Trânsito

Van escolar em Goiânia que colidiu com carro fazia transporte clandestino de crianças

O motorista não era habilitado para conduzir esse tipo de veículo e não estava autorizado a carregar crianças. Ele responderá por crimes.

Por Ton Paulo
27/03/2019, 12h28

A van escolar que colidiu com um carro na manhã desta quarta-feira (27/3), no setor Jardim Guanabara, em Goiânia, estava repleta de irregularidades e fazia transporte clandestino de crianças. De acordo com a Delegacia de Crimes de Trânsito (DICT), o motorista não era habilitado para conduzir esse tipo de veículo e não estava autorizado a carregar crianças.

Conforme a DICT, o acidente ocorreu hoje, por volta de 6h50. João Barros da Silva, de 53 anos, conduzia uma van escolar, um microônibus Hyundai/H100 GLS, cor prata, pela Rua Porto Nacional, na pista de sentido aproximado Aeroporto/Av. Vera Cruz. Simultaneamente, Vicente Júnior Maciel Aurélio, de 24 anos, conduzia um automóvel Ônix, cor prata, trafegando pela Rua Belo Horizonte, na pista de sentido aproximado bairro/centro, quando no cruzamento das vias ocorreu a colisão entre os veículos.

Ainda de acordo com a DICT, o cruzamento das vias estava sem sinalização, mas segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) em local não sinalizado a preferência é de quem trafega à direita, no caso em questão, o condutor do Ônix. Segundo

O motorista da van escolar não era habilitado na categoria profissional para transporte de passageiros, e segundo informações a van escolar fazia transporte clandestino. No momento do acidente havia doze pessoas na van, sendo 10 crianças, o motorista e uma ajudante. O motorista e sete crianças foram socorridos pelo resgate e encaminhados para unidades de saúde, sendo cinco crianças socorridas pelo Corpo de Bombeiros e duas crianças pelo Samu.

Ambos os condutores foram submetidos ao teste do bafômetro, cujo resultado foi negativo.

Crianças feridas no acidente com a van escolar já receberam alta médica

Segundo informações da DICT, as crianças envolvidas no acidente têm entre dois e 10 anos de idade. A delegacia conseguiu contato com os pais de sete crianças, e foi informada de que três crianças não sofreram lesões e deixaram o local do acidente com os pais, outras três sofreram lesões leves e já receberam alta médica, e apenas uma continua aguardando exames em uma unidade de saúde.

Motorista que conduzia transporte clandestino responderá por crimes

Para o transporte escolar é exigido que o motorista tenha categoria D (o motorista possui a B); curso de 50 horas ministrado pelo DETRAN; exames médicos e toxicológico; que o veículo tenha equipamentos de segurança e que tenha até nove anos de uso para ingressar no serviço (a van é de 2000). E autorização da SMT para funcionamento. Dentre outros requisitos.

O motorista responderá pelo transporte irregular: por usurpação de função por exercer atividade sem obedecer os requisitos e por expor as crianças a perigo. E pelo acidente, responderá por lesões corporais conforme o Código de Trânsito .

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Empresários são presos temporariamente na sexta fase da Operação Mãos à Obra, em Planaltina de Goiás

A operação investiga irregularidades nos acordos firmados pela Câmara Municipal de Planaltina de Goiás durante a gestão do ex-presidente da Casa.
27/03/2019, 14h49

A sexta fase da Operação Mãos à Obra foi deflagrada nesta quarta-feira (27/3) pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) e cumpriu quatro mandados de prisão temporária em Planaltina de Goiás, no entorno do Distrito Federal (DF). A operação investiga irregularidades nos acordos firmados pela Câmara Municipal de Planaltina de Goiás durante a gestão do ex-presidente da casa André Luiz Magalhães, mais conhecido como Pastor André.

A ação de hoje cumpriu quatro mandados de prisão temporária contra empresários suspeitos de envolvimento no esquema. Conforme o MPGO o juiz Gustavo Costa Borges acatou o pedido e determinou a prisão dos empresários.

Nesta fase da operação, os contratos firmados pela Câmara com as empresas Líder Radiodifusão, Agência de Publicidade e Eventos Ltda-ME, que têm como donos Fábio José de Souza Rodrigues e Jonathan Martins Rodrigues, além da Talismã Veículos Ltda da qual Juliano Igor Caixeta é sócio e Anderson Dias Campos procurador são investigados pelo MPGO.

Operação Mãos à Obra investiga contratação de empresa de publicidade e compra de carros para o Legislativo de Planaltina de Goiás

Os mandados de prisão temporária foram expedidos em desfavor dos empresários, pois as empresas das quais são donos foram vencedoras dos processos licitatórios irregulares feitos pela Câmara na gestão do ex-presidente da Casa, em 2017, e terminaram com a contratação da empresa de publicidade e na compra de veículos para o poder legislativo do município. Conforme as investigações do MPGO, os contratos assinados com as empresas chegaram aos valores de R$ 72.050,00 e R$ 257.200,00 respectivamente.

Segundo o Ministério, as investigações mostraram que referente ao contrato para publicidade, os documentos do processo de licitação foram forjados e que não existia nenhuma licitação para a contratação de uma empresa especializada no serviços de assessoria de comunicação na Câmara de Planaltina de Goiás, e que a empresa contratada não presto qualquer serviço ao Legislativo.

O MPGO afirmou ainda que o contrato para a compra dos veículos demonstram a aquisição de quatro carros novos, mas apenas dois foram entregues.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

No segundo dia, mutirão de emprego atrai fila em São Paulo

No primeiro dia, foram distribuídas 4,5 mil senhas para atendimento posterior, que poderá ser feito até sexta-feira (29).
27/03/2019, 15h38

O mutirão do emprego atrai, pelo segundo dia, uma fila de desempregados no centro de São Paulo. São oferecidas 6 mil vagas em diversas áreas, como empacotador, balconista, repositor, atendente, operador de caixa e atendente de telemarketing. Ontem, no primeiro dia, foram distribuídas 4,5 mil senhas para atendimento posterior, que poderá ser feito até sexta-feira (29).

A fila chegou a lotar o Vale do Anhangabaú, próximo à prefeitura. Hoje, em fila menor, são atendidos apenas os trabalhadores que já retiraram a senha.Donizete Pereira, 55 anos, é aposentado, mas o auxílio recebido não é suficiente para seu sustento. “Quero uma vaga dentro do estoque, de ajudante geral.

Qualquer vaga estou aceitando. Estou há três anos sem emprego. Minha família me ajuda”, disse.Também desempregada há três anos, Verônica Mesquita, 43 anos, obtém renda com trabalho informal na venda de bombons. “Eu preciso de uma vaga de meio período para cuidar do meu irmão autista”, disse.

Ela busca emprego de auxiliar financeira ou operadora de caixa.Pedro Franco dos Santos Filho procura um emprego aos 65 anos. “Sou pintor e, registrado, estou sem trabalho há um ano. De lá pra cá, venho fazendo alguns bicos. Ainda bem que meu filho já é casado e não depende de mim”, disse.

Documentação

Quem já retirou a senha precisou apresentar hoje a carteira de identidade, o CPF, a carteira de trabalho e o currículo impresso. Depois de passar pela entrevista de pré-seleção, feita pelas empresas, os candidatos têm acesso às vagas disponíveis no Sistema Nacional de Emprego e podem também emitir primeira ou segunda via da carteira de trabalho. Basta apresentar o RG, CPF e uma foto 3×4 atualizada.Os cargos com mais oportunidades são telemarketing e operador de loja, com mais de mil oportunidades cada.

O mutirão, que segue até sexta-feira (29), está sendo organizado pela prefeitura e pelo Sindicato dos Comerciários de São Paulo.

Imagens: Agência Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Em Planaltina, 2.500 pessoas fazem fila para entregar currículo em restaurante

Na fila, que atingiu cerca de 1 quilômetro de extensão, havia pessoas que chegaram à meia-noite de hoje e dormiram por lá mesmo. Ao todo, 100 vagas estão sendo oferecidas.

Por Ton Paulo
27/03/2019, 15h41

O desemprego é uma das maiores preocupações do brasileiro, e esse mesmo problema tem assombrado o país com força. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 12,7 milhões de brasileiros estavam sem emprego no trimestre entre novembro de 2018 e janeiro de 2019, aproximadamente 12% da população apta para trabalhar. Esse fenômeno acaba criando cenas impactantes, como uma fila formada por aproximadamente 2.500 pessoas nesta quarta-feira (27/3) para entregar currículo em um restaurante de Planaltina, região de Brasília.

A situação foi registrada nesta manhã, em Planaltina. A fila, composta por mais ou menos 2.500 pessoas para entregar currículos no restaurante, que ainda nem foi inaugurado, atingiu aproximadamente 1 quilômetro de extensão. Ao todo, 100 vagas estão sendo oferecidas pelo estabelecimento para os cargos de atendente, operador de caixa, cozinheiro, auxiliar de cozinha, serviços gerais, garçom, auxiliar de garçom, pizzaiolo e churrasqueiro.

Segundo Fabricio Silva Alves, gerente responsável pelas contratações, a um veículo local , os candidatos às vagas de emprego divulgadas começaram a chegar por volta de meia-noite no local e dormiram na fila. O anúncio feito pelo novo empreendimento informava que 100 vagas de emprego seriam abertas e que os currículos seriam recebidos hoje.

Ainda segundo o gerente, não estão sendo feitas exigências de experiência ou nível de escolaridade. De acordo com ele, será feita uma “mescla de pessoas que têm experiência e de quem nunca trabalhou na área”, o que poderia justificar, também, a grande procura.

Restaurante de Planaltina onde se formou e gigantesca fila será aberto em maio

O restaurante onde se formou a fila com milhares de pessoas para concorrer a uma vaga será inaugurado em maio deste ano.

De acordo com um jornal local, as entrevistas para preenchimento das vagas devem começar a ser feitas ainda nesta semana. Fabrício, o gerente de contratação, informou que vai receber o currículo de todos que estiverem na fila, “independente de quem passou a noite esperando ou não”.

Ele ainda disse que as contratações devem acontecer logo, pois os selecionados passarão por treinamento. Os currículos para vagas na nova filial devem ser entregues pessoalmente até às 14h. A construção está localizada na Avenida Independência, Vila Nossa Senhora de Fátima, próximo ao câmpus da Universidade de Brasília (UnB), em Planaltina, Distrito Federal.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Servidor de escola municipal mostrou órgão genital e vídeos pornográficos para alunos, em Goiânia

Funcionário foi ouvido e liberado, pois não houve flagrante e ele vai responder por estupro de vulnerável.
27/03/2019, 16h08

Um servidor público de uma Escola Municipal no setor Criméia oeste, em Goiânia, foi encaminhado na manhã desta quarta-feira (27/3) pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) à Central de Flagrantes da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO), para prestar depoimento sobre as denúncias feitas por pais de alunos de que o servidor mostrou o órgão genital e vídeos pornográficos para as crianças, além de tocar e gravar vídeo dos estudantes na hora do sono na instituição de ensino, que é de tempo integral.

Dia Online conversou com o GCM Júlio Simões que atendeu a ocorrência na manhã de hoje e contou como foi essa história. “O pai de um aluno da escola fez a denúncia e contou que o filho chegou assustado em casa ontem, pois o professor abriu o zíper e mostrou o órgão genital para ele”, conta o guarda.

Segundo o relato do guarda, além da criança que revelou o que ocorreu ao pai, a diretora da escola também foi informada sobre a ação do servidor. “Além do menino que contou para o pai, a diretora foi procurada por outros quatro alunos da instituição que relataram o mesmo. Inclusive que na hora do sono, pois o colégio é de tempo integral, ele aproveitava para passar as mãos nas crianças”, explica o GCM.

Servidor aproveitava momento da soneca das crianças para passar a mão nelas

Conforme as informações do guarda, no relato das crianças, o professor aproveitava enquanto as crianças estavam dormindo para passar a mão nos alunos, no caso das meninas passava a mão no cabelo e na barriga; já em relação aos meninos, eles contaram que o servidor chegou a pegar no órgão genital deles.

“Aos poucos ele vinha conquistando as crianças dando balinhas e tentado se aproximar delas, para poder tocar nelas e mostrar vídeos com conteúdos pornográficos”, informou Simões. De acordo com o guarda, o funcionário da escola havia passado por outras três instituições até chegar a atual e foi preso em duas oportunidades por difamação e ameaça.

O servidor prestou depoimento na Central de Flagrante e foi liberado em seguida, pois não houve flagrante do crime. Conforme a GCM, o professor foi autuado por estupro de vulnerável, o caso vai ser investigado pela Delegacia Estadual de Proteção à Criança e ao Adolescente de Aparecida de Goiânia (DPCA).

Por meio de nota a Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) informou que o caso está sendo apurado pelas autoridades policiais e que acompanha de perto. A SME afirmou ainda que repudia qualquer ato dessa natureza e que está abrindo uma sindicância para apurar as denúncias e tomar as medidas legais cabíveis.

Confira a nota

“A Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) informa que a situação já está sob apuração das autoridades policiais e frisa acompanhar o caso. A SME frisa repudiar qualquer ato desta natureza e esclarece, ainda, que está abrindo processo de sindicância para apurar e tomar as medidas legais cabíveis.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.