Brasil

Sobreviventes do tiroteio à escola Goyazes mandam recado emocionante a alunos de Suzano

O Portal Dia Online conversou com cinco estudantes que sobreviveram aos disparos de um colega de turma, em Goiânia.
15/03/2019, 15h00

Um ano, quatro meses e 24 dias depois de ter uma arma apontada para o rosto e ver o primo, João Pedro Calembo, de 13 anos, ser morto dentro da sala de aula da escola Goyazes, Arthur relembrou o horror na última quarta-feira (13/3) quando recebeu vídeos pelo Whatsapp do ataque à Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, São Paulo.

O Portal Dia Online conversou com cinco estudantes que sobreviveram ao ataque a tiros de um colega de 13 anos na escola particular Goyazes, na manhã do dia 20 de outubro de 2017.

Entre lembranças do dia marcado por disparos, gritos, correria, e cheiro de pólvora e sangue, três meninas e dois meninos mandam um recado: estamos com vocês, estudantes de Suzano.

Eles contam que reviveram os disparos de .40 do colega de turma, que pegou a arma da mãe, policial militar, e disparou pelo menos 11 vezes, matando dois estudantes e ferindo quatro. Na sala do 8° ano tinha 27 alunos no momento da troca de professores em que ocorreu o tiroteio em Goiânia.

“Fiquei meio impactado, assustado, sabe? Lembrei da cena na minha sala, sangue no chão, todo mundo correndo desesperado”, conta Arthur, de 15 anos.

Allana, de 15, saia da aula quando foi cercada por colegas na escola. Eles queriam saber se ela soubera do ataque em Suzano que deixou dez mortos – sendo oito alunos e duas funcionárias. “Fiquei em choque. É muito triste ver isso se repetindo. A gente sabe que não vai ser a última vez”, lamenta ela.

“A gente compreende a dor de amigos e familiares. A gente entende essa dor. É preciso que a gente se una contra este tipo de violência. Quero que saiba que as famílias e colegas da escola não estão sozinhas”, afiança.

Recado de estudantes da escola Goyases aos de Suzano

Beatriz, de 15, foi uma das primeiras estudantes a conseguir escapar dos tiros na manhã de outubro na escola Goyazes. Ao ver o colega atirando, correu até uma delegacia para pedir ajuda. No dia seguinte, estaria no Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO) aguardando informações do estado de saúde dos amigos baleados.

“Acho babaca essa questão de armamento para a população. Mesmo com laudo ou grana para comprar. Facilitando, vai aumentar essas tragédias”, diagnostica e complementa: “o jeito é nos unirmos. Por isso estamos querendo conscientizar as pessoas. Estamos organizando um vídeo para enviar para os estudantes que passaram pelo mesmo que a gente. Uma forma de dizer para eles que tudo vai ficar bem. A dor, o pânico, a saudade fica, mas é preciso seguir.”

Augusto, um dos nerds daquele 8° ano, saiu ileso dos disparos, mas não consegue se esquecer do desespero que causa um ataque dessa proporção. “Rapidamente conversei com meus colegas da escola Goyazes. Agora, quero me solidarizar e mandar esperança a todos s afetados pela tragédia em Suzano.”

Izadora aparece sempre sorridente. É considerada o maior exemplo de luta da tragédia na escola Goyazes. Com o tiro que lhe atingiu a medula, perdeu o movimento das pernas. “Mesmo assim, eu não estaria aqui se não fosse Deus. Uma frase que sempre utilizo é: nunca desista. Tudo é no tempo de Deus”, diz ela. E aconselha os meninos e meninas de Suzano: “Tem muita gente perto de vocês querendo ajudar. Aceita.”

Ela ainda pede para que elas não percam a fé: “de coração, vindo de mim, da minha mãe, da minha família, nós que passamos por esse trauma, sabemos o quanto e triste, por isso queremos que essas famílias se sintam abraçadas. Não percam a esperança nem a fé”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Com prancha debaixo do braço, "surfista" é flagrado em rua alagada de Goiânia

A cena se passou no início da tarde de hoje no Setor Cidade Jardim, em Goiânia.

Por Ton Paulo
15/03/2019, 15h23

Uma cena no mínimo inusitada foi registrada pela câmera de um celular na tarde desta sexta-feira (15/3), no Setor Cidade Jardim, em Goiânia. Em um cenário caótico de rua alagada em decorrência da forte chuva que caiu (e continua caindo) hoje sobre a capital, um homem foi flagrado circulando tranquilamente sem camisa e com uma prancha de surf no meio da água, ao que tudo indica, procurando “pegar uma onda”.

As imagens foram enviadas à reportagem do Dia Online e chamaram a atenção pelas circunstâncias. Conforme o dono do vídeo, a cena se passou no início da tarde de hoje no Setor Cidade Jardim, próximo ao Centro de Referência em Atenção à Saúde da Pessoa Idosa (Craspi).

No vídeo, é possível ver o homem, com a água batendo nas canelas, caminhando tranquilamente ao lado do tráfego apenas de bermuda e a prancha de surf embaixo do braço. É possível ver ainda o nível preocupante atingido pela água, que dificulta a movimentação até mesmo dos carros.

Entretanto, como visto nas imagens, a situação não parece preocupar muito o “surfista”. Veja o vídeo:

Rua alagada de Goiânia foi apenas uma das consequências da forte chuva

A imagem do “surfista” caminhando pela rua alagada do Setor Cidade Jardim, em Goiânia, pode parecer engraçada a princípio. Mas para muita gente, os efeitos da forte chuva que caiu sobre a capital não tiveram graça alguma. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a corporação registrou vários casos de estragos causados pela água.

No Setor Vila Aurora, uma rua ficou alagada, ilhando um casal dentro de um veículo, sendo preciso do auxílio dos bombeiros. Já na Cidade Jardim (onde o “surfista” foi filmado), uma árvore caiu no meio da rua, impedindo o trânsito e atingindo fiações elétricas.

Já na Avenida T-9, um trecho precisou ser interditado por causa de uma enorme árvores que caiu em plena via.

Com prancha debaixo do braço, "surfista" é flagrado em rua alagada de Goiânia

A reportagem do Dia Online está acompanhando e deve atualizar a matéria com novos casos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Reunião na AGR vai definir valor da passagem do transporte coletivo, em Goiânia

O reajuste no valor da tarifa vai variar entre R$ 0,25 e R$ 0,30 centavos.
15/03/2019, 15h53

A Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) vai debater durante uma reunião na próxima segunda-feira (18/3), o reajuste da tarifa do transporte coletivo da Região Metropolitana da capital para o ano de 2019.

A Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) concluiu os estudos para o reajuste no mês de janeiro e conforme a planilha montada pela companhia, o reajuste no valor da tarifa vai variar entre R$ 0,25 ou R$ 0,30 centavos.

Embora tramite na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) um projeto de autoria do governo para a retirada da AGR da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC), as planilhas com os valores do reajuste demoraram a ser enviadas pela CMTC à AGR.

Como o projeto ainda não foi aprovado pelos deputados, por lei a agência precisar autorizar o reajuste e a CDTC votar os cálculos para serem aplicados na capital e região metropolitana.

Por sua vez, o presidente da AGR, Eurípedes Barsanulfo da Fonseca, afirmou que enquanto o governo não sair da CDTC, a agência por força de lei tem o papel de verificar os cálculos para o reajuste da tarifa do transporte coletivo, levantados após os estudos da CMTC.

Além disso em entrevista a uma rádio local, o presidente da agência informou que a pretensão do governo estadual é de deixar a CDTC, pois a AGR tem apenas a função de aprovar os cálculos das tarifas.

Caso o conselho da agência aprove os cálculos da companhia, a questão passa a CDTC que vai marcar uma reunião para discutir o aumento no preço da passagem e a partir de que dia o reajuste vai passar a valer na capital e região metropolitana, que nos dias atuais custa R$ 4 reais.

Enquanto não tiver uma reestruturação no modelo do transporte coletivo não vou marcar reunião, afirmou presidente da CDTC

O presidente da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) e prefeito de Trindade, Jânio Darrot (PSDB), afirmou no fim do mês passado que não vai marcar a reunião para discutir o reajuste do transporte coletivo na capital e região metropolitana.

Isto porque conforme Darrot, o atual modelo precisa de uma reestruturação. Segundo o presidente da CDTC, o mesmo está deteriorado e precisa ser repensado antes de aumentar o valor da tarifa. E enquanto não houver uma reestruturação, Jânio Darrot afirmou que a Câmara não vai se reunir para determinar o aumento do preço da passagem.

Via: Sagres Online 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Lugares para visitar com a família em Goiânia

Se você está em busca de um passeio bacana para fazer com a família, é possível encontrar diversas opções pela cidade.
15/03/2019, 16h45

Não há nada melhor que reunir a família e levar todo mundo para curtir um lugarzinho especial, não é mesmo? Com rotinas cada vez mais apertadas, é comum ver uma  família em Goiânia que não possua um momento para si, mas é sempre importante valorizar essa relação e reorganizar a agenda caso seja preciso. Que tal tirar umas horinhas do fim de semana para fazer algo diferente com todo mundo?

Goiânia é uma cidade que não oferece tantas opções de lazer quanto deveria, mas é claro que não podemos desvalorizar as boas alternativas. É possível ter momentos inesquecíveis com a família pela cidade, sem gastar muito. Basta olhar para nossos parques, que são excelentes destinos para aproveitar uma tarde, por exemplo.

No entanto, se você pretende levar todo mundo para uma boa refeição, também é possível encontrar lugares bastante agradáveis e que satisfazem a todos os gostos. Pensando nisso, nos do Portal Dia Online preparamos uma pequena lista que pode te ajudar a definir o próximo passeio em família. Confira!

Pensando em fazer um passeio com a família em Goiânia?

Parques

1 – Parque Vaca Brava

lugares para visitar com a família em Goiânia
Foto: Reprodução

O Parque Sulivan Silvestre, mais conhecido como Parque Vaca Brava, é um excelente destino para passear com a família em Goiânia. Com extensão aproximada de 79.800 m², composto por um grande lago e um bosque bem charmosinho, é um dos parque mais bonitos da cidade, considerado como um de nossos principais cartões postais.

Por ali é possível encontrar muitas áreas verdes, com espaços perfeitos para fazer aquele piquenique em família. Para a criançada, ainda é possível encontrar playground e, claro, muito espaço para brincar e se divertir! Vale muito a pena!

Endereço: Av. T-10, s/n – St. Bueno, Goiânia – GO, 74210-240

2 – Bosque dos Buritis

lugares para visitar com a família em Goiânia
Foto: Reprodução

Localizado no Setor Oeste, também é um dos mais belos parques da cidade. Por ali é possível encontrar três lagos, uma pista interna e externa para caminhada, estação de ginástica e um belo mirante.

Sem falar que é ali dentro que se encontra o Museu de Arte de Goiânia, que também representa um passeio diferente e que vale muito a pena! Sem dúvida, é um dos melhores destinos para aqueles que buscam manter intenso contato com a natureza e ainda participar de um passeio cultural!

Endereço: Rua 1, 605 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74115-040

3 – Parque Lago das Rosas

lugares para visitar com a família em Goiânia
Foto: Reprodução

Este foi o primeiro parque da cidade, inaugurado ainda na década de 40 e contando atualmente com cerca de 315 mil m², se consagrando como um dos maiores da capital. Este é um dos melhores lugares para levar a família em Goiânia, já que conta com diversas atrações.

É possível encontrar diversas áreas verdes, o que possibilita intenso contato com a natureza. Ainda oferece estação de ginástica, pistas para caminhada e um playground, perfeito para a garotada.

Além disso, destaque ainda para os pedalinhos, onde os visitantes pagam uma taxa simbólica e podem navegar pelo lago do parque. É uma das atividades preferidas das crianças! O zoológico da cidade também se encontra nas imediações.

Endereço: Alameda das Rosas, 957 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74110-060

4 – Parque Marcos Veiga Jardim

lugares para visitar com a família em Goiânia
Foto: Reprodução / Mais Goiás

Este é um dos parques mais recentes da capital e, talvez, uma das melhores opções para curtir com a família em Goiânia, principalmente com as crianças. Situado nas proximidades do autódromo, conta com cerca de 55 mil m², onde é possível encontrar pistas para caminhada, quadras de areia e poliesportivas e pistas para patinação.

O destaque vai para as pistas de skate, consideradas como as maiores da cidade. Foram construídas com a ajuda de um profissional especializado e atraem diversas pessoas diariamente. As crianças, adolescentes e até mesmo os adultos se divertem!

Endereço: Av. Ayrton Senna – Alphaville Araguaia, Goiânia – GO, 74884-591

Restaurantes

5 – Coco Bambu

lugares para visitar com a família em Goiânia
Foto: Reprodução

O Coco Bambu é um dos melhores restaurantes para levar a família em Goiânia. A rede é uma das mais populares não apenas na cidade, mas também em todo o país. Inaugurada em 1989, a primeira unidade nasceu em Fortaleza e tinha o nome de “Dom Pastel”.

À medida que o tempo foi passando, a casa atraía cada vez mais clientes e foi preciso expandir os negócios. Foi assim que nasceu o Coco Bambu, que começou a investir principalmente em frutos do mar, que atualmente, é sua especialidade.

Apesar disso, o cardápio é bastante amplo e agrada a todos os gostos, oferecendo também uma excelente carta de vinhos. Com ampla estrutura e decoração rústica, o ambiente é sofisticado e comporta muita gente ao mesmo tempo, sem perder na qualidade de seus produtos ou serviços. Vale a pena! Confira o cardápio da casa clicando aqui.

Horário de atendimento: segunda a quarta, das 11h30 às 15h e das 18h às 00h / quinta e domingo, das 11h30 às 00h / sexta e sábado, das 11h30 à 1h

Telefone: (62) 3434-0049

Endereço: Flamboyant Shopping Center – Av. Dep. Jamel Cecílio, 3.300 – Jardim Goiás, Goiânia – GO, 02155-000

6 – Carne de Sol 1008

lugares para visitar com a família em Goiânia
Foto: Reprodução/ Comer, Dormir, Viajar

Uma boa opção para levar a família em Goiânia é o Carne de Sol 1008. Aqui você encontra uma excelente gastronomia com preços mais acessíveis, sem perder a qualidade e o bom atendimento.

Há mais de 10 anos no mercado, a casa faz uma boa mistura do que há de melhor da culinária nordestina e goiana em seu cardápio. É possível pedir entradas, petiscos, saladas e carnes especiais preparadas à moda da casa, que são os principais destaques.

É uma boa opção para famílias pois, além de pratos com porções individuais, ainda é possível pedir em tamanho que serve até 5 pessoas! Vale muito a pena conhecer! Confira o cardápio clicando aqui.

Horário de atendimento: todos os dias, das 17h às 00h

Telefone: (62) 3926-2023

Endereço: Alameda Leopoldo de Bulhões, Q 22, L 16 – St. Pedro Ludovico, Goiânia – GO, 74820-060

7 – Bar do Peixe

lugares para visitar com a família em Goiânia
Foto: Reprodução

Presente no mercado desde 1998, é uma das melhores opções para levar a família em Goiânia, principalmente para quem adora peixes e frutos do mar. O local conquistou seu público com uma boa mistura de simplicidade e excelência em atendimento, oferecendo um ambiente extremamente familiar.

No cardápio, boa variedade em peixes e frutos do mar, ainda com a opção de pedir rodízio. Também é possível encontrar uma boa carta de vinhos e a cerveja sempre chega gelada.

Horário de atendimento: todos os dias, das 11h às 15h e das 18h às 00h

Telefone: (62) 3251-4979

Endereço: Av. Portugal, 801 – St. Marista, Goiânia – GO, 74150-030

Museus

8 – Memorial do Cerrado

lugares para visitar com a família em Goiânia
Foto: Reprodução/ Memorial do Cerrado

O Memorial do Cerrado é um dos melhores lugares para ir com a família em Goiânia, principalmente se você pretende conhecer um pouquinho mais sobre a cultura do estado e do Cerrado em geral.

Por ali é possível encontrar exposições, uma vila cenográfica, uma réplica em tamanho original de uma aldeia indígena, quilombo, além de trilhas e muito contato com a natureza.

Destaque para o Museu de História Natural, que conta com exposições de painéis e cenários que narram a história evolutiva da Terra e do cerrado em específico. É um lugar incrível, que ainda apresenta fósseis com datação de até 600 milhões de anos! Para conferir mais detalhes, basta clicar aqui.

Horário de funcionamento: terça a sábado, das 8h às 17h

Telefone: (62) 3946-1723

Endereço: Campus II PUC – Avenida Engler, s/n – Jardim Mariliza, Goiânia – GO, 74885-460

9 – Museu Pedro Ludovico

lugares para visitar com a família em Goiânia
Foto: Reprodução

Construído entre os anos de 1934 e 1937, sob o comando de Attílio Corrêa Lima – arquiteto e urbanista responsável pelo projeto da capital – a construção representou um verdadeiro marco para a arquitetura da cidade.

Durante algum tempo, o local foi a casa de Pedro Ludovico Teixeira, mas após sua morte, foi transformado em um museu e atualmente é reconhecido como um dos mais importantes da cidade.

O ambiente preserva as memórias da família Ludovico Teixeira, apresentando ao público um acervo diferente, que vai desde importantes documentos da época, até peças de vestuário e mobiliário que pertenceram à família.

O melhor é que a visita é gratuita e ainda é possível encontrar um guia que sempre explica detalhadamente sobre os ambientes e objetos encontrados ali. É um momento de muito aprendizado para as famílias que resolvem visitar o local.

Horário de funcionamento: terça a domingo, das 9h às 17h

Telefone: (62) 3201-4678

Endereço: R. 25, 66 – St. Sul, Goiânia – GO, 74015-100

Imagens: Pexels 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

MPGO bloqueia bens do ex-secretário de saúde de Goiás

Antônio Faleiros Filho transferiu hospitais públicos para organizações sociais sem estudo prévio.
15/03/2019, 17h06

O ex-secretário de saúde de Goiás, Antônio Faleiros Filho, teve bloqueados R$ 935.488,60 pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), por danos causados aos cofre públicos, por irregularidades na gestão de hospitais por organizações sociais (Os). Conforme o MPGO, o secretário passou a gestão de algumas unidades públicas sem critério e um estudo prévio para a transferência.

O MPGO afirmou que além disso, o ex-secretário permitiu que uma grande quantidade de medicamentos essenciais fossem incinerados, sem o repasse à rede pública de saúde ou para as organizações, gerando um grande prejuízo ao cofres do Estado.

Na ação movida pela promotora de Justiça, Fabiana Zamalloa, destacou que a Lei Federal nº 9.637/98 e a Lei Estadual nº 15.503/2005 sobre as entidades como organizações sociais, Faleiros transferiu a gestão do Hospital Geral de Goiânia (HGG), do Hospital de Doenças Tropicais dr. Anuar Auad (HDT) e do Hospital Materno Infantil (HMI) para OS, com contratos de gestão, mas sem seguir as regras estabelecidas pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS) e sem consultar o Conselho Estadual de Saúde.

Conforme o MPGO, as transferências foram feitas com processos sem muita orientação aos usuários, com as organizações tendo uma estrutura organizacional pouco voltada para gestão de resultados e por excesso de etapas no trâmite processual. Além das irregularidades encontradas, a promotora levantou também a falta de qualificação profissional para atuar na gerência e administração das unidades de saúde.

O MPGO afirmou também que não foram feitos estudos sobre o custo dos serviços prestados nos hospitais, para mostrar o rumo a ser seguido para as contratações, com o critério do valor de gastos estabelecidos pelo Estado, em 2010.

Durante a gestão do ex-secretário medicamentos foram incinerados

Segundo o Ministério em 2013 as unidades hospitalares haviam sido transferidas para as organizações e uma grande quantidade de medicamentos foi incinerada, ou seja, queimada pois estava com o prazo de validade vencido.

A promotora na ação alegou que os medicamento estocados em 2011 não foram usados pelas unidades de saúde, pois o ex-secretário não tomou as providências necessárias para que as organizações sociais recebessem os remédios e o valor nos contratos fosse abatido, pela falta de negociações.

Diante da situação encontrada, a promotora mostrou uma grave falha na gestão de Faleiros, pela assinatura de contratos que não poderia ser feita sem um mapeamento da situação naquele momento, dos medicamentos e insumos estocados e um planejamento do tempo estimado para concluir o repasse e as providências para manter os hospitais funcionado até que a gestão fosse transferida para as organizações sociais.

A promotora afirmou que essas falhas causaram grandes prejuízos ao erário público, o que caracteriza ato de improbidade administrativa.

Via: MPGO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.