Goiás

Pelo menos 11 presos fugiram do presídio de Uruaçu

Detentos serraram a grade da cela e depois pularam o muro da unidade.
31/03/2019, 16h02

Durante a manhã deste domingo (31/3) ao menos 11 presos do presídio de Uruaçu, fugiram da unidade após serrar a grade da cela onde estavam e pular o muro da unidade prisional.

Conforme a Diretoria de Administração Penitenciária (DGAP), após a fuga do presos, as equipes da DGAP estão trabalhando para prender os 11 fugitivos.

Em nota a DGAP afirmou que trabalhar em conjunto com as forças policiais da região em busca dos foragidos. A diretoria informou também que foi instaurado um processo administrativo na unidade para apurar a fuga dos presos.

Com o intuito de localizar os prisioneiros que fugiram do presídio, a DGAP tem divulgada os nomes e fotos dos presos e pede para quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro dos fugitivos entrar em contato pelo 197 da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO), pelo 190 da Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) ou informe a Ouvidoria da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás pelo número (62) 3201-1212.

Saiba quem são os presos fugitivos

Estão foragidos após a fuga de hoje da unidade prisional de Uruaçu Antônio Ferreira dos Santos, Cleibiomar Alves da Silva, Hans Henrique Antunes de Sauvios, Idalécio de Jesus Santos, Jair de Holanda, João Batista Leite Soares, Luiz Gonzaga Abreu Neto, Osleane Gomes de Souza, Rodrigo Melo Benigno, Victor Hugo Silva e Wesley Júnior Alves da Silva.

Presos de Mineiros tentaram fuga, mas agentes penitenciários frustaram a fuga

Após o Natal, presos do presídio de Mineiros tiveram o plano de fuga frustrado pelos agentes penitenciários da unidade prisional, após eles descobrirem um túnel feito em uma das celas da unidade.

Na ocasião a DGAP afirmou que descobriu o plano dos detentos, após a troca de informações entre o serviço de inteligência e os agente penitenciários do presídio. Com as informações em mãos, os servidores da unidade foram até a ala B do presídio e encontraram o túnel que seria utilizado para uma fuga em massa da penitenciária.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Desembargadora concede habeas corpus a casal preso durante a Operação Decantação 2, em Goiânia

Os outros três presos durante a ação tiveram o pedido de liberdade concedido no último sábado (30/3).
31/03/2019, 17h03

Presos durante a Operação Decantação 2 da Polícia Federal (PF), deflagrada na última quinta-feira (28/3), o casal de proprietários da Sanefer, Carlos Eduardo Pereira da Costa e Nilvane Tomás de Sousa Costa, tiveram o pedido de habeas corpus concedido na tarde deste domingo (31/3) pela desembargadora federal Maria do Carmo Cardoso.

Com o habeas corpus para liberação do casal, todos os cincos presos durante a operação foram liberados. O ação da PF, investiga o desvio de verbas da Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago).

Durante ação foram cumpridos cinco mandados de prisão e oito de busca e apreensão, um dos mandados de busca e apreensão foi em um condomínio em que mora o ex-governador de Goiás, José Elton (PSDB).

A desembargadora alegou que não havia nenhum fato ou atuação para que os casal fosse mantido preso. No dia anterior a magistrada havia concedido o habeas corpus de Luiz Alberto de Oliveira (Bambu), que chegou a chefiar o gabinete do ex-governador Marconi Perillo (PSDB), a filha dele, Gisella Albuquerque.

Advogado do casal preso durante a Operação Decantação 2 afirmou que dinheiro encontrado foi declarado no imposto de renda

No dia da ação da PF, os policiais encontraram com o ex-chefe de gabinete e com a filha dele o equivalente a R$2,3 milhões de reais.

Segundo a publicação de um Jornal local, o advogado do casal, Pedro Márcio Siqueira, afirmou que o dinheiro é de origem lícita e declarado no Imposto de Renda, pela compra de um apartamento. Em relação as armas encontradas cm o casal, o advogado afirmou que todas são registradas conforme determina a lei.

Além deles também foi preso o ex-diretor de gestão corporativa da Saneago, Robson Salazar e ele foi o primeiro a ter o pedido de liberdade concedido pela desembargadora. Os advogados de defesa do ex-diretor afirmaram que a prisão dele foi desnecessária e que a defesa prévia do seu cliente foi feita há mais de um ano, mas não foi apreciada.

O ex-governador José Eliton poderia ter sido preso durante a operação, porém o pedido contra o ex-gestor foi negado por um juiz federal. Na última sexta-feira (29/3), o ex-governador compareceu à sede da PF em Goiânia para prestar depoimento sobre as denúncias e negou todas as acusações.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Educação

Pedido de isenção da inscrição do Enem começa nesta segunda-feira

Pedido de isenção vai poder ser feito até às 23h59 do dia 10 de abril.
31/03/2019, 17h32

Estudantes que querem fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem solicitar, a partir de amanhã (1º) a isenção da taxa de inscrição. Para não pagar a taxa, os candidatos devem atender os critérios de isenção. O pedido é feito pela Página do Participante, na internet. A taxa do exame este ano é R$ 85.

Podem solicitar a isenção da taxa os estudantes que estão cursando a última série do ensino médio, em 2019, em escola da rede pública; aqueles que cursaram todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada, com renda, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio, que em valores de 2019, equivale a R$ 1.497.

São também isentos os participantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, ou seja, membros de família de baixa renda com Número de Identificação Social (NIS), único e válido, com renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo, ou R$ R$ 499, ou renda familiar mensal de até três salários mínimos, ou R$ 2.994.

Prazos

O pedido de isenção poderá ser feito, conforme o edital do exame, a partir das 10h, no horário de Brasília, do dia 1º de abril até as 23h59 do dia 10 de abril. No mesmo período, os estudantes isentos no ano ano passado que faltaram ao exame, podem apresentar justificativa e solicitar novamente a isenção.

No dia 17 de abril, o Inep vai divulgar a lista, também no portal do Enem, daqueles cujo pedido foi aprovado.

Os participantes que forem reprovados poderão entrar com recurso, no período de 22 a 26 de abril, na Página do Participante. O resultado do recurso será divulgado, no mesmo endereço, a partir do dia 2 de maio.

Enem 2019

As inscrições para o Enem deverão ser feitas no período de 6 a 17 de maio. Os participantes que tiveram ou não a isenção aprovada também devem fazer a inscrição para participar do exame.

O Enem será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. No primeiro dia de prova, os participantes responderão a questões de linguagens e ciências humanas e farão a prova de redação. Para isso, terão 5h30.

No segundo dia, os estudantes terão 5h para resolver as provas de ciências da natureza e matemática.

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados no Portal do Inep e no aplicativo oficial do Enem até o dia 13 de novembro. O resultado será divulgado, conforme o edital, em data a ser divulgada posteriormente.

As notas do Enem podem ser usadas para ingressar em instituição pública pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para obter bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superio pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Audiência discute implementação de transporte coletivo em cidades do interior de Goiás

Segundo autor da proposta, nova modalidade deve complementar o transporte coletivo existente e não substituí-lo.
01/04/2019, 08h06

Deputados, prefeitos e representantes de empresas do transporte coletivo discutem, nesta segunda-feira (1/4), em audiência pública, a implementação de linhas complementares em cidades do interior de Goiás. O objetivo das chamadas linhas complementares é propor uma nova alternativa para os cidadãos, já que existem reclamações frequentes sobre a má qualidade do transporte oferecido.

O evento está marcado para às 9h de hoje, no Auditório Solon Amaral da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Devem participar da reunião o presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC), Fernando Meirelles, representando o prefeito Iris Rezende (MDB); os prefeitos de Anápolis, Aragoiânia, Bonfinópolis, Caturaí, Goianápolis, Nerópolis, Santo Antônio de Goiás, Santa Bárbara e Terezópolis; e representantes de Brazabrantes, Guapó, Trindade, Águas Lindas e Luziânia.

Transporte complementar em cidades do interior de Goiás

A audiência foi proposta pelo deputado Alysson Lima (PRB), e segundo ele, a nova modalidade deve complementar o transporte coletivo existente e não substituí-lo. Ainda de acordo com o parlamentar, esta pode ser uma boa alternativa para os cidadãos, já que existem reclamações frequentes sobre a má qualidade do transporte oferecido em Goiânia e cidades da Região Metropolitana.

Aumento da passagem de ônibus no transporte público

A reunião da Câmara Deliberativa de Transporte Coletivo (CDTC) marcada para a última terça-feira (26/3) para discutir e definir o novo valor da passagem de ônibus em Goiânia e na Região Metropolitana foi adiada pela segunda vez. Uma nova data não foi informada.

No último dia 18, os cálculos de reajuste da tarifa foram aprovados em uma reunião do Conselho Regulador da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização dos Serviços Públicos (AGR). Esses cálculos devem ser analisados pela CDTC e se aprovados, a passagem pode custar até R$ 4,30. Atualmente, a tarifa do transporte público custa R$ 4,00.

Sete dias após a provação dos cálculos, no dia 25 de março, um grupo de deputados protocolou, junto ao Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), um requerimento contra o aumento da passagem de ônibus em Goiânia e na Região Metropolitana. A promotora Leila Maria de Oliveira deve avaliar a proposta.

Imagens: Diário de Goiás 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Bancos criam crediário no cartão; saiba como funciona

Prazos de pagamento poderão chegar a 36 meses.
01/04/2019, 08h35

Ao colocar o cartão em uma maquininha, o consumidor vai se deparar com mais uma maneira de pagar as compras no crédito: o crediário. A modalidade, anunciada na última semana pela associação de empresas do setor, vai permitir o alongamento de prazos de pagamento, que poderão chegar a 36 meses, e deve facilitar a vida dos lojistas. No entanto, especialistas e associações de consumidores recomendam cautela no uso do produto e afirmam que ele pode gerar superendividamento se mal utilizado.

Após optar pelo crediário, três simulações de financiamento vão aparecer na tela da maquininha. Na sequência, serão apresentadas ao consumidor todas as informações da compra, como os juros cobrados e o valor total da transação.

As taxas vão variar de 0,99% a 3,99% ao mês, de acordo com o número de parcelas e o perfil de crédito do consumidor. Os limites devem ser os mesmos do cartão de quem faz a compra. O valor devido no crediário é subtraído do limite e vai sendo liberado conforme as prestações vão sendo pagas.

A novidade do produto é que o ônus da operação deixa de ficar com o lojista. Quando uma transação é realizada no crédito à vista ou no “parcelado sem juros”, o dono do estabelecimento recebe o valor em um prazo a partir de 30 dias. Caso queira antecipar o recebimento, paga taxa de desconto. Com a nova modalidade, o risco da operação passa a ser do banco emissor do cartão. O lojista recebe em até cinco dias úteis.

Isso, segundo Rodrigo Carneiro, diretor de produtos da Rede, cria dois cenários positivos. O pequeno estabelecimento que, pelas altas taxas, não conseguia oferecer alternativa de parcelamento mais longa ao consumidor, ganha uma opção. E, como o lojista receberá em um prazo mais curto, permite que o comprador barganhe descontos.

Segundo o coordenador do laboratório de finanças da Fecap, Márcio Wu, a opção é bem vinda por ser mais uma alternativa para o consumidor. No entanto, deve ser evitada, já que o ideal é que o comprador se organize para pagar à vista. “Caso não seja possível pagar à vista, o consumidor deve negociar um bom desconto na nova modalidade.”

Marcelo Kopel, diretor do Itaú Unibanco, acredita que o produto vai permitir que o consumidor tenha acesso a bens de maior valor agregado com uma parcela mensal menor.

Já a planejadora financeira certificada pela Planejar, Angela Nunes, ressalta que o alongamento dos prazos em parcelas menores pode causar descontrole orçamentário. “Evite se endividar por compras que não são essenciais à sua vida”, diz.

Rodrigo Alexandre, especialista em crédito da Proteste, associação de defesa do consumidor, afirma que o produto pode agravar o cenário de inadimplência no País, que possui cerca de 62 milhões de negativados.

Segundo ele, ao optar pelo crediário, o consumidor já paga os juros embutidos nas parcelas. Caso não consiga honrar alguma das prestações, sua dívida acaba indo para o rotativo do cartão, aumentando os custos de maneira significativa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.