Economia

Aumento das exportações e importações explicaria superávit em Goiás em fevereiro

O superávit obtido pelo estado de Goiás no saldo da balança comercial no mês de fevereiro deste ano atingiu, segundo o Governo, US$ 87,3 milhões.

Por Ton Paulo
15/03/2019, 08h07

O superávit em Goiás no saldo da balança comercial no mês de fevereiro deste ano, que atingiu, segundo o Governo, US$ 87,3 milhões, seria o resultado positivo do aumento das importações e exportações de produtos goianos. Conforme a superintendência de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedi), as exportações tiveram um crescimento de 4,48% em relação ao mesmo período em 2018, e as importações apresentaram um aumento de 13,63% se comparadas com fevereiro do ano passado.

De acordo com o superintendente de Comércio Exterior da Sedi, Edival Lourenço Júnior, o resultado das importações “demonstra a recuperação da economia, que aumenta o consumo e aquece a produção”. O superintendente conta que observa que houve um o crescimento na compra de produtos voltados para o agronegócio, para a indústria farmacêutica e para a automobilística.

As importações de adubos (fertilizantes) ficaram em segundo lugar no ranking dos produtos importados. Totalizaram US$ 95 milhões em compras, com um crescimento de 112,47% se comparado a fevereiro de 2018, representando 28,43% do total das importações.

Os produtos farmacêuticos mais uma vez aparecem em primeiro lugar no ranking, com crescimento de 1,39%, se comparado a fevereiro de 2018, somando US$ 106,8 milhões, com participação de 31,95% do volume total das importações. Em terceiro lugar nas importações estão veículos automóveis terrestres, suas partes e acessórios com participação de 9,75%.

O superávit em Goiás em número de exportações e importações

Ainda segundo os dados da superintendência de Comércio Exterior da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação, em fevereiro foram importados 1248 produtos diferentes de 68 países. Os principais países de origem dos produtos importados são Alemanha (16,03%), Estados Unidos (14,38%), China (11,50%), Japão (6,23%), Suíça (5,62%), Canadá (4,67%), Tailândia (4,06%), Rússia (2,84%), Emirados Árabes (2,70%) e Egito (2,63%).

A pasta informou que as exportações alcançaram cifras de US$ 421,7 milhões, com 282 diferentes produtos vendidos para 116 países. O complexo de soja continua a aparecer no topo do ranking dos produtos exportados, com valor de US$ 108,3 milhões, com 25,68% de participação do total exportado por Goiás.

A exportação de carnes ocupou o segundo lugar no ranking, com acréscimo de 26,43% em relação a fevereiro de 2018, crescimento puxado pelo aumento das exportações das carnes bovinas e aves, com 27,96% e 39,32%.

Goiás, em fevereiro, teria exportado 282 diferentes produtos para 116 países. A China ocupa o primeiro lugar dos países destinos das exportações, adquirindo 30,93% dos produtos vendidos. Entre os principais produtos exportados para a China estão: complexo soja; carnes bovinas; ferroligas; carnes de aves; couros e derivados; algodão; minério de manganês e seus concentrados; glicerol e peixes vivos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Mundo

Ataques a duas mesquitas matam ao menos 49 na Nova Zelândia

Ao menos 49 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas durante ataques a duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, nesta sexta-feira, 15.
15/03/2019, 08h14

Ao menos 49 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas durante ataques a duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, nesta sexta-feira, 15. A polícia afirmou que mantém quatro pessoas sob custódia acusadas de envolvimento nas ações.

“Quatro pessoas estão sob custódia, três homens e uma mulher”, disse o comissário Mike Bush, acrescentando que foram encontrados “dispositivos explosivos nos veículos utilizados pelos suspeitos”. Segundo ele, o Exército conseguiu desarmar as bombas. As motivações do crime ainda não foram esclarecidas. As mesquitas atacadas são Masjid Al Noor, no centro da cidade, e Linwood, localizada a cerca de 5 km da primeira, segundo a polícia.

O primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, confirmou que entre os detidos há um cidadão australiano. Além disso, um homem que assumiu a autoria dos atentados escreveu um manifesto anti-imigração de 74 páginas na internet no qual explicava as suas motivações.

No manifesto, ele se identifica como um australiano de 28 anos branco e nacionalista. A publicação do suspeito incluía um link para o perfil no Facebook de um suposto atirador, no qual ele dizia que transmitiria o ataque ao vivo na rede social.

A polícia afirmou ainda que não procura outros suspeitos. Um homem de cerca de 20 anos foi acusado de assassinato e se apresentará ao tribunal no sábado.

As autoridades locais não informaram as identidades dos detidos. De acordo com a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, todos eles têm visão extremista, mas não eram vigiados pela polícia. Ela afirmou que o nível de ameaça à segurança nacional foi elevado para o segundo nível mais alto.

A polícia advertiu a população a evitar as mesquitas em todo o país. Um enorme cordão policial foi formado para isolar parte de Christchurch, cidade da Ilha do Sul da Nova Zelândia. Mike Bush afirmou que todas as escolas da cidade estão fechadas e a polícia pediu “às pessoas no centro que evitem permanecer nas ruas e informem qualquer comportamento suspeito”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Alarme falso de tiroteio em escola de Goiânia causa pânico nesta manhã

Após uma discussão entre o coordenador do colégio e o namorado de uma aluna, alguns alunos soltaram bombinhas no interior da instituição, e o barulho foi confundido com tiros.

Por Ton Paulo
15/03/2019, 10h00

Um clima de pânico recaiu sobre um colégio estadual no Setor Urias Magalhães, em Goiânia, na manhã desta sexta-feira (15/3). Após uma discussão entre o coordenador do colégio e o namorado de uma aluna, alguns alunos soltaram bombinhas no interior da instituição. O barulho foi confundido com tiros, causando pânico nos demais alunos e funcionários. A Polícia Militar (PM) foi acionada sobre um suposto tiroteio em escola, mas ao chegar ao locar e realizar a averiguação, constatou ter se tratado de uma alarme falso.

O caso aconteceu nesta manhã, no Colégio Estadual Aécio Oliveira de Andrade, na Rua do Prata, Setor Urias Magalhães. De acordo com a PM, o namorado de uma aluna foi até a escola e pediu para o coordenador o capacete que a aluna havia deixado no local. O coordenador havia respondido que não sabia do capacete, momento em que o rapaz começou a agredir o servidor.

Entretanto, durante a confusão, alguns alunos estouraram bombinhas dentro escola, assustando os demais alunos e moradores da região.

Conforme informações apuradas pelo Dia Online, viaturas da PM foram acionadas e compareceram na instituição. O Coordenador foi encaminhado para o segundo distrito policial para registrar a ocorrência.

PM esclareceu sobre o caso de falso tiroteio em escola de Goiânia

Na denúncia recebia pela PM, uma homem armado teria realizado cinco disparos de arma de fogo no Colégio Estadual Aécio Oliveira de Andrade e pulado o muro para se esconder no CMEI Tio Oscar.

Entretanto, após constatar o alarme falso, a polícia esclareceu os fatos. Veja abaixo:

“Denúncia 153, pessoa afirmando ser servidora do CMEI Tio Oscar fez denúncia que homem armado havia realizado 05 disparos de arma de fogo na escola estadual Aécio Oliveira de Andrade, e havia pulado para se esconder no CMEI Tio Oscar.

Central de imediato empenhou viaturas GCM.

Está sendo levantado o fato.

Os estamidos ouvidos foram bombinhas soltadas por alunos na no Colégio Estadual Aécio Oliveira de Andrade, e próximo ao local por coincidência havia um PM armado paisana no local, deixando mais assustado as pessoas.”

A reportagem do Dia Online tentou entrar em contato com a direção do colégio, mas não obteve retorno até o momento.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Netflix aumenta preço de assinatura no Brasil

O preço terá aumento de 10% a 21%: o plano básico e individual passará de R$ 19,90 mensais para R$ 21,90.
15/03/2019, 10h15

O serviço de streaming de vídeo Netflix confirmou ontem ao Estado que aumentará o preço da assinatura da plataforma no Brasil. O preço terá aumento de 10% a 21%: o plano básico e individual passará de R$ 19,90 mensais para R$ 21,90.

Atualmente, a Netflix oferece três planos no Brasil: além do individual, há um no qual duas telas podem usar a mesma conta simultaneamente e outro que oferece quatro telas e resolução 4K (Ultra HD). O plano intermediário, que custava R$ 27,90, agora sairá por R$ 32,90 ao mês. Já o mais caro subiu de R$ 37,90 para R$ 45,90.

“Mudamos nossos preços de tempos em tempos para continuar investindo no melhor do entretenimento, além de melhorar a experiência da Netflix para nossos membros no Brasil”, disse a empresa, em nota.

A última vez que o preço da assinatura da Netflix havia aumentado no Brasil foi em 2017. Houve ajuste de valores também em 2013 e 2015.

Situação

Em janeiro, a empresa anunciou aumento de preços no exterior – o Brasil havia ficado de fora da lista.

Alguns países, como os EUA, sofreram reajuste de 13% a 18% no valor das assinaturas – o plano básico, que antes saía por US$ 8, passou para US$ 9 por mês no país. À época, a Netflix afirmou que o reajuste foi uma forma de financiar a produção de conteúdo original.

Hoje, a empresa tem dívidas na casa de US$ 12 bilhões e 139 milhões de assinantes em todo o mundo, segundo dados também divulgados em janeiro.

Em breve, a empresa deve ganhar rivais de peso: Apple e Disney estão prestes a revelar detalhes sobre seus serviços de streaming de vídeo, que deverão ser lançados nos próximos meses.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Deputada federal goiana Magda Mofatto é condenada e tem direitos políticos suspensos

A ex-prefeita e deputada Magda Mofatto, reeleita em 2018 e agora condenada por improbidade administrativa, terá que pagar multa civil no valor de R$ 64 mil.

Por Ton Paulo
15/03/2019, 12h01

A deputada federal Magda Mofatto (PR), eleita e reeleita por Goiás e ex-prefeita do município de Caldas Novas, foi condenada por improbidade administrativa e teve seus direitos políticos suspensos pelo prazo de oito anos. A condenação da deputada veio em razão da contratação de escritório advocatício sem licitação, causando dano aos cofres públicos.

Além da suspensão dos direitos políticos, a ex-prefeita e deputada, reeleita em 2018 com 88.894 votos válidos e agora condenada por improbidade administrativa, terá que pagar multa civil no valor de R$ 64 mil e ressarcir os cofres públicos no mesmo importe e, por fim, estará proibida de contratar com o Poder Público ou receber incentivos fiscais pelo prazo de 10 anos. A sentença é do juiz substituto Tiago Luiz de Deus Costa Bentes, do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO).

Além de Mofatto, foram condenados, também, os dois sócios advogados do escritório contratado – Marcos Pereira Rocha e Marisa Isaías Rocha – submetidos às mesmas sanções. Segundo o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), o serviço de assessoria jurídica prestado não possuía nenhuma singularidade capaz de justificar a dispensa de licitação, nas formas da Lei n° 8.666/1993. Além disso, a parte autora sustentou que houve fixação de honorários de êxito no patamar de 20% sobre as economias apuradas, considerado muito superior aos valores de mercado.

Ao analisar os autos, o magistrado destacou que “a regra de ouro a se observar é a de que a inexigibilidade de licitação somente se faz legítima quando a contratação envolver notória especialização do prestador de serviço e a singularidade deste”. No presente caso, “o serviço contratado nada representa de singular, posto que exequível por qualquer outro profissional da área, em igual presteza e qualidade”.

Assessoria de Magda Mofatto disse que não vai se manifestar sobre a condenação

A reportagem do Dia Online entrou em contato com a assessoria da deputada federal Magda Mofatto, do Partido Republicano. O assessor declarou que a defesa da deputada está sendo elaborada e, por enquanto, não vai se manifestar sobre a condenação sofrida.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.