Goiás

PF investiga fraudes na cobrança de pedágios em Goiás, Bahia e Espírito Santo

São cumpridos, na manhã de hoje (11/4), 16 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, empresas e residências dos investigados.
11/04/2019, 09h48

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (11/4) uma operação, batizada de Infinita Highway, que apura um esquema de superfaturamento na manutenção de estradas federais e na cobrança de pedágios, em Goiás, Bahia e Espírito Santo. Segundo a corporação, as fraudes envolviam servidores públicos e empresas concessionárias que não faziam a manutenção das estradas como previsto em contrato e reajustavam valores de pedágios de forma indevida.

Com apoio do Tribunal de Contas da União (TCU), a ação da PF ocorre simultaneamente nos três estados e no Distrito Federal. Cerca e 85 agentes federais cumprem 16 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos, empresas e residências dos investigados.

Fraudes na cobrança de pedágios em Goiás

De acordo com as investigações, empresas concessionárias, responsáveis pela manutenção de estradas federais, contratavam a emissão de laudos fraudulentos que atestavam a qualidade das rodovias, evitando assim a aplicação de multas e outras penalidades pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), responsável por fiscalizar a prestação do serviço.

Foi apurado ainda que uma das concessionárias envolvidas aumentou indevidamente o valor cobrado nos pedágios, sob a falsa alegação de elevação dos custos de manutenção de rodovias, baseando-se, para isso, em orçamentos fictícios, emitidos por empresas que não existiam.

Os mandados de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Federal de Goiás, da Bahia e do Espírito Santo, com o objetivo de localizar e apreender provas complementares dos crimes praticados pelo grupo.

Nomes das empresas e dos envolvidos no esquema ainda não foram divulgados. A PF ainda não detalhou qual o valor do prejuízo causado pelo superfaturamento. Os detalhes da Operação Infinita Highway serão repassado em entrevista coletiva, marcada para às 10h desta quinta-feira, no auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal, localizada na Av. Edmundo Pinheiro de Abreu, no Setor Pedro Ludovico, em Goiânia.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Corpo é encontrado boiando em córrego de Formosa

De acordo com a polícia, o corpo não tinha nenhum sinal de violência.

Por Ton Paulo
11/04/2019, 10h00

Moradores do município de Formosa, entorno de Brasília, ficaram assustados na tarde da última quarta-feira (10/4) depois que um corpo foi encontrado boiando num córrego da região. A Polícia Militar (PM) chegou ao local depois de uma denúncia feita pelo número 190 e constatou a veracidade do relato. Entretanto, de acordo com a polícia, o corpo no córrego de Formosa não tinha nenhum sinal de violência.

Segundo a PM, chegou ao conhecimento da corporação o corpo no córrego depois de uma denúncia feita pelo 190. Ao chegar lá, os policiais encontraram o cadáver e ficou constatado que a morte havia ocorrido há pouco tempo, pelo estado de conservação. Posteriormente, o corpo foi identificado como sendo de Leomar Vicente de Souza, de 29 anos.

Ainda segundo a polícia, o corpo não apresentava sinais de violência ou qualquer outra lesão. O cadáver também não tinha qualquer objeto que o prendesse dentro da água.

Corpo é encontrado boiando em córrego de Formosa
Foto: Reprodução

A causa da morte será avaliada após perícia da Polícia Técnico-Científica, e o caso será investigado pela Polícia Civil. Participaram da ocorrência policiais militares e do Corpo de Bombeiros.

Além do caso no córrego de Formosa, corpo foi encontrado em Aragoiânia

No início do mês de março deste ano, dia 5/3, o corpo de um homem em estado avançado de decomposição foi encontrado por um banhista no Rio Dourado, em Aragoiânia, na região metropolitana da capital.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) foi chamado pelo banhista para atender a ocorrência. A equipe dos Bombeiros que esteve no local constatou que o corpo pertencia a um homem, e apenas fez a retirada do cadáver do rio.

Na época, o cadáver encaminhado para o IML de Aparecida de Goiânia, onde foi constatado que a vítima estava morta há alguns dias. Na ocasião, a Polícia Civil abriu uma investigação para apurar as circunstâncias da morte do homem.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Diretor-geral da ANTT é alvo de busca e apreensão da operação Infinita Highway

Ação da Polícia Federal, que investiga fraudes na cobrança de pedágios, foi deflagrada em Goiás, Bahia e Espírito Santo.
11/04/2019, 11h14

O diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Mário Rodrigues Júnior, é alvo de busca e apreensão da Polícia Federal na manhã desta quinta-feira, 11. Os policiais cumprem o mandado expedido pela Justiça Federal e vasculham o gabinete do diretor na sede da agência em Brasília.

Ligado ao ex-deputado Valdemar da Costa Neto (PR), Mário Rodrigues foi nomeado pelo ex-presidente Michel Temer e tem mandato até 2020. Quando foi nomeado, ele já era investigado por desvios no Rodoanel em São Paulo e foi citado na delação de executivos da Odebrecht, OAS e da Andrade Gutierrez.

Na operação de hoje, batizada de Infinita Highway, o diretor é investigado por suspeita de participar de um esquema superfaturamento das tarifas de pedágio em rodovias federais nos Estados de Goiás, da Bahia e do Espírito Santo.

Em nota, a PF informou que, durante as investigações, empresas concessionárias contratavam a emissão de laudos fraudulentos que atestavam a qualidade das rodovias, evitando assim a aplicação de multas e outras penalidades pela Agência Nacional de Transporte Terrestre – ANTT, responsável pela fiscalização da prestação do serviço.

Também se identificou, diz a PF, que, com a anuência da ANTT, uma das concessionárias envolvidas aumentou indevidamente o valor cobrado a título de pedágio, sob a falsa alegação de elevação dos custos de manutenção de rodovias, baseando-se, para isso, em orçamentos fictícios, emitidos por empresas que não existiam.

Imagens: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Funcionário da Saneago desaparece no Rio Meia Ponte, em Goiânia

Dois colegas conseguiram nadar para a margem, mas o terceiro desceu pela comporta. O fluxo de água estava forte e a embarcação dos funcionários estava sendo arrastada.
11/04/2019, 12h36

Um funcionário da Saneago desapareceu na manhã desta quinta-feira (11/4), no Rio Meia Ponte, no Bairro São Domingos, em Goiânia, enquanto realizava um serviço de medição na parte de cima da contenção do rio. O Corpo de Bombeiros foi acionado e procura pelo homem.

De acordo com informações da corporação, o homem estava acompanhado por mais dois colegas. Como o fluxo de água estava forte e a embarcação estava sendo arrastada para a comporta, eles optaram por saltarem na água. Dois deles conseguiram nadar para a margem, mas o terceiro desceu pela comporta e continua desaparecido.

Em atualização.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Educação

Estudantes fecham trecho da BR-153 em Anápolis contra cortes na UEG; veja vídeo

Desde o início do ano, a Universidade Estadual de Goiás vem sofrendo com reduções orçamentárias por parte do Estado.

Por Ton Paulo
11/04/2019, 13h11

Um trecho da BR-153 no município de Anápolis, região metropolitana de Goiânia, foi temporariamente bloqueado na manhã de hoje (11/4) por um protesto de estudantes que denunciavam cortes na UEG por parte do governo Caiado. Desde o início do ano, a Universidade Estadual de Goiás vem sofrendo com reduções orçamentárias, além de atrasos nos pagamentos.

O protesto dos estudantes universitários da UEG ocorreu nesta manhã no KM 96 da BR-153, em Anápolis. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o trecho chegou a ser bloqueado pelos estudantes durante algum tempo mas logo foi liberado.

O universitários protestavam contra os cortes que vêm sendo feitos na instituição desde janeiro. De acordo com o grupo “UEG em movimento”, no início de 2019, o Governo de Goiás reduziu em 20% o orçamento da instituição, ampliando cortes que haviam sido feitos entre novembro e dezembro de 2018.

Além disso, há também o atraso no pagamento dos servidores por parte do governo Caiado, uma vez que o salário de dezembro, por exemplo, ainda não foi totalmente pago até hoje. Existe também um outro fator que preocupa alunos e servidores, que é a possível proposta de redesenho da UEG que estaria sendo estruturada por um grupo de trabalho nomeado pela reitoria.

Estudantes protestando contra cortes na UEG chegaram a fechar trecho de BR, mas ato já foi finalizado

Segundo a PRF, os estudantes fecharam o KM 96 da BR-153, onde acontecia o protesto, somente por alguns instantes. Por volta das 9h30 desta manhã o ato já havia acabado.

A reportagem do Dia Online entrou em contato com Secretaria de Estado da Educação, que informou que o assunto deveria ser tratado diretamente na UEG. A universidade ainda não retornou às tentativas de contato da reportagem.

Veja abaixo o vídeo do protesto:

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.