Economia

Após morte de 13 cavalos por intoxicação, em Goiás, 17 animais estão em observação

Animais ingeriram aveia misturada a uma semente chamada crotalária, usada nas plantações para adubação verde do solo, que afetou o fígado, envenenando o sangue e o sistema nervoso.
23/03/2019, 16h26

Por meio de nota, a Secretaria de Agricultura (Seagri) do Distrito Federal, informou que ao menos 13 cavalos morreram depois de ingerir ração contaminada, que havia sido vendida em Brasília e cidades de Goiás, localizadas no Entorno. A ingestão do alimento, uma mistura de aveia e uma semente chamada crotalária, usada nas plantações para adubação verde do solo, afetou o fígado, envenenando o sangue e o sistema nervoso dos equinos.

Devido ao risco, outros 17 animais, que também  comeram a ração contaminada, estão em observação. Os casos foram registrados em Formosa, Gama, Taguatinga, Recanto das Emas e no Núcleo Rural Tabatinga, região de Planaltina de Goiás. Os produtores rurais da região estão em alerta.

Ração contaminada causou intoxicação no fígado dos cavalos

Ainda de acordo com a Seagri, além da visita de técnicos do governo nas propriedades para analisar os sintomas clínicos dos animais, após o registro dos casos, a ração foi recolhida para análise na Universidade de Brasília (UnB), onde foi constatado que a semente de crotalária ocasionou a contaminação dos cavalos.

O agricultor responsável pela produção do alimento já foi notificado, mas ainda existe risco de intoxicação de outros animais. “Alteração no comportamento dos animais ou mesmo uma desconfiança da qualidade da aveia oferecida como ração deve ser comunicada para que possamos analisar caso a caso”, alertou a subsecretária de defesa agropecuária da Seagri, Danielle Araújo.

Para Danielle, as sementes podem ter passado desapercebidas por quem produziu, uma vez que elas se assemelham com feijões pequenos. “A gente suspeita que tenham plantado a aveia logo após uma retirada malfeita da crotalária. Então, ela rebrotou junto com a aveia e, na colheita, tudo se misturou”, explicou a subsecretária à Agência Brasília.

Sintomas da intoxicação causada pela ração contaminada

A semente crotalária produz uma substância secundária conhecida como alcaloide pirrolizidínico, que afeta diretamente o funcionamento do fígado, envenenando o sangue e sistema nervoso. Os cavalos podem ser salvos dependendo do porte, resistência e até mesmo da quantidade do consumo da aveia contaminada.

Os sintomas causados pela ingestão da crotalária são: anorexia (alimentação seguida de vômitos); agressividade; atordoamento; descoordenação; andar cambaleante, andar a esmo; tristeza; espasmos musculares; mal-estar geral; cabeça baixa; irritação; patas dianteiras em abdução e galope sem rumo.

Imagens: Flickr 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Esportes

Brasil decepciona com empate contra o Panamá por 1 a 1 e começa o ano sob vaias

Nesta terça-feira (26/3), a seleção faz o último amistoso antes de Tite anunciar o grupo que disputará a Copa América.
23/03/2019, 16h55

A seleção brasileira começou muito mal a temporada de 2019. No primeiro amistoso do ano, neste sábado, não conseguiu ir além do empate por 1 a 1 contra o Panamá, em amistoso no estádio do Dragão, na Cidade do Porto, em Portugal. Ainda que tenha dominado o jogo, como era previsível e obrigatório, a equipe do técnico Tite pecou pela falta de objetividade. Não soube sair da retranca adversária. Não teve criatividade, concluiu muito pouco ao gol adversário e ainda demonstrou insegurança defensiva nas raras vezes em que foi ameaçada.

Foi um péssimo começo de ano para uma equipe que daqui a menos de três meses tentará, em casa, o título da Copa América. Neymar, que não foi convocado por causa da fratura no pé direito da qual ainda está em recuperação, foi ao Porto assistir à partida em um camarote do estádio do Dragão. Detalhe: o Panamá não ganha há quase um ano e contra o Brasil obteve apenas o terceiro empate neste período – são nove derrotas, portanto.

Nem mesmo os testes feitos por Tite podem ser considerados positivos. Lucas Paquetá teve mais bons do que maus momentos e ainda fez o gol brasileiro. Mas esteve longe de encantar. Alex Telles ainda teve a seu favor o bom primeiro tempo. E Eder Militão a rigor não foi testado.

O meio de campo com Casemiro, Arthur e Lucas Paquetá mostrou que pode render frutos. Mas não evoluiu como esperado diante de um time bastante defensivo. Philippe Coutinho teve poucos momentos de efetividade e no segundo tempo acabou sumindo do jogo. Roberto Firmino e depois Gabriel Jesus pouco fizeram. Richarlison lutou bastante, mas perdeu gol incrível.

Nesta terça-feira, a seleção faz o último amistoso antes de Tite anunciar o grupo que disputará a Copa América. Enfrenta a República Checa, em Praga, às 16h45 (de Brasília), e o treinador vai escalar vários titulares. Na defesa, por exemplo, o goleiro Alisson, os zagueiros Thiago Silva e Miranda e o lateral-esquerdo Alex Sandro deverão começar a partida. Marquinhos também tem chance.

O jogo

Com o Panamá bastante fechado – duas linhas defensivas, uma com cinco jogadores e outra, posicionada um pouco mais à frente, com quatro -, a seleção brasileira teve dificuldade de penetração nos 20 primeiros minutos. O time trocava passes, mas não conseguia jogar de maneira vertical. Basicamente, só levava algum perigo aos panamenhos em bolas alçadas na área.

Foi assim que Roberto Firmino teve boa chance de cabeça, aos 17 minutos, após cruzamento de Alex Telles, mas a bola foi para fora. Mesmo com dificuldade, o meio de campo do Brasil se movimentava bem. Lucas Paquetá, jogando mais centralizado, se mexia e procurava ocupar espaços, mas não conseguia dar sequência às jogadas. Arthur procurava chegar de surpresa na entrada da área e foi desse setor que bateu duas vezes seguidas, à direita do gol de Mejía, aos 21 e 22 minutos.

Philippe Coutinho, pela esquerda, estava apagado, apesar do apoio do estreante Alex Telles, que aproveitava o posicionamento recuado do adversário para avançar. Telles, por sinal, fez um bom primeiro tempo. Na frente, Roberto Firmino, mais fixo perto da área, tocava pouco na bola. Richarlison, pela direita, participava mais, mas sem grande efetividade.

Ainda assim, foi Roberto Firmino que sofreu uma falta na meia-lua da área aos 25 minutos, após uma roubada de bola, que Philippe Coutinho cobrou mal, por cima do gol.

O Brasil, porém, era melhor e chegou ao gol aos 31 minutos. Casemiro, capitão do time neste sábado, cruzou da intermediária, Lucas Paquetá entrou por trás da zaga e emendou de primeira, ainda contando com a colaboração do goleiro Mejía para marcar.

Naquela altura, Tite já havia invertido o posicionamento dos meias e tanto a produção de Philippe Coutinho, mais centralizado, como a de Lucas Paquetá, pela esquerda, melhorou.

A defesa do Brasil não tinha trabalho, pois o Panamá não atacava e foi rondar a área de Ederson pela primeira vez somente aos 28 minutos. Mas uma falha até infantil da seleção permitiu ao adversário empatar a partida, embora com um gol irregular. Aos 35, após falta de Richarlison, que entrou atabalhoadamente em Cooper na intermediária, a bola foi alçada na área, a defesa brasileira fez a linha de impedimento, mas saiu de maneira descoordenada – e Richarlison correu em direção à área brasileira. Isso talvez tenha confundido o auxiliar, que não percebeu que Machado havia se adiantado para, impedido, desviar de cabeça do alcance de Ederson.

O Brasil, depois disso, manteve o domínio, mas a dificuldade de finalização permaneceu até o final da etapa.

No segundo tempo, a seleção, claro, manteve o controle da bola e concluiu duas vezes em oito minutos. Richarlison acertou o travessão com um chute de primeira após cruzamento de Fagner, aos cinco minutos, e Lucas Paquetá viu a “brecha” e bateu de fora da área aos 8.

Cinco minutos depois, Roberto Firmino ajeitou com um toque sutil e Lucas Paquetá bateu novamente de primeira, mas chutou em cima de Mejía. Foi a última jogada dos dois, substituídos em seguida por Gabriel Jesus e Everton, respectivamente.

A partir de então, a seleção passou a ter Philippe Coutinho definitivamente centralizado e o ataque com Richarlison pela direita, Gabriel Jesus de centroavante e Everton pela esquerda.

Mas o tempo passava e o empate permanecia. E o Panamá vez ou outra atacava. Em uma dessas ocasiões, após outra cobrança de falta contra a área de Ederson em que o Brasil utilizou a tática do impedimento, Gabriel Torres acertou o travessão, mas desta vez a arbitragem assinalou a condição irregular do atacante.

Pressionar a seleção pressionava. Chutar, chutava. Mas nada de o gol sair. Richarlison cresceu bastante, com boas jogadas individuais. Mas aos 25 minutos perdeu na pequena área, chutando por cima o rebote de uma bola cabeceada por Casemiro no travessão.

Felipe Anderson entrou no lugar de Arthur, que estava bem no jogo, movimentou-se e correu bastante e ajudou na “blitz” que a seleção tentou a fazer na parte final da partida. Mas, a partir dos 35 minutos, a impressão dada foi que o time se conformou com a dificuldade que estava encontrando. Até as oportunidades de gol se tornaram raras.

Com isso, os minutos finais da partida tornaram-se um suplício para os jogadores – e para os torcedores no estádio do Dragão. E aos 49 minutos quase que o Panamá vira o jogo. Consequência: a seleção saiu vaiada de campo. Um péssimo começo de ano.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 1 x 1 PANAMÁ

BRASIL – Ederson; Fagner, Eder Militão, Miranda e Alex Telles; Casemiro, Arthur (Felipe Anderson), Lucas Paquetá (Everton) e Philippe Coutinho; Richarlison e Roberto Firmino (Gabriel Jesus). Técnico: Tite.

PANAMÁ – Mejía; Murillo (Backman), Machado, Cummings, Escobar e Davis; Godoy, Cooper (Walker), José Rodríguez (Arroio) e Quintero (Braune); Gabriel Torres (Fajardo). Técnico: Julio Dely Valdés.

GOLS – Lucas Paquetá, aos 31, e Machado, aos 35 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Richarlison (Brasil); Cummings e Mejía (Panamá).

ÁRBITRO – João Pinheiro (Fifa/Portugal).

RENDA – Não disponível.

PÚBLICO – 39.410 pessoas.

LOCAL – Estádio do Dragão, na Cidade do Porto (Portugal).

Imagens: Istoé 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Idoso suspeito de abusar de filho de cuidadora apanha de vizinhos, em Anápolis

Homem, de 72 anos, confessou o crime.
23/03/2019, 18h06

Um idoso foi preso suspeito de abusar de filho de sua cuidadora, uma criança de apenas quatro anos, no Setor Santos Dumont, em Anápolis, a 55 quilômetros de Goiânia. Após o crime, flagrado pela mãe da criança, o homem, de 72 anos, teria apanhado dos vizinhos. De acordo com informações da Polícia Militar de Goiás (PMGO), depois de ser preso, em depoimento, ele confessou aos policiais militares e civis que abusou do menino, o obrigando a fazer sexo oral nele.

Segundo consta no registro de ocorrência, o caso foi descoberto pela mãe da vítima, que trabalha como cuidadora do suspeito. Ao ver a cena, a mulher gritou apavorada e chamou a atenção dos vizinhos, que logo chegaram ao local. Ao saber do ocorrido, eles bateram no idoso, mas deixaram a residência antes da chegada da polícia. O crime ocorreu na tarde da última quinta-feira (21/3).

Idoso já teria tentado abusar de filho de cuidadora, em Anápolis

Ainda de acordo com a ocorrência, a criança relatou aos PMs que o homem já havia tentado abusar dele em outras ocasiões. Logo após a prisão do suspeito, o menino foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde passou por exames de corpo de delito, acompanhado de um conselheiro tutelar. A criança e a família devem receber apoio psicológico.

Após a conclusão, os laudos devem ser encaminhados á Polícia Civil. O caso será investigado pela  Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), sob responsabilidade da delegada Kênia Segantini. O idoso, que foi levado para a Central de Flagrantes, foi indiciado por estupro de vulnerável.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Advogado da Goinfra é encontrado morto dentro do carro, em Goiânia

Oswaldo saiu de casa na última sexta-feira (22/3) para trabalhar, mas não retornou para sua residência.
24/03/2019, 14h03

Desaparecido desde à tarde da última sexta-feira (22/3) quando saiu de casa para trabalhar na Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), antiga Agetop, o corpo do advogado Oswaldo Leão Neto, de 51 anos, foi encontrado dentro de seu veículo no início da tarde deste domingo (24/3), no Centro de Goiânia.

Conforme matéria veiculada em um jornal local, a família afirmou que a última informação sobre o veículo de Oswaldo foi registrada na sexta-feira, no Setor Oeste, próximo a sua residência a caminho do trabalho.

Os familiares do advogado afirmaram que o rastreador do carro um Kia Sportage de cor prata foi desligado no dia, em que o advogado desapareceu.Oswaldo trabalhou por muitos anos na Casa Civil do Estado de Goiás e na atual gestão estaria passou a integrar o quadro de funcionários da Goinfra.

Policial Civil encontrou o carro do advogado na porta de um hospital no centro de Goiânia

Dia Online conversou com o delegado de plantão da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) Francisco Costa, e afirmou que o veículo foi encontrado parado na frente do hospital por um policial civil.

“Desde sexta-feira foi registrada a ocorrência do desaparecimento dele e um policial civil que passava pelo local avistou o carro, e como tinha ciência da ocorrência e o veículo estava próximo a um hospital, chamou um médico para verificar se Oswaldo estava vivo. Em seguida o Corpo de Bombeiros foi acionado e constatou o óbito”, explica o delegado.

Segundo as informações do delegado, aparentemente não foram encontradas marcas de agressão pelo corpo da vítima e apenas o laudo cadavérico do Instituto Médico Legal (IML) vai determinar as causas da morte do advogado.

Através de nota publicada, a Goinfra lamentou a morte de Oswaldo Leão Neto e prestou suas condolências a família do servidor público.

Confira a nota:

“É com consternação que a equipe da Goinfra recebeu a triste notícia do falecimento do advogado e servidor da pasta, Oswaldo Leão Neto. Nossos sentimentos aos familiares e amigos neste momento de grande dor. Prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames.”

FOTO: Reprodução

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Anatel inicia bloqueio de celulares irregulares em 15 estados

O bloqueio nesses estados é a última fase do cronograma do Projeto Celular Legal, iniciado em setembro.
24/03/2019, 14h25

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) está realizando hoje (24), em 15 estados, o bloqueio de telefones celulares sem certificação. Vão deixar de funcionar os aparelhos que não têm o selo de certificação da agência, que garante a compatibilidade com as redes de telefonia no Brasil.

Estão sendo bloqueados aparelhos irregulares em São Paulo e Minas Gerias, nos nove estados do Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe); e em quatro estados da Região Norte (Amapá, Amazonas, Pará e Roraima).

O bloqueio nesses estados é a última fase do cronograma do Projeto Celular Legal, iniciado em setembro. A Anatel enviou 531 mil mensagens de aviso de desligamento a celulares irregulares. Até o momento, foram bloqueados mais de 244 mil celulares em todo o país. O estado com mais celulares desligados é Goiás: 85,9 mil, conforme planilha da Anatel. O selo da Anatel é colado atrás da bateria do aparelho ou no manual do telefone.

Segundo a agência, “o celular sem certificação não passou pelos testes necessários” e “pode aquecer, dar choques elétricos, emitir radiação, explodir e causar incêndio”. Além da segurança dos usuários, a Anatel assinala que o bloqueio reduz o número de roubos e furtos de celulares, combatendo a falsificação e clonagem de IMEIs (número de identificação do aparelho), que é único e global.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.