Educação

Greve dos professores é aprovada em assembleia e começa na quarta-feira

Educadores cobram os salários de dezembro de 2018, o pagamento de março deste ano e o retroativo da alimentação.
01/04/2019, 18h48

Durante uma assembleia com indicativo de greve, na tarde desta segunda-feira (1/4), em frente ao Palácio Pedro Ludovico Teixeira, no Centro de Goiânia, os membros do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, em Goiás (Sintego) aprovaram a paralisação das atividades dos professores a partir da próxima quarta-feira (3/4).

Dia Online conversou com a presidente do Sintego, Bia Lima que afirmou que a greve começa na quarta-feira e que a mesma vai ser mantida até a próxima assembleia da categoria, marcada para próxima segunda-feira (8/4).

“Nós estamos cobrando o pagamento restante do mês de dezembro do ano passado; o pagamento do mês de março e o retroativo da alimentação”, conta a presidente do sindicato. Segundo Bia Lima, o governador Ronaldo Caiado (DEM), não cumpriu com a promessa feita a categoria de pagar dentro do mês trabalhado e o salário de dezembro do ano passado.

Presidente do Sintego lembra que governador prometeu pagamento dos professores e servidores dentro do mês trabalhado, mas não cumpriu com o combinado

Bia lembrou que Caiado se comprometeu a pagar os servidores dentro do mês trabalhado, o que não ocorreu. Vale lembrar que na semana passada o goverandor afirmou que não poderia cumprir com a promessa de pagar os salários dos servidores do Estado dentro do mês trabalhado.

O governador alegou também que toda folha do mês de março tem até o dia 10 de abril para ser quitada conforme lei estadual. O que desagradou os educadores de Goiás pelo descumprimento da promessa feita.

“Ele [Caiado] disse que ia pagar o salário dentro do mês trabalhado, e isso não foi cumprido. Ele anuncia e não cumpre, está ficando feio”, declarou a presidente do Sintego.

A reportagem entrou em contato por telefone com a Secretaria de Educação do Estado de Goiás (Seduc) que por meio de nota afirmou que as reivindicações pedidas pelos professores estão sendo resolvidas pelo governo de Goiás. Referente aos pagamento dos salários de dezembro, a nota informou que os educadores com vencimentos no valor até R$ 2.670 foram efetuados no mês de fevereiro e que depois passaram a ser quitados os salários dos professores que recebem entre R$ 2.760 e R$ 3.574.

A Seduc reafirmou o estado de calamidade financeira no qual a atual gestão encontrou Goiás com uma dívida de R$ 3,4 bilhões. E que além o pagamento do mês dezembro do ano passado não ter sido efetuado, o décimo terceiro também não foi pago aos servidores e que a gestão anterior deixou outras dívidas para serem quitadas.

Confira a nota

“Sobre a deliberação feita pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintego), na tarde desta segunda-feira (01/04), e que decidiu pela realização de uma greve de três dias, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) destaca que a pauta de reivindicações informada aponta para assuntos que já estão sendo resolvidos pelo Governo de Goiás.

Sobre a reivindicação acerca do pagamento do mês de dezembro, os servidores da educação estadual começaram a receber o salário de dezembro de 2018, que não foi pago pela gestão do ex-governador José Eliton, ainda no mês de fevereiro quando foram efetuados os pagamentos para os servidores que ganhavam até R$ 2.760, e depois para os que recebiam entre R$ 2.760 e R$ 3.574.

Na última semana, no dia 29 de março, os servidores ativos da educação e que recebem de R$ 3.574,01 até R$ 4.590, e inativos que recebem até R$ 2.670, também receberam, totalizando cerca de 52 mil pessoas que receberam os vencimentos de dezembro, o que representa mais da metade de servidores da folha. A secretária Fátima Gavioli reafirma o estado de calamidade financeira em que o Estado de Goiás foi encontrado pelo governador Ronaldo Caiado, com dívidas superiores a R$ 3,4 bilhões, e ressalta que tudo está sendo feito dentro da pasta para regularizar a situação.

Além de não ter efetuado o pagamento da folha de dezembro, o governo anterior não realizou o pagamento do décimo terceiro salário dos professores e servidores com contrato temporário, de duas parcelas do prêmio Reconhecer, e deixou diversas outras dívidas.

Ainda assim, o auxilio alimentação, que foi extinto pelo ex-governador José Eliton, foi instituído pela atual gestão e agora realmente como um benefício para os professores e servidores e não mais com viés eleitoreiro. Ele será creditado aos servidores junto com o pagamento de março. Além disso, a discussão sobre a adequação ao piso nacional dos professores será realizada após o pagamento de toda a folha de dezembro de 2018 que, reafirmamos, não foi paga pela gestão anterior.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Considerado "bomba-relógio", senador Jorge Kajuru revela segredo

Revelação deve deixar políticos em alerta com Kajuru.
01/04/2019, 20h34

Nenhum dia sequer desde que Jorge Kajuru (PSB) chegou ao Senado Federal uma polêmica não surgiu ou no microfone da Casa ou em transmissões ao vivo em suas redes sociais. Até segredo ele é capaz de contar para demonstrar forças aos adversários.

Adversários que pouco ou ninguém ousou desafiar como Kajuru o faz. Com dedos em riste, adjetivos agressivos – alguns é preciso procurar o significado no dicionário -, Jorge Kajuru.

Segundo o colunista Lauro Jardim, do jornal “O Globo”, o senador goiano Jorge Kajuru (PSB) usa uma caneta e óculos de espião dentro do Congresso Federal.

A informação foi divulgada em nota da coluna de Lauro Jardim, do jornal “O Globo”. Ainda conforme o jornalista, Jorge Kajuru “cultua a autoimagem de personagem bomba-relógio”.

Conforme a informação, Kajuru usaria a câmara para encontrar algum tipo de ilicitude entre os parlamentares, sobretudo com os que têm reuniões.

Jorge Kajuru ainda utiliza caneta com uma câmera, que o senador teria ganhado do apresentador do “Brasil Urgente”, da TV Bandeirantes.

“Só uso quando alguém vem falar coisas estranhas comigo!!!”, assumiu o senador no Twitter sobre o caso.

Segredo: Jorge Kajuru disse que tem horas de gravação de Marconi Perillo

Jorge Kajuru (PP) transmitiu ao vivo do gabinete 16 no Senado Federal o que considerou um “escândalo abismal” e atacou novamente o ex-governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), após a Operação Decantação 2, da Polícia Federal (PF).

No vídeo, Kajuru diz que, com exclusividade, tem as “gravações mortais “que ele teria desde antes de ter sido eleito vereador por Goiânia. “Em Goiás, na imprensa ninguém queria porque Marconi tinha a maioria absoluta da imprensa na mão. Todo mundo ficava calado. Graças Kajuru nunca ficou calado”, disse.

Jorge Kajuru classificou o ex-governador Perillo de “figura nefasta, vulpina”. Para ele, mesmo longe de Goiás – Marconi estaria morando em São Paulo – ele “envergonha Goiás”.

“Ele nunca mais voltou a Goiânia após a derrota humilhada e humilhante, ficando em 5° lugar na disputa eleitoral para as duas vagas ao Senado. Depois de ter sido preso da Polícia Federal. Agora não tem como não prever que essa consagrada instituição do País não estará às 6h30 acordando-o de pijama [e levando-o] para a cadeira. Tomara que lá more com Sérgio Cabral, que praticou todos os crimes de Marconi Perillo.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Gêmeos são condenados a registrar e pagar pensão a uma mesma filha, em Cachoeira Alta

DNA apontou que ambos os irmãos tem 99,9% de chances de ser o pai da menina.
01/04/2019, 20h36

Um caso curioso ocorreu na cidade de Cachoeira Alta, a 358 quilômetros de Goiânia, dois irmãos gêmeos idênticos foram condenados a registrar e pagar pensão a uma mesma filha, pois o exame de DNA não conseguiu comprovar quem é o pai da menina.

Conforme a publicação de um Jornal local, os irmãos e a criança passaram pelo exame de DNA, porém por serem univitelinos e possuirem um código genético igual, o resultado revelou que a menina é compatível com os dois. O nome dos envolvidos no caso não foi divulgado pelo poder judiciário e a defesa dos irmão não se pronunciou sobre o caso.

A decisão por sua vez afirmou que os gêmeos ficaram jogando a responsabilidade um para o outro. Com o impasse, o juiz Felipe Luís Peruca, mandou que os dois sejam incluídos na certidão de nascimento da menina e que pague pensão alimentícia de 30% do salário mínimo cada um.

Em sua decisão, o magistrado alegou que um dos gêmeos para ocultar a paternidade agiu de má-fé, por tentar negar o direito de paternidade biológica da criança, direito que é garantido pela constituição brasileira.

Um novo exame seria necessário para confirmar a paternidade de um dos gêmeos, porém o mesmo não é conclusivo

Conforme a decisão da Justiça, para uma nova identificação do pai da menina, seria necessário um outro exame denominado Twin Test, mas o valor do exame é de R$ 60 mil e não é conclusivo, pois é necessário que um dos analisados possua alguma mutação.

Entretanto o magistrado analisou que as partes envolvidas no processo não tem condições financeira para arcar com os custos do exame. Constam ainda nos autos dos processos, que os irmão gêmeos desde criança sempre aproveitaram a semelhança física entre eles para pregar peças.

A mãe da menina por sua vez que também não teve o nome revelado contou que teve um relacionamento curto com um dos gêmeos e acreditava que ele fosse o pai da criança. Segundo a publicação do Jornal local, a moça conheceu o rapaz em uma festa com amigos em comum.

Segundo o relato da mulher, um dos rapazes contou que tinha um irmão gêmeo, mas que ela não chegou a ser apresentada a ele. Diante da confusão, a mãe da menina entrou com uma ação contra os gêmeos pedido o reconhecimento da paternidade por um dos irmãos gêmeos. Porém os dois irmãos foram submetidos ao exame, que constatou que 99,9% de chances de qualquer um deles ser o pai da menina.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Jovem desaparece ao marcar encontro para comprar peça de computador, em Goiás

Jovem, que completa 30 anos no próximo dia 5, saiu de Aparecida de Goiânia para Trindade no sábado e nunca mais foi visto.
01/04/2019, 23h44

No próximo dia 5 de abril John Mayron completa 30 anos, mas a família deve não sabe onde encontrá-lo depois que ele saiu de casa no sábado (30/3) da Vila Brasília, em Aparecida de Goiânia, para se encontrar com alguém em Trindade, em Goiás.

O jovem teria negociado a compra de uma placa de vídeo para o computador que usa para jogar e assistir aos seriados favoritos.

Jonh Mayron passou quase dois meses fora de casa. Sem emprego em Aparecida de Goiânia, onde mora com a mãe e o irmão de 17 anos, foi ajudar o tio como servente de pedreiro.

Segundo a mãe, Marta Ferreira de Souza Oliveira, de 55 anos, John Mayron chegou em casa na madrugada de sábado. Como ninguém atendeu às batidas no portão, ele foi dormir ali perto, na casa de uma amiga.

Jovem foi buscar peça de computador em Trindade

No dia seguinte, foi para casa e disse ao irmão que havia encontrado uma placa de vídeo com “alguém da internet” em Trindade.

A história foi repetida a um amigo de bairro. John, então, saiu de casa por volta das 12h do sábado rumo a Trindade

A família ainda não registrou o Boletim de Ocorrência ainda. “Vamos esperar terça-feira (2/4).

Estranhamente,  a família recebeu uma mensagem do rapaz no Facebook. “Ele mandou mensagem dizendo que estava na casa de uma moça e que voltaria na tarde de domingo. Mas não apareceu”, diz a mãe, preocupada.

“O policial me orientou a esperar. A foto e nome está circulando nas redes sociais”, disse.

Marta disse que deve procurar o Complexo de Delegacias, na Cidade Jardim. Ela, ainda, lembra que o filho foi vítima de uma bala quando tinha 18 anos em uma tentativa de assalto em uma das praças mais conhecidas da Vila Brasília. “Foi na Mãos Postas”, diz.

Ele, o amigo e uma amiga foram baleados quando foram abordados por um ladrão armado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Traficantes de animais são presos com espécie de arara ameaçada de extinção, em Uruaçu

A apreensão foi feita quando agentes da PRF abordaram um veículo e ao fiscalizar o interior dele ouviram o cantar de um pássaro.

Por Ton Paulo
02/04/2019, 08h10

Dois homens e uma mulher foram presos na noite da última segunda-feira (1/4) na BR-153, em Uruaçu, a 280 quilômetros de Goiânia, transportando dezenas de animais silvestres, alguns em ameaça de extinção. Uma das espécies transportada pelos traficantes de animais é a arara ararajuba (Guaruba guaruba), espécie rara de coloração viva e que está ameaçada de extinção.

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), tudo começou quando agentes da corporação abordaram um veículo Fiat Uno e ao fiscalizar o carro os policiais ouviram o cantar de um pássaro.

Surpresos com o barulho do animal, os policiais pediram para os ocupantes do veículo descerem do carro, o condutor, de 44 anos, e três passageiros, um homem, de 34, uma jovem, de 19 e seu filho, um bebê de 11 meses.

Ao vistoriar o interior do Fiat, os agentes encontram debaixo do banco traseiro, coberto com pertences da criança para esconder os animais, dezenas de aves que estavam confinadas em mochilas, sacos plásticos, caixas de sapatos e gaiolas. Ao todo, a polícia encontrou 29 curiós, 03 papagaios e 28 araras das espécies ararajuba e araracanga.

Traficantes de animais são presos com espécie de arara ameaçada de extinção, em Uruaçu
Foto: PRF

Aos agentes, o passageiro do carro informou que adquiriu os bichos de sete pessoas que fizeram a captura dos animais em Goianésia do Pará e os levaria para São Paulo para serem comercializados.

Pela prática de crime ambiental e por maus-tratos aos pequenos silvestres, o grupo foi preso e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil em Uruaçu. O Ibama foi acionado e na manhã desta terça-feira (2/3) deverá aplicar multas por crime ambiental e por maus tratos e os animais serão encaminhados para o CETAS em Goiânia.

Espécie de arara apreendida com traficantes de animais em Uruaçu é rara e está ameaçada de extinção

Espécie endêmica do Brasil, a ararajuba (Guaruba guaruba) é encontrada exclusivamente na área entre o norte do Maranhão, sudeste do Amazonas e norte do Pará; e sempre ao sul do Rio Amazonas e leste do Rio Madeira. Há registros de avistamentos em Rondônia e extremo norte do Mato Grosso, na década de 1990.

Traficantes de animais são presos com espécie de arara ameaçada de extinção, em Uruaçu
Foto: Reprodução

A população total das ararajubas nunca foi grande e está diminuindo cada vez mais por causa das atividades humanas. Na Amazônia, os maiores índices de desmatamento acontecem nas áreas de ocorrência dessa espécie, tornando a sobrevivência da Ararajuba um enorme problema. Além disso, o tráfico ilegal de aves é outro fator que contribui decisivamente para a redução dessas aves no nosso planeta. Bandos inteiros, muitas vezes com filhotes recém-nascidos são transportados ilegalmente para o Sudeste e vendidos em feiras clandestinas para criadores ou revendedores por altos preços.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.