Esportes

Atlético goleia Goiás na primeira partida da Final e precisa de um empate para ficar com o título

Com o resultado, o rubro-negro goiano pode perder por até dois gols no próximo domingo que fica com o título.
14/04/2019, 18h08

O jogo é de torcida única, no entanto parece que não apenas de torcida, mas de um único time, o Atlético Goianiense que venceu o Goiás na primeira partida da final do Goianão 2019 neste domingo (14/4) pelo placar de 3 a 0.

O Jogo

O torcedor rubro-negro que compareceu ao Estádio Olímpico viu um time aguerrido desde o início da partida, e que foi premiado antes dos 15 minutos da primeira etapa. O atacante Matheuzinho lançou o meia Jorginho que invadiu a área deu um corte seco no zagueiro Rafael Vaz, que derrubou o meia, pênalti marcado pelo árbitro Eduardo Thomaz, Gilsinho foi para cobrança e abriu o placar para o rubro-negro goiano.

Após abrir o placar, o time comandado por Wagner Lopes tentou aproveitar os contra ataques para matar o jogo, mas sem sucesso. O Goiás por sua vez apareceu pela primeira vez, após o chute de Marlone de fora da áreas aos 35′ da etapa inicial. A partir daí o esmeraldino goiano passou a chegar, mas sem muito perigo.

E como diz o velho ditado de que acompanha e joga futebol que não faz leva, o dragão aproveitou para jogar mais um balde de gelo no Goiás, após jogada de Jorginho, a bola chegou a Mayke que invadiu a área, escorregou, seguiu a jogada e tocou para Matheuzinho que girou e bateu no canto do goleiro Sidão ampliando a vantagem do rubro-negro carioca para 2 a 0 aos 44′ do 1ºT.

O Goiás até melhorou no segundo tempo, mas no apagar das luzes Madson fechou a conta para o Atlético Goianiense

Com o placar em seu desfavor, o técnico do Goiás, Maurício Barbieri fez duas substituições para reverter a situação do time, saiu Renatinho para entrada de Marcinho e Gilberto Júnior deu lugar ao meia-atacante Geovane Augusto.

Com as mudanças feitas por Barbieri, o Goiás melhorou e aos cinco da etapa complementar Marcinho aproveitou que tinha espaço e bateu para a defesa do goleiro rubro-negro. Três minutos depois foi a vez do zagueiro Rafael Vaz aproveitar a cobrança de escanteio e fazer o goleiro adversário trabalhar novamente.

Enquanto o Atlético perdeu o volante Moacir lesionado que deu lugar a André Luiz, o Goiás criou sua grande chance do jogo, aos 15 da etapa final, a bola foi alçada dentro da área, o atacante Brenner apareceu para cabecear e Kozlinski apareceu mais uma vez para defender e impedir o gol adversário.

O Goiás até melhorou no segundo tempo, no entanto aos 45′ da etapa final, Matheuzinho lançou Reginaldo que rolou para Madison dar números finais ao jogo, Atlético 3 x 0 Goiás.

O jogo de volta a torcida vai ser apenas do Goiás e o esmeraldino goiano vai ter que devolver o placar para levar a decisão para os pênaltis ou golear o rubro-negro pelo placar de 4 a 0 para ficar com o título. O Atlético por sua vez pode perder por até dois gols que vai se sagrar campeão Goianão de 2019.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Trânsito

Estudante atropela idosa, em Goiânia, e é liberado um dia depois em audiência de custódia

Atropelamento ocorreu na noite do último sábado (13/4), na Rua C-205, no Setor Jardim América. A vítima, uma idosa de 69 anos, morreu na hora.
15/04/2019, 07h59

O estudante de Direito que matou uma idosa atropelada no último sábado (13/4), no setor Jardim América, em Goiânia, foi liberado da prisão neste domingo (14/4), um dia após o ocorrido, depois de passar por audiência de custódia. De acordo com a Polícia Civil, foi constatado que o jovem estava bêbado, mas segundo a defesa, o ele não tinha “não tinha nenhum sinal aparente de embriaguez.”

De acordo com informações da Delegacia de Investigação de Crimes de Trânsito (DICT), não foi encontrado no interior do veículo nenhum tipo de bebida alcoólica, porém uma testemunha de local afirmou ter visto o motorista do carro, um VW Gol, ingerir um resto de cerveja ao descer do carro, momentos depois do acidente.

Equipes da PC procuram por imagens de câmeras de segurança dos comércios locais, que possam ajudar esclarecer como tudo aconteceu.

Estudante atropela e mata idosa em Goiânia

Marlene Luzia Nogueira Lobo, de 69 anos, morreu na noite do último sábado (13/4), enquanto atravessava a Rua C-205, no Setor Jardim América, em Goiânia. No momento do atropelamento, o motorista, identificado como Murilo Naves Prado, de 21 anos, havia saído da casa de amigos e levava a namorada para casa.

Delegacia de Investigação de Crimes de Trânsito (DICT) foi acionada no local. O motorista se negou a fazer o teste do bafômetro, mas ao ser encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), foi comprovado que ele dirigia embriagado. Murilo foi levado à Central em Flagrantes, onde foi autuado em flagrante pela morte da idosa. Neste domingo (14/4), um dia após o ocorrido, o estudante foi liberado em audiência de custódia.

Em entrevista o G1, o advogado do jovem, Marcio Carratte, informou que Murilo se negou a fazer o exame no local porque estava muito abalado. “Ele estava em estado de choque emocional. Inclusive, deu uma crise de choro muito forte, com isso, olhos ficaram vermelhos. Até por esta razão, creio que pessoas acharam que ele estava embriagado”, explicou a defesa.

Via: G1 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Grávida de 3 meses é assassinada pelo marido na frente das filhas, em Brasília

O suspeito do crime, que golpeou a mulher pelas costas, está foragido. Ela servia almoço para as filhas quando foi morta.

Por Ton Paulo
15/04/2019, 08h38

Uma mulher, grávida de 3 meses, foi assassinada a facadas no último domingo (14/4) pelo próprio marido enquanto servia almoço para as filhas pequenas, em Sobradinho II, região de Brasília. O suspeito do crime, que golpeou a mulher pelas costas, está foragido.

Conforme adiantado por um veículo local, Luana Bezerra da Silva, de 28 anos, teria discutido com o companheiro, Luiz Filipe Alves de Sousa, 20, na noite de sábado (13/4), quando foi ameaçada por ele. Segundo relatos de vizinhos, antes do crime, que foi cometido em Sobradinho II, o homem ainda teria gritado para Luana “Você vai ver! Você ainda me paga!”.

Preocupada com as discussões, a vítima chegou a procurar único irmão, Daniel Bezerra da Silva, 31, por volta das 10h de domingo. De acordo com ele, a irmão pediu R$ 30 reais para ir embora, mas, na hora, ele não pensou que fosse ser algo grave. Como começou a chover, ainda segundo ele, o homem pediu para ela buscar o dinheiro em sua casa. “Só que não deu tempo. Eu estou sem chão, se eu tivesse ajudado, nada teria acontecido”, lamenta.

O suspeito do crime ainda está foragido, e a polícia busca por seu paradeiro.

Grávida de 3 meses assassinada em Brasília morreu enquanto dava comida para as filhas

Luana foi morta da forma mais covarde possível. Ela foi atacada pelo marido por trás, quando terminava de servir almoço para as duas crianças. A filha dela, Letícia, de 9 anos, e a do casal, Maria Luiza, presenciaram a atrocidade. A mais velha chegou a correr à rua para pedir ajuda, enquanto gritava que Luiz havia matado a mãe dela. Um vizinho foi o primeiro a prestar socorro. Por mais de 20 minutos, Thales Ícaro Oliveira, 35, usou os conhecimentos de brigadista para tentar estancar o sangue das perfurações.

Entretanto, apesar dos esforços, não conseguiu. A vítima ainda foi socorrida e levada ao Hospital Regional de Sobradinho, mas após receber os primeiros atendimentos, faleceu. Luana deixa quatro filhos: a mais velha de 9 anos, uma de 8, um garoto de 7 e a primeira filha do casal, de 1 ano e 3 meses. Ela estava grávida de três meses do quinto bebê. A vítima é natural do município baiano de Bom Jesus da Lapa.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Após esbarrão, policial civil mata PM em boate de Águas Claras; veja vídeo

Em depoimento, policial civil alegou ter agido em legítima defesa. Caso ocorreu na madrugada desta segunda-feira (15/4).
15/04/2019, 09h32

Um esbarrão resultou na morte de um policial militar em uma boate localizada às margens da Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), em Águas Claras, no Distrito Federal. O principal suspeito é um policial civil que estava no local. Os dois homens estavam armados. O caso ocorreu na madrugada desta segunda-feira (15/4).

Imagens de câmeras de segurança do estabelecimento registraram toda a ação. No vídeo é possível ver o momento em que o PM passa em frente ao policial civil, eles parecem conversar e logo ocorre um empurrão. O agente civil saca arma rapidamente e atira contra o PM, que ainda tenta pegar a pistola. Veja:

Durante a confusão, uma mulher também foi atingida  pelos tiros e encaminhada ao Hospital de Base do DF (HBDF). Ela sofreu um ferimento na perna e segundo a família, está fora de risco.

Confusão de policial civil com PM em boate de Águas Claras

Segundo testemunhas, a confusão entre os dois agentes começou momentos antes dos disparos. O PM teria ido ao banheiro e o policial civil o aguardava na porta. O motivo seria um esbarrão. O crime ocorreu por volta das 3h desta segunda-feira (15/4). No momento da confusão, a boate, que tem capacidade para 1,5 mil pessoas, estava cheia.

Informações preliminares apontam que Herison Oliveira Bezerra, primeiro-tenente lotado no 10º Batalhão de Polícia Militar de Ceilândia, foi atingido com três disparos no tórax, feitos com uma pistola .40. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), mas não resistiu aos ferimentos.

O policial civil, autor dos tiros, foi identificado como Péricles Junior, lotado na 14ª Delegacia de Polícia do Gama (DF). Logo após o ocorrido, o agente tentou fugir, mas foi preso e conduzido à  21ª DP (Taguatinga Sul), onde o caso será investigado. Em primeiro depoimento, o policial civil alegou ter agido em legítima defesa.

PM deixa filho adolescente

O primeiro-tenente Herison Oliveira Bezerra estava acompanhado da mulher, que por pouco não foi baleada. No vídeo ela aparece tentando socorrer o marido. O PM deixa um filho adolescente.

Péricles Junior está sendo ouvido na manhã de hoje (15/4) pela Corregedoria da Polícia Civil, segundo apurou o Jornal Metrópoles.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

PF caça 21 em Goiás, SP e BA por fraude de R$ 20 milhões no seguro-desemprego

Investigação identificou 408 empresas inexistentes que eram utilizadas por membros da organização criminosa para o recebimento do benefício.
15/04/2019, 10h28

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira, 15, a Operação Mendacium, que tem como objetivo desarticular organização criminosa especializada em fraudes no seguro-desemprego. Agentes cumprem 21 mandados de prisão preventiva e 12 de busca e apreensão em São Paulo, Mauá (SP), Porangatu (GO) e Ibicuí (BA). Mendacium, o nome da operação, significa falsidade em latim.

A investigação identificou 408 empresas inexistentes que eram utilizadas por membros da organização criminosa para o recebimento do seguro-desemprego. O Ministério da Economia apurou que entre 2015 e 2019 a organização investigada recebeu R$ 20,5 milhões em benefícios fraudulentos. Foram bloqueados R$ 10,5 milhões, valor que a organização criminosa ainda receberia em parcelas a vencer do benefício.

A Delegacia da Polícia Federal em Presidente Prudente (SP) começou a apurar os crimes em outubro de 2017, a partir da denúncia de um trabalhador. Segundo ele, uma pessoa não identificada estaria recebendo seguro-desemprego em seu nome.

Na primeira fase da investigação, os líderes da organização criminosa foram presos em flagrante em um escritório no bairro da Penha, na zona leste de São Paulo. No local, foram encontrados documentos falsos, equipamentos para a falsificação, material de informática e aproximadamente R$ 420 mil em espécie.

A partir da análise dos materiais apreendidos na primeira fase da operação, outros membros do grupo foram identificados. Segundo a PF, os integrantes continuavam com as atividades da organização mesmo após as prisões dos líderes e por isso foram determinadas as prisões preventivas. Os detidos responderão pelos crimes de participação em organização criminosa e fraude.

Imagens: Jornal do Tocantins 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.