Mundo

Piloto relatou dificuldades antes de queda de avião na Etiópia

A informação foi dada pelo executivo-chefe da Ethiopian Airlines, Tewolde Gebremariam.
10/03/2019, 15h51

O piloto do avião com 157 pessoas que caiu na Etiópia relatou dificuldades minutos antes da queda. Ele pediu à torre de controle para retornar ao aeroporto da capital etíope, Adis Abeba.

A informação foi dada pelo executivo-chefe da Ethiopian Airlines, Tewolde Gebremariam. Em entrevista coletiva, ele disse que a empresa não tinha conhecimento de nenhum problema mecânico no Boeing 737-800, adquirido há apenas quatro meses.

O presidente da companhia de aviação revelou que entre as vítimas estão: 32 quenianos, 18 canadianos e nove etíopes. O balanço traz oito chineses, oito italianos, oito americanos, sete britânicos, sete franceses, seis egípcios, cinco holandeses, quatro indianos, quatro eslovacos, três austríacos, três suecos, três russos, dois marroquinos, dois espanhóis, dois poloneses e dois israelenses.

Também viajava um cidadão dos seguintes países cada: Bélgica, Indonésia, Somália, Noruega, Sérvia, Togo, Moçambique, Ruanda, Sudão, Uganda e Iêmen. Quatro passageiros com passaportes emitidos pelas Nações Unidas ainda não tiveram as nacionalidades reveladas.

Queda

aeronave caiu na zona de Hejeri, perto da cidade de Bishoftu, localizada a cerca de 40 quilômetros de Adis Abeba e sede da maior base da Força Aérea da Etiópia.

A estatal Ethiopian Airlines é uma das maiores companhias aéreas da África. No ano passado, transportou mais de 10 milhões de passageiros.

O último acidente com a companhia havia acontecido em janeiro de 2010, quando um voo que havia partido de Beirute, capital do Líbano, caiu pouco após a decolagem. O desastre matou as 90 pessoas a bordo.

Pela rede social Twitter, o primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, lamentou o desastre e expressou condolências às famílias das vítimas.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Acidente de trânsito termina com uma idosa morta e seis feridos, em Itumbiara

As vítimas feridas foram levadas conscientes para o Hospital Municipal Modesto de Carvalho.
10/03/2019, 17h01

Um acidente entre dois veículos na madrugada deste domingo (10/3) na Rua Itarumã, no setor Santos Dumont, em Itumbiara, a 205 quilômetros de Goiânia, terminou com a morte de uma idosa, de 70 anos, e seis pessoas feridas.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) afirmou que foi chamado por volta das 2h31 deste domingo, para atender uma ocorrência envolvendo uma colisão entre dois caros de passeio, sendo um veículo do modelo Gol e outro Hyndai/HB20.

Conforme as informações divulgadas pela Corporação, em um dos carros a equipe encontrou uma idosa de 70 anos, que não teve o nome revelado sem vida e presa às ferragens.

O CBMGO afirmou que no HB20 estavam dois ocupantes, enquanto no Gol havia cinco, com 7 vítimas no total. De acordo com os bombeiros, as vítimas foram levadas conscientes com ferimentos leves para o Hospital Municipal Modesto de Carvalho.

Acidente na BR-414 termina com uma morte e seis feridos, Pirinópolis

No dia 8 de fevereiro deste ano, uma colisão envolvendo dois carros de passeio, na na BR-414, em Pirinópolis, a 40 quilômetros de Cocalzinho de Goiás e próximo ao município de Dois Irmão, terminou com uma morte e seis pessoas feridas

A ocorrência foi atendida pela equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) de Pirinópolis. Ao chegar ao local, os bombeiros constataram que um homem havia morrido no acidente. A corporação afirmou que na ocorrência duas pessoas ficaram presas às ferragens e foram retiradas após o desencarceramento do veículo.

Os bombeiros afirmaram que após o atendimento pré-hospitalar, as vítimas foram encaminhadas para o Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime de Pirinópolis. Enquanto os outros feridos foram levados para o hospital de Cocalzinho. Por sua vez o corpo do homem que morreu em virtude do acidente, foi levado pelo Instituto Médico Legal de Pirinópolis (IML).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Mundo

Governo dos EUA projeta que aumento na imigração vai se acelerar

Baseada em tendências históricas, a agência projeta que o número chegará a 70.000 em maio.
10/03/2019, 17h33

O governo Trump está se preparando para que quase 180.000 migrantes viajando em família cruzem a fronteira do sul dos Estados Unidos até maio. Segundo documentos internos obtidos pelo “The Wall Street Journal”, oficiais da Agência de Proteção Alfandegária e de Fronteiras dos EUA (CBP, na sigla em inglês) antecipam que entre 51.000 e 58.000 migrantes viajando em família irão cruzar a fronteira ilegalmente ou pedir por asilo em passagem legal na fronteira neste mês. Baseada em tendências históricas, a agência projeta que o número chegará a 70.000 em maio.

Prisões de famílias cruzando a fronteira entre EUA e México ilegalmente nos últimos cinco meses alcançaram um recorde de 136.150, ultrapassando as 107.212 famílias presas em todo o ano comercial de 2018. Separadamente, 21.968 famílias imigrantes pediram asilo entre outubro e fevereiro, volume parecido com o de um ano antes.

O alto número de famílias que cruzam a fronteira representa uma “crise de segurança e humanitária na fronteira”, e deixou a CBP “no limite”, segundo afirmou Kevin McAleenan, comissário da CBP, na semana passada. Até o momento, a maior parte das famílias é de Guatemala, Honduras e El Salvador, onde dizem que enfrentam violência, instabilidade política, fome e pobreza. A maior parte das famílias se rende a agentes da fronteira e pede asilo após entrar ilegalmente nos EUA. Menos de 20% dos pedidos são concedidos, mas pessoas com filhos geralmente podem permanecer nos EUA durante o processo, que costuma levar anos.

O governo Trump tentou repetidamente mudar as leis de imigração e os procedimentos para desacelerar a entrada de famílias, incluindo uma política que levou à separação das famílias. Um juiz federal em San Diego ordenou que a administração reunisse mais de 2.50 crianças separadas no ano passado, um processo que continua em andamento. O presidente Trump citou o aumento de entradas como evidência de uma emergência nacional na fronteira. Ele já afirmou repetidamente que leis de imigração atuais e o que ele descreve como decisões judiciais fraudulentas estimulam a imigração ilegal.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Palavra 'ciúmes' é citada mais de 50 mil vezes em processos de violência contra mulher, em Goiás

Só nos primeiros meses deste ano, já foram protocolados no estado 2.858 pedidos de medidas protetivas.
11/03/2019, 07h57

Atualmente 67 mil processos relacionados à Lei Maria da Penha tramitam no Judiciário de Goiás, sendo 280 deles de feminicídio. Segundo levantamento rápido no site do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), nestes atos judiciais, despachos e sentenças a palavra ciúmes é citada 51.760 vezes, fato que explica a grande quantidade de medidas protetivas concedidas pela Justiça entre os anos de 2016 e 2018, que chegam a 19.131. Só nos primeiros meses deste ano, já foram protocolados 2.858 pedidos.

“O ciúme é uma palavra importante e muito presente nas representações, onde ex-companheiros se manifestam com frases como ‘se você não é minha, não será de mais ninguém’“, relata a juíza Maria Antônia Faria, da comarca de Ipameri. De acordo com ela, esse tipo de ação é o reflexo de uma educação machista e sexista que vê a mulher como coisa ou prolongamento do pai, irmão, companheiro ou filho.

Ciúmes dos companheiros explica pedidos de medidas protetivas em Goiás

Ainda segundo a magistrada, as mulheres nem sempre querem o processo judicial e veem a medida protetiva como uma forma de por fim às agressões físicas, financeiras e emocionais. “A medida protetiva é o meio que elas têm de afastar essa realidade, sem, contudo, processar o autor do fato, muitas vezes até por medo, inclusive, da divulgação de vídeos íntimos, mais um tipo de violência moderna”, explica.

Para auxiliar na redução desses números, o TJ-GO promove, a partir desta segunda-feira (11/3), a Semana da Justiça pela Paz em Casa. Pelo projeto, ao menos mil audiências em processos da Lei Maria da Penha serão realizadas em Goiás até o dia 15 de março, quando começa, em todo o Brasil, a Justiça Pela Paz em Casa. O objetivo da ação é julgar casos de violência doméstica e familiar contra as mulheres.

Semana da Justiça pela Paz em Casa

Na capital, entre os dias 11 e 15, serão analisados 300 casos. O evento oferece ainda, durante toda a semana, atendimentos e acompanhamentos jurídicos e psicológicos, das 8h às 20h, na Universidade Salgado de Oliveira, além de cortes de cabelo, oferecidos pela equipe do Senac, no hall do Fórum Criminal, no Jardim Goiás.

Via: TJ-GO 
Imagens: painel político 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Membros do Jovem Cidadão recebiam menos da metade do repassado pelo Governo de Goiás, diz secretaria

A Secretaria de Desenvolvimento também informou que um processo administrativo para a apuração de responsabilidades foi aberto.

Por Ton Paulo
11/03/2019, 08h38

Uma nota publicada pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) informou que encontra-se em andamento uma nova licitação para a escolha da empresa que irá gerenciar o programa Jovem Cidadão, iniciativa que atende às recomendações da Controladoria-Geral do Estado de Goiás (CGE-GO) e Procuradoria-Geral do Estado de Goiás (PGE-GO). Conforme a secretaria, os adolescentes membros do programa estava recebendo apenas R$ 400 reais dos R$ 1.180,55 repassados mensalmente para cada jovem.

A comunicado foi feito logo após uma entrevista dada por Caiado à rádio goiana 99,5 FM na última sexta-feira (8/3), onde fez um apanhado geral sobre vários temas tratados nos primeiros 60 dias de seus governo. Em meio a polêmicas, Caiado falou sobre o suposto fim do programa de formação técnico-profissional para jovens, o Jovem Cidadão. Segundo o governador, o programa não vai acabar, apenas “passará para nova entidade”, uma vez que, de acordo com ele, a atual estaria em situação ilegal.

Caiado afirmou ainda que o contrato com a Rede Nacional de Aprendizagem Promoção Social e Integração (Renapsi), responsável pelo programa Jovem Cidadão, foi findado pois a entidade estaria em situação ilegal por não cumprir com exigências do Estado. Durante a entrevista, ele também adiantou o fato de que os jovens estariam recebendo menos da metade do valor repassado pelo Governo.

A reportagem segue tentando contato com a assessoria da Renapsi.

Secretaria afirma que foi aberto processo administrativo para apuração de responsabilidades

Ainda na nota da Seds, a pasta diz informa que foi aberto “um processo administrativo para a apuração de responsabilidades tanto dos servidores envolvidos na execução do Termo de Colaboração quanto da entidade escolhida para realizar a gestão do programa”, assegurando-lhes o direito ao contraditório e a ampla defesa”.

Conforme a Secretaria, ficou evidente a discrepância entre o valor repassado aos menores e as demais despesas. Confira abaixo a nota na íntegra:

“A Secretaria de Desenvolvimento Social reforça que encontra-se em andamento uma nova licitação para a escolha da empresa que irá gerenciar o programa “Jovem Cidadão”, iniciativa que atende às recomendações da Controladoria-Geral do Estado de Goiás (CGE-GO) e Procuradoria-Geral do Estado de Goiás (PGE-GO).

Tanto a CGE-GO quanto a PGE-GO apontaram falhas técnicas no Chamamento Público e na execução no mesmo, determinando que não fosse prorrogado.

Ao mesmo tempo, foi exigida a abertura de um processo administrativo para a apuração de responsabilidades tanto dos servidores envolvidos na execução do Termo de Colaboração nº 01/2017 quanto da entidade escolhida para realizar a gestão do programa, assegurando-lhes o direito ao contraditório e a ampla defesa.

Consequentemente, poderão ser aplicadas sanções previstas pelo artigo 73 da Lei nº 13.019/2014 (que regulamenta os termos de colaboração) contra a empresa e sindicância contra os servidores, prevista no inciso XIX, do artigo 10 da Lei nº 8.429/92 (Lei de Improbidade Administrativa).

Em relação aos valores repassados aos jovens, estes recebem por volta de R$ 400 – pouco mais de um terço dos R$ 1.180,55 pagos pelo Estado por cada adolescente beneficiado pelo Jovem Cidadão. Os outros dois terços são destinados à gestão operacional e educacional, ficando evidente a discrepância entre o valor repassado aos menores e as demais despesas.

Não se trata de desconhecimento, mas de necessidade de atendimento aos princípios administrativos da impessoalidade e da eficiência previstos no artigo 37 da Constituição Federal, bem como da manifestação da CGE e da PGE no sentido de não prorrogação do contrato e realização de novo procedimento licitatório, em que se busque o menor preço pelo serviço prestado, fundamento básico de uma boa Administração Pública.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.