Educação

Sintego decide hoje se mantém ou encerra greve na Educação em Goiás

De acordo com uma funcionária do sindicato, profissionais do interior e da capital estão reunidos nesta tarde para chegar a um consenso.

Por Ton Paulo
08/04/2019, 16h01

Membros do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás, o Sintego, e demais trabalhadores da área se reunem em assembleia geral na tarde desta segunda-feira (8/4) pra fazer novos encaminhamentos e deliberar se a greve, deflagrada última na quarta-feira (3/4), continua ou é encerrada. De acordo com uma funcionária do sindicato, profissionais do interior e da capital estão reunidos nesta tarde para chegar a um consenso.

A greve foi decidida no dia 1º deste mês (segunda-feira), e teve início dois dias depois, na quarta-feira. Na sexta-feira (5/4), o Sintego confirmou que a paralisação já atingia cerca de 400 escolas ao redor do estado.

O descumprimento da promessa de pagar os servidores da Educação dentro do mês trabalhado e do pagamento de dezembro (pago pela metade), por parte de Caiado, foram alguns dos motivos que fizeram com que a greve foi feita. “Nós estamos cobrando o pagamento restante do mês de dezembro do ano passado; o pagamento do mês de março e o retroativo da alimentação”, contou, à época, a presidente do sindicato, Bia de Lima.

Ainda conforme uma funcionária do Sintego que falou ao Dia Online, só é possível dizer se a greve vai continua ou não após o fim da assembleia que acontece neste momento.

De acordo com presidente do Sintego, greve se deu por conta de descumprimento de promessa de Caiado

De acordo com a presidente Bia de Lima na semana passada, que conversou com o Dia Online assim que a greve foi deflagrada, Caiado havia se comprometido a passar a pagar os servidores dentro do mês trabalhado, o que não aconteceu. O governador informou na semana anterior que o plano de realizar o pagamento do salário de março para os servidores do Estado de Goiás dentro do mês trabalhado não poderia ser cumprido.

De acordo com Caiado na ocasião, o governo vai pagar “toda a folha de março até o prazo estabelecido na lei: 10/4”. Entretanto, o descumprimento do acordo inicial parece não ter agradado os educadores de Goiás. “Ele [Caiado] disse que ia pagar o salário dentro do mês trabalhado, e isso não foi cumprido. Ele anuncia e não cumpre, está ficando feio”, declarou a presidente do Sintego na época.

A reportagem do Dia Online tentou contato com a Secretaria da Economia de Goiás, pasta responsável pelos pagamentos dos servidores, mas não obteve retorno.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Ex-primeira dama de Itaberaí, vítima de assalto, perdeu marido após crime parecido

Eleni Soares Dias Mendonça, de 71 anos, foi assaltada e agredida dentro da própria casa, na manhã do último domingo (7/4), enquanto rezava.
08/04/2019, 16h49

A ex-primeira dama de Itaberaí, Eleni Soares Dias Mendonça, de 71 anos, assaltada e agredida dentro da própria casa na manhã do último domingo (7/4), perdeu o marido, Carlos Dias Mendonça, há nove anos, vítima de um infarto sofrido logo depois de ter sido assaltado. As informações foram repassadas pela filha da idosa, Rita de Cássia Soares Mendonça, em entrevista ao G1.

Na época do ocorrido, o ex-prefeito, de 67 anos, estava em casa com a mulher quando dois homens invadiram a residência. Segundo informações de um jornal de Itaberaí, Carlos, que era conhecido como “Tico”, entrou em luta corporal com os bandidos, que fugiram do local sem levar nada. Momentos após o crime, Carlos teve um mal súbito e morreu.

“Ele estava saindo para ir ao velório de uma amiga nossa. Ouvi gritos e me levantei. Um dos homens colocou o revólver na minha cabeça. Um vizinho chamou a polícia. O ladrão exigiu que eu lhe passasse o controle remoto do portão. Ao entregar, acionei o portão. A polícia já estava chegando”, relatou Eleni à época do ocorrido.

Ex-primeira dama de Itaberaí é agredida por assaltantes

Eleni, que foi primeira-dama entre 1982 e 1988 e entre 1993 e 1997, foi abordada em casa, por volta das 5h30 do último domingo (7/4), enquanto rezava no quarto, de joelhos e apoiada na cama. De acordo com a filha dela, Rita de Cássia, a idosa tinha aberto a porta da varanda para ver como estava o tempo, voltou para o quarto e deixou a porta aberta.

Dois bandidos, pularam o muro, e armados, renderam Eleni, que foi agredida com socos e chutes. “Ela teve corte na cabeça, sofreu muitas agressões, coronhadas, ela machucou muito o rosto dela. Ela não está nem conseguindo abrir o olho esquerdo”, contou a filha ao portal G1.

Os criminosos levaram o carro, cheques, cartões bancários, documentos e dois celulares. O veículo foi abandonado a cinco quilômetros de Itaberaí, na GO-070. Os documentos de Eleni foram encontrados em Itauçu, cidade próxima. Até o momento, os homens não foram presos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Apreendido ônibus irregular que transportava alunos para feira de agronegócio em Rio Verde

Foram constatadas irregularidades como pneu dianteiro liso, extintor de incêndio vencido há cinco anos e vazio e tacógrafo irregular; motorista estava com a CNH vencida há mais de um ano.
08/04/2019, 18h03

Um ônibus que transportava 32 estudantes para a feira de agronegócio, Tecnoshow 2019, em Rio Verde, foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), na tarde desta segunda-feira (8/4). Foram constatadas, durante a abordagem, diversas irregularidades como: pneu dianteiro liso, extintor de incêndio vencido há cinco anos e vazio e tacógrafo irregular. Além disso, o motorista estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida há mais de um ano.

De acordo com a corporação, o veículo pertence a uma empresa terceirizada que presta serviços à Prefeitura de Paraúna. Os estudantes do ensino médio, de 15 a 17 anos, saíram de Paraúna com destino a Rio Verde, onde participariam do evento de tecnologia agrícola que começou hoje na cidade. Após a apreensão, os alunos, que estavam a cerca de 150 quilômetros do destino, precisaram aguardar por outro ônibus enviado pela prefeitura.

No ônibus, foram constatadas pelo agentes da PRF irregularidades como pneu dianteiro liso, extintor vencido há cinco anos, além de estar vazio, tacógrafo irregular, defeitos em alguns cintos de segurança e falta do uso por parte dos passageiros. O motorista do ônibus terceirizado também estava com a CNH vencida há mais de um ano.

Feira de agronegócio em Rio Verde

Tecnoshow 2019, feira de agronegócio promovida pela cooperativa COMIGO, se inicia nesta segunda-feira, 8 de abril, e segue até o dia 12. A programação está recheada de palestras técnicas e econômicas, doações de mudas de árvores nativas, circuito ambiental, exposição de veículos, instituições financeiras, produtos e serviços diversos para o agronegócio e alternativas de renda.

Desde 2008 sob a mesma direção, o evento vem crescendo de forma significativa, representando atualmente uma das principais referências em feiras do gênero no país. A Tecnoshow 2019, por sua vez, vem para reafirmar sua importância, trazendo em sua grade palestras, exposições, produtos e outras diversas alternativas para o mundo do agronegócio. Na edição de 2018 foram 550 expositores, R$ 2,5 bilhões em comercialização e um público superior a 106 mil pessoas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Cuidado, notas falsas vendidas nas redes sociais podem enganar você em Goiânia

Portal Dia Online descobriu como são fabricadas e vendidas as notas falsas em Goiânia.
08/04/2019, 20h21

No vidro de uma distribuidora de bebidas do Jardim América, em Goiânia, o proprietário pregou com fita crepe uma das notas falsas de R$50 que pegou apenas em 2019.

Sem dizer o nome, o homem de 50 anos, conta que não averiguava as notas que recebia, principalmente nas sextas-feiras corridas. Acabou pegando três: uma de R$ 50 e duas de R$ 20.

Pesquisou no Google e aprendeu como identificar a veracidade das notas. “Inclusive de R$ 10”, diz, enquanto desmancha um pacote com latas de cervejas. “Além de comprar uma caneta, aprendi a olhar coisas que apenas notas verdadeiras têm, do tipo listas e números escondidos. Aprendi que notas verdadeiras mudam de cor que colocadas diante de luz, por isso comprei uma caneta que tem aquele luz azul”, disse.

O comerciante deve ter recebido notas falsas negociadas pelo WhatsApp, em Goiânia, em um esquema nenhum pouco incomodado pela Polícia Federal (PF). De vez em quando um ou outro falsificador é preso com notas falsificadas em alguma abordagem da Polícia Militar.

Não é raro encontrar comerciantes que foram vítimas. Funcionários de farmácias, de supermercados e bares correm o risco de ter, descontado no salário o valor equivalente à nota falsa.

Os falsificadores anunciam na maior cara de pau em grupos sem nenhuma moderação com perfis fakes. No anúncio, dizem que vendem notas e passam números de contatos normalmente com DDDs fora de Goiás.

A reportagem do Dia Online conseguiu conversar com um desses falsificadores. Mas quando soube que o interessado era repórter, bloqueou. Antes, contudo, tentou convencer o “cliente” a comprar as falsificações.

Na conversa, o falsificador explica: o “cliente” para R$ 100 para cada R$ 1000 em notas falsas.

A maioria dos falsificadores vende a partir de R$ 3000 em notas falsas. Ou seja, o comprador paga R$ 300 pela equivalência de R$ 3.000.

As vendas destas falsificações se intensificam em véspera de feriados – principalmente Carnaval – ou quando o comércio está em alta, como no Dia das Crianças, Dia das Mães, Dia dos Pais e Natal.

O falsificador, em áudios curtos e frases decoradas, ainda garante: “são notas fakes de qualidade que passam na caneta e da luz negra”.

Em seguida, ele manda fotografias de pilhas das notas. Elas parecem catalogadas. São milhões em notas “fakes” em cima de sofás, puffs e em um rack.

Quando o repórter quis saber mais detalhes, o falsificador enviou um vídeo. As notas falsas aparecem em uma folha A4. “Isso aqui tudo saiu do forno agora”, diz ele.

Pelos vídeos e fotografias, a residência, com poucos móveis, se transforma em um laboratório.

Veja vídeo de notas falsas vendidas em Goiânia

Com mais dúvidas, o falsificador ainda sugeriu uma ligação em vídeo para mostrar, em tempo real, o processo de falsificação e, segundo ele, a “mercadoria.”

Sobre a entrega, ele dá coordenadas: “Se você for de Goiânia, pode encostar aqui no Terminal Praça da Bíblica,no Novo Mundo ou no Buriti Shopping.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem faz mulher de refém em Rio Verde e transmite ao vivo pelo Facebook

Na transmissão, o homem imobiliza a moça por trás enquanto aponta a arma para a cabeça dela e faz exigências.

Por Ton Paulo
08/04/2019, 22h58

Uma live (transmissão de vídeo feita ao vivo) feita no Facebook causou choque em dezenas de usuários na noite desta segunda-feira (8/4). Um homem portando uma arma de fogo fez uma mulher de refém e transmitiu todos os momentos de terror e ameaça pela rede social. Na transmissão, o homem imobiliza a moça por trás enquanto aponta a arma para a cabeça dela e faz exigências.

A reportagem do Dia Online teve acesso ao vídeo feito por pessoas que filmaram a tela do celular enquanto assistiam o crime. A transmissão foi feita por volta das 21h30 a partir do perfil de Herlandia Rodrigues, em Rio Verde, mas ainda não é possível concluir que é ela a mulher no vídeo.

Enquanto aponta a arma para a cabeça da moça e transmite tudo ao vivo pelo Facebook, o homem, usando boné e com uma tatuagem na bochecha, faz exigência e gritas que não quer matar ninguém mas quer ver sua mãe. ” Cadê minha mãe?? Cadê minha mãe??”, repete.

Já a moça no vídeo se mostra visivelmente desesperada, enquanto tenta, em vão, se soltar do homem.

A reportagem do Dia Online segue tentando encontrar, com exclusividade, mais detalhes sobre o crime – assim como o atual estado da moça e o desfecho da situação em que ela é mantida refém. A reportagem também tenta contato com Herlandia Rodrigues.

Esta matéria logo deve ser atualizada.

Transmissão ao vivo pelo Facebook de homem fazendo mulher de refém, em Rio Verde, contou com dezenas de pessoas assistindo

A transmissão feita ao vivo pelo Facebook que mostra o homem fazendo a moça de refém, em Rio Verde, teve várias visualizações. No vídeo recebido pela reportagem do Dia Online, é possível ver no canto da tela do celular filmado quase 80 pessoas acompanhando o sofrimento da moça.

Veja abaixo os vídeos recebidos pela nossa reportagem:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.