Goiás

Homens trocavam medicamento alucinógeno por sexo com menor, em Ceilândia

O esquema foi descoberto quando a mãe da menina de 13 anos encontrou fotos sensuais dela em um motel com homens mais velhos.

Por Ton Paulo
13/03/2019, 10h49

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (13/3) em Ceilândia, entorno de Brasília, uma operação para prender um grupo de homens que dava drogas alucinógenas a uma menor de idade em troca de sexo com ela. O esquema foi descoberto quando a mãe da menina de 13 anos encontrou fotos sensuais dela em um motel com homens mais velhos.

Conforme informações de um jornal local, a ação policial foi batizada de Operação Mercúrio e teve expedidos três mandados de prisão. A investigação é conduzida pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA)

Os três homens alvos da operação são suspeitos de manter relações sexuais com a adolescente de 13 anos. Em troca da conjunção carnal, os homens forneciam à menina o medicamento controlado Rohypnol

Operação deflagrada na manhã desta quarta-feira (13/3) tem como alvo três homens suspeitos de manter relações sexuais com uma adolescente de 13 anos em troca de medicamento controlado e com efeito alucinógeno, o Rohypnol. A adolescente estaria viciada na droga, por isso aceitava a troca.

Este medicamento induz o sono de forma rápida e intensa, tendo também efeito de redução da ansiedade, anticonvulsivante (combate as convulsões) e relaxante muscular. Ainda são efeitos de sua administração redução do desempenho psicomotor (maior dificuldade para realizar atividades mentais e motoras), com diminuição dos reflexos e da atenção, e ocorrência de amnésia (falha de memória). Usado de forma incorreta e sem prescrição médica, a droga pode ter efeitos alucinógenos.

O crime de Ceilândia foi descoberto pela mãe da menor

Não operação deflagrada pelos policiais civis da DPCA , além dos três mandados de prisão temporária foram cumpridos também sete mandados de busca e apreensão em Ceilândia. Também foram apreendidos drogas e aparelhos eletrônicos.

Segundo as apurações, o crime foi descoberto pela mãe da garota. Ao pegar o celular da filha, ela viu imagens sensuais da menor em motéis acompanhada de homens mais velhos. A DPCA conseguiu chegar a sete suspeitos que trocavam mensagem com a adolescente, que seria viciada na droga Rohypnol.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.