Economia

Em 12 meses, preço do feijão acumula alta de 112% em Goiânia

No mesmo período, cesta básica na capital subiu 14,39%.
13/03/2019, 08h08

Nos últimos 12 meses em Goiânia, o preço do feijão teve alta acumulada de 112%. A capital também está entre as 18 cidades que apresentaram acréscimo no valor total dos alimentos que compõem a cesta básica. De acordo com Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), entre fevereiro de 2018 e o mesmo mês de 2019, todas as cidades acumularam alta, com destaque para Campo Grande, com 17,66%; Goiânia, com 14,39%; e  Belo Horizonte, com 11,29%.

Ainda de acordo com o levantamento, com base no valor da cesta básica, em fevereiro deste ano, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 4.052,65, cerca de quatro vezes a remuneração mínima atual de R$ 998. No primeiro mês do ano, o piso mínimo necessário correspondeu a R$ 3.928,73, ou 3,94 vezes o mínimo vigente. Já em fevereiro de 2018, o valor necessário foi de R$ 3.682,67, ou 3,86 vezes o salário mínimo, que era de R$ 954. Com variação de anual de 7,08%, o preço médio da cesta básica em Goiânia, atualmente, é de R$ 416,40.

Alta do feijão em Goiânia

Em fevereiro deste ano, de acordo com a pesquisa, preço do feijão, do tipo carioquinha, pesquisado no Norte, Nordeste, Centro-Oeste, em Belo Horizonte e São Paulo, teve alta em todas as cidades, com destaque para as taxas de Aracaju (91,65%), Campo Grande (90,91%), Salvador (71,06%), Recife (67,16%), São Luís (60,68%) e João Pessoa (54,30%). Já o valor do feijão preto, pesquisado nas capitais do Sul, em Vitória e no Rio de Janeiro, subiu entre 17,14%, em Florianópolis, e 31,97%, em Vitória.

No período de 12 meses, o preço do grão carioquinha acumulou alta em todas as capitais: as taxas variaram entre 20,55%, em Brasília, e 160,20%, em Campo Grande. Segundo a Dieese, a diminuição na oferta de feijão carioquinha pode ser explicada pela redução da área plantada, uma vez que os produtores migraram para outros plantios – como a soja e o milho, e por problemas climáticos, que diminuíram a qualidade do grão.

Imagens: Coperaguas 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mulheres do MST ocupam fazenda de João de Deus, em Anápolis

Conforme informações divulgadas pelo próprio MST, a área que foi ocupada tem em torno de 600 hectares e fica próxima à rodovia GO-433.

Por Ton Paulo
13/03/2019, 08h27

Um grupo de mulheres pertencentes ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e ao Movimento Camponês Popular (MCP) ocuparam na manhã desta quarta-feira (13/3) a fazenda Agropastoril Dom Inácio, de propriedade do médium João de Deus. A fazenda está localizada no município de Anápolis, entre os distritos de Interlândia e Souzânia, no interior de Goiás.

Conforme informações divulgadas pelo próprio MST, a área que foi ocupada pelos movimentos tem em torno de 600 hectares e fica próxima à rodovia GO-433. A ação faz parte da Jornada Nacional de Lutas das Mulheres Sem Terra que começou na última semana com mobilizações em todo país.

João Teixeira de Farias, conhecido como João de Deus, ficou famoso no país e no mundo pelos seus supostos tratamentos mediúnicos, como “cirurgias e curas espirituais”.

Em dezembro do ano passado, centenas de acusações e denúncias de abuso e violência sexual explodiram na mídia. Mulheres de todos os cantos do país (e também fora dele) acusaram João de Deus de ter abusado delas durante os atendimentos na Casa Dom Inácio de  Loyola, em Abadiânia, interior de Goiás.

Mulheres do MST ocupam fazenda de João de Deus, em Anápolis
Foto: MST

Em uma coletiva de imprensa realizada no dia 10/1, na Delegacia Estadual de Investigações Criminais, a DEIC, a delegada Karla Fernandes comunicou que a força-tarefa montada pela Polícia Civil para investigar os crimes cometidos pelo médium João de Deus encerrou, oficialmente, todos os seus procedimentos. De acordo com a delegada na ocasião, dos sete inquéritos abertos, João de Deus foi indiciado por quatro. O restante dos inquéritos conclusos foi remetido com relatório para arquivamento.

A delegada relatou na época que os indiciamentos por abuso sexual só foram possíveis porque foram denunciados e investigados no prazo hábil diante da lei. Quanto aos outros, mesmo as investigações apontando indubitavelmente para a existência do crime, foram arquivados pela extinção de punibilidade. “O crime existiu, mas não pode ser punido” devido ao tempo transcorrido, explicou a delegada.

Fazenda de João de Deus havia sido invadida e vandalizada no ano passado

A fazenda Agropastoril Dom Inácio, de João de Deus, em Anápolis, foi invadida e arrombada em dezembro do ano passado, no dia 26/12. O caso de dano ao patrimônio foi registrado no dia seguinte (27/12).

De acordo com a polícia, o gerente da propriedade contou que ao chegar na casa do médium percebeu a porta dos fundos aberta e com sinais de arrombamento. Sofás foram rasgados, todos os quadros retirados das paredes, portas quebradas e fechaduras arrombadas.

Tudo havia sido revirado e objetos estavam quebrados. Na cozinha da casa, até as panelas foram jogadas no chão.

Via: MST 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Indiciada por estelionato, moradora do DF diz ter inventado câncer para não perder marido

Farsa começou há 5 anos. Aproveitando da situação, Telma Cristina, de 44 anos, pedia doações em dinheiro para supostos tratamentos.
13/03/2019, 10h05

A massoterapeuta Telma Cristina Saraiva, de 44 anos, moradora de Guará, no Distrito Federal, foi indiciada por estelionato pela Polícia Civil do DF, suspeita de fingir ter câncer para arrecadar dinheiro para arcar com falsos tratamentos. A mulher também enganou os três filhos, que têm de 15 a 20 anos, e os outros familiares. Quando a mentira foi descoberta, segundo as investigações, Telma disse que queria chamar atenção das pessoas que amava e salvar o casamento, pois o então companheiro havia pedido o divórcio.

Ainda de acordo com a PCDF, a mentira de Telma começou há cinco anos. O principal objetivo era evitar o fim do casamento. Com o passar o tempo, a mulher teria aproveitado da situação para conseguir doações em campanhas para comprar remédios e arcar com o tratamento. Ela dizia, em encontros de Organizações Não Governamentais (ONG) e pelas redes sociais, que já havia superado um câncer de mama e um Acidente Vascular Cerebral (AVC), agora lutava contra a doença no intestino.

Em setembro do ano passado, Telma foi vencedora do concurso Miss Superação, onde emocionou a todos com o discurso sobre sua luta contra os cânceres. A massoterapeuta chegou a receber, além de doações em dinheiro para os supostos tratamentos, peças de roupas, cestas básicas e até tratamento em um SPA. Nas redes sociais, com a #telmamisssuperacao, ela aparece em fotos de palestras motivacionais a mulheres que lutam contra algum tipo de câncer. Portanto, seu perfil oficial está fora do ar.

Mulher fingiu ter câncer por 5 anos

De acordo com o delegado Wislley Salomão, que investiga o caso, a mentira de Telma foi desfeita em 2018, pelos parentes, que já suspeitavam da farsa. Eles relataram que nunca a viram com sintomas das doenças que dizia ter. A mulher enganou também o marido e os três filhos, que mobilizados, chegaram a raspar os cabelos em apoio ao tratamento dela. A família não registou queixa, mas o marido já pediu a separação.

Apesar de todos esses anos de tratamento, Telma não apresentou nenhum laudo médico que comprovasse a doença. “Ela fingia ir ao tratamento no hospital, mas com o tempo, a família ficou muito desconfiada. Ao ser descoberta, disse que mentiu porque queria chamar a atenção de quem a amava e, ainda, por não querer perder o marido (que à época, ameaçava pedir o divórcio)”, explicou o delegado ao Correio Braziliense.

A denúncia contra Telma chegou à Coordenação de Repressão aos Crimes Contra o Consumidor, a Propriedade Imaterial e a Fraudes (Corf) na última semana, por meio da ONG Vencedoras Unidas. Ela frequentava o lugar desde outubro de 2018, onde chegou pedindo ajuda para pagar remédios quimioterápicos. Mesmo oferecendo o nome de um suposto médico que a tratava, as integrantes do grupo desconfiaram da atitude da mulher.

ONG denunciante repudia atitude de mulher que fingiu ter câncer

Por meio do perfil oficial no Facebook, a ONG Vencedoras Unidas repudiou o ocorrido e reafirmou que não compactua com a disseminação de informações falsas. “Em respeito às verdadeiras mulheres que lutam pela vida contra o câncer, a Associação Vencedoras Unidas está tomando todas as medidas protetivas necessárias. A Associação reitera o compromisso de continuar seus trabalhos primando sempre pela credibilidade das informações e respeito à vida, que são os pilares da ONG desde sua criação, em 2017”, conclui o texto.

Imagens: Correio Braziliense 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Dólar vira e sobe com demanda de importador e tesourarias de bancos

Às 10h00, o dólar à vista subia 0,46%, a R$ 3,8333.
13/03/2019, 10h33

O dólar passou a subir e renovava máximas na manhã desta quarta-feira, 13, após ter iniciado a sessão em baixa no mercado doméstico, estendendo perdas acumuladas em cerca de 1,80% nas últimas três sessões. “Ficou barato e o importador compareceu na compra, além de que algumas tesourarias estão partindo para um movimento de recomposições de posições”, comenta Jefferson Rugik, diretor superintendente da Correparti.

A inversão de sinal para o lado positivo ocorreu ainda após a divulgação de dados mistos da economia americana, há pouco. As encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos subiram 0,4% em janeiro ante dezembro – na terceira alta mensal consecutiva e contrariando a expectativa de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam queda de 0,6%. Além disso, o resultado geral das encomendas de dezembro foi revisado em leve alta, de ganho de 1,2% para avanço de 1,3%, na mesma base comparativa.

De outro lado, o índice de preços ao produtor (PPI) dos Estados Unidos subiu 0,1% em fevereiro ante janeiro, abaixo da alta de 0,2% esperada por analistas. O núcleo do PPI, que exclui as categorias de alimentos, energia e serviços de comércio, também avançou 0,1% em fevereiro ante o mês anterior. Neste caso, a projeção também era de acréscimo de 0,2%. Na comparação anual, o PPI subiu 1,9% em fevereiro e seu núcleo registrou alta de 2,5%.

Os agentes de câmbio operam ainda na expectativa pela instalação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, marcada para o início da noite (19 horas), por onde deve começar a tramitar a reforma da Previdência.

Também aguardam uma nova votação no Parlamento britânico, que ontem rejeitou mais um acordo de Brexit proposto pela primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May. Com isso, hoje, os parlamentares britânicos irão votar sobre a opção de realizar um Brexit sem acordo. A data final para que o Brexit seja implementado é dia 29 de março.

Às 10h00, o dólar à vista subia 0,46%, a R$ 3,8333. O dólar futuro para abril estava em alta de 0,50%, a R$ 3,8355.

Imagens: InfoMoney 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Tiroteio em escola pública de São Paulo deixa pelo menos oito feridos

Crianças estão entre as vítimas.
13/03/2019, 10h41

Integrantes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar de São Paulo estão na manhã de hoje (13) na Escola Estadual Raul Brasil, no Jardim Imperador, em Suzano, na Grande São Paulo, após informações de que um tiroteio no local deixou pelo menos oito pessoas feridas, inclusive crianças.

Informações preliminares indicam que o caso ocorreu por volta das 10h. Houve correria.

Há diversas viaturas do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar no local.

Imagens: Mundo ao Minuto 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.