Goiás

Cliente do Banco do Brasil ganha na Justiça indenização de R$ 10 mil por não passar na porta giratória, em Fazenda Nova

Cliente retirou todos os pertences da bolsa, chamou segurança e gerentes da agência, mas não teve outra saída a não ser deixar a bolsa do lado de fora para passar pela porta giratória.
10/04/2019, 20h11

Uma cliente do Banco do Brasil de Fazenda Nova, a 206 quilômetros de Goiânia, ganhou na Justiça uma indenização no valor de R$ 10 mil, por danos morais, da instituição financeira. A decisão é do juiz Eduardo Perez de Oliveira, que levou em consideração o fato da mulher ser correntista da agência e comerciante na cidade ser barrada na porta giratória e ser obrigada a deixar a bolsa do lado de fora, para fazer o depósito de R$ 13 mil.

Conforme o magistrado, a cidade que tem seis mil habitantes, foi levado em consideração, pelo fato de todos se conhecerem no município, inclusive os funcionários do banco e a cliente. Por meio de nota divulgada em um Jornal local, a assessoria do Banco do Brasil afirmou que está analisado o teor da sentença para poder determinar as ações que a instituição vai tomar.

O Banco do Brasil explicou na nota ainda, que a porta giratória é equipada com detector de metais e um dos equipamentos de segurança exigido pela Polícia Federal (PF). O magistrado lembrou que pelo fato de ter ocorrido em uma cidade pequena do interior goiano, o caso tem suas particularidades, entre elas a falta de anonimato.

Cliente alega que se sentiu humilhada por seguranças e gerentes do banco não terem permitido sua entrada e ela ter deixado a bolsa com os pertences do lado de fora

Conforme o processo movido pela comerciante contra a instituição financeira, ela afirma que se sentiu humilhada na frente de outros clientes do banco, pois tinha retirado todos os pertences da bolsa e ficado apenas o valor que foi para depositar na agência, porém não conseguiu passar pela porta giratória.

A empresa conta que pediu para o segurança olhar o interior da sua bolsa, mas não resolveu e em seguida solicitou a presença dos gerentes da unidade para liberar a sua passagem com a bolsa, mas de nada adiantou.

O juiz da ação ao determinar a sentença afirmou que não é admissível que a cliente seja orientada a tirar um bolo de notas na frente de outros clientes, e principalmente deixar os pertences do lado de fora da agência para ser atendido.

Conforme o magistrado, a atitude dos funcionários do banco colocou em risco a cliente, revelou que ela sempre vai ao banco com grandes quantias em dinheiro e pelo tamanho do município, todos os moradores já devem ter conhecimento disso e pode sofrer algum mal no futuro, colocando a comerciante os familiares em risco, por ser uma pessoa conhecida.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Começa campanha de vacinação da CASAG em Goiânia e Interior

Vale lembrar que não será aceito boleto de outra cidade, ou seja, se a dose foi emitida com boleto de Goiânia, os advogados, estagiários e dependentes só poderão se imunizar em Goiânia.
10/04/2019, 20h51

A Campanha de Vacinação contra a gripe, tradicionalmente realizada pela Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (CASAG), começou nesta quarta-feira (10). Advogados e estagiários poderão adquirir até 4 (quatro) doses da vacina tetravalente, que imuniza contra os vírus das gripes H1N1, H3N2 e os dois subtipos da gripe B. Para comprar, basta acessar o site http://vacinacao.casag.org.br. Cada dose da vacina custa R$ 50,00.

aplicação das doses será iniciada a partir do dia 15 de abril (segunda-feira), em Goiânia, Trindade, Anicuns, Senador Canedo e Aparecida de Goiânia. A partir do dia 16 de abril (terça-feira), a Campanha segue para o interior do estado e a expectativa é que até o dia 08 de maio (segunda-feira), advogados e estagiários de todas as 54 subseções goianas sejam imunizados (confira o calendário de vacinação abaixo).

Vale lembrar que não será aceito boleto de outra cidade, ou seja, se a dose foi emitida com boleto de Goiânia, os advogados, estagiários e dependentes só poderão se imunizar em Goiânia. O mesmo acontece caso a dose seja emitida com boleto das cidades do interior do estado. Não há possibilidade de alteração uma vez que as doses são direcionadas às cidades conforme demanda.

Presidente da CASAG afirma que campanha vai ser um sucesso

Para o presidente da CASAG, Rodolfo Otávio Mota, a campanha será um sucesso. “Todos nós da Caixa de Assistência, estamos animados e trabalhando bastante, para que a campanha seja um sucesso, assim como no ano passado, em que foi realizada a maior campanha da história da CASAG”, afirmou Rodolfo.

Em Goiânia, as aplicações serão realizadas do dia 15 de abril ao dia 04 de maio, no Meu Escritório (Avenida Goiás, esquina com a Rua 01, Centro – Goiânia – GO). No interior, as aplicações serão realizadas nas sedes das subseções das Ordem dos Advogados do Brasil (OAB – GO) em dias já estabelecidos pela CASAG.

Gripe

A gripe H1N1 ou gripe suína, causada pelo vírus Influenza A H1N1, é uma mutação do vírus da gripe comum que, apesar de apresentar os mesmos sintomas, age com mais intensidade no organismo e pode levar a morte caso não seja tratada no início da contaminação.

Por ser uma doença viral, a gripe H1N1 é transmissível e tem como principal meio de disseminação o próprio ar, especialmente através de tosse ou espirro de pessoas já infectadas. Os primeiros sintomas da H1N1 são muito semelhantes ao da gripe comum, embora sejam mais fortes – febre alta, tosse, coriza, garganta seca, dores de cabeça e no corpo, rouquidão e olhos lacrimejantes. Em alguns casos a gripe pode causar vômitos, diarreia e falta de ar.

Pessoas portadoras de doenças crônicas como asma e diabete, idosos, crianças com menos de dois anos, grávidas ou mulheres no pós-parto, imunodeficiente ou portadores de imunodepressão, portadores de doenças renais e pessoas debilitadas devem tomar um cuidado especial com a gripe, por estarem no grupo de risco da H1N1 e poderem apresentar maiores complicações com a infecção viral.

Além da imunização com a vacina da gripe, é recomendado evitar grandes aglomerações neste período e adotar medidas preventivas como lavar sempre as mãos com água e sabão, usar lenços e papel ao tossir e espirrar, e buscar auxílio médico imediato caso apresente os sintomas da gripe H1N1.

Cronograma de Vacinação na capital e nas demais cidades

 Goiânia (Meu Escritório – Av. Goiás, esquina com a Rua 01) – de 15/04 a 04/05 das 9h às 20h.

Acreúna – 24/04, de 09h às 12h

Águas Lindas de Goiás – 30/04, de 10h às 12h30

Anápolis – 16/04, de 09h às 18h

Anicuns – 15/04, de 09h ás 13h

Aparecida de Goiânia – 15/04, de 14h às 17h

Bela Vista de Goiás – 03/05, de 15h às 19h

Bom Jesus – 02/05, de 10h30 às 12h

Caçu – 23/04, de 11h às 13h

Caiapônia – 29/04, de 15h às 18h30

Caldas Novas – 16/04, de 10h às 18h

Catalão – 25/04, de 14h30 às 18h30

Ceres – 24/04, de 09h30 às 12h

Cristalina – 25/04, de 14h às 18h

Crixás – 06/05, de 15h30 às 18h30

Firmninópolis – 30/04, de 14h às 18h

Formosa – 27/04, de 12h às 18h

Goianésia – 29/04, de 09h às 12h30

Goiás – 26/04, de 9h às 12h

Goiatuba – 17/04, de 9h às 12h

Inhumas – 23/04, de 14h às 18h

Ipameri – 25/04, de 09h30 às 12h30

Iporá – 29/04, de 09h30 às 12h

Itaberaí – 23/04, de 09h às 12h

Itapuranga – 24/04, de 15h às 18h30

Itumbiara – 17/04, de 14h às 19h

Jaraguá – 29/04, de 15h às 18h

Jataí – 22/04, de 10h30 às 18h

Jussara – 26/04, de 15h às 18h30

Luziânia – 22/04, de 10h às 17h

Minaçu – 07/05, de 14h às 17h

Mineiros – 27/04, de 13h às 19h

Morrinhos – 02/05, de 14h às 17h

Mozarlândia – 08/05, de 10h30 às 12h30

Neropólis – 03/05, de 8h às 12h

Niquelândia – 26/04, de 15h às 18h

Palmeiras de Goiás – 24/04, 14h às 18h

Pirancanjuba – 16/04, de 08h às 11h

Pires do Rio – 25/04, de 9h às 12h

Planaltina de Goiás – 30/04, de 15h às 18h

Pontalina – 02/05, de 8h às 12h

Porangatu – 03/05, de 14h às 18h

Posse – 07/05, de 14h às 17h

Quirinópolis – 23/04, de 15h às 18h30

Rio Verde – 17/04, de 10h às 20h

Rubiataba – 24/04, de 10h às 12h30

Santa Helena de Goiás – 17/04, de 10h às 13h

São Luiz de Montes Belos – 30/04, de 09h às 12h30

São Miguel do Araguaia – 03/05, de 14h30 às 17h

São Simão – 02/05, de 15h às 18h

Senador Canedo – 15/04, de 9h às 12h

Silvânia – 16/04, de 9h às 12h

Trindade – 15/04, de 9h às 18h

Uruaçu – 26/04, de 11h às 13h

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Goiana investigada por estelionato em Brumadinho é presa ao pedir mais indenização à Vale

A mulher, que já havia recebido R$ 65 mil, alegou que o filho sofreu uma lesão grave ao fugir da lama. A mineradora liberou o dinheiro para a cirurgia, mas ela foi presa antes de pegar o benefício.
11/04/2019, 08h13

A goiana Ana Maria Vieira Santiago, de 57 anos, investigada por estelionato, ao se passar por vítima da tragédia de Brumadinho, foi presa em flagrante enquanto entregava documentos falsos para requerer mais dinheiro de indenização à mineradora Vale. Desde o rompimento da barragem, Ana Maria já havia recebido R$ 65 mil de indenização, sendo R$ 15 mil por ter perdido os supostos animais da fazenda que alegou ter e R$ 50 mil pela perda da suposta casa onde disse que morava.

De acordo com as investigações, dias após a tragédia, de acordo com a apuração, ela foi para Belo Horizonte, em Minas Gerais, para arquitetar o plano. A mulher, que já foi candidata a deputada distrital no Distrito Federal, declarou que a atividade agropecuária desenvolvida na propriedade era sua única fonte de renda. A suspeita de estelionato conseguiu documentação falsa para entrar com pedido de indenização e coagiu moradores da região a confirmarem que ela residia no local.

Goiana já recebeu R$ 65 mil da Vale

Com as falsas declarações, Ana Maria recebeu R$ 15 mil pela perda dos supostos animais da fazenda e R$ 50 mil de indenização pela perda da casa que ela alegou ter na região do Parque da Cachoeira, local atingido pelo rompimento da barragem. Os supostos vizinhos da ex-candidata devem responder por falsidade ideológica.

No dia em que foi presa, ela portava documentos falsos que usou para requerer mais dinheiro de indenização à Vale, afirmando que o filho sofreu uma lesão grave no ombro enquanto fugia da lama. O dinheiro para cirurgia do jovem chegou a ser liberado pela mineradora, mas ela foi presa antes de pegar o benefício. O filho dela também é investigado.

Ex-candidata deve devolver valor de indenização

Ana Maria está presa desde o dia 19 de março no Presídio Feminino José Abranches Gonçalves, em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Para sair da prisão provisoriamente, ela deve devolver, por meio de depósito, os R$ 65 mil já recebidos devido à tragédia, segundo despacho do juiz Rodrigo Heleno Chaves, da comarca de Brumadinho.

Nascida em Anápolis, Região Metropolitana de Goiânia, Ana Maria Vieira Santiago se candidatou a deputada distrital em 2014 pelo MDB, mas não foi eleita por falta de votos suficientes. A mulher não tem mais ligação com o partido.

A mulher é investigada por outros golpes do DF, entre os anos de 2005 e 2019, de acordo com a Polícia Civil local. O Dia Online tenta contato com a defesa de Ana Maria.

Goiana investigada por estelionato em Brumadindo é presa ao pedir mais indenização à Vale
Foto: Reprodução/Eleições 2014

Tragédia em Brumadinho

A barragem de rejeitos da Mina do Córrego do Feijão se rompeu por volta das 12h do dia 25 de janeiro. A lama destruiu o refeitório e o prédio da mineradora, além de pousadas, casas e vegetação. Até o momento, segundo dados da Defesa Civil de Minas Gerais, são 224 mortos identificados e 69 pessoas continuam desaparecidas.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros de Goiás retornou a Brumadinho, em Minas Gerais, no último dia 30, para auxiliar nas buscas por vítimas. Atualmente, de acordo com informações da corporação, o trabalho de busca dos corpos das vítimas conta com 145 bombeiros que trabalham em 23 frentes, com 83 máquinas pesadas, seis cães e um drone. A solicitação foi feita pelo governo mineiro.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Homem rasga medida protetiva, invade casa da ex-mulher e é preso, em Goianira

Além de desrespeitar a medida protetiva, rasgando o documento, o homem tinha passagens pela polícia e já havia agredido a ex-companheira em outra ocasião.

Por Ton Paulo
11/04/2019, 08h20

Um homem foi preso na última quarta-feira (10/4) no município de Goianira, região metropolitana da capital, após desrespeitar uma medida protetiva emitida pela Justiça e tentar invadir a residência de sua ex-mulher por não aceitar o fim do relacionamento. O homem chegou a rasgar o documento da medida protetiva, e já havia agredido a ex-companheira em outra ocasião.

O agressor, de 27 anos, teria afirmado que não respeitaria a ordem judicial para manter distância da ex-mulher. Ele já tinha outras passagens pela polícia por furto qualificado, roubo, incêndio doloso, lesões corporais, violação de domicílio e ameaça. Ele foi preso preventivamente no Setor Lago Azul II, em Goianira.

Em fevereiro, o homem agrediu a mulher com um soco no tórax e fez ameaças de morte, por ciúmes e por não aceitar o término do relacionamento. A mulher, então, registrou ocorrência e solicitou medidas protetivas. Ao ser intimado da decisão judicial de afastamento, o autor voltou na casa da vítima, tentou invadir e rasgou o documento, dizendo que não ia respeitar as determinações de manter distância e proibição de contato.

A Delegacia de Polícia de Goianira representou pela prisão preventiva, devido ao descumprimento e o capturou ontem (10/4).

Entenda o que é uma medida protetiva

A Lei nº 11.340/2006, conhecida popularmente como Lei Maria da Penha, entrou em vigor no ano de 2006, dando ao país salto significativo no combate à violência contra a mulher. Uma das formas de coibir a violência e proteger a vítima asseguradas pela norma é a garantia das chamadas medidas protetivas.

Por se tratar de medida de urgência a vítima pode solicitar a medida por meio da autoridade policial, ou do Ministério Público (MP), que encaminhará o pedido ao juiz. A lei prevê que a autoridade judicial deverá decidir o pedido (liminar) no prazo de 48 horas após o pedido da vítima ou do MP.

A medida protetiva da vítima contra o agressor proíbe que ele mantenha qualquer tipo de contato ou se aproxime da vítima, que frequente lugares onde a vítima esteja, que mantenha distância também de familiares da vítima, entre outras coisas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

PF investiga fraudes na cobrança de pedágios em Goiás, Bahia e Espírito Santo

São cumpridos, na manhã de hoje (11/4), 16 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, empresas e residências dos investigados.
11/04/2019, 09h48

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (11/4) uma operação, batizada de Infinita Highway, que apura um esquema de superfaturamento na manutenção de estradas federais e na cobrança de pedágios, em Goiás, Bahia e Espírito Santo. Segundo a corporação, as fraudes envolviam servidores públicos e empresas concessionárias que não faziam a manutenção das estradas como previsto em contrato e reajustavam valores de pedágios de forma indevida.

Com apoio do Tribunal de Contas da União (TCU), a ação da PF ocorre simultaneamente nos três estados e no Distrito Federal. Cerca e 85 agentes federais cumprem 16 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, empresas e residências dos investigados.

Fraudes na cobrança de pedágios em Goiás

De acordo com as investigações, empresas concessionárias, responsáveis pela manutenção de estradas federais, contratavam a emissão de laudos fraudulentos que atestavam a qualidade das rodovias, evitando assim a aplicação de multas e outras penalidades pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), responsável por fiscalizar a prestação do serviço.

Foi apurado ainda que uma das concessionárias envolvidas aumentou indevidamente o valor cobrado nos pedágios, sob a falsa alegação de elevação dos custos de manutenção de rodovias, baseando-se, para isso, em orçamentos fictícios, emitidos por empresas que não existiam.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Federal de Goiás, da Bahia e do Espírito Santo, com o objetivo de localizar e apreender provas complementares dos crimes praticados pelo grupo.

Nomes das empresas e dos envolvidos no esquema ainda não foram divulgados. A PF ainda não detalhou qual o valor do prejuízo causado pelo superfaturamento. Os detalhes da Operação Infinita Highway serão repassado em entrevista coletiva, marcada para às 10h desta quinta-feira, no auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal, localizada na Av. Edmundo Pinheiro de Abreu, no Setor Pedro Ludovico, em Goiânia.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.