Goiás

Mãe que matou filha a marretadas é denunciada por homicídio qualificado pelo MP-GO 

Crime ocorreu no dia 21 fevereiro deste ano, no Parque Santa Rita, em Goiânia.
14/03/2019, 10h37

Alessandra Fiuza Neves, de 33 anos, acusada de matar a filha, de 1 ano e 8 meses, a marretadas foi denunciada por homicídio quadruplamente qualificado, uma vez que o crime teve motivação torpe, com uso de meio cruel, além de ter sido cometido contra menor de 14 anos. Ela também foi denunciada por destruição de cadáver. O crime ocorreu no dia (21/2), no setor Parque Santa Rita, em Goiânia.

De acordo com o promotor João Teles de Mora Neto, autor da denúncia, Jullyana Neves da Cunha, a bebê assassinada, é fruto do relacionamento de Alessandra com Rômulo Nunes da Cunha, com quem foi casada por 12 anos. O casamento teve fim cinco meses antes do crime. Jullyana e o irmão mais velho ficaram sob os cuidados da mãe.

Consta na denúncia, segundo o Ministério Público de Goiás (MP-GO), que Rômulo tinha a intenção de ficar com a guarda da menina, mas antes disso, Alessandra proibiu o pai de sair com as crianças nos dias das visitas regulamentadas na separação, passando a exigir a presença dele em casa. Três dias antes do crime, na última visita aos filhos, o homem foi até a casa acompanhado de uma irmã e uma sobrinha, o que teria impedido mais um plano da mulher em reconquistar o marido.

Mãe mata filha a marretadas e tenta queimar corpo

Na manhã do crime, Alessandra levou a menina para o quarto e, na frente do outro filho, atingiu a bebê com série de golpes de marreta e, para esconder o crime, foi até o fundo do quintal da casa, jogou o corpo da criança numa piscina de plástico, onde estavam vários objetos e também um colchão, e ateou fogo.

Ao perceberem a fumaça, os vizinhos foram até a casa, mas Alessandra informou que estava tudo normal e que apenas havia colocado fogo na piscina de plástico. Os vizinhos, preocupados, entraram no imóvel em busca das crianças, mas encontraram apenas Pedro Henrique, outro filho de Alessandra. Quando chegaram no fundo da casa, os vizinhos encontraram o corpo de Jullyana encolhido e já carbonizado. O laudo da perícia confirmou diversas fraturas pelo corpo da bebê.

Alessandra, que estava em estado de choque quando o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar chegaram, foi presa em flagrante e levada ao Cais do Bairro Goiá. Após atendimento, ela foi encaminhada para a Central de Flagrantes e em seguida para a Casa de Prisão Provisória, em Aparecida de Goiânia, onde continua detida. Ela culpa o filho pelo crime e também pelo fim do casamento.

Via: MP-GO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem morre afogado após tentar atravessar rio a cavalo, em Padre Bernardo

Após sair de uma fazenda para visitar um amigo, apenas o cavalo em que o homem estava montado retornou ao local de origem.

Por Ton Paulo
14/03/2019, 10h44

O corpo do funcionário de uma fazenda no município de Padre Bernardo, no Entorno de Brasília, foi encontrado boiando em um rio que corta a região após dois dias desaparecido. O homem teria saído na segunda-feira (11/3) a cavalo para visitar o amigo na fazenda vizinha, mas no dia seguinte apenas o cavalo, com sinais de atolamento, retornou ao local de origem.

Conforme informações da Polícia Civil de Goiás, o registro do desaparecimento de Aparecido Pereira Duarte, funcionário da fazenda Nossa Senhora de Fátima, localizada em Padre Bernardo às margens do rio Verde, foi feito por seu patrão, Edo Antônio, na terça-feira (12/3) às 17h24, depois que o cavalo em que Aparecido saiu para visitar o amigo na fazenda vizinha retornou sem ele, sem a sela e com sinais claro de atolamento.

Ainda segundo a polícia, Aparecido saiu a cavalo da fazenda onde trabalhava na segunda-feira de manhã para visitar um amigo em outra fazenda. Esse amigo conta que Aparecido chegou ao local, ajudou-o no trato com o gado e após o horário do almoço, por volta das 13h, decidiu ir embora. Entretanto, apenas o cavalo de Aparecido conseguiu voltar para a fazenda Nossa Senhora de Fátima, na tarde do dia seguinte.

Corpo de funcionário da fazenda foi encontrando boiando no rio, em Padre Bernardo

Um dia após o registro de desaparecimento de Aparecido, infelizmente os bombeiros confirmaram a principal suspeita.

O Corpo de Bombeiros também foi acionado, e após intensas buscas pelo local o corpo de Aparecido foi encontrado boiando no rio Verde às 17h30 de ontem (13/3). Segundo a corporação, após tentar atravessar o rio a cavalo, por circunstâncias ainda não esclarecidas mas indicando que o cavalo tenha atolado, o funcionário da fazenda acabou se afogando.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) do Distrito Federal.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Bandidos aproveitam portão aberto de condomínio, invadem e fazem reféns, em Águas Claras

Três mulheres, uma menina de 10 anos, e um menino de 2 ficaram por cerca de uma hora sob poder dos assaltantes.

Por Ton Paulo
14/03/2019, 11h55

Uma família inteira, assim como os funcionários da residência, viveram momentos de terror na última quarta-feira (13/3) em um condomínio fechado no município de Águas Claras, região de Brasília. Aproveitando-se do portão aberto do condomínio, três ladrões adentraram o local e invadiram uma residência onde estavam os moradores.

O caso ocorreu por volta das 10h20 de ontem na Quadra 5 do Park Way, em Águas Claras. Conforme informações de um veículo local, três mulheres, uma menina de 10 anos, e um menino de 2 ficaram por cerca de uma hora sob poder dos assaltantes que conseguiram entrar no condomínio fechado.

Os bandidos estavam armados cada um com uma faca quando invadiram a residência e anunciaram o assalto. Já dentro da casa e tendo rendido os que lá estavam, os homens trancaram as funcionárias (a empregada, a babá e uma cuidadora de idosos) no closet, com as duas crianças, que são irmãs.

Logo em seguida, o trio fugiu em um Hyundai HB20 preto com cinco televisores, quatro relógios, várias joias e outros pertences pessoais da família, como bonés e celulares.

Ainda conforme o veículo local, na casa residem uma total de 11 pessoas, mas, no momento do crime, só estavam em casa as funcionárias, além da menina e do menino. Durante o assalto, a babá, de 23 anos, conseguiu esconder o celular na roupa e avisar um dos moradores por mensagem. Ela conta que os três bandidos entraram na casa, subiram as escadas e arrombaram a porta de um dos quartos. Segundo ela, o assalto durou cerca de uma hora.

Agentes da 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) estiveram no endereço, além de integrantes do Instituto de Criminalística e da Polícia Militar. A equipe conseguiu imagens da fuga dos suspeitos por meio de uma câmera instalada em uma das casas.

Bandidos aproveitaram portão aberto no condomínio em Águas Claras para realizar o assalto

Ainda segundo adiantado pelo jornal local, há oito casas no condomínio, mas três estão desocupadas. A guarita passou por reforma e ficou pronta no fim do ano, ma ainda não há vigilante na entrada.

Cada morador tem um controle remoto do portão, e por causa da obra finalizada recentemente, não houve tempo de instalar câmeras de segurança. Segundo os donos da casa assaltada, os ladrões acessaram o condomínio de carro pela entrada principal. Por causa de um imóvel em construção, os pedreiros costumam deixar o portão aberto para facilitar a entrada e a saída de caminhões e equipamentos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Rio Verde está entre as 15 melhores cidades para se viver em Goiás

Comparado as 5.570 cidades do país, o município ocupa a 400ª posição em qualidade de vida.
14/03/2019, 12h00

De acordo com ranking feito pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN), Rio Verde está entre as 15 melhores cidades para se viver em Goiás. A pesquisa tem como base o desenvolvimento socioeconômico de todos os 5.570 municípios brasileiros. Quando comparado a todas as cidades do país, o município do Sudoeste goiano ocupa a 400ª posição em qualidade de vida.

Em primeiro lugar no estado, ficando na 72ª posição nacional, está Chapadão do Céu, com pouco mais de 8 mil habitantes, como melhor opção para se morar. Em segundo está Itumbiara; 3º Ceres; 4º Quirinópolis; seguida de Caldas Novas; Corumbaíba; Cristalina. Em 8º lugar está Edéia; 9º Nova América; 10º Ouvidor; e 11º Goiânia. Logo atrás da capital, em 12º, está Rio Verde; em 13º lugar Anápolis; em 14º Cachoeira Dourada e em 15º, Gouvelândia.

Criado em 2008, o Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM) acompanha anualmente o desenvolvimento nas áreas de emprego e renda, educação e saúde dos municípios, feito exclusivamente com estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.

Rio Verde: 12ª melhor cidade para se viver em Goiás

Com 169 anos de existência, Rio Verde tem mais de 180 mil habitantes. O município se destaca pela agropecuária, sendo o maior produtor de grãos do Estado e responsável por 1,2% da produção nacional dos produtos. Na cidade, a produção agrícola gera cerca de 1,2 milhões de toneladas por ano das mais variadas culturas, como arroz, algodão, soja, milho, sorgo, milheto, feijão, girassol.

Ranking de melhores cidades para se viver em Goiás

Veja abaixo, dos 246 municípios goianos, os 30 melhores, conforme os rankings nacional e regional, que podem oferecer mais qualidade de vida em Goiás:

  • 72º – 1º Chapadão do Céu
  • 73º – 2º Itumbiara
  • 89º – 3º Ceres
  • 130º – 4º Quirinópolis
  • 152º – 5º Caldas Novas
  • 188º – 6º Corumbaíba
  • 199º – 7º Cristalina
  • 218º – 8º Edéia
  • 243º – 9º Nova América
  • 276º – 10º Ouvidor
  • 279º – 11º Goiânia
  • 400º – 12º Rio Verde
  • 417º – 13º Anápolis
  • 474º – 14º Cachoeira Dourada
  • 487º – 15º Gouvelândia
  • 488º – 16º Palminópolis
  • 531º – 17º Itaberaí
  • 546º – 18º Jataí
  • 549º – 19º Aparecida do Rio Doce
  • 567º – 20º Urutaí
  • 576º –  21º Catalão
  • 608º – 22º Brazabrantes
  • 624º – 23º Itauçu
  • 648º – 24º Iporá
  • 688º – 25º Buriti de Goiás
  • 694º – 26º Lagoa Santa
  • 697º – 27º Alto Horizonte
  • 717º – 28º Pires do Rio
  • 719º – 29º Mineiros
  • 723º – 30º Hidrolândia
Imagens: Tecnoshow Comigo 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Leilão de carros de luxo dos ex-governadores rendem mais de R$ 330 mil para o Hospital Materno Infantil

Dinheiro vai ser usado para compra de insumos do Hospital Materno Infantil.
14/03/2019, 14h54

O leilão dos dois carros de luxo dos modelos Hyundai Equus 2001 e Hyundai Equus 2013 usados pelos ex-governadores Marconi Perillo e José Eliton (ambos PSDB), ocorreu na manhã desta quinta-feira (14/3), e rendeu ao governo de Goiás R$ 335.166,00. Dinheiro este que vai ser usado para o pagamento de dívidas e compras de insumos do Hospital Materno Infantil (HMI), em Goiânia.

O leilão foi feito no auditório Jaime Câmara, no 9º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira e foi acompanhado de perto pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), que após os carros serem arrematados agradeceu aos empresários que adquiriram os dois veículos.

“Isso representa uma mudança de conceito e de que o governo vai continuar mostrando para o povo goiano que não é momento de luxo, de esbanjamento, é momento do governo ter consciência que cada vez precisa economizar mais, para repassar o dinheiro a quem na verdade necessita essa é função do estado”, afirmou o governador.

Diretora da organização social que administra o Materno Infantil afirma que atenção voltada ao hospital coloca ele no lugar que ele sempre deveria estar

O Hyundai Equus modelo 2011 foi arrematado pelo empresário Vitor Gavino, da empresa Cosan Energia e Logística pelo valor de R$ 128 mil reais; enquanto o outro carro Hyundai Equus modelo 2013 foi arrematado por R$ 207.166 pelo empresário Elton Pereira Amorim Júnior da M3 Motors.

A diretora da organização IGH, Rita de Cássia Leal de Souza, que administra o hospital, acompanhou o leilão e lembrou que o valor arrecadado é algo valioso, pois coloca o hospital no lugar onde sempre deveria estar.

“Esse recurso [do leilão] representa algo muito mais valioso: o reconhecimento e a importância que esse governo está dando ao Materno Infantil e colocando ele no lugar onde sempre deveria estar. Um hospital de referência, que presta uma atenção de qualidade a pacientes graves e que tem uma equipe que trabalha no limite de suas forças.”

O Secretário de Saúde, Ismael Alexandrino, afirmou que o governo tem buscado soluções e outros recursos para quitar as dívidas do Materno Infantil. “Estamos levantado dados das gestões anteriores para que ao adquirir essa nova verba, possamos quitar as dívidas do Materno Infantil e de outras unidades hospitalares”, explicou o secretário.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.