Brasil

Prazo para pedir isenção de taxa de inscrição do Enem termina nesta quarta-feira

Vale lembrar que a obtenção da isenção da taxa não significa a inscrição automática no exame.
10/04/2019, 11h11

O prazo para pedir isenção de taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 termina às 23h59 (horário de Brasília) desta quarta-feira, 10. O valor da taxa deste ano é de R$ 85.

Podem solicitar a isenção da taxa os estudantes que estão cursando o último ano do ensino médio em 2019 em escolas da rede pública, os que cursaram todo o ensino médio em escolas da rede pública ou como bolsista integral na rede privada, com renda, por pessoa, igual ou menor a um salário mínimo e meio (R$ 1.497).

São também isentos os participantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, ou seja, membros de família de baixa renda com Número de Identificação Social (NIS), único e válido, renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 499) ou renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 2.994).

Vale lembrar que a obtenção da isenção da taxa não significa a inscrição automática no exame. As inscrições para o Enem deverão ser feitas de 6 a 17 de maio. Os candidatos que precisarem pagar a taxa deverão quitar o boleto entre os dias 6 e 23 de maio.

O resultado da solicitação de isenção da taxa de inscrição e da justificativa de ausência será publicado no dia 17 de abril. Os candidatos poderão apresentar recursos entre os dias 22 e 26 e o resultado final será publicado no dia 2 de maio.

O prazo para justificar a ausência na edição anterior também termina nesta quarta-feira e deve ser feito na Página do Participante do Enem. (https://enem.inep.gov.br/participante/#!/inicial)

Imagens: Diário de Araxá 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Polícia apreende 30 veículos de luxo em operação contra esquema criminoso, em Goiás

Foram cumpridos também, até o momento, 13 mandados de prisão e 25 mandados de busca e apreensão em diversos endereços.

Por Ton Paulo
10/04/2019, 11h49

A Polícia Civil (PC), através da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores, a Derfrva, deflagrou na última terça-feira (9/4) em Goiás uma operação para desarticular uma organização criminosa responsável pela receptação de veículos roubados e furtados, adulteração de sinais identificadores de veículos automotores e financiamento e custeio para o tráfico de drogas. De acordo com a polícia, foi apreendido um total de 30 carros de luxo.

De acordo com a PC, durante as investigações da operação que foi batizada de Sétimo Selo, apurou-se um esquema sofisticado de lavagem de dinheiro, com a utilização de empresas e as chamadas “laranjas”. Ainda conforme a PC, alguns veículos do grupo eram repassados a outros grupos criminosos, principalmente ligados ao tráfico de drogas.

Foram cumpridos, até o momento, 13 mandados de prisão e 25 mandados de busca e apreensão em diversos endereços. No cumprimento das buscas foram apreendidos 30 veículos de luxo, dentre os quais foram identificados duas caminhonetas adulteradas. Também foram apreendidos 10 câmbios de veículos, sendo que oito são de automóveis roubado ou furtados; três motores de caminhões, dois deles adulterados e um pertencente a um veículo roubado, além de dois blocos de motores adulterados.

Na operação que apreendeu carros de luxo também fora bloqueados R$ 18 milhões

Além da apreensão dos carros de luxo e das prisões cumpridas, no transcurso das investigações, de acordo com a PC, foi autorizado o sequestro judicial de nove imóveis e o bloqueio bancário no valor de aproximadamente R$ 18 milhões de reais dos envolvidos.

A operação será apresentada oficialmente na tarde de hoje (10/4) na Derfrva, pelo delegado Gustavo Rigo, titular da delegacia. Conforme informações da assessoria da Polícia Civil, o secretário de segurança Pública Rodney Mirando e o delegado geral da PCGO Odair José Soares também estarão presentes na coletiva.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Mundo

Astrônomos revelam primeira imagem de um buraco negro já registrada

Primeiro "monstro cósmico" a ser registrado foi detectado no centro da galáxia M87, a cerca de 50 milhões de anos-luz da Terra.
10/04/2019, 11h57

Um círculo escuro no meio de um disco resplandecente: a imagem de um buraco negro – a primeira na história da astronomia – foi apresentada nesta quarta-feira, 10, ao mundo. O primeiro “monstro cósmico” a ser registrado foi detectado no centro da galáxia M87, a cerca de 50 milhões de anos-luz da Terra, segundo os responsáveis pelo projeto internacional chamado Event Horizon Telescope (EHT).

Uma distância difícil de imaginar”, admite Frédéric Gueth, astrônomo e vice-diretor do Instituto de Radioastronomia Milimétrica (IRAM), na Europa, que participou da pesquisa.

A imagem foi feita graças à colaboração internacional EHT, que reúne quase uma dúzia de radiotelescópios no mundo, da Europa ao Polo Sul, passando pelo Chile e Havaí. O equipamento permitiu a imagem de um dos os monstros sugadores de luz do universo teorizados por Albert Einstein no século passado. O que a imagem mostra no disco resplandecente é gás aquecido a milhões de graus pela fricção de gravidade cada vez mais forte, disseram os cientistas.

Combinando esses locais, como se fossem pequenos fragmentos de um gigante por meio de uma técnica chamada interferometria, os astrônomos puderam formar um observatório virtual do tamanho da Terra, com o qual “um jornal aberto em Paris poderia ser lido de Nova York”, segundo Gueth.

A imagem, almejada por muitos anos e até agora apenas simulada em computador, é tema de seis artigos publicados nesta quarta-feira na revista científica Astrophysical Journal Letters, assinada por mais de 200 autores de mais de 60 órgãos científicos. A foto foi apresentada em seis entrevistas coletivas simultâneas pelo mundo. (Com agências internacionais).

Imagens: UOL 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Câmara Municipal investiga SEMAS e fraudes no Bolsa Família, em Goiânia

Durante a operação na casa do fraudador a PF encontrou a imagem de uma pessoa em mais de 30 registros diferentes.
10/04/2019, 14h16

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que vai investigar as irregularidades envolvendo a Secretária Municipal de Assistência Social (SEMAS), foi instalada nesta quarta-feira (10/4) na Câmara Municipal de Goiânia. Entre os principais objetos de investigação da comissão estão as fraudes no programa Bolsa Família do Governo Federal, descobertas no fim do ano passado após uma operação da Polícia Federal (PF) feita na SEMAS.

O vereador Felizberto Tavares (PR) vai presidir a CEI que tem como relator Anselmo Pereira (PSDB). Os outros membros da comissão são os vereadores Sargento Novandir (Podemos), Alfredo Bambu (PRP), Paulinho Graus (PDT), Priscila Tejota (PSD) e Izídio Alves (PR).

Felizberto Tavares foi responsável por protocolar o requerimento para criação da comissão ainda no ano passado. Mesmo com o documento aprovado para instalação da CEI no dia 28 de novembro de 2018, a comissão só pôde ser instalada agora, pois na Casa existiam outras três comissões em funcionamento, e o regulamento interno da Câmara não permite mais do que três comissões em andamento.

“Nós vamos investigar várias denúncias que chegaram até nós, entre elas uma que foi destaque nos jornais, até mesmo com prisões de funcionários da Secretária devido o desvio dos recursos no programa Bolsa Família”, explica o parlamentar.

Conforme o vereador outra irregularidades além da encontrada para o cadastro no programa Bolsa Família também vão ser investigadas pela CEI.

PF afirma que fraudes no programa Bolsa Família em Goiânia podem ultrapassar a casa dos milhões

A Operação da Polícia Federal (PF) que investiga as irregularidades no programa federal foi deflagrada na manhã do dia 27 de novembro do ano passado, e durante a ação foram encontradas mais de 200 carteira de identidades falsificadas e vários cartões do programa.

Durante a operação, um suspeito de participar da fraude confessou que os documentos eram falsos e que conseguiu sacar alguns recursos do benefício. A apresentação do material foi feita pelo delegado da PF, James Soliz, durante uma entrevista coletiva após a operação.

O delegado na ocasião afirmou que na casa do fraudador a polícia encontrou a foto de uma pessoa em mais de 30 RGs e que o suspeito oferecia uma ajuda com pagamento de parte do programa e ficava com o restante.

O secretário de assistência de Goiânia, Robson Azevedo, participou da coletiva, e afirmou que as fraudes podem ultrapassar a casa de R$ 1 bilhão de reais, mas na capital o dano causado aos cofres pode passar da casa dos milhões.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Organização criminosa comandava tráfico de drogas em Goiânia de dentro da cadeia

Foram cumpridos oito mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão. Entre os alvos estão quatro presos que já se encontram recolhidos na CPP e na POG.

Por Ton Paulo
10/04/2019, 15h04

A Polícia Civil, através da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), deflagrou na manhã desta quarta-feira (10/4) uma operação que identificou e prendeu membros de uma organização criminosa que operava dentro e fora dos presídios, controlando o tráfico de drogas em Goiânia e ordenando a morte de rivais.

De acordo com informações da DIH, na Operação Cárcere, deflagrada hoje, foram cumpridos oito mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão. Entre os alvos estão quatro presos que já se encontram recolhidos na Casa de Prisão Provisória (CPP) e na Penitenciária Cel. Odenir Guimarães (POG), locais onde foram realizadas buscas a procura de drogas e aparelhos telefônicos.

Ainda de acordo com a DIH, os investigados fazem parte de uma organização criminosa que comanda o tráfico de drogas dentro e fora dos presídios, bem como vêm dando ordens para a morte de rivais na região Noroeste e Central de Goiânia. Além dos mandantes, foram identificados e presos dois executores que agiam nas ruas em nome da organização criminosa.

Já foram identificadas vítimas dessa organização criminosa, cujos procedimentos encontram-se em andamento e sob sigilo. Também encontram-se instaurados outros Inquéritos Policiais na DIH, visando identificar a estrutura e composição de toda organização criminosa, bem como responsabilizar os envolvidos pelo tráfico de drogas.

Polícia identificou vítimas da organização criminosa que comandava tráfico de drogas em Goiânia de dentro da prisão

Entre as vítimas da organização criminosa e identificadas pela Polícia Civil encontram-se Leonardo Santos Machado, assassinado no dia 6/1 deste ano, na avenida 243, no Setor Sul, Goiânia, e Igor de Souza Matias, morto no dia 22/6 do ano passado, na rua SV 23, no residencial Solar Ville, também em Goiânia.

A Operação Cárcere será apresentada formalmente hoje pela DIH. Os delegados de Polícia Rômulo Figueredo de Matos e Magda D’Avila foram os responsáveis pelas investigações e contaram com o apoio dos agentes e escrivães de polícia da DIH. Auxiliaram, ainda, na operação o GT3, o GOPE e os servidores da DGAP (Inteligência, CPP e POG).

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.