Goiás

Homem é preso em flagrante suspeito de triplo homicídio, em Caldas Novas

No momento do crime o filho de uma das vítimas estava na casa mas, felizmente, não foi atingido pelos tiros.
03/04/2019, 13h45

Um homem identificado como Lucas Soares da Costa, de 20 anos, foi preso em flagrante na manhã desta quarta-feira (3/4), suspeito de triplo homicídio em uma residência na noite da última terça-feira (2/4), em Caldas Novas.

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) afirmou que o caso o crime foi registrado na noite de ontem, na residência de uma das vítimas, situada na Rua 21 no setor Paraíso II, no município.

Conforme as informações divulgadas pela polícia, Lucas invadiu a casa e matou a tiros Douglas Oliveira Costa, de 31 anos, Francisco Edinaldo Silva Oliveira Filho de 21 e Marcos Paulo Feitosa de 25. A PC afirmou que as vítimas foram mortas com vários disparos de uma arma calibre 9 milímetros, que o suspeito alega ter jogado em um lago, após o crime.

Filho de um dos suspeitos mortos no triplo homicídio estava na casa na hora do crime

Durante a ação que culminou na morte dos três rapazes, a polícia constatou que o filho de Douglas, uma criança de apenas dois anos estava na casa no momento dos tiros, mas felizmente não foi atingida pelos disparos.

A polícia afirmou também que Douglas e Marcos Paulo, após serem baleados pelo suspeitos, chegaram a ser socorridos e levados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Caldas Novas, mas não resistiram aos ferimentos e morreram na UPA.

Lucas foi preso na manhã de hoje pela PCGO e confessou o crime. De acordo com o depoimento do suspeito à polícia, ele matou Douglas e Francisco pois os dois o ameaçaram há alguns dias. Em relação ao assassinato de Marcos Paulo, o suspeito alegou que matou como queima de arquivo, pois ele viu toda ação e estava com os dois rivais na hora do crime.

Lucas foi preso em flagrante pelo triplo homicídio e encaminhado para o presídio da cidade e onde fica à disposição da justiça.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Teatro Goiânia: verdadeiro patrimônio histórico da cidade

Com grande valor histórico e artístico, o Teatro Goiânia é considerado como um dos principais patrimônios culturais da cidade.
03/04/2019, 14h10

Não há como negar que os filmes são realmente muito bons. Todos aqueles efeitos visuais e cenas tão bem produzidas que são capazes de nos inserir naquele contexto de forma impressionante. Mas você já teve a sensação de assistir a uma peça no teatro? Embora sejam artes distintas, a premissa é a mesma: a de envolver o público com uma história. A experiência é completamente diferente, desencadeando no público emoções ainda mais fortes, já que é possível ver os atores no ato, sem edições ou cortes. É algo mais intenso, estabelecendo uma relação mais intimista com os espectadores. Mas vai muito além disso, já que os teatros ainda abrem espaço para palestras, shows e diversos eventos de cunho acadêmico ou empresarial. O Teatro Goiânia é sempre um dos mais lembrados da cidade, recebendo eventos de todos os estilos, sempre fomentando a cultura na capital.

Inaugurado em 12 de junho de 1942, é um dos mais belos e importantes centros de artes de Goiânia, considerado como um verdadeiro patrimônio histórico. Foi construído sob a perspectiva dos primeiros projetos arquitetônicos da cidade, integrando a grade de prédios em art déco, um estilo artístico trazido da Europa por Attílio Corrêa Lima, o engenheiro-arquiteto responsável por dar vida para a nova capital.

Com estrutura imponente e carregada de traços geométricos, bem como manda o estilo, o Teatro Goiânia é capaz de mostrar ao que veio. Frequentemente a população pode participar de eventos culturais no ambiente, que sempre contam com acessibilidade, seja em seu espaço físico ou nos valores cobrados. É a opção perfeita para quem não dispensa um bom teatro e ainda faz questão de conhecer os ambientes históricos da cidade.

O Teatro Goiânia e como tudo começou

Teatro Goiânia
Foto: Reprodução

Assim que a construção do prédio foi concluída, em 1942, o Correio Oficial daquele dia deu a notícia: “A inauguração do Teatro Goiânia vai ser marcada por uma super produção da Metro-Goldwyn-Mayer, na próxima terça-feira“. E olha que o dia foi realmente marcante, levando muita emoção e alegria para aqueles que participaram do evento.

Quem esteve presente pôde ver o então interventor federal do estado, Pedro Ludovico Teixeira, tirar a placa e inaugurar aquela que seria a mais luxuosa casa de espetáculos da nova capital. O momento foi bastante comemorado e tudo parecia muito moderno e à frente do seu tempo, já que o evento marcava o início de uma nova era em relação às artes e cultura.

E foi bem ali que aconteceu o Batismo Cultural da cidade. Na estreia houve a exibição do filme “Divino Tormento“, com Janette MacDonald e Nelson Eddy.

O simbolismo do Teatro Goiânia

Teatro Goiânia
Foto: Reprodução

Além de carregar um importante valor histórico, o Teatro Goiânia também representa um dos principais centros da capital para apresentações de música erudita, dança e teatro, sendo reconhecido como Patrimônio Nacional em 2003.

Foi um de nossos primeiros prédios, onde atualmente possui capacidade para receber até 850 pessoas, em poltronas bastante confortáveis. De fácil acesso, se encontra no coração da cidade, no Setor Central. Sua agenda é recheada de concertos, musicais e peças diversas. Se você ainda não teve a oportunidade de participar de algum evento no teatro, fica aqui nossa dica para que faça uma visita o quanto antes! Com certeza irá se apaixonar!

Teatro Goiânia
Foto: Reprodução

Mais informações:

Clique aqui para ficar por dentro da agenda.

Telefone: (62) 3201-4684

Endereço: Rua 23, 252 – St. Central, Goiânia – GO, 74015-120

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Projeto permite a goianiense obter remédios em falta na rede pública nas drogarias particulares

O projeto, de autoria da vereadora Tatiana Lemos (PCdoB), propõe que a Prefeitura forneça um "vale-medicamento" para que aqueles que precisam de medicamentos em falta no Estado possam obtê-los em drogarias particulares.

Por Ton Paulo
03/04/2019, 15h44

Um Projeto de Lei de autoria da vereadora Tatiana Lemos (PCdoB) foi apresentado recentemente na Câmara Municipal de Goiânia e, se aprovado, pode vir a beneficiar muita gente que depende de medicamentos da rede pública de Saúde. O projeto propõe que a Prefeitura forneça uma espécie de “vale-medicamento”, com alguns critérios, para que aqueles que precisam de medicamentos que estejam em falta no Estado possam obtê-los de graça em drogarias particulares.

Conforme proposto no projeto apresentado por Tatiana Lemos, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) ficará encarregada de definir os critérios para a concessão do vale-medicamento, apenas durante o período de interrupção do fornecimento, e será válido apenas para os medicamentos já fornecidos pela prefeitura de Goiânia que estejam com a entrega temporariamente suspensa ou atrasada.

Já a responsabilidade de realizar a licitação para o credenciamento das farmácias onde os usuários poderão utilizar o vale ficará a cargo da Prefeitura de Goiânia.

Para a vereadora, “o projeto busca criar uma alternativa para amenizar os transtornos dos pacientes que dependem dos medicamentos fornecidos pela rede municipal”. “A interrupção dos tratamentos pode não somente postergar a solução dos problemas de saúde do paciente, como também agravar o quadro, causando até mesmo o óbito em casos mais extremos,” afirma.

Vereadora que criou projeto do “vale-medicamento” em drogarias particulares enfatiza a população que será beneficiada

A vereadora Tatiana Lemos lembra ainda que quem utiliza esse serviço em sua grande maioria são famílias de baixa renda, sem condição para comprar os medicamentos, e acabam tendo suas condições médicas prejudicadas.

“Muitas vezes o atraso nos laboratórios fornecedores, a demora na conclusão de licitações, ou até mesmo as demandas sazonais, tornam a distribuição desses medicamentos irregular, prejudicando os pacientes,” lembra a parlamentar. “O ‘Vale-Medicamento’ visa preencher essa lacuna existente no serviço público e garantir o direito constitucional do acesso à saúde, sem onerar os cofres públicos, afinal, não há inclusão de novos medicamentos.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Justiça obriga Goiás a fornecer equipamentos de proteção individuais à Polícia Técnico-Científica

Em caso de descumprimento além de multa de R$ 1 mil, institutos podem ser interditados.
03/04/2019, 15h55

A 11ª Vara do Trabalho de Goiânia condenou o Estado de Goiás a fornecer equipamento de proteção individual (EPIs) aos funcionários das Superintendência da Polícia Técnico-Científica (SPTC), após uma ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho da 18ª região (MPT-GO).

Além de obrigar o Estado a entregar os EPIs para os servidores da SPTC, a ação do Ministério do Trabalho em Goiás determina que o governo estadual adeque as instalações dos institutos conforme as normas de segurança e prevenção estabelecidos pelo Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO).

A ação foi proposta em 2013 pela Promotoria da Saúde do Trabalhador do MPT-GO, mas a decisão sobre o caso só saiu agora, pois em 2017 o Estado recorreu junto ao Tribunal de Justiça (TJ) que reconheceu a incompetência da Justiça Comum em julgar o caso e remeteu o processo para a Justiça do Trabalho.

Após a apreciação pela juíza, Narayana Hannas, ela afirmou que a Justiça estadual analisou a matéria e proferiu a sentença fundamentada no que foi exposto no processo contra o governo estadual. Conforme a magistrada, a decisão da Justiça comum procurou acabar com a omissão do poder público.

Além da condenação magistrada determinou multa de R$ 1 mil em caso de descumprimento por parte do governo estadual

A magistrada, ao analisar o processo e os argumentos neles contido, condenou o Estado a fornecer os EPIs necessários para os servidores da SPTC exercerem suas funções, em caráter definitivo e em caso de descumprimento afastar os servidores das atividades com manuseios de produtos químicos tóxicos, devido a falta dos equipamentos.

Além de obrigar o Estado a fornecer os EPIs aos trabalhadores, o governo estadual também foi condenado a adequar as instalações dos Institutos conforme às normas determinadas pelo CBMGO afim de garantir a segurança dos servidores nos prédios em caso de incêndio ou outras catástrofes.

Em sua decisão a magistrada ainda obriga o Estado a instalar o controle de acesso aos institutos para garantir a segurança dos servidores, das instalações e dos equipamentos, instrumentais e das provas indiciárias de infrações penais.

Para que possa cumprir com o que foi determinado pela sentença da magistrada, o Estado tem o prazo de seis meses desde o caso transitado e julgado fornecer os equipamentos e fazer as adequações necessárias. Caso o governo estadual não cumpra com o determinado pela sentença, foi estabelecida multa no valor de R$ 1 mil por dia, até que seja comprovada a adequação indicada pelos bombeiros e a apresentação do certificado com pena de interdição das instalações.

Dia Online procurou a Procuradora-Geral do Estado (PGE) para se pronunciar sobre a decisão e aguarda um posicionamento sobre a sentença.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Governador pede fim da greve dos professores, em Goiás

Caiado afirmou também que pagou cerca de 92% da folha do mês de março dos professores.
03/04/2019, 16h41

Após a entrega de 41 viaturas novas à Diretoria de Administração Penitenciária (DGAP), o governador Ronaldo Caiado (DEM) concedeu uma entrevista coletiva, na qual pediu para que os professores encerrem a greve que começou na manhã de hoje.

O governador afirmou que 92% da folha dos professores do mês de março foi quitada e que até a próxima sexta-feira (5/4) vai estar com 100% dela paga. Referente as exigências dos professores, Caiado lembrou que foi paga a primeira parcela do mês de dezembro.

“De uma dívida de R$ 380 milhões, nós já pagamos R$ 287 milhões. E eu tenho certeza absoluta de que eles [professores] vão seguir o mesmo caminho da nossa Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Agentes penitenciários que também tem a receber”, explica Caiado.

Durante a coletiva o Governador pediu para que os professores finalizem o movimento grevista

Caiado afirmou também que a Educação hoje tem o menor percentual para receber do mês de dezembro e acredita que a classe não vai penalizar as crianças com a paralisação. “Esse é um apelo nosso, pois não podemos  ter um ano assim, em que teremos a prova Brasil. E este é um momento de ponderação que faço, então por favor nos ajudem”, pede o gestor.

O governador lembrou a maneira como pegou o Estado e das dificuldades que vem superando nestes primeiros meses de governo. Ronaldo Caiado afirmou que o momento agora é de apoiar todos que estão trabalhando para resolver os problemas, e que a atual Secretária de Educação, Fátima Gavioli está em um processo avançado de negociação com o Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Goiás (Sintego).

“Nesse momento não cabe a mim, cabe a minha secretária tomar as providências e escalonar dentro daquilo que eu possa cumprir”, explica Caiado. Ao ser questionado durante a coletiva sobre a possibilidade de pagamento dos salários de dezembro dos professores até o fim desse primeiro semestre, o governador afirmou que é possível desde que o Estado tem arrecadação para quitar o débito.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.