Goiás

Meninas são apreendidas transportando drogas na BR-364, em Jataí

Quando percebeu que haviam sido pegas pelos agentes da Polícia Rodoviária Federal, uma das garotas pegou seu aparelho de celular e jogou ao chão.

Por Ton Paulo
19/04/2019, 09h39

Duas adolescentes de 17 anos foram apreendidas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na tarde da última quinta-feira (18/4) na BR-364, municípios de Jataí, transportando cerca de 20 quilos de maconha. Elas viajavam em um ônibus clandestino enquanto levavam os entorpecentes.

De acordo com informações da PRF, as duas adolescentes, que têm a mesma idade, são residentes em Nova Olímpia, cidade do Mato Grosso, e se deslocaram até a cidade de Barra do Bugres, no mesmo estado, onde pegaram a droga e embarcaram no coletivo que seguia para Maceió, em Alagoas.

De acordo com a PRF, o ônibus em que elas seguiam era clandestino e não tinha autorização para circular.

Em Jataí, o veículo que transportava 47 passageiros, dentre os quais 7 crianças, foi parado pela corporação policial e, ao ser fiscalizado, os agentes encontraram nas mochilas das garotas cerca de 20 quilos de maconha.

Ao serem questionadas, as adolescentes não quiseram adiantar nenhuma informação sobre a origem e responsáveis pelo entorpecente, elas informaram apenas que receberiam uma boa importância pelo transporte.

Um das adolescentes flagradas transportando drogas na BR-364, em Jataí, destruiu o próprio celular para dificultar as averiguações

Uma situação durante a apreensão das meninas que chamou a atenção dos policiais foi o ato de uma delas para dificultar as averiguações.

Quando percebeu que haviam sido pegas pelos agentes da Polícia Rodoviária Federal, uma das garotas pegou seu aparelho de celular e jogou ao chão, destruindo o aparelho para dificultar qualquer informação sobre o caso.

O Conselho Tutelar local foi acionado e o caso foi encaminhado à Central de Flagrantes do município. O coletivo que é irregular foi apreendido e a Agência Nacional de Transportes Terrestres, a ANTT, foi acionada para conseguir outro ônibus para dar continuidade à viagem dos passageiros.

A reportagem do Dia Online segue apurando o destino final das adolescentes que transportavam as drogas.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Economia

Alta da gasolina este ano é superior à do óleo diesel

Em 2019, o reajuste promovido pela Petrobras para a gasolina vendida nas refinarias chega a quase 30%, enquanto o do diesel soma 24%.
19/04/2019, 10h41

A ameaça de greve dos caminhoneiros jogou holofotes na alta do preço do diesel este ano, mas a gasolina já acumula uma variação ainda maior. Em 2019, o reajuste promovido pela Petrobras para a gasolina vendida nas refinarias chega a quase 30%, enquanto o do diesel soma 24%.

O consumidor, porém, ainda não sentiu o impacto total desses reajustes, pelo fato de as distribuidoras estarem absorvendo parte desse aumento. Além disso, a Petrobras não repassou integralmente os ajustes da cotação do petróleo no mercado internacional.

Pelas contas do diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires, para compensar integralmente a paridade internacional, só nos últimos 30 dias a estatal teria de ter elevado em R$ 0,18, e não em R$ 0,11, o preço do litro da gasolina. “Nesse período, a cotação internacional subiu 11% e a Petrobras reajustou a gasolina em 6%.”

A decisão das distribuidoras de absorver parte do reajuste praticado pela Petrobras também tem poupado um pouco os consumidores. No primeiro trimestre, o aumento nas bombas de gasolina nos postos foi de apenas 0,7%, ante uma alta de 20,2% nas refinarias no mesmo período, segundo dados da Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência (Plural).

“Revendedores e distribuidores estão abrindo mão de margem para garantir o volume de vendas e manter competitividade”, explicou o presidente executivo da Plural, Leonardo Gadotti. “É preciso estar atento ao fato de que o valor dos combustíveis nunca sobe na mesma magnitude do reajuste nas refinarias. O aumento do preço na refinaria é diluído ao longo da cadeia. Isso mostra que o mercado está funcionando”, disse.

Dados do IBGE mostram que a alta da gasolina começou a pesar mais no bolso do consumidor este ano a partir de março, quando foi responsável por 16% da inflação de 0,75% registrada pelo IPCA. O produto é o terceiro item que mais afeta o orçamento das famílias brasileiras, atrás apenas da refeição consumida fora de casa e do custo do empregado doméstico.

“Provavelmente os postos de combustíveis estão repassando a alta agora porque talvez tivessem estoque de combustível que compraram antes do aumento”, disse Fernando Gonçalves, gerente do Sistema Nacional de Índices de Preços do IBGE, acrescentando que não era possível dizer se o represamento do preço teria alguma relação com a demanda fraca por parte de consumidores.

Segurar preço pode aumentar pressão

Para o professor da UFRJ Edmar Almeida, quanto mais segurar o preço, pior para a economia, porque quando o ajuste vier terá de ser alto, levando em conta a continuidade do aumento da cotação do petróleo no mercado externo e a desvalorização do real no mercado interno.

Almeida estima que o petróleo não vai parar de subir no curto prazo, por conta da pressão da demanda, junto com uma queda de oferta provocada por Venezuela e Líbia.

“Desde que o preço do barril caiu abaixo dos US$ 30, em 2014, o petróleo está volátil e assim vai continuar. A demanda mundial está forte mesmo com a desaceleração da economia mundial”, disse.

Segundo ele, “não dá para tapar o sol com a peneira; a população tem de aprender que o preço do combustível é livre”. Ele ressaltou ainda que existem opções aos combustíveis fósseis, como etanol e Gás Natural Veicular (GNV).

A Petrobras informou, em nota, “que continuam em vigor os princípios de preço de paridade internacional (PPI)” e ressaltou que, desde setembro de 2018, a diretoria da empresa aprovou mecanismo de proteção (hedge) complementar à política de preços da gasolina, o que permite à Petrobras ter a opção de alterar a frequência dos reajustes diários no mercado interno.

Preços do petróleo fecham semana em alta

Os contratos futuros de petróleo voltaram a fechar em alta ontem, dia de baixa liquidez em função da véspera da sexta-feira santa. Os contratos chegaram a operar em baixa após dados modestos da Europa, mas se fortaleceram com foco nas bolsas de Nova York.

O petróleo WTI para junho, contrato mais líquido, teve alta de 0,31%, cotado a US$ 64,07 o barril na New York Mercantile Exchange (Nymex). Já o petróleo tipo Brent para junho avançou 0,49%, cotado a US$ 71,97 na Intercontinental Exchange (ICE). Na comparação semanal, o WTI avançou 0,28%, enquanto o Brent subiu 0,59%.

Índices de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) piores do que o esperado da zona do euro e do setor manufatureiro da Alemanha fizeram o petróleo recuar mais cedo. Mais para o meio da manhã, contudo, dados positivos dos EUA apoiaram a demanda pela commodity, acompanhando a melhora nas bolsas americanas.

Na agenda de indicadores, o número de poços e plataformas de petróleo em atividade nos EUA teve um recuo de 8 unidades na última semana, ficando em 825, de acordo com a Baker Hughes, companhia que presta serviços no setor. A queda é a primeira em três semanas, colaborando para o aperto na produção do óleo e, consequentemente, apoiando a alta nos preços da commodity.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Governo de Goiás coloca placa em Pirenópolis pedindo desculpas a motoristas

A placa foi colocada estrategicamente na entrada de um dos principais pontos turísticos de Goiás, que é a cidade de Pirenópolis, e que deve lotar de turistas neste feriado da sexta-feira santa.

Por Ton Paulo
19/04/2019, 11h36

Uma placa com a assinatura da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes, a Goinfra, colocada na entrada do município goiano de Pirenópolis, a 128 quilômetros de Goiânia, está chamando a atenção de quem passa pelo local. A placa traz um pedido de desculpas aos motoristas por parte do Governo de Goiás, que diz nela que “recebeu o Estado quebrado e as estradas esburacadas”, mas que vai “reconstruir Goiás”.

A placa foi colocada estrategicamente na entrada de um dos principais pontos turísticos de Goiás, que é a cidade de Pirenópolis, e que deve lotar de turistas neste feriado da sexta-feira santa.

O discurso reproduzido na placa, de Estado quebrado entregue à nova gestão pela antiga, tem sido usado pelo governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) desde sua posse. De acordo com Caiado quando assumiu o governo, o ex-governador Zé Eliton entregou o Estado com uma dívida de R$ 3,4 bilhões de reais e apenas R$ 11 milhões em caixa.

Placa em Pirenópolis lembra para problemas nas rodovias goianas

Os problemas nas rodovias do estado vêm gerando reclamações, insatisfação e muito prejuízo para o motorista. Em março desse ano, uma ponte metálica precisou ser confeccionada pelo exército brasileiro para que o trânsito e o transporte pudessem fluir normalmente no trecho da GO-060, no município de Israelândia, após o rompimento de um bueiro. O governador Ronaldo Caiado chegou a comparecer ao local para ver o andamento da obra.

Caiado havia entrado em contato com o Ministério do Desenvolvimento e conseguiu o apoio, na época, para que a ponte fosse instalada na região entre Israelândia e Fazenda Nova. Com a entrega da obra na quarta-feira, o trânsito de veículos de todos os portes vai ser liberado na região.

Conforme as informações divulgadas pelo governo estadual na ocasião, cerca de 32 militares e 17 viaturas trabalharam para instalação da ponte, que pode suportar o peso de aproximadamente 80 toneladas. Além disso, a ponte pode ficar instalada na região por um período de seis meses, com a capacidade de ainda ter o prazo estendido no local.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Com pneumonia, João de Deus pode ter prazo de internação prorrogado

João de Deus está internado no Instituto de Neurologia, em Goiânia, desde março deste ano.

Por Ton Paulo
19/04/2019, 13h06

O médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, alvo de denúncias e indiciamentos por abuso sexual, porte ilegal de arma e outros crimes mais, pode ter sua internação no Instituto de Neurologia, em Goiânia, prorrogado a pedido dos médicos. O motivo seria uma pneumonia contraída pelo homem. Ele está internado no hospital desde março deste ano.

De acordo com uma nota divulgada pelo hospital, “trinta dias foi o prazo autorizado pela Justiça para o tratamento médico-hospitalar do paciente”, se referindo ao médium. Entretanto, esse prazo precisará ser estendido.

Conforme a nota, os médicos vão pedir a prorrogação do prazo, uma vez que João de Deus apresenta um quadro de pneumonia. A nota diz ainda que, em respeito ao sigilo médico, não repassará à imprensa mais informações sobre seu estado clínico.

Confira nota do Instituto de Neurologia sobre João de Deus

No comunicado, o hospital diz que, em razão do quadro de pneumonia de João de deus, “médicos responsáveis pelo atendimento ao paciente vão encaminhar à Justiça uma solicitação de prorrogação da internação hospitalar”.

Veja abaixo:

“Nota – Paciente João Teixeira de Faria

Neste sábado, 20, a internação do paciente João Teixeira de Faria no Instituto de Neurologia de Goiânia completa um mês. Trinta dias foi o prazo autorizado pela Justiça para o tratamento médico-hospitalar do paciente.

Mas, com um quadro de pneumonia e em tratamento, João Teixeira de Faria necessita continuar internado, sem previsão de alta hospitalar.

Na próxima semana, pós-feriado, o cardiologista Alberto Las Casas Júnior e o psiquiatra Leo de Sousa Machado, médicos responsáveis pelo atendimento ao paciente, vão encaminhar à Justiça uma solicitação de prorrogação da internação hospitalar até que João Teixeira de Faria tenha condições clínicas de deixar o hospital.

Em respeito ao sigilo médico, o hospital não repassará à imprensa mais informações sobre o quadro clínico do paciente. As visitas a João Teixeira de Faria, inclusive de advogados, continuam seguindo as normas do Núcleo de Custódia.

Segue o Boletim Médico assinado pelos médicos Alberto Las Casas Júnior e Leo de Sousa Machado

“O Sr. João Teixeira de Faria encontra-se internado, ainda sem previsão de alta hospitalar. Está em tratamento de pneumonia com a previsão de usar antibiótico venoso por mais 5 (cinco) dias.

Em virtude do feriado, o pedido de prorrogação da internação hospitalar será encaminhado na próxima semana.”

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Dentista é condenada a dois anos de prisão por racismo

'Já vi que você saiu da senzala, porém a senzala ainda não saiu de você.', disse a dentista numa postagem direcionada a uma pessoa negra.
19/04/2019, 15h46

O juiz Carlos Alberto Bezerra Chagas, da 1.ª Vara da Comarca de São Raimundo Nonato, no Piauí, com 35 mil habitantes a 536 quilômetros de Teresina, condenou a dentista Delzuíte Ribeiro de Macêdo a dois anos e quatro meses de reclusão pelos crimes de injúria racial e racismo e três meses de detenção pelo crime de tentativa de lesão corporal leve.

As informações foram divulgadas no site do Tribunal de Justiça do Piauí.

Os três crimes, segundo a sentença, foram cometidos contra Thaiane Ribeiro Neves.

Em sua página nas redes sociais, segundo a acusação, a dentista atacou. ‘Já vi que você saiu da senzala, porém a senzala ainda não saiu de você.’

Depois escreveu. ‘Aí minhas amigas só me chegam com ‘amiga você viu que noiva feia’… ‘mulher, como uma filhinha de fulana é feia, você já viu?’

‘Eu só respondo: não amiga! Não me interesso por gente que nunca chegará ao meu tom de pele’.

‘E ainda. De uma coisa eu e … apesar dos paus de brigas temos certeza: “O Gui é lindo e Branco!” Uma coisa eu caprichei nessa vida: eu não misturo o meus sangue com merda!’

Na decisão, o magistrado converte a pena restritiva de liberdade em restritiva de direitos. A ré deverá pagar multa, pena pecuniária e prestar serviço à comunidade. A decisão foi dada na terça-feira, 16.

Delzuíte poderá recorrer da sentença em liberdade.

A denúncia foi ajuizada pelo Ministério Público do Piauí.

Segundo a Promotoria, no dia 6 de abril de 2018, ‘a ré utilizou-se de palavras de cunho racista e preconceituoso em sua página na rede social Facebook para ofender a dignidade da vítima e, por conseguinte, cometido discriminação contra um número indeterminado de pessoas de uma mesma raça e cor’.

Ainda de acordo com a denúncia, em nova postagem publicada pela acusada em sua página do Facebook no dia 9 de abril de 2018, ‘foram ratificadas as postagens anteriores, inclusive citando nominalmente a ofendida’.

Na sentença, Carlos Alberto Bezerra Chagas assevera que ‘foi comprovada a prática dos crimes de tentativa de lesão corporal, injúria preconceituosa/racial e racismo qualificado por meio de provas materiais e indícios suficientes de autoria da ré’.

Delzuíte foi absolvida da acusação de crime de ameaça por, segundo entendimento do magistrado, ‘inexistência de provas’.

A pena privativa de liberdade da ré foi convertida na prestação pecuniária de vinte salários mínimos atuais e na prestação de serviços à comunidade pelo período da condenação deferida. Além disso, a dentista deverá pagar 14 dias-multa, sendo cada dia-multa fixado em um salário mínimo (vigente no tempo do fato), e as custas processuais.

A reportagem busca contato com a defesa de Delzuíte Ribeiro de Macêdo. O espaço está aberto para manifestação.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.