Goiás

Mulher é presa e duas adolescentes apreendidas suspeitas de matar jovem em Águas Lindas

Além ser agredida com socos, chutes e pedradas a vítima foi morta após receber golpes no pescoço com a ponta de uma garrafa quebrada pelas suspeitas.
19/03/2019, 19h46

Uma mulher, de 25 anos foi presa e duas adolescentes apreendidas em Águas Lindas no Entorno do Distrito Federal (DF) suspeitas de participarem do homícidio da adolescente Ana Clara Santana da Silva, de 13 encontrada com o corpo em estado avançado de decomposição no dia 11 de março deste ano.

Conforme as informações do delegado do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Águas Lindas, Cleber Junio Martins, Ana Clara foi morta por volta das 1h do dia 6 de março deste ano, após sair de casa para curtir o Carnaval.

Segundo o delegado, Ana Clara se encontrou com Maíza e as outras duas suspeitas na terça-feira de Carnaval (5/3) na praça da Bíblia, no Jardim Brasília, onde ocorria uma festa de carnaval.

“Depois de algum tempo, a vítima e as coautoras foram para uma casa de show, onde ficaram por um tempo. Dentro do estabelecimento comercial, as suspeitas perceberam que Ana Clara estava paquerando o namorado de uma das menores”, conta o delegado.

O delegado afirmou também que dias antes de ser morta pelas suspeitas, Ana Clara se relacionou com um rapaz pretendente da outra menor, o que gerou uma intriga entre elas. Conforme Cleber Junio, Maíza alegou em seu depoimento que esse foi um dos motivos para as suspeitas decidirem matar Ana Clara.

Mulher é presas duas adolescentes apreendidas suspeitas de matar jovem em Águas Lindas
FOTO: Divulgação

Adolescente encontrada morta em Águas Lindas adquiriu entorpecentes com Maíza e espalhou que o produto era de péssima qualidade

No depoimento Maísa afirmou que tinha uma outra motivação para querer a morte da vítima. “Ela alegou que dias antes do assassinato, a adolescente adquiriu entorpecentes com ela, uma certa quantidade de lança perfume e não fez o pagamento do produto. Além disso a suspeita afirmou que durante esse período, Ana Clara espalhou pela região que o produto não era de qualidade e prejudicou os negócios de Maíza”, relata o delegado.

Segundo o delegado, as três envolvidas se juntaram e decidiram matar a adolescente. “Elas atraíram Ana Clara para um local ermo, onde a agrediram fisicamente com chutes e socos. Em seguida levaram a vítima para um lote baldio, em que seu cadáver foi encontrado. No lote baldio as coautoras continuaram as agressões com pedras sendo arremessadas contra a cabeça de Ana Clara. Em seguida as três suspeitas quebraram uma garrafa de vidro e com a ponta desferiram golpes no pescoço da vítima até ceifar sua vida”, narra o delegado.

Conforme as investigações, as três envolvidas no assassinato ainda arrastaram o corpo de Ana Clara para o fundo do lote baldio, que foi encontrado seis dia depois do homicídio. Cleber Junio afirmou que depois de matar Ana Clara, Maíza fugiu da cidade e ficou escondida em Samambaia no Distrito Federal na casa de parentes, enquanto as menores seguiram suas vidas normalmente e frequentando à escola como se nada tivesse acontecido.

Cleber Junio afirmou que após a identificação de Maíza solicitou ao Poder Judiciário da Comarca de Águas Linda a prisão preventiva da suspeita e a internação das duas menores. Os mandados de prisão e internação das suspeitas foram cumpridos contra as duas adolescente na última segunda-feira (18/3) e contra Maíza na tarde de hoje.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mais de 30 bairros de Aparecida de Goiânia vão ter o fornecimento de água interrompido

Fornecimento de água deve ser reestabelecido na quinta-feira (21/3) e de forma gradativa.
19/03/2019, 20h35

Uma manutenção periódica para limpeza e desinfecção nos reservatórios do Sistema Independências Mansões, em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital, vai interromper o fornecimento de água na região e aproximadamente 30 bairros do município vão ficar sem água.

O aviso foi feito pela Companhia de Saneamento de Goiás (Sanaego), que informou que o sistema deve ser reestabelecido apenas na quinta-feira (21/3) e vai ocorrer de forma gradativa.

Conforme a companhia, os clientes que não possuem caixa-d`água com maiores dimensões em seu imóvel vão ficar sem água, isso segundo as recomendações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

A Companhia pede aos moradores dos bairros que terão o fornecimento de água interrompido que tenham compreensão e faça o consumo moderado das suas reservas nestes dias.

Os seguinte bairros listados terão o fornecimento de água interrompido durante a manutenção e limpeza do sistema:

Cidade Livre

Parque das Nações (parcial),

Colina Azul

Bairro Independência

Marista Sul

Nova Cidade

Virgínia Park

Jardim Riviera

Rio Vermelho

Parque Hayala

Setor Fabrício

Conde dos Arcos (parcial)

Comendador Walmor

Bairro Independência Mansões

Jardim Florença

Setor dos Estados

Residencial Vilage Garavelo I e II

Setor Serra Dourada I, II e III

Jardim Monte Cristo

Setor Andrade Reis

Parque Itatiaia

Jardim Ipiranga

Jardim Cristalino

Chácara Santa Luzia

Jardim dos Girassóis

Jardim Esplanada

Parque Atalaia

Solar Central Park

Em janeiro manutenção foi feita no sistema Tiradentes

No dia 8 de janeiro de 2019, a Saneago informou que poderia faltar água em diversos bairros de Aparecida de Goiânia na data. Conforme o alerta da companhia, uma limpeza no reservatório Tirandentes, seria a responsável pela ausência do fornecimento no dia.

Na ocasião a Saneago informou que os bairros Ibirapuera; Jardins Tiradentes I e II; Jardim das Cascatas; Jardim Boa Esperança; Residencial Anhembi; Campos Elísios e Colonial Azul, que fazem parte do reservatório Tiradentes. Na ocasião a companhia informou que o abastecimento seria normalizado no mesmo dia.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Confusão: Jorge Kajuru xinga ministro Gilmar Mendes de "bandido", "corrupto" e "canalha"

Após a repercussão, o ministro pediu providências ao presidente do STF.
20/03/2019, 00h24

Em entrevista para a Rádio Bandeirantes de Goiânia na terça-feira (19/3), o senador Jorge Kajuru (PSB), acusou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes de “vender sentenças” para beneficiar políticos.

Conhecido por causa das polêmicas, Jorge Kajuru é senador por Goiás. Cercado de apoiadores, o político se exaltava a cada apoio que recebia por causa das acusações.

Em frente à sede da Polícia Federal (PF) de Goiânia, o senador, que pretende compor a “CPI da Toga”, disse que Gilmar Mendes vai ser o primeiro a ser questionado.

“Queremos saber como você tem 20 milhões de patrimônio. De onde tirou? De Mega Sena? Herança de quem? Foram sentença que você vendeu, seu canalha”, aponta Jorge Kajuru, exaltado, enquanto é aplaudido por apoiadores.

Ainda segundo Kajuru, Gilmar Mendes soltou Beto Richa porque o ministro do STF seria seu sócio: “Beto Richa é sócio dele, Aécio Neves é sócio dele, o Marconi Perillo é sócio dele”.

Gilmar Mendes reage aos ataques de Jorge Kajuru

Por causa dos ataques, Gilmar Mendes pediu, por meio de um ofício enviado ao presidente do STF, Dias Toffoli, que se tome “providências que entender cabíveis” contra o senador Jorge Kajuru.

O vídeo em que mostra Jorge Kajuru fazendo as declarações repercutiram, primeiro, nas redes sociais e, depois, na mídia nacional.

Um dos apoiadores pediu ao senador falar sobre Portugal. “Ele viaja 12 vezes por mês a Portugal com o dinheiro de vocês. Vocês pagam a passagem aérea dele em primeira classe. Ele tem imoveis lá”, disse Kajuru.

Outro ponto polêmica da entrevista é quando Jorge Kajuru acusa o ministro de ter tentado tirar o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva da cadeia.

Após ofício de Gilmar Mendes pedindo providências contra o Kajuru, senadores manifestaram apoio ao colega da Casa. Quando soube do ofício, Kajuru voltou a criticar o ministro: “é um atestado de idoneidade.”

Kajuru segue com seu jeitão desenfreado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Vereadores de Goiânia aprovam abertura de novas vagas para ambulantes em terminais e plataformas

Projeto tramita na Câmara Municipal desde o ano passado.
20/03/2019, 08h11

A Comissão Mista aprovou nesta terça-feira (19/3), o projeto que determina a abertura de novas vagas para vendedores ambulantes nos terminais e plataformas de Goiânia. De acordo com o vereador e presidente da Comissão, Lucas Kitão (PSL), a criação dos novos postos deve obedecer as orientações da Polícia Militar, uma vez que a principal finalidade dos terminais é a mobilidade e conforto dos usuários.

“A gente espera agora que a Prefeitura de Goiânia, o governo do estado, a Câmara Municipal e a Polícia Militar (Batalhão dos Terminais) possam entrar num consenso com os ambulantes, cedendo novas vagas de trabalho, de forma que não prejudique o sustento das famílias e que possa também zelar pela segurança dos usuários nos terminais na plataforma de transporte”, conclui o presidente.

Regulamentação de ambulantes em terminais e plataformas de Goiânia

Em agosto do ano passado, a Câmara Municipal de Goiânia havia aprovado, em primeira votação, o projeto que autoriza a presença de vendedores ambulantes nos terminais de ônibus do transporte coletivo de Goiânia através do cadastro dos autônomos junto a Prefeitura. A proposta altera o Código de Posturas do Município, lei de 1992 que proíbe essa atividade.

A matéria, de autoria do vereador Cabo Senna (PRP), permite a Prefeitura a registrar e regularizar os trabalhadores autônomos – os chamados ‘camelôs’ – que atuam nos terminais de ônibus de Goiânia vendendo alimentos, roupas, acessórios e outros produtos.

De acordo com o vereador, o projeto representa os interesses tanto dos vendedores quanto dos agentes de segurança pública que exercem o patrulhamento dos locais. “Este projeto é para facilitar o trabalho de fiscalização e combate ao crime por parte da polícia e também do cidadão que precisa trabalhar para comer”, explicou.

O projeto, analisado pela Comissão Mista, deve passar por segunda votação no Plenário, antes de ser enviado para análise do prefeito. Se aprovado, ficará a cargo do governo municipal acatar o processo de cadastramento e regularização dos vendedores.

Imagens: Diário do Estado 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Secretária da Economia de Goiás realiza prestação de contas na Assembleia Legislativa

A secretária Cristiane Schmidt deve prestar contas do Governo Estadual relativas ao terceiro quadrimestre de 2018.

Por Ton Paulo
20/03/2019, 08h28

A secretária da Economia do Estado de Goiás, Cristiane Schmidt, deve participar na tarde desta quarta-feira (20/3) de uma audiência na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), onde realizará a prestação das contas públicas referentes ao ano de 2018.

A audiência está prevista para ter início às 14h de hoje, na Comissão de Tributação, Finanças e Orçamento na quarta-feira, 20, para prestar contas do Governo Estadual relativas ao terceiro quadrimestre de 2018. Os trabalhos serão conduzidos pelo presidente da Comissão, deputado Karlos Cabral (PDT), no Auditório Solon Amaral da Assembleia Legislativa.

No lugar da reunião ordinária da Comissão, em que projetos de lei são discutidos e votados, haverá essa audiência pública. A secretária de Economia terá o prazo de 20 minutos para realizar a sua explanação. Atendendo ao critério regimental da proporcionalidade partidária, cada parlamentar presente terá dois minutos para fazer os seus questionamentos.

A participação de Cristiane Schmidt atende a um convite da Comissão de Finanças e está previsto em lei, já que o colegiado é responsável pelo acompanhamento e fiscalização contábil e financeira do Poder Executivo Estadual. A expectativa de Karlos Cabral é de que haja, mais uma vez, um debate salutar sobre a situação fiscal de Goiás.

Presidida pelo deputado Karlos Cabral (PDT), a Comissão de Finanças tem os seguintes membros titulares: Jeferson Rodrigues (PRB), vice-presidente; Helio de Sousa (PSDB), Rubens Marques (Pros), Wagner Neto (Patriota), Bruno Peixoto (MDB), Chico KGL (DEM), Cairo Salim (Pros), Talles Barreto (PSDB), Wilde Cambão (PSD) e Henrique César (PSC).

Em fevereiro, foi a vez do prefeito Iris Rezende realiza a prestação de contas

No dia 25/2, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), apresentou os resultados da administração da capital do último quadrimestre de 2018 aos vereadores da Câmara Municipal de Goiânia. Na sessão, que começou às 8h30, no plenário da Casa, Iris mostrou as finanças, os investimentos e um portfólio de obras. Além disso, o emedebista anunciou, na ocasião, um “equilíbrio nas contas públicas” obtido por Goiânia.

O prefeito também anunciou aos vereadores o cumprimento das metas fiscais estabelecidas pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do ano de 2018.

Paço Municipal afirma que herdou um rombo de R$ 600 milhões de reais e um mensal de R$ 31 milhões da administração anterior. De acordo com os números fornecidos pela assessoria, Goiânia hoje possui um superávit orçamentário de R$ 346 milhões e um superávit primário de R$ 148,1 milhões.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.