Goiás

Mulher espancada por ex aproveita vacilo para fugir e denunciar o caso, em Anápolis

Suspeito ameaçou matar a ex e o atual namorado dela.
18/03/2019, 17h29

Uma mulher foi espancada pelo ex-namorado na última sexta-feira (15/3) em Anápolis, a 55 quilômetros de Goiânia. A vítima, de 27 anos, aproveitou o momento que o ex-namorado identificado como Gustavo Lourenço Assad Nasser, de 26 quebrava os vidros do carro do atual namorado da moça, para fugir e denunciar o caso à Polícia.

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) afirmou que no dia das agressões, a moça foi até um bar de propriedade do ex e no estabelecimento comercial os dois começaram a discutir e em seguida o Gustavo puxou o cabelo da ex namorada.

Após o desentendimento entre os dois, a mulher foi para casa e recebeu uma ligação do atual namorado que foi ao encontro dela. Conforme as informações da polícia, os dois se encontraram e foram para casa da mulher, em seguida o ex namorado da vítima arrombou o portão e invadiu a casa.

Nesse momento a polícia afirmou que Gustavo estava armado com uma faca e ameaçou a ex e o atual namorado dela. Em seguida, o rapaz que estava com a moça se trancou dentro do banheiro, enquanto o suspeito tentou arrombar a porta do cômodo, mas não conseguiu e voltou para agredir a mulher com socos e a feriu com a faca.

Ex-namorada aproveitou que suspeito quebrava o carro do atual dela e fugiu

Mulher espancada por ex aproveita vacilo para fugir e denunciar o caso, em Anápolis
FOTO: Reprodução

Segundo a polícia, após espancar a ex-namorada, Gustavo pegou o carro e colocou a vítima no veículo. Os dois se dirigiram para região em que o atual namorado da ex de Gustavo mora, nesse momento o suspeito desceu do veículo e começou a quebrar os vidros do carro do rival.

A mulher que continuou a ser agredida no caminho, aproveitou o momento que Gustavo quebra os vidros do veículo do concorrente, para descer do carro do suspeito assumir a direção e fugir em direção a um posto de gasolina. A ação de Gustavo quebrando os vidros do carro do atual namorado de sua ex, foi gravada por câmeras de segurança da região, veja o vídeo: 

A moça que conseguiu fugir do ex, parou no posto de gasolina e chamou a Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) que encontrou Gustavo enquanto danificava o veículo do rival. Apesar de espancar a ex e quebrar o carro do atual namorado dela, Gustavo não chegou a ser preso.

O caso foi registrado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Anápolis (Deam) como lesão corporal grave.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Adolescente planejava massacre em escola estadual com espingarda, em Goiás

Além das armas, o jovem guardava no quarto uma capa, uma máscara, desenhos, e um coturno.
18/03/2019, 18h09

Na capa do Facebook de um adolescente de 17 anos de Pontalina, a 2 horas de Goiânia, em Goiás, revelava a intenção do jovem: matar estudantes. Ele foi apreendido nesta segunda-feira (18/3) pela Polícia Civil e teve o plano frustrado.

O jovem planejava entrar na escola em que cursa o 2° ano do Ensino Médio, em Pontalina, nos próximos dias, inspirado nos últimos ataques ocorridos em Suzano, em São Paulo.

O adolescente convidou outra pessoa para participar do massacre, que contou aos pais. Ao saber, procuraram a direção escola que, por sua vez, denunciou à Polícia Civil, que identificou o menor.

“Ele afirma que não fez porque não teve acesso a uma pistola”, diz o delegado Patrick Fernando Carniel ao Portal Dia Online.

Na casa do jovem, no entanto, os policiais, munidos com um mandado de busca e apreensão, encontraram uma espingarda e um arco e flecha.

Nas redes sociais, o adolescente postava símbolos do satanismo, uma seita. “Ele fala que, se ele matasse, iria ajudar. O inferno para ele é aqui”, conta o delegado. “Perguntei se ele se arrependeria, mas falou que se mataria depois. Morto segundo ele não se arrepende”, emenda.

Além das armas, o jovem guardava no quarto uma capa, uma máscara, desenhos, e um coturno. O traje é parecido com o utilizado pelos dois assassinos em Suzano, em São Paulo, na quarta-feira (13/2) e no ataque em Columbine, ocorrido em 20 de abril de 1999. A foto da capa do perfil do Facebook dele remetia ao massacre nos Estados Unidos.

“Antes dos ataques em São Paulo ele já tinha pensado isso. Os ataques apenas reforçavam. O fato que ele sempre se inspira é o do Columbine”.

Ainda segundo o delegado, os pais não perceberam esse potencial homicida e suicida. Ele vai ficar cinco dias apreendido. Após isso, o judiciário deve conseguir um tratamento psiquiátrico.

Na sexta-feira, escolas de Pontalina, em Goiás, suspenderam as aulas após ameaças de massacre

Todas as escolas foram fechadas na sexta-feira ( 15/2), dois dias depois do ataque em Suzano. Já na manhã desta segunda-feira, a escola em que o estudante estuda foi fechada.

Conforme o delegado, o estudante não provocou o ataque porque não havia conseguido uma pistola, ou seja, arma de repetição, em que não precisaria de carregamento.

O mandado foi expedido pela Juíza da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Pontalina.

Foi cumprido ainda mandado de busca e apreensão na residência do adolescente, onde foram  um arco e flechas.

Para o delegado, o adolescente ainda disse que o massacre da mesquita foi ideal por conta do grande número de vítimas. Ele confirmou que durante o massacre que tinha plano de executar usaria a capa e a bota que foi apreendida.

O adolescente reponderá a Auto de Investigação de Ato Infracional por apologia a crime e atos preparatórios de terrorismo.

O adolescente foi encaminhado para audiência de apresentação, que ocorreu no Fórum da Comarca de Pontalina, e em seguida recolhido em cela da Delegacia de Apuração a Atos Infracionais de Caldas Novas-GO, onde permanecerá internado provisoriamente, à disposição do Poder Judiciário.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Polícia Civil.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Dinheiro do Pronatec pagou cabos eleitorais do PSDB

Dinheiro que passou pela UEG tem sido usado para pagar apadrinhados do reitor. Haroldo Reimer recebe R$ 7 mil de complemento desse fundo. Presidente do Conselho Estadual de Educação, que não é servidor do Pronatec também recebe R$ 7 mil.
18/03/2019, 18h59

Servidores da Universidade Estadual de Goiás (UEG) fizeram circular documentos acusando o reitor Haroldo Reimer de usar verba do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) para pagar apadrinhados seus e de ter usado essa verba para pagar cabos eleitorais nas eleições no ano passado para quem trabalhasse para o candidato tucano, José Éliton.

O próprio reitor Haroldo Reimer recebe um complemento de R$ 7.500,00 todo mês, o que totaliza R$ 90.000,00 por ano, como consta de planilha do Pronatec referente ao pessoal que recebe pela UEG. A assessora direta do reitor, Francielly de Abreu também recebe como se trabalhasse para o ensino técnico e tivesse direito a uma remuneração complementar de R$ 3.500,00.

A ex-chefe de gabinete do reitor, Juliana Oliveira Almada igualmente recebe um complemento generoso de R$ 7.000,00. A “Desalmada”, como Juliana é conhecida no meio acadêmico, conseguiu emplacar seu marido, Antônio Sérgio Fidélis de Souza com a mesma sinecura de não trabalhar na UEG e receber os farturentos R$ 7.000,00 mensais.

Dinheiro do Pronatec pagou cabos eleitorais do PSDB
FOTO: Reprodução

Ele foi candidato a vereador na pequena cidade de Campo Limpo de Goiás, próxima de Anápolis, nas eleições de 2016 e teve 207 votos. Na cidade contam que ele aparece alguns dias por mês e frequenta a cerâmica que seu pai tem em Campo Limpo.

Mas, “Desalmada” foi além e conseguiu uma verbinha de R$ 2.500,00 para a cunhada, Serjane Fidelis de Souza, irmã de Antônio Sérgio e que igualmente não tem qualquer vínculo empregatício com a UEG. O marido da “Desalmada” recebeu seus R$ 84.000,00 anuais a título de exercer a função de “Planejamento e estruturação administrativa e logística para oferta dos cursos tecnólogos”.

Dinheiro do Pronatec pagou cabos eleitorais do PSDB
FOTO: Reprodução

Cabos eleitorais que trabalharam para a campanha do PSDB em 2018 receberam dinheiro do Pronatec

Servidores graduados da UEG reiteram que grande parte dos salários pagos com dinheiro do Pronatec era destinada a cabos eleitorais que trabalharam na campanha de 2018. Há relatos de que funcionários de outros setores do Estado recebiam do Pronatec e que trabalhavam de fato na campanha para candidatos da base aliada como deputados, senadores e até José Éliton, candidato derrotado à reeleição.

E por aí vai a farra do boi com o dinheiro do Pronatec. Pró-reitores, como Marco Antônio Cunha Torres, que recebe R$ 7.000,00 e sua filha Maria Inês Cunha Torres (R$ 2.500,00) e até o presidente do Conselho Estadual de Educação, Marcos Elias Moreira que também tem direito aos R$ 7.000,00, segundo o reitor.

O detalhe principal é que agentes públicos como Haroldo Reimer, também chamado de “altíssimo” pela comunidade da UEG, Juliana Almada e diretores de campi como Marcília Romano e outros têm dedicação exclusiva e não poderiam receber essa gratificação.

Transferência

O “altíssimo” Haroldo Reimer conseguiu uma proeza: a pró-reitoria de assuntos administrativos, sob sua subordinação, aceitou seu pedido de remoção para o campus de Aparecida de Goiânia, vindo do campus de Iporá.

Acontece que haviam outros professores na fila de espera para Aparecida e que foram preteridos porque não são reitores nem “amigos do rei”. Quem ficou de fora do benefício não ousa se revelar por medo de represálias e sabe que somente após Reimer ver desfeito seu claustro poderão sair do anonimato.

Por ser verba federal o Pronatec enseja investigação federal. O Ministério Público Federal já foi acionado sobre o caso e determinou investigações.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Mulher suspeita de abandonar recém-nascida é encontrada no Distrito Federal

Suspeita foi autuada por abandono de incapaz.
18/03/2019, 20h00

A mulher suspeita de abandonar uma recém-nascida com menos de 24 horas de vida, batizada pela equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) de Maria Flor, em um canteiro de Flores na Candangolândia, no Distrito Federal (DF) foi encontrada na tarde desta segunda-feira (18/3) pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

Conforme a publicação de um Jornal da região, a mulher foi autuada por abandono de incapaz. A matéria informou a detenção da suspeita, porém ainda não existem informações sobre a razão que a levou a abandonar a criança.

O caso que é investigado pela 11ª Delegacia de Polícia, afirmaram que a pequena Maria Flor foi encontrada primeiro por um morador da região, no momento que ele passava pelo local e acionou os bombeiros em seguida.

A recém-nascida foi encontrada em um canteiro de flores na manhã do último domingo

Maria Flor como foi batizada informalmente a menina, foi encontrada na manhã do último domingo próximo a região administrativa do DF. A pequena estava embrulhada em uma manta, cercada de flores e usando fraldas.

Além de estar embrulhada na manta e usando fraldas, a recém nascida apresentava sangramento no cordão umbilical, dificuldades na respiração, tremores e formigas que andam pelo corpo da recém-nascida. Após prestar os primeiros atendimentos à criança a equipe que a encontrou, levou Maria Flor para o Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib).

A recém-nascida chegou a unidade de saúde com 34 centímetros e pesando 2,945 quilos. Internada desde a tarde do último domingo, no hospital, Maria Flor registrou uma piora no seu quadro de saúde nesta segunda-feira.

Segundo a publicação, a Secretaria de Saúde, afirmou que a pequena foi transferida para uma incubadora da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hmib e é acompanhada de perto por uma equipe médica do hospital.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Brasil dispensa visto de entrada para Canadá, EUA, Japão e Austrália

Os brasileiros que desejarem visitar esses países precisam solicitar visto de entrada, conforme as regras vigentes em cada país.
18/03/2019, 20h30

O governo federal publicou hoje (18), no Diário Oficial da União, um decreto dispensando o visto de entrada no Brasil para canadenses, australianos, japoneses e norte-americanos. A medida será anunciada oficialmente pelo presidente Jair Bolsonaro amanhã (19), durante visita oficial aos Estados Unidos. O presidente, acompanhado de sua comitiva, chegou ontem (17) à tarde em Washington.

A dispensa de visto valerá para entrada no país para fins turísticos, de negócio, esportivos ou artísticos, sem intenção de estabelecer residência. As novas regras serão aplicadas para quem permanecer em território brasileiro por até 90 dias, prorrogáveis pelo mesmo período, desde que não ultrapassem 180 dias a cada 12 meses. A dispensa de visto, conforme disposto no decreto, passará a valer a partir de 17 de junho.

Atualmente, os cidadãos desses quatro países utilizam um sistema eletrônico para a obtenção de vistos (E-visa) para entrar no Brasil. Por meio deste programa, os turistas desses países podem fazer a solicitação pela internet. O tempo de análise e entrega do documento dura três dias. No procedimento normal, o prazo chegava a 40 dias.

De acordo com o Ministério do Turismo, a adoção do visto eletrônico já aumentou em 35,2% a emissão de vistos. A expectativa é que, se todos os pedidos de visto feitos em 2018 forem convertidos em viagens, serão 217,8 mil turistas a mais no Brasil. A intenção do governo brasileiro é chegar a 12 milhões de turistas por ano até 2022. Caso consiga, praticamente terá dobrado o número de visitantes em comparação com o número atual, de 6,6 milhões.

A medida é unilateral. Dessa forma, os brasileiros que desejarem visitar esses países precisam solicitar visto de entrada, conforme as regras vigentes em cada país.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.