Trânsito

Segurança é preso dirigindo carro roubado na BR-060, em Rio Verde

De acordo com a corporação, o homem de 31 anos que trabalha como segurança foi detido ao ser flagrado conduzindo um carro roubado em MG e com placa clonada.

Por Ton Paulo
06/04/2019, 09h18

Uma fiscalização de rotina da Polícia Rodoviária Federal (PRF) ocorrida na última sexta-feira (5/4) na BR-060, no município goiano de Rio Verde, acabou se deparando com uma cena inesperada de crime. De acordo com a corporação, um homem de 31 anos que trabalha como segurança foi detido ao ser flagrado conduzindo um carro roubado em Minas Gerais e com placa clonada de uma outra cidade.

Segundo informações da PRF, o segurança, que foi detido ontem, sexta-feira, em Rio Verde, a 230 quilômetros de Goiânia, informou aos policiais que comprou o veículo legalmente num sistema permuta.

Conforme os policiais, tudo começou quando agentes da corporação deram ordem de parada para um Fiat Pálio que, quando fiscalizado, ficou constatado que os sinais identificadores do veículo haviam sido adulterados.

Após consultar os sistemas, os agentes da PRF descobriram que o veículo foi roubado em Uberlândia, em Minas Gerais, no ano de 2015 e usava placas clonadas de um carro de outra cidade.

Para a PRF, o motorista informou que havia comprado o veículo em um lava jato em Rio Verde, fazendo uma permuta com um EcoSport. Ainda segundo o motorista, que é segurança, pela troca ele pagou o valor de R$ 2 mil reais.

Os agentes foram até o lava jato e lá encontraram o vendedor, um homem de 46 anos que é motorista profissional. Eles foram detidos e encaminhados à Central de Flagrantes local.

Além de caso de Rio Verde, homem foi preso em fevereiro por ter furtado carro roubado do pátio da polícia

No dia 5 de fevereiro deste ano, um jovem de 25 anos foi preso suspeito de ter furtado um veículo roubado que estava no pátio da Central de Flagrantes da Polícia Civil, em Goiânia. De acordo com a Polícia Militar (PM) na época, Iury Ferreira de Miranda tinha outros antecedentes criminais e respondia pelos crimes de roubo e tráfico de drogas no Mato Grosso.

A prisão do homem aconteceu na ocasião após policiais do Tático Operacional Rodoviário (TOR), que trafegavam pela Avenida Perimetral Norte, sentido GO-070, receberem  uma denúncia sobre uma casa no Setor Goiânia 2 que era utilizada por criminosos como ponto para tráfico de drogas. A equipe foi até o endereço informado e, ao chegar na residência, avistaram o suspeito no interior do imóvel com um fuzil 762.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Vale negocia acordo de até R$ 1 bi com cidades

O montante seria pago pela mineradora para amenizar o impacto da suspensão de quase metade das atividades no Estado após a queda da barragem.
06/04/2019, 10h04

O acordo negociado entre a Vale, o governo de Minas Gerais e prefeituras de dez municípios afetados pela tragédia de Brumadinho pode resultar na distribuição, pela empresa, entre 2019 e 2021, de R$ 1 bilhão, segundo estimativa do ItaúBBA. O montante seria pago pela mineradora para amenizar o impacto da suspensão de quase metade das atividades no Estado após a queda da barragem.

Isso equivale a cerca de 30% mais do que as dez cidades (Barão de Cocais, Belo Vale, Congonhas, Itabirito, Mariana, Nova Lima, Ouro Preto, Rio Acima, São Gonçalo do Rio Abaixo e Sarzedo) receberam no ano passado em Contribuição Financeira pela Extração Mineral (Cfem): R$ 774 milhões. De acordo com o governo de Minas, o acordo ainda não está fechado. O Estado recebeu, ao todo, R$ 1,3 bilhão apenas da Cfem.

A arrecadação gerada pela contribuição depende diretamente da produção mineral. Não inclui os impostos estaduais (ICMS e IPI) e os municipais (ISS) decorrentes da atividade minerária. Segundo a Vale, seria firmado um novo regime tributário que poderia resultar em pagamento adicional de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de R$ 550 milhões retroativos e mais R$ 107 milhões em ICMS adicional ao ano, além de R$ 100 milhões anuais para as prefeituras.

Ações

Para o ItauBBA, as conversas afastam o risco de ações judiciais dos governos estadual e municipais contra a empresa. São importantes para a companhia reduzir os pontos de disputa com os governos. O foco, porém, deve ser a assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) definitivo, para reduzir as incertezas, que dará mais clareza sobre os custos totais que a mineradora terá com a tragédia.

O governo de Minas informou ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, que trabalha para firmar ainda em 2019 o TAC definitivo. Não quis se pronunciar, porém, sobre a negociação de um acordo de apoio fiscal com a Vale.

O Estado enfrenta grave crise econômica, com mais de R$ 7 bilhões em repasses atrasados para os municípios. Desde o início do ano, Minas negocia com a União a entrada no regime de recuperação fiscal.

A tragédia causada pelo rompimento da barragem da Vale em Brumadinho aconteceu em 25 de janeiro e deixou 221 mortos e 75 desaparecidos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Crianças pegam ônibus interestadual escondidas e são descobertas após veículo dar pane, em Alexânia

As crianças, que pretendiam chegar à Taguatinga (DF) acabaram adormecendo no fundo do veículo e só acordaram por causa da pane.

Por Ton Paulo
06/04/2019, 11h01

O motorista de um ônibus interestadual que seguia do Tocantins para Goiânia teve uma viagem repleta de surpresas na manhã deste sábado (6/4). Por causa de uma pane mecânica no veículo, ocorrida no município goiano de Alexânia, a 120 quilômetros de Goiânia, o condutor precisou parar e chamar outro ônibus. Foi quando ele descobriu com espanto que dois meninos, de 10 e 12 anos, viajavam escondidos com ele. As crianças, que pretendiam chegar à Taguatinga, Distrito Federal, acabaram adormecendo no fundo do veículo e só acordaram por causa da pane.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que foi acionada pelo motorista, os dois meninos foram resgatados nesta manhã na BR-060, em Anápolis. Os pequenos haviam entrado escondidos no ônibus em Brasília e estavam completamente desacompanhados.

Ainda conforme a PRF, tudo começou quando o coletivo que saiu do município de Dianópolis, no Tocantins, e seguia para Goiânia apresentou pane mecânica próximo a Alexânia. Em seguida, após conseguir outro ônibus para dar continuidade à viagem dos passageiros, o motorista encontrou as duas crianças, desacompanhadas, dormindo nos bancos traseiros do veículo.

Conversando com o motorista, o meninos informaram que estavam em um shopping em Brasília, no Plano Piloto, e como já era tarde da noite, não havia mais coletivo para que pudessem retornar para suas casas em Taguatinga, foi quando, segundo eles, tiveram a ideia de entrar no ônibus que geralmente sai do Plano Piloto e passa por Taguatinga, onde deveriam descer.

Entretanto, como o veículo saiu do terminal rodoviário por volta das 4h de hoje, eles adormeceram e só foram descobertos com a quebra do coletivo.

Os garotos foram resgatados e levados para a Unidade Operacional da PRF em Anápolis, onde tomaram café da manhã e aguardam a presença do Conselho Tutelar local.

Conselho Tutelar foi acionado para tratar do caso das crianças que viajam clandestinamente no ônibus interestadual

Ao Dia Online, o Inspetor Newton Morais, da PRF, informou que durante a entrevista à nossa reportagem o Conselho Tutelar havia acabado de chegar no posto da polícia. De acordo com ele, o que será apurado agora é como e por quê as crianças estavam sozinhas no shopping  e como saíram de casa dessa maneira, além de estarem viajando clandestinamente e sem acompanhantes.

Os pais ou responsáveis das crianças ainda serão contatados.

Veja o vídeo do momento em que as crianças repassam informações para um agente da PRF:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Parte de estrutura de ponte desaba no Pará após ser atingida por balsa

Segundo informações preliminares, dois veículos caíram no rio, mas o Corpo de Bombeiros ainda não divulgou o estado de saúde das vítimas.
06/04/2019, 11h50

Parte da estrutura da ponte do rio Moju, que fica na altura do quilômetro 48 da Alça Viária, no Pará, desabou na madrugada deste sábado, 6, após ser atingida por uma balsa.

O acidente ocorreu por volta das 2 horas da manhã. Segundo informações preliminares, dois veículos caíram no rio, mas o Corpo de Bombeiros ainda não divulgou o estado de saúde das vítimas.

Pela manhã, o governador Helder Barbalho (MDB) publicou vídeo nas redes sociais. Ele sobrevoou a área ao lado do coronel Dilson da Polícia Militar (PM), do coronel Hayman e do secretário de Segurança do Estado, Ualame Machado. Esta é a terceira vez, que a ponte é atingida por balsa.

A ponte fica localizada próximo a entrada da cidade do Acará e é uma importante ligação de regiões no Pará.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Após recomendação do MP-GO ao prefeito Iris Rezende, presidente da CMTC é demitido

MP havia dado um prazo de cinco dias para que a Prefeitura de Goiânia afastasse Meirelles do cargo, por ser, também, presidente regional do Partido Trabalhista Cristão (PTC).

Por Ton Paulo
06/04/2019, 13h56

O presidente (agora ex) da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) foi retirado do cargo após uma recomendação do Ministério Público de Goiás (MP-GO) enviada ao prefeito Iris Rezende. Fernando Meireles deve deixar o cargo na segunda-feira (8/4).

Conforme adiantado por um jornal local, Benjamin Kennedy deve assumir a presidência no lugar de Fernando. O presidente afastado disse que a saída se deve ao fato de que ele irá ocupar uma nova função. Entretanto, ele não quis antecipar qual será.

Entretanto, o Ministério Público havia dado um prazo de cinco dias para que a Prefeitura de Goiânia afastasse Meirelles do cargo, por ser, também, presidente regional do Partido Trabalhista Cristão (PTC). A promotora Villis Marra argumentou que a sua nomeação violou a Lei n° 13.303/16, que dispõe sobre o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias

Entenda o caso da sugestão de afastamento do presidente da CMTC enviada pelo MP-GO ao prefeito Iris Rezende

Em documento remetido recentemente ao prefeito de Goiânia na última semana, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) recomendou ao chefe do Executivo que o atual presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) fosse exonerado.

De acordo com o MP-GO, a nomeação do gestor ao cargo violou a lei que dispõe sobre o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias, e a exoneração seria necessária para evitar “conflito entre os interesses das empresas estatais e os político-partidários”.

Segundo o próprio MP-GO, a recomendação ao prefeito Iris Rezende Machado é a de que a exoneração de Fernando Olinto Meirelles, presidente da CMTC e também do diretório regional do Partido Trabalhista Cristão (PTC), deve ser feita no prazo de cinco dias.

No documento enviado ao prefeito, a promotora de Justiça Villis Marra, que atua em Goiânia na defesa do patrimônio público, destaca que a nomeação do gestor ao cargo violou a Lei n° 13.303/16, que dispõe sobre o estatuto jurídico da empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas subsidiárias. Isso porque, segundo a assessoria do MP-GO, Fernando é presidente regional de partido político e delegado de convenção nacional, o que é proibido pela norma, na parte que veda a nomeação de diretores que façam parte de estrutura decisória de partido político, devendo ainda ser respeitado o lapso de 36 meses entre o exercício da função decisória e a nomeação ao cargo de administrador de empresa estatal.

Imagens: Sagres Online 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.