Goiás

"Minha vida", tatua pai no braço em homenagem a filho de 12 anos que morreu em Goiás

Emocionado, pai levantou a camiseta e mostrou a ilustração: "Minha vida".
01/04/2019, 15h35

“Minha vida”. É o que escreveu um pai abaixo da ilustração do rosto do filho no braço direito. O menino de 12 anos morreu tragicamente em Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, em Goiás, na madrugada de sábado (30/3).

A morte do menino Thiago de Araújo Sousa Filho foi incomum. Ele ficou com a cabeça presa na porta do micro-ônibus de um tio. Foram pelo menos 12 minutos de agonia. Se alguém para imaginar pele menos 1 minuto por que Thiago passou pode ficar sem ar.

Em entrevista à TV Anhanguera após o sepultamento no domingo (31/3), o pai que batizou o o filho com seu próprio nome, disse: “Ele era a minha vida…” A frase saiu como sopro.

Thiaguinho, como era chamado, não tinha mais sonho quando o pai tinha apenas uma certeza: não abraçaria mais o filho.

O homem de voz grave parecia que se desmontaria a qualquer momento enquanto era entrevistado. Alguma força, contudo, ele tinha quando puxou a manga da camiseta e revelou a tatuagem.

A tatuagem é a forma que encontrou para deixar eternamente na própria carne um filho sepultado. Com a agulha e tinta, o tatuador refez um filho que Thiago, o pai, não veria nunca mais.

O adolescente, conforme informou a família, tentava verificar dentro do micro-ônibus por que a porta não abria. De repente, a portão o prensou.

Menino tentou escapar, mas estava preso pelo pescoço em Goiás

No cenário de horror, Thiago,  filho, tentou escapar, mas estava preso. E a respiração lhe faltou. Não podia gritar porque a voz dele ia se acabando do lado de dentro do veículo.

Quando foi encontrado, ser ar, Thiago foi levado às pressas para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Luziânia. Sem que a unidade pudesse oferecer atendimento à complexidade do caso, o menino foi levado para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

Horas depois, o coração de Thiago, já cansado de resistir, parou de bater na madrugada de sábado.

O pai, que já havia sentido a pior do mundo – que é não poder fazer nada para salvar o filho da falta de ar nos pulmões – desabou. Gritou. E era o grito de dor mais silenciado porque gritar de verdade não pode. Alguém imagina o que é um grito de pai?

A reportagem do Dia Online tem contado diariamente a história de mães e pais que não sabem como sobrevivem depois que são obrigados a deixar os filhos em sepulturas de cemitérios escuros.

Thiago, o pai, é um desses sobreviventes. E decidiu deixar a agulha do tatuador falar pela dor.

Afinal, todo fim tem um começo. E o começou para o Thiago pai veio com o exame de farmácia ou de sangue: seria pai. Pai de um novo Thiago.

“Thiaguinho, Thiaguinho”, gritavam, enquanto seu corpo era descido para sempre do abraço do pai para dentro de uma sepultura.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Educação

Sintego convoca assembleia geral com indicativo de greve em Goiás

Segundo a assessoria, mesmo com crédito especial aprovado pela Alego para a educação, e com o Fundeb, o governo não honrou com o que foi firmado junto ao Sintego.

Por Ton Paulo
01/04/2019, 15h37

Membros do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás, o Sintego, e demais trabalhadores da área se reunem em assembleia geral na tarde desta segunda-feira (1/4) para cobrar do governador Ronaldo Caiado o cumprimento de acordos referentes a salários feitos com o sindicato que não teriam sido cumpridos. O ato tem, ainda, indicativo de greve.

A assembleia geral foi convocada pelo Sintego e teve início às 15h, em frente ao Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia. Conforme o sindicato, o ato reune trabalhadores em Educação de todo Estado de Goiás, a fim de pressionar o governo e cobrar dos órgãos competentes fiscalização e o cumprimento dos pagamentos dos salários de dezembro de 2018 e pagamentos da folha dentro do mês trabalhado.

Segundo a assessoria do sindicato, mesmo com crédito especial aprovado pela Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) para a educação, e com o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), o governo não honrou com o que foi firmado junto ao Sintego, “agravando a situação desesperadora destes trabalhadores e trabalhadoras”.

Ainda de acordo com o Sintego, hoje, mais de 70% da categoria da educação já deveria ter recebido o salário referente a dezembro de 2018, que não foi cumprido pela justificativa de pagar os demais valores dentro do mês trabalhado.

Presidente do Sintego disse que governador Caiado anunciou e não cumpriu

Em entrevista ao Dia Online, a presidente do Sintego, Bia de Lima, declarou que a pauta da assembleia geral convocado hoje, que tem indicativo de greve, é o descumprimento do acordo feito entre a categoria e o governador Ronaldo Caiado, que era o de pagar os servidores dentro do mês trabalhado e o do salário de dezembro.

De acordo com a presidente, Caiado havia se comprometido a passar a pagar os servidores dentro do mês trabalhado, o que não aconteceu. O governador informou na semana passada que o plano de realizar o pagamento do salário de março para os servidores do Estado de Goiás dentro do mês trabalhado não poderá ser cumprido.

De acordo com Caiado, o governo vai pagar “toda a folha de março até o prazo estabelecido na lei: 10/4”. Entretanto, o descumprimento do acordo inicial parece não ter agradado os educadores de Goiás. “Ele [Caiado] disse que ia pagar o salário dentro do mês trabalhado, e isso não foi cumprido. Ele anuncia e não cumpre, está ficando feio”, declarou a presidente do Sintego.

A reportagem do Dia Online segue tentando contato com a Secretaria da Economia de Goiás, pasta responsável pelos pagamentos dos servidores.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Falta de estrutura impede julgamento dos acusados de matar o radialista Valério Luiz, em Goiânia

Filho de Valério Luiz classificou como escandalosa e absurda a falta de estrutura no TJGO.
01/04/2019, 16h05

Em despacho divulgado na imprensa na manhã desta segunda-feira (1/4), o juiz Jesseir Coelho de Alcântara decidiu que não é possível marcar o julgamento dos cinco acusados da morte do radialista Valério Luiz, morto em frente à rádio na qual trabalhava em julho de 2012, no setor Serrinha, em Goiânia. A alegação do magistrado para não marcar o julgamento dos envolvidos no assassinato do cronista esportivo é que falta estrutura da comarca, pois o julgamento pode durar vários dias.

Além deste problema, o juiz afirmou que a precariedade de dormitórios para os jurados, falha no fornecimento de alimentos, de cadeiras confortáveis, espaço limitado e outras reclamações pesaram para que o júri não fosse marcado e não há previsão de data para que o mesmo possa ocorrer.

As investigações da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) duraram oito meses e acabaram com cinco presos pelo homicídio, em 2013. Conforme o Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), o inquérito sobre o assassinato do radialista tem mais de 500 páginas e um volume com provas técnicas contra os suspeitos.

Conforme o que foi apurado pela polícia, a morte de Valério Luiz foi em função das críticas feitas à diretoria do Atlético Clube Goianiense.

Filho da radialista classificou como absurda e escandalosa a postura do juiz ao afirmar que o TJGO não tem condições para fazer o júri

Dia Online entrou em contato com filho do radialista assassinado, Valério Luiz Filho, que classificou a decisão tomada pelo juiz ao emitir o despacho na manhã de hoje como “absurda e escandalosa”.

“É absurdo, escandaloso ainda mais em um Tribunal de Justiça de médio porte, como é o TJGO, que não é um tribunal pequeno. E isso fere o direito constitucional de acesso à Justiça, em um processo que se arrasta há quase sete anos”, afirmou Valério Luiz Filho.

Valério Luiz Filho afirmou também que a falta de estrutura fez com que o processo ficasse parado na junta médica do tribunal por quase um ano, e que a equipe da junta é pequena, mas a quantidade de trabalho para eles é grande.

“Isso ocorre dentro de um contexto em que o Tribunal de Justiça está fazendo uma série de reformas, e reformas de grande vulto né. Fizeram um estacionamento ao lado do tribunal que quase maior que o tribunal, que agora está sendo chamado de Palácio da Justiça. Fizeram dois fóruns e agora não tem estrutura para um júri”, questiona o filho do radialista.

O filho do cronista esportivo afirmou que o assunto vai ser levado ao presidente do TJGO e caso não seja encontrada uma saída, o caso vai ser levado ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e até mesmo para cortes internacionais.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Mulher é presa suspeita de matar outra a pedradas, em Rio Verde

Suspeita alegou que matou a rival pois ela tentou ter um caso com seu marido.
01/04/2019, 16h46

Uma mulher foi presa suspeita de matar outra na madrugada do último domingo (31/3) na rua dos Rubis, no setor Alvorada, próximo a um posto de gasolina, em Rio Verde. O local conforme as informações levantadas pelo Dia Online é um conhecido ponto de usuários de drogas na cidade.

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) foi responsável por efetuar a prisão da suspeita. Conforme as informações da polícia, a mulher foi identificada como Elinucia Vieira Martins, de 33 anos, após ela cometer o crime.

A PM afirmou que quando chegou ao local, encontrou com as equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que  constataram a morte da vítima, e segundo pessoas da região era moradora de rua e conhecida apenas pelo nome de Luana.

Mulher matou rival a pedradas por rival ter dado em cima do seu marido

De acordo com a polícia, a usuária de drogas foi encontrada sob uma poça de sangue e com uma pedra ao lado da sua cabeça. A PM afirmou ainda que no local em que o corpo foi encontrado não havia nenhuma testemunha ou indícios do possível autor. Durante as buscas pela região, os policiais efetuaram a prisão de Elinuncia e a levaram para o Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Rio Verde.

A reportagem entrou em contato com GIH do município que confirmou o caso, e que a suspeita confessou o crime. Segundo as declarações de Elinucia ao GIH, ela matou a outra a pedras, pois ela estaria dando em cima do seu marido.

O GIH afirmou que após ser lavrado o flagrante a suspeita foi encaminhada para o presídio da cidade. Conforme as informações divulgadas pela polícia, a suspeita de matar a rival, possui uma passagem pela tentativa de outro assassinato, no início deste ano e da mesma maneira como matou a pedinte.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Cine Ritz Goiânia é excelente opção de cinema na cidade

Se você pretende assistir as estreias do momento no cinema e ainda economizar, o Cine Ritz Goiânia é uma das melhores opções! Confira!
01/04/2019, 16h50

Considerado como um dos principais meios de expressão cultural da sociedade moderna, o cinema se faz presente em vários aspectos, representando algo que vai muito além do mero entretenimento. Isso porque já se foi o tempo em que o único propósito de produções audiovisuais era divertir, e atualmente os filmes estão cada vez mais carregados de conteúdos críticos e que levam seu público a diversas reflexões. É possível encontrar vários cinemas na cidade, mas há um em especial que merece destaque por continuar cumprindo seu papel inicial: o Cine Ritz Goiânia, no centro.

Foi um dos primeiros a chegar na cidade, ainda em 1990. Naquele período, por representar uma das poucas opções, era bastante frequentado por todos os tipos de públicos interessados pela novidade. Desde o princípio o ambiente oferece uma experiência um pouquinho diferente, já que sua decoração lembra os cinemas mais clássicos, quase nos levando a uma “viagem no tempo” com seus chamativos letreiros vintage.

Se você ainda não teve a oportunidade de assistir aquele filminho no Cine Ritz Goiânia, já deixamos a dica, pois vale muito a pena! O melhor é que ainda dá para conferir as principais estreias pagando precinhos bem mais em conta, ainda assim desfrutando de conforto e qualidade no serviço.

Principais desafios enfrentados pelo Cine Ritz Goiânia

Cine Ritz Goiânia
Foto: Reprodução/ Cine Ritz

Infelizmente, os anos de ouro para o Cine Ritz Goiânia chegaram ao fim. Com o rápido crescimento da cidade e a proliferação de grandes centros comerciais, os cinemas de rua acabaram perdendo seu espaço para aqueles encontrados nos shoppings. No entanto, desistir nunca foi uma opção.

Embora tenha sofrido perdas significativas devido ao raleamento de público, o Ritz continua sobrevivendo, adotando práticas que incentivam a população a continuar frequentando o ambiente. Apenas a título de curiosidade, esse é o único cinema comercial de rua que ainda permanece de pé na capital. O Cine Goiânia Ouro e o Cine Cultura, por exemplo, trabalham com uma vertente diferente, já que o foco de ambos é abrir as portas para mostras de cinema e produções independentes, sem falar que ainda são mantidos pelo poder público.

De qualquer forma, seria de grande importância que o Cine Ritz Goiânia também fosse privilegiado com maiores incentivos por parte da prefeitura, já que o local é uma peça essencial para o projeto de revitalização do centro da cidade.

Capacidade do Cine Ritz Goiânia

Cine Ritz Goiânia / cinema
Foto: Reprodução/ Cine Ritz

Mesmo se encontrando em um ambiente menor que os cinemas mais frequentados, o local ainda consegue oferecer qualidade e conforto para seu público, lembrando ainda a vantagem dos preços mais baixos, que são trabalhados de tal forma para incentivar a participação dos goianienses.

As sessões mais concorridas, junto ao combo de pipoca, possuem o ingresso com preço semelhante a meia entrada de uma sala mais simples de um cinema de shopping. E como se não bastasse, o ambiente ainda trabalha com a famosa Sessão Pipoca, que é onde todos pagam meia entrada (R$ 8) e ainda ganham a pipoca! Acontece aos domingos, nas sessões das 11 horas!

Cine Ritz Goiânia / cinema
Foto: Reprodução/ Cine Ritz

Com duas salas, é possível encontrar 234 poltronas numeradas em cada, mais 2 reservadas para cadeirantes. É possível encontrar opções em 2D e 3D, sem falar que o som é Dolby Digital 7.1. Você sempre pode encontrar os filmes do momento e ainda participar daquela estreia que está ansioso para ver! Leve a família ou os amigos e se divirta!

Mais informações sobre o local: 

Clique aqui para conferir a programação.

Telefone para contato: (62) 3229-2221

Endereço: Rua 8, 501 – Centro, Goiânia – GO, 74013-030

Imagens: Cine Ritz 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.