Goiás

Passageira morre após veículo atropelar cavalo na BR-153, em Rialma

Com o impacto, o animal, que também morreu, ficou com corpo preso no parabrisa do carro.
22/03/2019, 07h48

Uma idosa de 69 anos morreu depois que o veículo em que ela estava atropelou um cavalo na BR-153, no trevo norte de Rialma, região Central de Goiás. O acidente ocorreu na madrugada desta sexta-feira (22/3). Com o impacto, o animal, que também morreu, ficou com parte do corpo presa no parabrisa do carro.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), tudo aconteceu por volta das 3h30 depois que o carro de passeio, que seguia no sentido Sul para o Norte, cruzou com outro veículo que viajava no sentido oposto e não conseguiu enxergar o animal que estava na pista, momento em que ocorreu o atropelamento.

No carro, modelo GM Celta, estavam o motorista, que é filho da idosa que morreu, a mulher dele e a filha, de apenas dois anos. Os outros três ocupantes do carro foram socorridos e encaminhados para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Ceres.

Cavalo da “olé”em motoristas na BR-060

No início deste ano, um cavalo deu um verdadeiro “olé” nos motoristas que passavam pela BR-060, entre Rio Verde e Jataí, e na PRF. O equino, que estava solto na BR, trotava e corria tranquilamente entre os carros, atrapalhando o trânsito e provocando risco de acidentes. A PRF precisou de cerca de duas horas para capturar o bicho.

O cavalo, conforme a PRF, que transitava entre os quilômteros 381 a 384, na BR-060, entre Rio Verde e Jataí, corria de um lado para o outro, chamando a atenção de quem passava pelo local e provocando lentidão no trânsito, uma vez que os motoristas redobravam a atenção para não haver o risco de atropelamento do bicho.

Ainda segundo a PFF, depois de aproximadamente duas horas, com a ajuda de uma equipe de zoonoses da Prefeitura de Rio Verde, composta por uma veterinária e um motorista, o animal foi apreendido e conduzido à um local seguro.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Lewandowski decide que defesa de João de Deus deve ter acesso a relatório do Coaf

Para o ministro, a restrição aos advogados viola o entendimento do STF e os princípios constitucionais da ampla defesa e do contraditório.
22/03/2019, 08h02

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu a defesa do médium João de Deus e determinou que o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) junte aos autos do inquérito que investiga o líder religioso três relatórios de Informações Financeiras elaborados pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), encaminhados ao MP-GO.

Para Lewandowski, a defesa deve ter acesso integral ao material. O conteúdo dos relatórios teria sido utilizado pela acusação para fundamentar o pedido de prisão preventiva de João de Deus, preso no Complexo Penitenciário de Aparecida de Goiânia desde 16 de dezembro. Mais cedo, o médium também conseguiu uma decisão favorável no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que autorizou a internação do médium no Instituto de Neurologia de Goiânia, para um período inicial de quatro semanas de tratamento.

Lewandowski, que recentemente negou um pedido de liberdade do líder religioso, destacou que a defesa deve ter acesso aos relatórios do Coaf, e que a restrição aos advogados viola o entendimento do STF e os princípios constitucionais da ampla defesa e do contraditório.

Internação

Réu por violação sexual e estupro de vulnerável, João de Deus conseguiu a transferência temporária para o Instituto de Neurologia de Goiânia para tratamento, mas deverá ser acompanhado por escolta policial no local de tratamento médico ou submetido a monitoramento eletrônico, segundo determinações do STJ.

Desde que foi preso, o médium teve vários pedidos de liberdade negados pelos tribunais superiores. A medida determinada pelo ministro do STJ, que não é de liberdade, se dá após apresentação de documentos pela defesa para demonstrar a gravidade do estado de saúde do médium, que possui um aneurisma da aorta abdominal com dissecção e alto risco de ruptura.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Caiado assina decreto que cria parque estadual em Águas Lindas de Goiás

Além do decreto, também será assinado o acordo de cooperação entre o governo federal e os governos de Goiás e Distrito Federal para a implantação do Projeto Produtor de Água na Bacia do Descoberto.

Por Ton Paulo
22/03/2019, 08h23

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), assina nesta sexta-feira (22/3) um decreto que cria o Parque Estadual Águas Lindas, no município de Águas Lindas de Goiás. A assinatura do decreto será feita numa solenidade na Barragem do Descoberto, e além do decreto o governador também vai assinar o acordo de cooperação entre o governo federal e os governos de Goiás e Distrito Federal para a implantação do Projeto Produtor de Água na Bacia do Descoberto.

De acordo com a assessoria do governo, o evento deve ocorrer às 10h de hoje, sexta-feira, na Barragem do Descoberto (BR-070, Km 20), no município de Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, em comemoração ao Dia Mundial da Água.

Ainda conforme a assessoria, o Programa Produtor de Água na Bacia do Descoberto, promovido pela Agência Nacional de Águas (ANA) e desenvolvido pela Saneago e Caesb (Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal), visa a proteção das nascentes nas propriedades rurais localizadas na Bacia, responsável por cerca de 70% da água consumida pela população do Distrito Federal (2,5 milhões de habitantes).

Vão comparecer no evento o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha; o diretor presidente da Agência Nacional de Águas, Vicente Andreu; a secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Goiás, Andréa Vulcanis, e os presidentes da Saneago, Ricardo Soavinski, e da Caesb (Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal), Fernando Leite.

Parque estadual em Águas Lindas de Goiás tem 2 mil hectares

O Parque Estadual Águas Lindas, criado através de decreto do governador, é uma unidade de conservação de proteção integral, constituído de duas áreas distintas, num total de 2 mil hectares, no município de Águas Lindas.

Segundo a assessoria do governo, o parque foi criado com o intuito de preservar as nascentes, os mananciais, a flora e a fauna, bem como controlar a ocupação do solo na região, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

Conforme o decreto estadual, as medidas de proteção e gestão do parque serão estabelecidas pelo Governo de Goiás em parceria com entes responsáveis pela gestão dos recursos hídricos do Distrito Federal.

“Para a Saneago, a criação do parque é de extrema importância para garantir a preservação deste manancial, que hoje já é responsável pelo abastecimento de Santo Antônio do Descoberto e, futuramente, atenderá também a população de Águas Lindas”, afirmou o presidente da Saneago, Ricardo Soavinski.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Donos e engenheiros de construtora de Formosa são presos em operação do MP-GO

Eles são acusados de fraudar licitações, falsificar documentos e suas próprias identidades.

Por Ton Paulo
22/03/2019, 09h59

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) deflagrou na manhã desta sexta-feira (22/3), em Formosa, no entorno de Brasília, uma operação que prendeu os donos e engenheiros de uma construtora que, de acordo com o órgão, seriam integrantes de uma organização criminosa. Eles são acusados de fraudar licitações, falsificar documentos e suas próprias identidades.

De acordo com o MP-GO, a ação se desenrola na Operação Demóstenes, onde foram cumpridos na manhã de hoje quatro mandados de prisão preventiva decretadas pelo juiz Fernando Oliveira Samuel, da 2ª Vara Criminal.

Os alvos da operação são os empresários André Luíz Gontijo de Sousa e Vanessa Maris Araújo Fernandes, proprietários da empresa Mult X Construtora, localizada em Formosa. Além deles, também foram presos os engenheiros Leonardo Machado Ferreira e João Batista Martins Furtado. Investigações realizadas pelo MP-GO trouxeram à tona a existência de uma organização criminosa integrada pelos acusados voltada para a prática de crimes de fraude em licitações, falsidade ideológica e uso de documentos falsos.

De acordo com informações do órgão, oito procedimentos licitatórios que tiveram como objetivo a pavimentação asfáltica, aplicação de lama asfáltica e tapa buraco nas ruas do município de Formosa teriam sido fraudados pela organização criminosa. Além das prisões, o juiz Fernando Oliveira, atendendo pedido do MP-GO, decretou ainda o bloqueio de R$ 5 milhões de reais dos réus como forma de assegurar o ressarcimento dos prejuízos causados aos cofres públicos municipais.

Caso sejam condenados na ação penal proposta estão sujeitos a penas que podem ultrapassar 20 anos de reclusão.

Defesa de proprietários e engenheiro da construtora de Formosa alegou “prisão arbitrária” de seus clientes

Procurado pela reportagem do Dia Online, o advogado dos sócios-proprietários da Mult X Construtora e do engenheiro João Batista Martins Furtado, presos hoje na Operação Demóstenes, Dr. Nilson Ribeiro, disse que ainda não teve acesso aos autos, mas adiantou que a prisão de seus clientes foi arbitrária e que um recurso contra ela será interposto.

O advogado ainda informou que assim que se inteirar do conteúdos dos autos, enviará a esta reportagem uma nota mais abrangente se posicionando sobre a prisão e as acusações que pesam contra seus clientes.

Via: MP-GO 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Corpo de jovem é encontrado ao lado de mala, em Águas Lindas de Goiás

Heloá Jade da Silva Santos, de 19 anos, tinha uma marca de tiro na cabeça.
22/03/2019, 10h07

Uma jovem de 19 anos, identificada como Heloá Jade da Silva Santos, foi encontrada morta na madrugada de quinta-feira (21/3), às margens da BR-070, em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. O corpo, que tinha uma marca de tiro na cabeça, estava ao lado de uma mala.

De acordo com o delegado Fabiano Medeiros Laignier de Souza do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), responsável pelo caso, três pessoas, sendo dois homens e uma mulher, foram presas suspeitas do crime. Um quarto suspeito de envolvimento continua foragido.

A mala que estava ao lado do corpo foi recolhida para perícia. Ainda não se sabe o que motivou o crime.

Jovens mortas em Águas Lindas de Goiás

Neste mês, outras duas jovens foram assassinadas em Águas Lindas de Goiás. Na madrugada do dia 6, Rafaela Martins Cardoso, de 18 anos, desapareceu depois de sair de uma festa. A jovem foi sequestrada, vítima de estupro coletivo e morta por enforcamento. Após o crime, os homens jogaram o corpo de Rafaela dentro de uma cisterna.

Conforme relatado pela família da jovem à polícia, ela, que morava no Setor Águas Bonitas II, estava em uma festa com seu namorado quando decidiu voltar sozinha para casa. Ainda segundo a polícia, nas imediações do Posto Ponteio, no Setor 06, Rafaela foi abordada por quatro indivíduos em um Ford/Escort.

Depois de ser acionada, a equipe policial começou as diligências, e por volta de meia-noite recebeu a informação de que um dos homens que haviam levado Rafaela estaria no Setor Santa Lúcia. Chegando no endereço, a polícia ouviu do suspeito encontrado o local exato onde o corpo de Rafaela havia sido jogado. O carro usado no sequestro também foi encontrado. Quatro envolvidos foram indiciados pelo crime e um quinto suspeito foi assassinado.

Jovem é assassinada por “amigas”

No dia 13, uma adolescente, de 13 anos, identificada como Ana Clara Santana da Silva, foi encontrada morta em um terreno baldio, também em Águas Lindas de Goiás. Ela estava desaparecida há seis dias e o corpo foi encontrado em estado avançado de decomposição. Duas adolescentes foram apreendidas e uma mulher presa suspeitas do crime.

As investigações apontaram que as meninas, que eram “amigas” da vítima, decidiram matá-la porque ela teria “dado em cima” de um jovem que elas gostavam, além de Ana Clara dever dinheiro à mulher que foi presa.

Imagens: Rubiataba Online 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.