Educação

Prazo para inscrição no Enem 2019 termina nesta sexta-feira

Exame será aplicado em dois domingos consecutivos, 3 e 10 de novembro.
16/05/2019, 10h52

O prazo para fazer a inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 termina nesta sexta-feira, dia 17, às 23h59. A taxa de R$ 85 poderá ser paga até o dia 23 de maio.

O exame será aplicado em dois domingos consecutivos, 3 e 10 de novembro, e terá quatro provas objetivas com 45 questões cada uma sobre os seguintes temas: Linguagens e Códigos, Ciências Humanas, Ciências da Natureza e Matemática. Além disso, os alunos deverão fazer uma redação argumentativa de, no máximo, 30 linhas sobre o tema que será proposto.

No dia 3 de novembro, serão aplicados os testes de Linguagens e Códigos, Ciências Humanas e a Redação, com 5h30 de duração. No dia 10 de novembro, serão aplicados os testes de Ciências da Natureza e Matemática, com 5h de duração.

Para fazer a inscrição, acesse o site do Enem e siga as instruções. O prazo para pedidos de atendimento por nome social vai de 20 até 24 de maio.

A nota Enem poderá ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), instituições portuguesas e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Mudanças

A partir deste ano, os alunos contarão com um novo sistema de inscrição e que permitirá incluir uma foto. Os deficientes auditivos e visuais poderão indicar no ato da inscrição o uso de um aparelho auditivo ou de implante coclear. Além disso, todos os alunos terão os lanches revistados no dia da prova, e no final dos cadernos de questões haverá espaço para rascunho da redação e cálculos.

Imagens: Governo do Brasil 

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Goiás

Vândalos destroem canteiros em Aparecida de Goiânia; polícia civil investiga

Prefeitura pede ajuda da população na fiscalização e cuidados com os canteiros que passarem por revitalização.
16/05/2019, 11h51

Tornar a cidade mais agradável para se viver é um dos deveres da administração pública. E para isso, a Prefeitura de Aparecida de Goiânia, por meio da secretaria de Desenvolvimento Urbano, realiza a ação de embelezamento das ruas, canteiros centrais e rotatórias do município. O projeto de embelezamento começou pela Avenida Atlântica no Jardim Tropical, já passou pela Avenida Jataí no Jardim Bela Vista e chegou na Alameda do Almeida no Jardim Luz.

Mas devido a ação de vândalos e criminosos, este processo está se tornando caso de polícia. Isso porque a Polícia Civil investiga o furto de plantas, vasos, peças decorativas e atos de vandalismo ocorridos na Alameda do Almeida no Jardim Luz, em Aparecida de Goiânia. Foram furtados do local, na madrugada dos dias 2 e 4 de maio, bacias de cimento e carrinhos de mão de madeira usados na decoração da praça.

Crime contra patrimônio público é investigado em Aparecida de Goiânia

O crime contra o patrimônio público foi registrado em Boletim de Ocorrência no 5º Distrito Policial da cidade. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Max Menezes, o prejuízo contra o patrimônio público é grande. “Estamos fazendo um trabalho de embelezamento da cidade, colocando vasos, preparando as avenidas, praças e canteiros públicos, conforme determinação do prefeito Gustavo Mendanha. Ficamos tristes quando deparamos com essa situação”, comentou.

Max Menezes ressalta que agora a Alameda está sem a decoração, pois o processo para aquisição de novos objetos de paisagismo ainda está em andamento para que seja realizada a reposição, o que gera mais gastos para o patrimônio público. Ele faz um apelo aos moradores que vivem próximos aos locais que estão sendo revitalizados para que ajudem na fiscalização e que denunciem qualquer ato de vandalismo ou furto.

“Precisamos da colaboração da comunidade para que nos ajude a fiscalizar e a denunciar tanto para a Guarda Civil Municipal quanto para a Polícia Militar quando flagrarem alguma atitude suspeita. Assim que iniciamos esse processo de embelezamento tivemos as flores da Avenida Atlântica furtadas e agora vasos e objetos de decoração também foram levados. Esses crimes contra o patrimônio público não podem ficar sem solução, pois quem perde é a população”, sublinhou.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, o secretário anunciou que denunciaria o caso à polícia, o que foi feito e agora as imagens das câmeras de segurança dos prédios e comércios vizinhos ao canteiro da Alameda do Almeida estão sendo investigadas. “Nosso objetivo ao denunciar o crime é de que ele não fique impune e quem pague por ele seja o contribuinte. Ainda temos muito o que fazer pela cidade, mas é preciso que todos ajudem a cuidar destes espaços, pois também somos responsáveis pelo patrimônio do município”, salientou ele.

Embelezamento

O objetivo da Prefeitura é de deixar a cidade mais bonita e aconchegante para quem mora em Aparecida. A ação tem um custo mínimo pois os materiais usados são de reciclagem, como pedriscos, toras de madeira e pneus. O projeto conta com a implantação de caminhos de flores cercado por bolachas de madeira, floreiras feitas com cochos de madeira e caminho para passeio com os pedriscos, além da implantação das lixeiras ecológicas.

Vandalismo

A destruição de bens públicos é um dos atos infracionais tipificados como crime contra o patrimônio público e pode sujeitar o infrator a penas como multa ou detenção. Por isso a Prefeitura de Aparecida iniciou uma campanha de conscientização dos moradores e está pedindo ajuda para que os vândalos sejam identificados e punidos. As denúncias podem ser registradas anonimamente pelo telefone 3545-6040.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Saúde

Secretaria de Saúde alerta: 5 casos confirmados e 2 mortes por H1N1 em Goiânia

A pasta municipal divulgou a confirmação de seis casos de gripe na cidade: cinco de H1N1 e um de Influenza B. Duas mortes foram confirmadas.

Por Ton Paulo
16/05/2019, 12h22

A Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) emitiu um alerta para a urgente necessidade da vacina contra a Influenza H1N1 em Goiânia em todos os grupos prioritários conforme previsão do Ministério da Saúde. A pasta municipal divulgou a confirmação de seis casos de gripe na cidade: cinco de H1N1 e um de Influenza B. Duas mortes por H1N1 foram confirmadas.

A campanha de vacinação contra o vírus começou no início de abril deste ano e a procura por parte da população selecionada para tomar a vacina é considerada baixa pela Secretaria de Saúde. Duas mortes por H1N1 foram confirmadas em Goiânia neste ano, que até então, não tinha nenhuma morte registrada.

As vítimas do vírus: um homem de 53 anos, que, segundo notificação do hospital, era obeso e não vacinado, e uma mulher idosa de 81 anos, que também não era vacinada. Além disso, seis casos foram confirmados, sendo cinco de H1N1 e um caso de Influenza B. Conforme informado pela Prefeitura de Goiânia, a Superintendente de Vigilância em saúde, Flúvia Amorim, ressalta que a vacina demora 14 dias para proteger o indivíduo, por isso, é necessário ter a imunização o quanto antes.

De acordo com Flúvia, “o período mais crítico para a circulação do vírus está chegando. O inverno e o tempo seco são propícios para que o vírus de alastre, então, é necessário que as pessoas procurem a vacina para enfrentar esse período”. De acordo com a Superintendência de Vigilância em Saúde da SMS, em Goiânia foram aplicadas 294.277 doses, mas para alcançar a meta de 90% de cobertura ainda faltam 110.333 pessoas para serem imunizadas.

A cobertura vacinal geral até o momento é de 65,04%. Por grupos a cobertura é a seguinte: Crianças: 66,01%; Gestantes: 73,06; Trabalhadores em saúde: 59,02; Puérperas: 78,06Idosos: 89,09; Professores: 41,01; Portadores de doença crônica: 43%; Militares: público estimado: 9.000. Vacinados: 2.886; População provada de liberdade: 311 já vacinados.

Os locais de vacinação disponibilizados  pelo município podem ser conferidos aqui.

Mortes por H1N1 assustam; conheça a doença

De acordo com o hospital Albert Einstein, o subtipo do ​​vírus influenza A H1N1 é resultado da combinação de segmentos genéticos do vírus da gripe aviária, do vírus da gripe suína e do vírus humano da gripe. Sua forma de transmissão se dá de uma pessoa para outra pelo contato com secreções respiratórias, partículas de saliva, tosse ou espirro. E, de acordo com o OMS, também é possível a transmissão pelo contato com superfícies contaminadas.​​

Os sintomas são semelhantes aos da gripe comum, e se apresentam como febre repentina (acima de 38°C), dor de garganta, associado a dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações, coriza e falta de apetite. Sintomas respiratórios como tosse e piora da asma para asmáticos também são comuns. Algumas pessoas também podem apresentar diarreia e vômitos. É recomendado que os pacientes que apresentarem sintomas que envolvam secreções nasais, tosse ou espirro recebam máscara cirúrgica com o intuito de evitar a transmissão do vírus. Os adultos podem transmitir a doença no período de sete dias após o aparecimento dos sintomas. Nas crianças, este período vai de dois dias antes até 14 dias após aparecerem os sintomas.

A melhor forma de prevenir é recebendo a vacina contra a gripe H1N1. Porém, cuidados de higiene também são importantes, como:

• Lave bem as mãos com água e sabão e utiliza álcool gel com frequência

• Evite colocar as mãos nos olhos, boca e nariz após contato com superfícies

• Não compartilhe objetos de uso pessoal

• Cubra a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar

• Evite locais fechados e com muitas pessoas presentes

• Evite beber água em bebedouros públicos.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Mundo

Ex-líder do grupo terrorista ETA, é preso na França após 17 anos foragido

Ele irá diretamente para uma prisão francesa para cumprir os oito anos da sentença recebida em 2017, segundo fontes judiciais.
16/05/2019, 14h03

O ex-líder político do grupo terrorista ETA José Antonio Urrutikoetxea Bengoetxea, mais conhecido como Josu Ternera, foi preso nesta quinta-feira, 16, na França, depois de passar 17 anos foragido da Justiça espanhola. Ele irá diretamente para uma prisão francesa para cumprir os oito anos da sentença recebida em 2017, segundo fontes judiciais.

A detenção de um dos dirigentes históricos da organização separatista armada basca, dissolvida há um ano, “aconteceu nas primeiras horas do dia na localidade de Sallanches nos Alpes franceses”, anunciou o Ministério do Interior espanhol em um comunicado.

Condenado em um julgamento à revelia (no qual não esteve presente), ele poderá apresentar um pedido para que o processo se repita ou aceitar a pena que lhe foi imposta. Por já ter sido julgado, Ternera não será apresentado diante de um juiz de instrução, mas irá diretamente para a cadeia, disseram as fontes.

Ternera, de 68 anos e portador de câncer – segundo a imprensa -, é descrito na nota como “o militante da organização terrorista ETA mais procurado pelas forças policiais, tanto espanholas como francesas”. Durante 40 anos de violência pela independência do País Basco e Navarra, o ETA assassinou mais de 800 pessoas, até abandonar a luta armada em 2011.

Em maio de 2018 o grupo anunciou a dissolução. Ternera foi o responsável por gravar a chamada “declaração final”, que acabou com o grupo criado na resistência contra a ditadura de Francisco Franco.

Josu Ternera estava foragido desde 2002 da Justiça espanhola, que o vincula ao atentado com bomba 1987 contra um quartel da Guarda Civil em Zaragoza que matou 11 pessoas, incluindo crianças.

Influência no ETA

Com grande influência dentro do grupo, Ternera liderou o ETA de 1977 a 1992. De acordo com analistas, neste período ele privilegiou a estratégia do terror para forçar o governo espanhol a negociar com o separatismo basco. Os especialistas atribuem a Ternera a condução dos atentados com carros-bomba pelo ETA.

Ele foi eleito deputado pelo Herri Batasuna, partido nacionalista radical basco considerado por muitos o braço político do grupo separatista. Também participou das fracassadas negociações de paz em 1989 com membros do governo espanhol na Argélia. Em 2002, fugiu da Justiça depois de ter sido convocado pelo Tribunal Supremo para depor sobre o atentado de 1987.

Na clandestinidade, participou das negociações com o governo socialista espanhol durante uma trégua em 2006, mas foi afastado para que integrantes da linha mais dura do grupo assumissem o comando. O processo fracassou: em dezembro de 2006 o ETA explodiu uma bomba no aeroporto de Madri, que matou dois equatorianos, e em junho de 2007 deu por encerrado o cessar-fogo.

As forças de segurança responderam com operações policiais contra a organização, que, sem capacidade operacional, anunciou o fim da violência em 2011. A dissolução do ETA, contudo, não acabou com os esforços da polícia contra a organização, com mais de 350 crimes ainda não solucionados. COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.

Brasil

Preso suspeito de matar e beber o sangue da vítima no Distrito Federal

De acordo com a polícia, Eduardo teve ajuda de outros dois comparsas que estão foragidos.
16/05/2019, 14h56

Um jovem de 24 anos foi preso na noite da última quarta-feira (15/5) pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), suspeito de matar Heraldo José de Carvalho, de 43, e beber o sangue da vítima após o crime, no Distrito Federal (DF). Heraldo desapareceu no sábado (11/5) e seu corpo foi encontrado na tarde da última terça-feira (14/5), dentro de uma tubulação de esgoto.

Segundo matéria publicada por um jornal da região, o suspeito foi identificado como Eduardo da Conceição e o mesmo teve ajuda de comparsas para cometer o crime. O suspeito, na delegacia, negou que participou do assassinato de Heraldo José e afirmou que não viu nada.

Após a prisão do suspeito, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) solicitou a prisão temporária de Eduardo. Conforme a publicação do periódico, Eduardo vai responder pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e corrupção de menores. Caso seja condenado, o rapaz pode pegar até 30 anos de prisão.

Polícia esteve na casa do suspeito de beber o sangue de vítima e encontrou gatos e um cachorro morto

A 6ª Delegacia de Polícia (DP) do Paranoá foi procurada na última segunda-feira (13/5) pela mulher de Heraldo para registrar o desaparecimento do companheiro que sumiu durante o fim de semana. Após o caso ser relatado pela companheira da vítima, o corpo de Heraldo foi encontrado na tarde de terça-feira (14) e uma testemunha contou à mulher quem seria o responsável pelo assassinato do seu companheiro.

No mesmo dia, os policiais da 6ªDP estiveram na casa de Eduardo e encontraram vários gatos, um cachorro morto e vísceras de animais. Na ocasião, o suspeito não estava na residência. De acordo com a delegada que investiga o caso, Jane Klebia, o motivo do crime foi um acerto de contas, pois Heraldo recebeu o pagamento em drogas para construir uma cerca onde Eduardo morava, mas consumiu os entorpecentes antes de fazer o serviço.

Conforme uma testemunha relatou à companheira de Heraldo, Eduardo matou a vítima e contou a ajuda de outras duas pessoas, após o crime, o suspeito ainda bebeu o sangue de Heraldo. Após ter ciência da participação de outras duas pessoas no crime, a polícia solicitou junto à Justiça a prisão dos outros dois suspeitos do crime, o que até o momento não ocorreu.

COMENTÁRIOS

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do portal e são de total responsabilidade de seus autores.