Madre Germana II, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. A jovem dormia no momento em que o homem pulou o muro, arrombou a porta e invadiu a casa, já com um faca na mão.

O acusado e a mãe de Mariana, Luciane Santos Faria, mantiveram um relacionamento por dois anos, mas estavam separados há três meses. O homem não aceitava o fim do relacionamento. De acordo com testemunhas, Mariana, que era contra a relação da mãe com Natal, já havia sido ameaçada. Ela morreu com um golpe de faca no pescoço ao defender a mãe durante uma discussão.

Acusado de matar adolescente em Aparecida de Goiânia é preso em flagrante

Depois do crime, o homem foi contido por parentes de Mariana e amarrado até a chegada da polícia. Ele foi preso em flagrante e levado ao 4º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia. O caso é investigado pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), sob responsabilidade do delegado Álvaro Melo Bueno.

Ao Dia Online, o investigador disse que nesta sexta-feira (22/1) vizinhos e outros familiares de Mariana serão ouvidos. Até o momento, a mãe, a avó, uma irmã, e a prima da adolescente prestaram depoimento. o flagrante foi encaminhado ao Poder Judiciário; ainda não se sabe em qual data Natal passará por audiência de custódia.

Natal Ribeiro foi autuado em flagrante por homicídio triplamente qualificado, por feminicídio, motivo torpe e meio que impossibilitou a defesa da vítima. Se condenado, ele pode pegar até 30 anos de prisão.

Imagens: Facebook 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.