Goiás

Dinheiro do Pronatec pagou cabos eleitorais do PSDB

Dinheiro que passou pela UEG tem sido usado para pagar apadrinhados do reitor. Haroldo Reimer recebe R$ 7 mil de complemento desse fundo. Presidente do Conselho Estadual de Educação, que não é servidor do Pronatec também recebe R$ 7 mil.
18/03/2019, 18h59

Servidores da Universidade Estadual de Goiás (UEG) fizeram circular documentos acusando o reitor Haroldo Reimer de usar verba do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) para pagar apadrinhados seus e de ter usado essa verba para pagar cabos eleitorais nas eleições no ano passado para quem trabalhasse para o candidato tucano, José Éliton.

O próprio reitor Haroldo Reimer recebe um complemento de R$ 7.500,00 todo mês, o que totaliza R$ 90.000,00 por ano, como consta de planilha do Pronatec referente ao pessoal que recebe pela UEG. A assessora direta do reitor, Francielly de Abreu também recebe como se trabalhasse para o ensino técnico e tivesse direito a uma remuneração complementar de R$ 3.500,00.

A ex-chefe de gabinete do reitor, Juliana Oliveira Almada igualmente recebe um complemento generoso de R$ 7.000,00. A “Desalmada”, como Juliana é conhecida no meio acadêmico, conseguiu emplacar seu marido, Antônio Sérgio Fidélis de Souza com a mesma sinecura de não trabalhar na UEG e receber os farturentos R$ 7.000,00 mensais.

Dinheiro do Pronatec pagou cabos eleitorais do PSDB
FOTO: Reprodução

Ele foi candidato a vereador na pequena cidade de Campo Limpo de Goiás, próxima de Anápolis, nas eleições de 2016 e teve 207 votos. Na cidade contam que ele aparece alguns dias por mês e frequenta a cerâmica que seu pai tem em Campo Limpo.

Mas, “Desalmada” foi além e conseguiu uma verbinha de R$ 2.500,00 para a cunhada, Serjane Fidelis de Souza, irmã de Antônio Sérgio e que igualmente não tem qualquer vínculo empregatício com a UEG. O marido da “Desalmada” recebeu seus R$ 84.000,00 anuais a título de exercer a função de “Planejamento e estruturação administrativa e logística para oferta dos cursos tecnólogos”.

Dinheiro do Pronatec pagou cabos eleitorais do PSDB
FOTO: Reprodução

Cabos eleitorais que trabalharam para a campanha do PSDB em 2018 receberam dinheiro do Pronatec

Servidores graduados da UEG reiteram que grande parte dos salários pagos com dinheiro do Pronatec era destinada a cabos eleitorais que trabalharam na campanha de 2018. Há relatos de que funcionários de outros setores do Estado recebiam do Pronatec e que trabalhavam de fato na campanha para candidatos da base aliada como deputados, senadores e até José Éliton, candidato derrotado à reeleição.

E por aí vai a farra do boi com o dinheiro do Pronatec. Pró-reitores, como Marco Antônio Cunha Torres, que recebe R$ 7.000,00 e sua filha Maria Inês Cunha Torres (R$ 2.500,00) e até o presidente do Conselho Estadual de Educação, Marcos Elias Moreira que também tem direito aos R$ 7.000,00, segundo o reitor.

O detalhe principal é que agentes públicos como Haroldo Reimer, também chamado de “altíssimo” pela comunidade da UEG, Juliana Almada e diretores de campi como Marcília Romano e outros têm dedicação exclusiva e não poderiam receber essa gratificação.

Transferência

O “altíssimo” Haroldo Reimer conseguiu uma proeza: a pró-reitoria de assuntos administrativos, sob sua subordinação, aceitou seu pedido de remoção para o campus de Aparecida de Goiânia, vindo do campus de Iporá.

Acontece que haviam outros professores na fila de espera para Aparecida e que foram preteridos porque não são reitores nem “amigos do rei”. Quem ficou de fora do benefício não ousa se revelar por medo de represálias e sabe que somente após Reimer ver desfeito seu claustro poderão sair do anonimato.

Por ser verba federal o Pronatec enseja investigação federal. O Ministério Público Federal já foi acionado sobre o caso e determinou investigações.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Mulher suspeita de abandonar recém-nascida é encontrada no Distrito Federal

Suspeita foi autuada por abandono de incapaz.
18/03/2019, 20h00

A mulher suspeita de abandonar uma recém-nascida com menos de 24 horas de vida, batizada pela equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) de Maria Flor, em um canteiro de Flores na Candangolândia, no Distrito Federal (DF) foi encontrada na tarde desta segunda-feira (18/3) pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

Conforme a publicação de um Jornal da região, a mulher foi autuada por abandono de incapaz. A matéria informou a detenção da suspeita, porém ainda não existem informações sobre a razão que a levou a abandonar a criança.

O caso que é investigado pela 11ª Delegacia de Polícia, afirmaram que a pequena Maria Flor foi encontrada primeiro por um morador da região, no momento que ele passava pelo local e acionou os bombeiros em seguida.

A recém-nascida foi encontrada em um canteiro de flores na manhã do último domingo

Maria Flor como foi batizada informalmente a menina, foi encontrada na manhã do último domingo próximo a região administrativa do DF. A pequena estava embrulhada em uma manta, cercada de flores e usando fraldas.

Além de estar embrulhada na manta e usando fraldas, a recém nascida apresentava sangramento no cordão umbilical, dificuldades na respiração, tremores e formigas que andam pelo corpo da recém-nascida. Após prestar os primeiros atendimentos à criança a equipe que a encontrou, levou Maria Flor para o Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib).

A recém-nascida chegou a unidade de saúde com 34 centímetros e pesando 2,945 quilos. Internada desde a tarde do último domingo, no hospital, Maria Flor registrou uma piora no seu quadro de saúde nesta segunda-feira.

Segundo a publicação, a Secretaria de Saúde, afirmou que a pequena foi transferida para uma incubadora da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hmib e é acompanhada de perto por uma equipe médica do hospital.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Brasil dispensa visto de entrada para Canadá, EUA, Japão e Austrália

Os brasileiros que desejarem visitar esses países precisam solicitar visto de entrada, conforme as regras vigentes em cada país.
18/03/2019, 20h30

O governo federal publicou hoje (18), no Diário Oficial da União, um decreto dispensando o visto de entrada no Brasil para canadenses, australianos, japoneses e norte-americanos. A medida será anunciada oficialmente pelo presidente Jair Bolsonaro amanhã (19), durante visita oficial aos Estados Unidos. O presidente, acompanhado de sua comitiva, chegou ontem (17) à tarde em Washington.

A dispensa de visto valerá para entrada no país para fins turísticos, de negócio, esportivos ou artísticos, sem intenção de estabelecer residência. As novas regras serão aplicadas para quem permanecer em território brasileiro por até 90 dias, prorrogáveis pelo mesmo período, desde que não ultrapassem 180 dias a cada 12 meses. A dispensa de visto, conforme disposto no decreto, passará a valer a partir de 17 de junho.

Atualmente, os cidadãos desses quatro países utilizam um sistema eletrônico para a obtenção de vistos (E-visa) para entrar no Brasil. Por meio deste programa, os turistas desses países podem fazer a solicitação pela internet. O tempo de análise e entrega do documento dura três dias. No procedimento normal, o prazo chegava a 40 dias.

De acordo com o Ministério do Turismo, a adoção do visto eletrônico já aumentou em 35,2% a emissão de vistos. A expectativa é que, se todos os pedidos de visto feitos em 2018 forem convertidos em viagens, serão 217,8 mil turistas a mais no Brasil. A intenção do governo brasileiro é chegar a 12 milhões de turistas por ano até 2022. Caso consiga, praticamente terá dobrado o número de visitantes em comparação com o número atual, de 6,6 milhões.

A medida é unilateral. Dessa forma, os brasileiros que desejarem visitar esses países precisam solicitar visto de entrada, conforme as regras vigentes em cada país.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Acidente entre carros de passeio na BR-153 deixa seis pessoas em estado grave 

Em um dos veículos, o que teria invadido a contramão, foram encontradas latas e garrafas de bebidas alcoólicas.
19/03/2019, 08h00

Um acidente entre dois carros de passeio, ocorrido na madrugada terça-feira (19/3), na BR-153, em São Luís do Norte, interior de Goiás, deixou seis pessoas gravemente feridas. De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), os veículos, modelos Fiat Pálio e VW Parati, bateram de frente. No interior de um deles, foram encontradas latas e garrafas de bebidas alcoólicas.

As primeiras informações apontam que no Fiat Pálio, que havia saído de Itaguari com destino a São Luís do Norte, estavam cinco pessoas que voltavam de uma festa. Este veículo, por volta das 2h50, invadiu a pista contrária e bateu de frente com o VW Parati que seguia no sentido contrário.

Os cinco ocupantes do Pálio e o motorista da Parati ficaram gravemente feridos. Duas mulheres, que estavam desacordadas, foram levadas para Hospital Municipal de Ceres. Outros dois passageiros, o motorista do Pálio e o condutor do VW foram encaminhados ao Hospital Municipal de Uruaçu.

O motorista, de 26 anos, do veículo que teria provocado o acidente, mesmo com várias escoriações, foi submetido ao teste do bafômetro, que constatou teor alcoólico de 0,48 mg/l.

Acidente na BR-153 foi o quinto nas rodovias federais goianas

Segundo balanço operacional da PRF, nas últimas 24 horas ocorreram nas rodovias federais goianas cinco acidentes, que deixaram 24 pessoas feridas. Neste período, também foram aplicadas 1.440 notificações de multas por infrações diversas. Deste total, 48 motoristas foram flagrados utilizando celular na direção e 112 foram autuados por não usarem o cinto de segurança.

Motoristas bêbados na BR-153

No último domingo (17/3), durante blitz na BR-153, em Anápolis, no período de três horas, 32 motoristas foram autuados em flagrante por embriaguez ao volante e 16 foram presos. Quase duas centenas de motoristas foram submetidos ao teste do bafômetro onde nove condutores foram autuados por inabilitação, 32 veículos foram retidos e foram registradas 122 infrações de trânsito.

Além da multa por embriaguez ao volante, que custa quase três mil reais, os infratores responderão administrativamente e penalmente pelas irregularidades cometidas. A ação ocorreu em parceria entre a PRF, a Delegacia de Trânsito e o Juizado da Infância e Juventude.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Política

"O MDB de Goiás está acabado", diz deputado Bruno Peixoto em entrevista

O deputado também falou sobre suas pretensões políticas, e não escondeu o desejo de disputar o cargo de prefeito de Goiânia. Perguntado se apoiaria Daniel Vilela, Bruno Peixoto deixou a pergunta no ar.

Por Ton Paulo
19/03/2019, 08h27

O deputado estadual por Goiás e líder do governo Caiado na Assembleia Legislativa (Alego), Bruno Peixoto (MDB), participou na noite da última segunda-feira (18/3) do programa de entrevistas Contraditório, da Tv Metrópole. Na ocasião, confrontado por jornalistas, Peixoto abordou vários temas acerca da gestão caiadista e de sua liderança na Alego. Questionado sobre a situação interna e política de seu próprio partido, Bruno Peixoto surpreendeu ao afirmar que “o MDB de Goiás está acabado”.

O deputado estadual, que já está em seu terceiro mandato na Alego, foi escolhido por Caiado para liderar as pautas do governo na Casa e gerou bastante burburinho em razão da questão partidária. Isso porque, após as eleições estaduais do ano passado, seu partido promoveu uma verdadeira “caça às bruxas” aos emedebistas dissidentes da base de apoio de Daniel Vilela. Nomes fortes como Adib Elias, Fausto Mariano e Paulo do Vale tiveram a expulsão determinada pelo Conselho de Ética do diretório regional do MDB de Goiás.

Uma vez que o MDB, presidido por Daniel Vilela, se declarou oposição ao atual governo do Estado, Bruno Peixoto foi questionado no programa sobre a atual situação do partido. Perguntado se estava havendo rachas na legenda, Peixoto foi enfático: “O MDB de Goiás não está rachado, o MDB de Goiás está acabado!”. O deputado ainda se posicionou fortemente contra as expulsões dos infiéis partidários, e declarou que, ao contrário do que afirmou Daniel Vilela, o MDB de Goiás saiu menor das eleições, e não maior.

Bruno Peixoto falou sobre suas pretensões políticas, e deixou explícito seu interesse em concorrer à Prefeitura de Goiânia

Após discorrer sobre pontos da gestão Caiado, Bruno Peixoto anunciou ainda, durante o programa de entrevista, que será votada na Alego a destinação de verba de R$ 32 milhões para a Educação. Esse dinheiro, segundo ele, difere do último que foi aprovado, R$ 28 milhões, que veio do governo federal para pagamento das pendências dos colégios de tempo integral.

O deputado, ao falar sobre suas pretensões políticas, não escondeu seu desejo de disputar o cargo de prefeito de Goiânia e chegou a afirmar que, depois de Iris, ele é o segunda na lista de sucessão de nomes a serem indicados pelo MDB. “Se Iris concorrer, meu apoio será absoluto a ele. Se não, eu sou o próximo na lista”, disse.

Entretanto, ao ser questionado se apoiaria Daniel Vilela numa possível campanha caso fosse ele o indicado, Peixoto foi evasivo e deixou a pergunta no ar.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.