Goiás

PRF inicia hoje Operação Carnaval nas rodovias de Goiás

A ação é uma das etapas da Operação Rodovida, que começou no dia 14 de dezembro de 2018 e se encerrará no dia 09 de março de 2019.

Por Ton Paulo
01/03/2019, 08h20

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou nesta sexta-feira (1/3) a Operação Carnaval 2019 nas rodovias de Goiás, que deve durar até a próxima quarta-feira (6/3). A ação é uma das etapas da Operação Rodovida, que começou no dia 14 de dezembro de 2018 e se encerrará no dia 09 de março de 2019.

Conforme a própria PRF, o Carnaval é um dos períodos mais críticos do calendário nacional de operações da corporação, uma vez que “conta com grande fluxo de veículos nas rodovias federais e o uso abusivo de álcool é uma das principais preocupações do órgão”. A Operação Carnaval da PRF é estruturada com reforço de policiamento em trechos e horários críticos nas rodovias federais, direcionado para pontos de maior incidência de acidentes e de flagrantes de condutas irregulares.

Policiais rodoviários federais vão fiscalizar comportamentos perigosos como embriaguez, excesso de velocidade, falta de equipamentos de segurança (capacete, cinto de segurança ou cadeirinhas para crianças) e ultrapassagens indevidas, conduta que ainda ocorre com grande frequência e que pode definir a ocorrência de um dos acidentes mais letais, a colisão frontal.

A corporação ainda informa que devido aos shows artísticos com diversas personalidades da cena musical que acontecerão nos dias de feriado na cidade de Pirenópolis, vai montar esquema especial de fiscalização nos trechos de acesso e nas proximidades do município visando coibir principalmente a perigosa mistura álcool e direção.

A PRF registrou 33 acidentes de trânsito nas BRs goianas durante o carnaval 2018, que deixaram 30 pessoas feridas e três pessoas morreram.

Confira as restrições no tráfego das rodovias de Goiás neste Carnaval

Conforme a PRF, a fim de promover a fluidez do trânsito em grandes feriados, quando há maior movimentação nas estradas, haverá restrição em determinados dias e horários o trânsito de caminhões com excessos de dimensões, caminhões cegonha, caminhões bitrem e aqueles que precisam de autorização especial para transitar.

No feriado de carnaval, os dias e horários de restrição serão:

01/03/2019 sexta-feira: 16:00 às 22:00

02/03/2019 sábado: 06:00 às 12:00

05/03/2019 terça-feira: 16:00 às 22:00

06/03/2019 quarta-feira: 06:00 às 12:00.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Além de usina de energia solar, Goiás terá parque temático de referência nacional

Projetos a serem desenvolvidos em São João d’Aliança, portal das Chapada do Veadeiros, devem gerar, inicialmente, mais de mil empregos diretos.
01/03/2019, 09h41

Nesta quinta-feira (28/2), 0 governador Ronaldo Caiado (DEM) recebeu em Goiás representantes da empresa sul-coreana KSB e do grupo de investimentos Enspire Group, que apresentaram estudos técnicos para a instalação da usina fotovoltaica (usina de energia solar) em São João d’Aliança, no Nordeste do estado. Segundo o projeto apresentado, Goiás será palco ainda de um parque temático, que integrará de um complexo turístico de referência nacional.

O protocolo de interesse de instalação da usina foi assinado pelo Governo de Goiás e pelos sul-coreanos há pouco mais de 30 dias. Agora, o projeto de construção segue para etapa de licenciamento jurídico e estudos ambientais. Neste primeiro período, devem ser apresentado ainda os documentos solicitados pelo Banco Central e pelo governo Federal. Na sequência, de acordo com o governo estadual, a Secretaria do Meio Ambiente fará o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA).

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Adriano da Rocha Lima, serão necessários ao menos mais seis meses para finalizar a fase jurídica. “É o prazo para o recurso chegar ao Brasil, a empresa estar aberta e todos os trâmites concluídos. A parte ambiental leva um pouco mais tempo. Acreditamos que até o final deste ano, todo o processo ambiental esteja concluído, para que no início do ano que vem, comece efetivamente a instalação da usina e da fábrica”, estimou.

Parque temático de referência nacional em Goiás

De acordo com o projeto apresentado pelos sul-coreanos, está prevista, além da usina de energia solar, a construção de um parque temático de referência nacional, que fará parte de um complexo turístico com condições de receber turistas de todo o país. Os projetos, que terão investimentos deUS$ 2 bilhões (aproximadamente R$ 8 bilhões), devem gerar, inicialmente, mais de mil empregos diretos.

“Há toda uma cadeia produtiva envolvida, com os mais diversos fornecedores, que vão gerar empregos também. A instalação não é só da usina, mas da fábrica das placas fotovoltaicas, parques temáticos e de outras empresas de tecnologias que vão compor este parque tecnológico”, pontuou ainda o secretário estadual do Desenvolvimento Econômico e Inovação.

Usina de energia solar em Goiás

O Norte goiano, foi escolhido devido a posição geográfica privilegiada, uma vez que o estado apresenta um dos maiores índices de irradiação solar, matéria-prima fundamental para a produção desse tipo de energia. A usina deverá produzir 600 MW de energia, tornando-se então a maior gênero no Brasil e da América Latina.

Imagens: Leve na Viagem 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homens que chutaram detento até a morte na Casa do Albergado, em Goiânia, são presos

Os cinco homens que foram presos chutaram João Vitor de Oliveira, de 23 anos, até a morte, deixando-o agonizar por horas até morrer.

Por Ton Paulo
01/03/2019, 10h46

A Polícia Civil de Goiás, através da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), prendeu na madrugada desta sexta-feira (1/3) cinco homens apontados como os autores de um cruel homicídio praticado na Casa do Albergado, em Goiânia, no dia 13/2 deste ano. Conforme o delegado responsável pelo caso, os homens mataram João Vitor de Oliveira Silva, de 23 anos, a pontapés na cela onde ele ficava recolhido.

Conforme informações da DIH, a vítima do homicídio, o detento do semiaberto João Vitor, foi brutalmente espancada, até a morte, no interior da cela onde estava recolhido para pernoitar, na Casa do Albergado, localizada no Jardim Europa, em Goiânia. Claiton Felipe Sousa Lima, de 21 anos, Carlos Fernandes de Souza, de 40, Diego Maradona Castro, de 22, Victor Hugo França Antonelle, de 30, e Jean Carlos da Silva, de 26 anos deram diversos chutes por todo o corpo da vitima, que agonizou por várias horas antes de morrer.

Segundo o laudo pericial, a causa da morte foi um traumatismo crânio-encefálico. Os investigadores conseguiram individualizar os responsáveis e prenderam os cinco homens acima mencionados. Parte dos presos admitiu o envolvimento com o crime. Entretanto, há, ainda, um sexto envolvido que ainda não foi localizado. Nilson Francisco da Costa, de 33 anos, se encontra foragido.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Klayter Camilo, os homens cumpriam pena do regime semiaberto e pernoitavam na Casa do Albergado. Os mandados cumpridos foram de prisão temporária, que agora podem ser convertidos em mandados de prisão preventiva.

Relembre o crime do homem que foi chutado até a morte na Casa do Albergado, em Goiânia

O detento do regime semiaberto, João Vitor Oliveira da Silva, de 23 anos, foi espancado até a morte na madrugada de quarta-feira (13/2) na Casa do Albergado, em Goiânia. O rapaz dividia a cela sete da Ala B com outros presos.

Conforme as informações repassadas pela polícia na época, não foi possível determinar o horário exato da morte do rapaz, no entanto a polícia acredita que o espancamento ocorreu durante a madrugada.

O caso era investigado pela Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH). A polícia afirmou que João Vitor dividia a cela com integrantes de uma facção criminosa atuante em Goiás.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

Sancionada lei que extingue terceira classe de policiais militares em Goiás

Conforme a lei, soldados, que agora integram 2ª classe, terão salários no valor de R$ 5.767,00.
01/03/2019, 11h02

Foi sancionada na manhã desta sexta-feira (1/3), pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), a lei que extingue a terceira classe dos policiais militares de Goiás. Comunicado foi feito durante evento realizado na manhã de hoje, na Academia da Polícia Militar, no Setor Universitário, em Goiânia. Ainda de acordo com Caiado, o próximo projeto a ser encaminhado à Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) é o que garante auxílio aos familiares de policiais mortos em serviço.

A matéria que pedia o fim da terceira classe foi aprovada, definitivamente, na última quarta-feira (27/2), pelos deputados goianos. A votação foi acompanhada por servidores públicos da Segurança Pública de Goiás. Com a lei sancionada, todos os agentes que eram da 3ª classe passam a integrar a 2ª classe de soldado; o salário passa de R$ 1,5 mil mensais para R$ 5.767,00. Impacto orçamentário e financeiro deve ser de mais de R$ 140 milhões, conforme cálculos do governo estadual.

Fim da terceira classe para policiais militares de Goiás

O projeto que propunha a extinção da terceira classe, instituída pelo governo anterior, foi encaminhado à Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) pelo atual governo de Goiás. Além dessa medida, Ronaldo Caiado (DEM) anunciou ainda, em entrevista coletiva, que pediu o pagamento do auxílio-alimentação, aprovado pelos deputados, em votação definitiva, nesta terça-feira (26/2); e o pagamento do teto salarial para os professores.

Caiado, no início do mandato, declarou que concederia, de forma imediata, à Polícia Militar de Goiás (PMGO) um reajuste salarial que corrigiria as “distorções” sofridas pela categoria. Na ocasião, o governador explicou que não haveria aumento, pois o objetivo é “resgatar aquilo que é devido ao policial militar”. “É inaceitável um policial militar ganhar 1.500 reais por mês. Então eu não estou aumentando salário, estou corrigindo uma distorção”, reforçou.

Também durante uma coletiva, o gestor estadual ponderou ainda que a terceira classe era uma falta de respeito com os agentes da segurança pública. “2661 servidores vão sair desta categoria criada por que não respeito pela segurança pública. Hoje estamos reformando a legislação para que tais categorias sejam extintas e possamos dar um salário digno e compatível com o trabalho que eles exercem”, concluiu.

Imagens: Jaraguá Notícias 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Juiz nega pedido do MP-GO para bloquear bens de Marconi Perillo

A ação por improbidade administrativa contra Marconi Perillo foi proposta por uma promotora do MP-GO, e negada pelo juiz na última quinta-feira (28/2).

Por Ton Paulo
01/03/2019, 11h15

O juiz titular da 2ª Vara da Fazenda Pública Estadual de Goiás, Gustavo Dalul Faria, negou o pedido feito pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) de bloquear liminarmente os bens do ex-governador Marconi Perillo (PSDB), no valor de R$ 198.404,67 reais. A ação civil pública por improbidade administrativa foi proposta pela promotora de Justiça Carmem Lúcia Santana de Freitas, contra Perillo, e foi negada pelo juiz na última quinta-feira (28/2).

Conforme a ação proposta pela promotora, o ex-governador teria contratado Aluízio Rodrigues para exercer o cargo de secretário-executivo do Conselho de Gestão da Agência Goiana de Defesa Agropecuária. Aluízio, no entanto, nunca exerceu a função, conforme apurado pelo MP-GO, uma vez que o conselho sequer foi formado, portanto, não se reunindo para deliberar sobre qualquer assunto.

De acordo com o MP-GO, o funcionário fantasma recebeu mensalmente, entre os meses de junho a outubro de 2016, o valor total de R$ 54.666,67, segundo cópias de demonstrativos financeiros que foram juntadas ao processo e atestam os valores. Ainda segundo o MP-GO, o parecer da Coordenação de Apoio Técnico-Pericial do MP-GO apontou que o valor do dano ao erário atualizado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) foi de R$ 66.134,89.

Por meio de nota enviada a um jornal local, o advogado de Marconi, João Paulo Brzezinski, afirmou que Perillo ainda não foi notificado da ação civil pública. A defesa considera a decisão sensata “tendo em vista que o governador do Estado não é o responsável pela aferição da frequência e/ou ponto de funcionários, medida que compete ao responsável direto do órgão”.

Em janeiro deste ano, Justiça determinou o bloqueio de R$ 22 milhões de Marconi Perillo

Em janeiro deste ano, uma decisão do juízo da 11ª da Justiça Federal, que corria em segredo de justiça, determinou o bloqueio de cerca de R$ 22 milhões em imóveis de Marconi Perillo e do ex-presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón, assim como de sua família. A medida de arresto, que consiste na apreensão judicial de bens para garantir a futura cobrança da dívida, foi decretada no mês passado e ocorreu no âmbito da operação Cash Delivery.

A divulgação da decisão só agora foi possível pois era mantida em segredo de justiça até que a ordem de arresto fosse cumprida. O pedido de arresto foi feito pelo Ministério Público Federal (MPF), que considerou a medida essencial para resguardar eventual condenação ao ressarcimento dos valores recebidos como propina, uma vez que os investigados, Perillo e Rincón, poderiam se desfazer de seu patrimônio até o julgamento final do feito.

Via: Mais Goiás 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.