Goiás

Homem são presos em Rio Verde com pesca ilegal e centenas de munições

Os homens levavam mais de 100 quilos de peixe de forma irregular, além de munição de calibre 12.

Por Ton Paulo
15/04/2019, 12h31

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu três homens na manhã desta segunda-feira (15/4) na BR-060, em Rio Verde, que estavam transportando ilegalmente pescados e munições. Os homens voltavam de um rio na divisa entre o Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul, de onde extraíram mais de 100 quilos de peixe de forma irregular, o que configura pesca ilegal.

Conforme a PRF, a prisão dos três homens, de 76, 57 e 49 anos, ocorreu na manhã de hoje na BR-060 durante uma fiscalização de rotina da corporação. Segundo os policiais, os detidos que viajavam em caminhonete Toyota Hilux com placas de Catalão foram parados em abordagem de rotina e após fiscalização no interior do veículo, os agentes encontraram mais de cem quilos de peixes como Jaús, Caranhas e Pirapitanga, além de mais de uma centena de munições de calibre 12.

Segundo informações dos homens, eles estavam pescando no Rio Piquiri, na divisa do Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, e estavam voltando para Araguari, município mineiro onde residem.

Eles foram detidos e encaminhados para a Central de Flagrantes local onde foram enquadrados em crime ambiental, por pesca predatória, e por porte ilegal de munições.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, o Ibama, foi acionado e aplicou multa de 74 mil reais por crime ambiental pela pesca ilegal.

Motivo de prisão em Rio Verde, pesca ilegal é motivo de operações do CPA da PM de Goiás

Com foco no combate à pesca predatória, motivo que levou à prisão dos homens em Rio Verde, o Comando de Policiamento Ambiental (CPA) da Polícia Militar de Goiás realizou 106 abordagens em veículos aquáticos em março de 2019. O número representa um avanço de 15% na comparação com o mesmo período do ano passado. “É uma ação que visa manter o equilíbrio da natureza. Além da pesca ilegal, essas abordagens também ajudam na preservação das nascentes e dos mananciais”, afirma o comandante do CPA, tenente-coronel Francisco Jubé.

O número de acampamentos fiscalizados apresentou alta de 214%. “Infelizmente, existem pessoas que se agrupam para cometer crimes contra o meio ambiente. Por isso, intensificamos nossas ações e avançamos muito para reprimir essas práticas ilícitas”, destaca o comandante.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Falsa refém de Rio Verde matou cunhado envenenado e forjou outro sequestro de mentira

Após ser descoberto que a falsa refém de Rio Verde na verdade foi a própria mandante do sequestro, o que levou à sua prisão, seu passado de mentiras e crimes veio à tona.

Por Ton Paulo
15/04/2019, 13h45

A reviravolta no caso do sequestro em Rio Verde transmitido ao vivo pelo Facebook, em que uma mulher foi feita de refém, ainda está causando choque e revolta em muita gente que, anteriormente, havia se solidarizado com a suposta vítima. Isso porque, após ser descoberto que a falsa refém de Rio Verde na verdade foi a própria mandante do sequestro, o que levou à sua prisão, seu passado de mentiras e crimes veio à tona: Herlândia Nunes Rodrigues, de 26 anos, já foi condenada ter forjado outro falso sequestro e até por matar envenenar o próprio cunhado.

A transmissão ao vivo pelo Facebook do falso sequestro foi feita na noite de uma segunda-feira (8/4), e enganou muita gente, incluindo as autoridades. O fato foi noticiado em primeira mão pelo Dia Online, mas o que não se sabia à época é que Herlândia, a “vítima” do sequestrador, já tinha uma reputação.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Danielo Fabiano Carvalho, não foi a primeira vez que a farsante forjou um sequestro. Segundo o delegado, a moça, presa temporariamente no último sábado (13/4) depois do depoimento do sequestrador que fazia parte do plano de Herlandia, Matheus Campos de Oliveira, de 23 anos, fez um Boletim de Ocorrência no ano de 2016 onde alegou ter sido roubada, feita de refém e levada para uma rodovia em Rio Verde.

À época, os policiais registraram o caso e começaram as investigações. Entretanto, nada, nem um único indício do tal crime foi encontrado, apesar de todas as diligências.

Conforme o delegado Danilo Fabiano, tudo leva a crer que a farsante provoca essas situações de falso sequestro para se passar por vítima e obter notoriedade. “O Matheus, que fez o sequestro, sabia de tudo. Eles planejaram tudo juntos. Talvez seja por isso que ela tentou matá-lo, para que ele não contasse nada”, contou o delegado referindo-se ao fato de que Herlândia atirou contra Matheus, acertando-o na boca.

O delegado informou ainda que caso fique comprovado sem viés de dúvida o planejamento do falso sequestro, Herlândia vai ser indiciada por tentativa de homicídio e falsa comunicação de crime.

Falsa refém de Rio Verde já foi condenada por matar o cunhado envenenado

Não são só as comunicações de falsos sequestros que pesam no histórico de Herlândia, a “refém de Taubaté”. Segundo o delegado Danilo Fabiano, em 2010, quando Herlândia tinha 17 anos, ela foi condenada a cumprir medidas socioeducativas após matar o próprio cunhado envenenado.

Na época, ela chegou a ter ajuda de sua irmã. Herlândia continua sob custódia até que o caso seja totalmente elucidado.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Menino de dois anos morre afogado ao cair em piscina, em Senador Canedo

Avó se distraiu e ao procurar pelo neto o encontrou dentro da piscina.
15/04/2019, 14h01

Um menino de dois anos morreu afogado após cair dentro da piscina na casa da avó, na manhã desta segunda-feira (15/4) em uma chácara de Senador Canedo, na região metropolitana da capital. O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) chegou a ser chamado, mas encontrou a criança sem os sinais vitais.

O CBMGO afirmou que a criança estava na chácara onde a avó mora, e segundo a corporação a mulher usa remédios controlados e teria se distraído com os afazeres da casa. Conforme os bombeiros, quando se deu conta a avó do menino começou a procurar por ele, mas sem resposta e o encontrou dentro da piscina de 1 metro e 80 de profundidade.

A Corporação afirmou que ao chegar a chácara onde a criança morreu afogada, a avó do menino o tinha retirado da água e ele estava em cima de uma mesa onde foram feitas as manobras de ressuscitação cardiopulmonar, porém sem sucesso. O CBMGO afirmou que ao chegar ao local apenas constatou a morte da criança. O corpo do menino foi deixado aos cuidados da Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) e do Instituto Médico Legal (IML).

Outros dois casos onde meninos de dois anos morreram afogados foram registrados em Goiânia e Anápolis

Na noite do dia 2 de fevereiro deste ano, Alejandro Sousa Azevedo, de dois anos, morreu após se afogar na piscina do condomínio em que morava com a família, em Goiânia. Na ocasião, a mãe do menino percebeu que ele havia caído na piscina e o retirou da água, e com ele nos braços procurou por ajuda.

Após conseguir ajuda de uma vizinha do condomínio, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) foi chamado para fazer o resgate da criança, mas infelizmente Alejandro não resistiu e morreu.

Na mesma semana da morte de Alejandro, o pequeno Guilherme Moutinho, que tem a mesma idade dos outros dois meninos, morreu após se afogar no dia 28 de janeiro de 2019, em um lago no distrito de Souzânia, na cidade de Anápolis.

Guilherme que estava veio com o pai de Portugal para conhecer a família, foi encontrado no lago pelo pai e levado para o Hospital de Urgências de Anápolis (Huana), mas infelizmente não resistiu e morreu no hospital.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Entretenimento

Plantas em Goiânia: encontre a melhor opção de viveiro na cidade

Boas opções para quem pretende montar um jardim ou até mesmo decorar a casa!
15/04/2019, 14h54

Se você está em busca de mudas para plantar em casa, decorar o jardim ou qualquer outra finalidade, a escolha certa é ir até um viveiro. Também conhecido como “berçário de plantas”, é o lugar responsável por desenvolver e multiplicar suas culturas, sejam elas de lenhosas, árvores, arbustos, plantas vivazes etc, até que se tornem aptas para serem transplantadas e comercializadas. Portanto, para comprar plantas em Goiânia, é possível escolher entre alguns viveiros que trabalham com diferentes produtos, atendendo a todas as necessidades.

É sempre possível encontrar empresas que trabalham com a comercialização e produção de mudas, frutíferas e plantas ornamentais, flores, palmeiras (tropicais e exóticas), gramas, insumos, sementes, hortaliças e muito mais. Pensando nisso, nós aqui do Portal Dia Online preparamos uma listinha com os melhores viveiros da cidade. Dá uma olhada!

x viveiros para montar seu jardim

Encontre os melhores lugares para comprar plantas em Goiânia:

1 – Viveiro Ipê

Plantas em Goiânia: melhores opções para montar seu jardim / viveiro
Foto: Reprodução

Presente no mercado da cidade desde 1999, o viveiro é uma das principais referências para quem pretende comprar plantas em Goiânia, já que oferece enorme variedade em mudas, para as mais diversas utilizações e de diferentes classificações (frutífera, ornamental, etc).

Como se não bastasse, ainda trabalham com mudas nativas do cerrado para reflorestamento ou arborização urbana. Tudo é produzido a partir de sementes coletadas de árvores matrizes, passando ainda por um rigoroso processo de beneficiamento, seleção e armazenamento, visando garantir o alto padrão de qualidade. Vale a pena conhecer! Para conferir as mudas disponíveis, clique aqui.

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h às 17h / sábado, das 8h às 12h

Telefone: (62) 3208-2400

Endereço: Rodovia GO-080, Km 5,5, s/n – Parque dos Cisnes, Goiânia – GO, 74915-550

2 – Viveiro e Floricultura Goiás

Plantas em Goiânia: melhores opções para montar seu jardim / viveiro
Foto: Reprodução

Localizado no Setor Campinas, o viveiro é uma das principais referências para quem pretende comprar plantas em Goiânia, atuando na cidade desde 1998.

Dispondo de uma área de 110.000 m², os clientes encontram desde flores, vasos e acessórios, até plantas ornamentais, frutíferas, palmeiras e muito mais. É o lugar perfeito para encontrar as melhores e mais belas plantas! Clique aqui e confira o catálogo.

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 12h

Telefone: (62) 3233-3555

Endereço: Av. 24 de Outubro, 2209 – St. Campinas, Goiânia – GO, 74505-011

3 – Cantinho 3 Floricultura e Paisagismo

Plantas em Goiânia: encontre a melhor opção de viveiro na cidade
Foto: Reprodução

A Cantinho 3 já está presente no mercado há mais de 30 anos, sendo uma das principais escolhas no que tange os serviços de paisagismo, implantação, manutenção de jardins, reflorestamento, comércio de plantas ornamentais e acessórios que compõem o projeto paisagístico.

É possível encontrar boa variedade para decoração e jardinagem, com preços justos e produtos de alta qualidade. Vale a pena conhecer! Clique aqui e confira os produtos.

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h às 18h / sábado, das 8h às 13h

Telefone: (62) 3218-2231

Endereço: R. 217, 951 – Setor Leste Universitário, Goiânia – GO, 74603-090

4 – Plantas Raras Floricultura

Plantas em Goiânia: melhores opções para montar seu jardim / viveiro
Foto: Reprodução

Se você está buscando por um bom lugar para comprar plantas em Goiânia, seja para decorar seu jardim ou mesmo o interior de sua casa, esta também é mais uma boa opção!

A floricultura trabalha com plantas diversas, desde as mais comuns até algumas mais raras e típicas da região. Localizada no Setor Sul, ainda é possível contar sempre com bom atendimento!

Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h às 18h

Telefone: (62) 99975-0219

Endereço: Rua 115, 2150 – St. Sul, Goiânia – GO, 74085-328

5 – Viveiro Suíço

Plantas em Goiânia: melhores opções para montar seu jardim / viveiro
Foto: Reprodução/ Viveiro Suíço

O Viveiro Suíço possui suas origens em 1994 e desde então, já se transformou em uma das principais referências de plantas não apenas em Goiânia, mas também em todo o estado.

O foco do local está na produção e desenvolvimento de pomares, principalmente de cítricos. No entanto, ainda é possível encontrar outros tipos de mudas e plantinhas ornamentais para decorar seu jardim e afins. Clique aqui e conheça os produtos.

Telefone: (62) 3581-4047

Endereço: Rod. GO-070 km 07 – Conj. Primavera, Goiânia – GO, 74477-228

6 – Mudas Frutíferas Goiânia

Plantas em Goiânia: melhores opções para montar seu jardim / viveiro
Foto: Reprodução

E para quem pretende plantar algumas frutíferas, esta também é uma excelente opção. É possível encontrar boa variedade, desde mudas de acerola e laranja, até de cupuaçu e fruta do conde, por exemplo.

Os preços são bastante acessíveis e o melhor é que ainda fazem entregas de plantas em Goiânia, por toda a região. Clique aqui e confira o catálogo de mudas.

Horário de atendimento: atendimento 24h

Telefone: (62) 99382-2030

Endereço: R. Arpoador, Qd. 12 – Lt. 26 – Res. Mansoes Paraiso, Goiânia – GO, 74481-705

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Professora do IFG de Águas Lindas é detida por desobediência ao filmar ação policial

Diretor registrou BO de que alunos estariam fazendo apologia e planejando um atentado semelhante aos de Realengo e Suzano na instituição.
15/04/2019, 15h40

A denúncia do diretor do Instituto Federal de Goiás (IFG) de Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal (DF), de que alunos supostamente estariam fazendo apologia e planejando um atentado na instituição no mesmo modelo dos ocorridos em Realengo e Suzano, terminou com a prisão da professora Camila de Souza de Marques Silva, na manhã desta segunda-feira (15/4) por desobediência, uma vez que ela teria se negado a parar de filmar a abordagem policial que buscava indícios para comprovar a denúncia do diretor da instituição.

Segundo as informações da Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) no último domingo (14/4), o diretor do IFG registrou um Boletim de Ocorrência (BO), onde alega que alguns alunos do Instituto estariam fazendo apologia e planejando um ataque ao instituto semelhante aos de Suzano e Realengo.

Após o registro do BO, os agentes da PC da cidade foram até a instituição de ensino na manhã de hoje em busca de elementos que pudessem comprovar a denúncia feita pelo diretor da unidade. Ao chegar à unidade, a equipe de investigação pediu para falar com o diretor para poder fazer a revista no IFG e foi indicada a sala da professora Camila.

Durante a abordagem policial, a professora do IFG acompanhou os policiais e começou a gravar as imagens no celular, mas desobedeceu o pedido da equipe para parar de gravar

Conforme a polícia, a equipe pediu para que a professora os acompanhasse durante a revista pessoal e nos armários dos alunos, e nesse momento a educadora começou a gravar o trabalho feito pelos policiais.

Um dos agentes da PC ao ver a professora Camila gravando o vídeo pediu para que ela parasse de registrar as imagens, no entanto Camila não obedeceu a ordem. Novamente os policiais voltaram a solicitar que ela parasse de gravar, pois como se trata de menores de idade, as veiculação dessas imagens são proibidas pelo estatuto da criança e do adolescente, outra vez a professora não atendeu aos pedidos e a equipe lhe deu voz de prisão por desobediência.

De acordo com a polícia após receber voz de prisão, os agentes pediram para que Camila entrasse na viatura, a professora negou mais uma vez em atender os pedidos dos policiais. Diante da negativa da educadora a equipe teve que usar a força e algemar Camila para levá-la à delegacia para prestar esclarecimentos, onde foi autuada por desobediência.

Em vídeo professora explica como foi detida após desobedecer os policiais que pediram para ela não filmar

Após ser detida por desobediência e levada para a delegacia para prestar depoimento, a professora Camila foi filmada do lado de fora e conta como ocorreu. Conforme as imagens, a educadora afirma que um dos policiais avisou que o trabalho era sigiloso e que ela não poderia gravar as imagens.

Conforme o vídeo em que a educadora fala sobre o ocorrido, o policial que não deixou ela filmar avisou ao chefe da operação que ela estava filmando, ao que ele responsável pela ação afirmou que poderia deixar ela filmar. Camila narra ainda que o chefe da operação a chamou para conversar e contou que estava fazendo o trabalho deles, pois o diretor havia feito a denúncia. Veja o vídeo: 

No vídeo, a professora relata ainda que ela iria como testemunha para acompanhar os alunos, e que ao ver os estudantes eles questionaram se ela iria com eles, ao que respondeu que ela iria como testemunha. Camila conta ainda que ao chegar no estacionamento a viatura estava descaracterizada e questionou aos policiais se poderia ligar para o advogado do sindicato para ver se era correto, mas conforme ela narra, os policiais afirmaram que ela não iria ligar para ninguém e apertaram a mão dela, apreenderam o celular e a algemaram.

Dia Online entrou em contato com o IFG de Águas Lindas que por meio de nota que a presença da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente na unidade, foi em função de uma investigação em andamento de que alunos estariam se articulando para promover um atentado no Câmpus, durante as comemorações de aniversário da unidade. Em relação aos funcionários levados para Delegacia, o IFG afirmou que está investigando como eles foram ao DP para tomar as providências necessárias sobre o caso. O instituto encerra a nota reafirmando que a Reitoria a sua postura em defesa da integridade física, da liberdade, pluralidade de pensamento dos professores e técnicos-administrativos e alunos da instituição.

Confira a nota

“A Reitoria do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG)esclarece que a presença de policiais da Delegacia de Proteção de Crianças e Adolescentes, nesta segunda-feira, 15 de abril, no Câmpus Águas Lindas, está relacionada a uma investigação em andamento. Tal investigação trata de suposta articulação de pessoas para realização de grave atentado contra o Câmpus Águas Lindas, o que colocaria em risco a vida de estudantes e de servidores no decorrer desta semana, durante as comemorações do aniversário do Câmpus. A Reitoria do IFG está apurando os fatos relacionados à condução de integrantes da comunidade acadêmica à delegacia, seguida de liberação, e tomará as providências cabíveis no âmbito da administração pública. Por fim, a Reitoria reafirma sua posição em defesa da integridade física, da liberdade, da pluralidade de pensamento dos professores, dos técnico-administrativos e dos estudantes.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.