Goiás

Ex-governador afirmou que usou avião de preso na Operação Decantação 2, em Goiás

No depoimento José Eliton alegou que usou a aeronave para fins políticos, pois o partido tinha interesse em fazer a locação do avião.
02/04/2019, 20h20

Em depoimento à Polícia Federal (PF) após a Operação Decantação 2 ser deflagrada, o ex-governador de Goiás, José Eliton (PSDB) admitiu que usou o avião do empresário Carlos Eduardo Pereira da Costa, em 2016, sem nenhum contrato ou pagamento ser formalizado. De acordo com o ex-gestor do Estado, o uso da aeronave foi para fins políticos, uma vez que o partido tinha a intenção de locar o avião, o que não ocorreu.

O empresário e dono da aeronave é um dos investigados na Operação Decantação 2, deflagrada na última quinta-feira (28/3), que terminou com ele e outras quatro pessoas presas, mas liberadas no final de semana. Carlos Eduardo é apontado como sócio da empresa Sanefer que teria recebido altas quantias de maneira irregular da Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago).

Conforme a publicação de um Jornal local ao conseguir a liberdade do empresário, os advogados de defesa afirmaram que a soltura de Carlos mostrou que sua prisão foi ilegal. O diretório do PSDB em Goiás foi procurado, mas até o momento não se posicionou sobre as declarações feitas pelo ex-governador.

Por meio de sua assessoria José Eliton afirmou que não vai mais se pronunciar sobre o caso no momento. Segundo as informações divulgadas na imprensa local, em seu depoimento o ex-governador afirmou que usou o avião de forma eventual como uma carona. E declarou à imprensa que todos os voos foram efetuados durante campanha eleitoral e foram legais.

Investigações da Operação Decantação 2 apontaram que três empresas de um mesmo dono receberam benefícios da Saneago

Por meio de nota a Saneago afirmou que atual gestão da companhia está priorizando a implantação de melhores práticas de governança, afim de garantir a lisura de todos os processos e com a criação da Superintendência de Governança. A empresa lembrou ainda que está fornecendo toda colaboração necessária às investigações.

As investigações da Operação Decantação 2, apontaram que ao menos três empresas de um único dono foram beneficiadas com contratos firmados com a Saneago, mesmo com impedimentos fiscais.

Conforme a PF, empresários, diretores e agentes públicos são investigados pelos desvios na companhia. No dia da operação foram cumpridos cinco mandados de prisão, vale lembrar que todos os presos já foram soltos, e oito de busca e apreensão ligados ao ex-governador em Goiânia e Aparecida de Goiânia. Em um dos endereços a polícia encontrou uma quantia de R$ 2,3 milhões e armas. Os envolvidos vão responder pelos crimes de associação criminosa, peculato, corrupção passiva e ativa, fraudes em processos licitatórios e lavagem de dinheiro.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Aulas da Universidade Federal de Jataí são suspensas após ameaça de atentado

De acordo com a própria UFJ, um indivíduo não identificado ameaçou promover um ataque ao curso de Educação Física. A ameaça foi testemunhada por duas pessoas.

Por Ton Paulo
03/04/2019, 07h47

Um clima de preocupação recaiu sobre os alunos da Universidade Federal de Jataí (UFJ) na noite da última terça-feira (2/4), depois que a instituição precisou suspender as aulas do Câmpus Jatobá por causa de uma ameaça de atentado dentro da universidade. De acordo com a própria UFJ, um indivíduo não identificado ameaçou promover um ataque ao curso de Educação Física.

Em nota, a universidade informou sobre a suspensão das aulas na noite de ontem do Câmpus Jatobá, localizado na Cidade Universitária José Cruciano de Araújo, em Jataí, após uma ameaça de ataque terrorista aos alunos de Educação Física.

A instituição ainda conta que a ameaça por parte do suspeito foi testemunhada por duas pessoas. De acordo com a UFJ, a segurança foi informada e “todos os protocolos de prevenção foram tomados”.

Por fim, a universidade declarou que após as providências emergenciais, o relatório do caso será enviado para a Polícia Federal. Na manhã de hoje (3/4), o site da instituição estava fora do ar.

Confira a nota abaixo, emitida pela UFJ na noite de ontem (2/4):

“Nota oficial

Informamos que, na noite deste dia 02 de abril, um indivíduo não identificado ameaçou promover um ataque ao curso de Educação Física, fato esse que seu deu diante de duas testemunhas. Logo a seguir a equipe de segurança foi acionada e todos os protocolos de prevenção foram tomados no sentido de identificar a pessoa e coibir quaisquer ações perante a comunidade universitária.

As aulas do curso de Educação Física foram preventivamente suspensas no momento da denúncia e foram realizadas rondas por todo o Câmpus Jatobá, mas o indivíduo não foi encontrado.

Após as providências emergenciais, o relatório sobre o caso será encaminhado a Polícia Federal e solicitadas investigações sobre o acontecido.

A DireçãoREJ/UFG”

Além da Universidade Federal de Jataí, a UFG também foi alvo de ameaças esta semana

A ocorrência na UFJ, em jataí, não é um caso isolado. Os alunos da Universidade Federal de Goiás (UFG) também foram pegos de surpresa com uma nota publicada na manhã de segunda-feira (1/4) pela instituição. Na nota, foi informado que a reitoria da universidade recebeu um e-mail naquele dia contendo ameaças de atentado, e que em face disso, acionou, preventivamente, as Polícias Federal e Militar. A reportagem do Dia Online teve acesso ao e-mail recebido pela universidade, que traz ameaças de um tiroteio contra alunos “negros, gays e esquerdistas”.

O e-mail recebido pela universidade tem como remetente um endereço codificado, e traz mensagens de ódio contra determinados grupos (negros, homossexuais e negros) e ameaças de um atentado contra alunos da UFG dentro da instituição.

A reitoria da universidade, através da nota publicada em seus meios de comunicação, disse que, em virtude da ameaça recebida por e-mail, acionou as Polícias Federal e Militar com o objetivo de “proporcionar a manutenção de todas as atividades com segurança e tranquilidade, preservando a integridade física da comunidade universitária”.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Educação

Professores aprovados em concurso de 2018 atuarão em 49 cidades goianas

Os aprovados, que recebem posse nesta quarta-feira (3/4), devem suprir o déficit nas áreas de Biologia, Matemática, Física e Química.
03/04/2019, 07h57

Os professores aprovados no concurso público de 2018, que foram convocados neste ano pelo governo estadual, atuarão em 49 cidades goianas, incluindo a capital. Esses profissionais devem suprir o déficit no Ensino Fundamental e Médio da rede estadual de ensino nas áreas de Biologia, Matemática, Física e Química.

Conforme o edital, nos próximos três anos, os professores aprovados passarão por estágio probatório, que deve apurar os requisitos necessários para o exercício da profissão. Durante esse período serão aplicadas duas avaliações anuais. Os salários variam segundo a carga horária semanal, sendo R$ 1.669,63 para 20 horas, R$ 2.504,44 para 30 horas e R$ 3.339,25 para 40 horas trabalhadas.

Veja abaixo a lista de municípios que devem receber os efetivados:

  • Águas Lindas de Goiás
  • Alto Paraíso
  • Anápolis
  • Aparecida de Goiânia
  • Aragarças
  • Cachoeira Alta
  • Catalão
  • Ceres
  • Cidade Ocidental
  • Cristalina
  • Formosa
  • Goianésia
  • Goiânia
  • Goiatuba
  • Inhumas
  • Iporá
  • Itaberaí
  • Itapaci
  • Itapuranga
  • Itumbiara
  • Jaraguá
  • Jataí
  • Jussara
  • Luziânia
  • Mineiros
  • Morrinhos
  • Novo Gama
  • Padre Bernardo
  • Palmeiras de Goiás
  • Piracanjuba
  • Piranhas
  • Pires do Rio
  • Planaltina
  • Porangatu
  • Posse
  • Quirinópolis
  • Rio Verde
  • Rubiataba
  • Santa Helena de Goiás
  • Santo Antônio do Descoberto
  • São Domingos
  • São João da Aliança
  • São Miguel do Araguaia
  • Silvânia
  • Simolândia
  • Sítio d’Abadia
  • Trindade
  • Uruaçu
  • Valparaíso de Goiás

Professores aprovados recebem posse hoje

Nesta quarta-feira (3/4), dos 150 primeiros convocados, 118, que tiveram a documentação validada pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), recebem posse dos cargos no Auditório Mauro Borges do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia. A solenidade está marcada para 9h e deve contar com a presença do governador Ronaldo Caiado (DEM), da secretária da Educação, Fátima Gavioli, coordenadores Regionais de Educação, superintendentes, chefes de núcleos, gerentes e demais autoridades.

Os profissionais que passam hoje pela cerimônia de acolhida e certificação fazem parte de um grupo de 435 aprovados no concurso público de 2018. A lista com a totalidade dos nomes foi publicada no dia 7 de fevereiro de 2019 no Diário Oficial de Goiás, sendo que dois dias antes o decreto de nomeação havia sido assinado pelo governador.

Na última segunda-feira (1º/4), foram convocados outros 285 professores aprovados no mesmo concurso. Este grupo tem 30 dias para apresentar a documentação ao Núcleo de Modulação de Registros Funcionais da Seduc para a efetivação da posse.

Imagens: Ipuaçu 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Trecho da GO-164 entre Mozarlândia e Nova Crixás deve ser reconstruído de forma imediata 

Segundo recomendação do MP-GO, a via está intrafegável. Goinfra tem cinco dias para acatar e enviar cronograma de ações.
03/04/2019, 09h40

A Agência Goiana de Infraestrutura e Transporte (Goinfra) deve reabilitar e reconstruir, de forma imediata, o pavimento asfáltico da GO-164, no trecho entre Mozarlândia e Nova Crixás, cidades do interior de Goiás, segundo recomendação feita pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO). De acordo com o documento, apresentado nesta terça-feira (2/4), a via está intrafegável, sendo que, em fevereiro deste ano, um acidente deixou quatro mortos e um ferido após a motorista perder o controle da direção tentando desviar de um buraco na pista.

Para o promotor de Justiça Tommaso Leonardi, da 1ª Promotoria de Nova Crixás, conforme consta na recomendação, “é obrigação do Estado, por meio da Goinfra, manter em boas condições suas rodovias e realizar obras emergenciais de recuperação”. Na mesma ocasião, foi instaurado, também pelo MP-GO, um inquérito civil público para apurar supostas irregularidades.

Recomendação destaca importância da GO-164 entre Mozarlândia e Nova Crixás

Na recomendação, o promotor ressalta que a rodovia é importante para a economia regional, uma vez que o trecho, que liga os municípios do Noroeste Goiano e o Vale do Araguaia a Goiânia, é imprescindível para o escoamento de produção agropecuária; educação e saúde dos moradores. “A GO-164 é meio de locomoção para ambulâncias que levam pacientes da região a outros municípios em busca de recursos médicos inexistentes nas cidades em que moram. A via é utilizada, ainda, por ônibus escolares que transportam diariamente crianças e adolescentes residentes na zona rural”, reforça.

Como consta na ação, a Goinfra foi oficiada duas vezes sobre o assunto, no dia 20 de março e 1º de abril, mas o órgão não encaminhou o cronograma de reabilitação e recuperação da rodovia pedido pelo MP. Nesta terça-feira (2/4), foi fixado o prazo de cinco dias para a autarquia informar se acatará a recomendação e enviar eventual cronograma de ações. O descumprimento da recomendação, lembra Tommaso Leonardi, pode levar a uma ação judicial.

O que diz a Goinfra

Em nota, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) informou que em março repassou ordem de serviço para a empresa de manutenção responsável pela regional da GO-164, entre Mozarlândia e Nova Crixás. Desde então, segundo o órgão, “os trabalhos estão em andamento de forma gradual e contínua, com os reparos necessários executados na rodovia, assim como na sua extensão entre os municípios de São Miguel do Araguaia e Goiás.”

A autarquia reforçou ainda que “diante da recomendação do Ministério Público de Goiás e como rotina adotada pela gestão do órgão estadual, a Goinfra ainda reforçará o monitoramento e fiscalização na região.”

Via: MPGO 
Imagens: Classifique News 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Educação

Estudante inadimplente com Fies pode pedir renegociação da dívida

Renegociação poderá ser feita em uma das duas modalidades: reescalonamento ou novo parcelamento.
03/04/2019, 10h25

Estudantes inadimplentes ou em atraso no pagamento de contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) podem pedir renegociação da dívida com o banco no período de 29 de abril a 29 de julho de 2019. O prazo foi fixado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), gestor do Fies, e está formalizado em portaria no Diário Oficial da União (DOU).

A possibilidade de renegociação do saldo devedor foi autorizada pelo Comitê Gestor do Fies em outubro do ano passado. Antes, o aluno que deixasse de pagar alguma parcela do financiamento teria apenas a opção de quitar o valor à vista.

Segundo a resolução do comitê, o banco fica autorizado a repactuar dívidas com o Fies para os contratos de financiamentos concedidos até o 2º semestre de 2017 que estejam inadimplentes com atraso mínimo de 90 dias na fase de amortização.

A renegociação poderá ser feita em uma das duas modalidades: reescalonamento ou novo parcelamento. Mas há uma condição para que os alunos possam aderir à medida: terão de pagar uma parcela de entrada, em espécie, correspondente a 10% do valor consolidado da dívida vencida ou no valor de R$ 1 mil, o que for maior.

Segundo dados do FNDE, gestor do Fies, 500 mil estudantes poderão ser beneficiados com a renegociação. O saldo devedor que eles acumulam soma mais de R$ 10 bilhões.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.